As Flores do Ruanda

Adelson Correia da Costa



As Flores do Ruanda





De 06 de abril a 10 de julho de 1994 ocorreu em um pequeno país centro-africano chamado Ruanda uma matança indiscriminada de milhares de indivíduos da etnia tutsi perpetrada pelos hutus com os quais convivem. As Flores do Ruanda é um romance que relata a épica jornada de um ano de duração de uma médica americana, Dra. Isabelle, inserida em um contexto hostil de guerra civil a serviço da Cruz Vermelha Internacional. O seu contato com os pigmeus africanos denominados twas nos apresenta este povo sofrido que, sem ao menos perceber as razões da matança generalizada, foi impiedosamente chacinado. Expulsos do Ruanda pelos hutus, os tutsis se organizam no exílio do Uganda e fundam a Frente Patriótica Ruandesa, grupo guerrilheiro armado que invade o país a partir do Norte, em busca da retomada do poder político central. Este esforço demanda intensas contendas e batalhas sangrentas, motivando a retaliação hutu por meio do genocídio ruandês, que visou o extermínio da etnia opositora.

http://www.amazon.com.br/Flores-Ruanda-Adelson-Correia-Costa-ebook/dp/B00GRL7I6A/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1384882135&sr=8-1&keywords=as+flores+do+ruanda

Edições (1)

ver mais
As Flores do Ruanda

Similares


Resenhas para As Flores do Ruanda (17)

ver mais
As Flores do Ruanda
on 12/10/12


Confira a resenha completa de As Flores do Ruanda no Blog Segredos em Livros: http://segredosemlivros.blogspot.com.br/2012/10/resenha-as-flores-do-ruanda-adelson.html... leia mais

Vídeos As Flores do Ruanda (4)

ver mais

Genocídio ruandês

Twas dançando.

Grupo de twas cantando

Twas - Pigmeus africanos


Estatísticas para As Flores do Ruanda

Desejam17
Trocam1
Avaliações 4.6 / 37
5
ranking 68
68%
4
ranking 27
27%
3
ranking 5
5%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

25%

75%

Adelson
cadastrou em:
08/04/2012 19:27:21


logo skoob
"Diferentemente das redes de relacionamento pessoal, o que importa no site não são as fotos dos usuários ou para que time eles torcem, e sim o que merece ou não ser lido."

Estadão