Faça seu login para ter acesso a todo conteúdo, participe também do sorteio de cortesias diárias. É rápido e gratuito! :) Entrar
Login
Livros | Autores | Editoras | Grupos | Trocas | Cortesias

Auto Da Compadecida

Ariano Suassuna
Resenhas
Recentes
98 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |


Israel 31/07/2014

O Auto da Compadecida é um livro de 185 páginas em forma de peça teatral, escrito em 1955 por Ariano Suassuna. Relata um drama nordestino da época. João Grilo um homem conhecido por suas mentiras e Chicó conhecido por suas histórias sem pé e sem cabeça. Entram em uma confusão pela cachorra do padeiro. E nessa confusão entra o padre, o sacristão e o bispo. Quando de repente chega um cangaceiro e resolve matar todos. A cena muda para o céu. O julgamento de João Grilo e lá ele é salvo pela Compadecida.
comentários(0)comente



Eduarda 29/07/2014

Uma peça teatral escrita em 1955 por Ariano Suassuna, drama nordestino com traços do catolicismo. O elenco tem como protagonista João Grilo que vive no meio de confusões, personagens como Chicó que é amigo de João e vive inventando histórias, o Padre, o Bispo, o Frade e o sacristão que compõem o elenco da igreja, A compadecida, Emanuel, Encourado e Satanás que compõem o elenco dos céus e outros como o major Antônio Morais, o padeiro, a mulher, Severino e o cangaceiro. Tudo começa com uma confusão arranjada por João Grilo, pois a cachorra do padeiro estava doente e o mesmo queria que o padre á benzesse e fez com que Chicó e João fossem até a igreja e convocasse o padre á padaria. Mas o padre achou um absurdo bezer uma cachorra, mas João, um cara mentiroso e que vivia se metendo em confusão, mentiu para o padre dizendo que a cachorra era do major Antônio Moraes, ao qual o padre dava uma certa atenção a mais. O padre logo trocou de conversa e disse que iria benzer a cachorra. O major resolve aparecer à igreja para pedir ao padre a benção para seu filho que estava adoentado, o padre achando que a benção era para a cachorra, logo arrumou uma confusão. O major achou tudo muito estranho e foi conversar com o bispo, que se encaminhou para a igreja. Logo que a confusão foi esclarecida, João mentiu mais uma vez falando a respeito de um testamento, o que despertou o interesse no Padre que logo fez o enterro da cachorra. Quando o bispo chegou na igreja, questionou ao padre e o mesmo falou a respeito do testamento que também foi de interesse ao bispo. Após toda essa confusão aparece um cangaceiro que rouba e mata a população e este que junto aos outros ao qual matou subiu aos céus. O teatro munda a cena para um céu com Emanuel (Deus) sendo o advogado, Encourado (Satanás) como acusador. Satanás tinha bons argumentos para levar todos, logo João fez uma prece a Compadecia, que ajudou a todos. Além do livro ser bastante engraçado, faz uma critica ao catolicismo e a sociedade como hipócrita.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Laura 14/07/2014

Risos
A peça Auto da Compadecida (Editora AGIR) foi escrita na forma de livro no ano de 1955, criado pelo autor Ariano Suassuna, possui 185 páginas, as falas são escritas na forma de peças teatrais, sua linguagem é informal, suas falas possuem gírias pois retrata um pouco de como é a vida de um nordestino, também tem um a momento de santidade. A historia contada se passa em uma pequena cidade, os personagens são: o Palhaço, João Grilo, Chicó, Padre João, Sacristão, Bispo, Antônio Moraes, Padeiro, Mulher do padeiro, Frade, Severino do Aracajú , Cangaceiro, Demônio, Manuel (Nosso Senhor Jesus Cristo) e a Compadecida (Nossa Senhora). Essa peça em contada em vários capítulos. Os personagens principais são João Grilo e Chicó, dois amigos, homens humildes e simples, porém costumam contar algumas mentiras. Às vezes acabam em alguma encrenca, mais no final sempre se dão bem. É um livro bastante engraçado, onde você se diverte ao ler mitos criados pelos personagens e histórias divertidas.
comentários(0)comente



Jaine 10/07/2014

O auto da compadecida é um teatro de Ariano Suassuna com 185 página.
A história começa quando João grilo e Chicó vão pedir para o padre benzer o cachorro do padeiro, como ele se nega eles dizem que o cachorro e do major Antônio Morais ai o padre na mesma hora muda de ideia e diz que benzera. Só que o cachorro já estava morto então eles queriam que o padre fizesse o enterro em latim, depois o padre descobre que eles inventaram essa história e que o cachorro era do padeiro então novamente se nega, porém João grilo diz que ele deixou um testamento deixando 6 contos de réis para ele e 4 para a paroquia então o padre acabou por fazer o enterro. João grilo manda chicó colocar moedas em um gato para dizer a mulher do padeiro que ele "descomia" dinheiro e o vender a ela. Severino chega e rouba a igreja e mata todos que estavam lá com exceção apenas de chicó até Severino morre pois João grilo inventou uma história de gaita abençoada que a pessoa morria e se tocasse a gaita a pessoa revivia. Todos no céu estão sendo jugados João grilo com sua lábia fez com que todos fossem absolvidos e não fossem para o inferno ai quando chega a vez dele ele diz que merece reviver e o pedido é aceito. Quando ele retorna a terra chicó pensa estar vendo a alma de seu amigo e inicialmente não acredita depois de passado o susto chicó lembra que o dinheiro que eles tinham ele havia prometido doar para nossa senhora caso João grilo escapasse, então ai começa a discussão dos 2 depois de debaterem muito eles decidem que darão mesmo o dinheiro a nossa senhora.
comentários(0)comente



98 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |



Publicidade


logo skoob beta
"O contato direto com outros leitores incentiva a ler e adquirir livros que nem imaginávamos existir."

Revista Época