O Senhor das Moscas

O Senhor das Moscas
4.15495 1465



Resenhas - O Senhor das Moscas


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Andrea 08/02/2016

Quais os verdadeiros limites de nossa civilidade?
Romance de estreia do vencedor do prêmio Nobel de 1983, O senhor das moscas retoma o tão discutido tema do naufrago e se suas condições de vida longe da "civilização", além de sua luta pela sobrevivência e preservação da sanidade.
Sem nos dar mais detalhes, descobrimos que um grupo de garotos sobreviveu a um acidente aéreo. Nenhum adulto foi salvo, os meninos mais velhos têm em torno de doze anos e há os mais novos, com apenas seis.

" - As pessoas não ajudam muito. Ralph queria dizer que as pessoas nunca eram bem o que se pensava delas." p 86.

Lembrando de suas origens britânicas, eles organizam-se tendo como líder a personagem Ralph, como "conselheiro" a personagem Porquinho e como chefe dos "caçadores" a personagem Jack, que se tornará o grande antagonista do romance. O objetivo deste grupo, de acordo com Ralph, é manter uma fogueira acessa para que algum navio os salve, no entanto, com o passar do tempo, a selvageria começa a prevalecer ante a civilidade, assassinatos são cometidos propositalmente e esses meninos encontram-se cada vez mais mergulhados na insanidade, esquecendo tudo aquilo que os ligava aos padrões de comportamento que eles conheciam.

"Ralph, indignado, tentou lembrar. Havia alguma coisa de bom sobre uma fogueira. Uma coisa muito, muito boa." p 254.

Como se não bastassem todas essas adversidades, ainda existe a figura do "bicho", ser criado ou não pelos pequenos que acaba tornando-se o grande catalisador de toda a irracionalidade e violência dessas crianças. O grande discurso elucidado ao longo de toda a leitura é o fato de que cada ação praticada pelos jovens náufragos já estava dentro deles, a única coisa de que precisavam era desvencilhar-se das amarras impostas pelo comando dos adultos para aderir a seus instintos mais animalescos, isso sem qualquer motivo plausível! Tudo é um questão de poder, algo que, se pararmos para pensar, é extremamente assustador, visto que estamos falando de crianças entre seis e doze anos!!

"No meio deles, com o corpo sujo, cabelo emaranhado e nariz escorrendo, Ralph chorou pelo fim da inocência, pela escuridão do coração humano" [...] p 328.

O senhor das moscas é um excelente livro, muito perturbador, mas ainda assim é uma leitura mais do que obrigatória aos fãs de romances alegóricos ou de histórias sobre naufrágios e ilustra muito bem a fragilidade de nosso convívio social, além de desmistificar, de maneira brutal, a figura inocente e livre de "maldade" que temos das crianças.

site: http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Mariana 05/02/2016

Natureza X Razão.
Senhor das Moscas é um livro fenomenal (pelo menos para mim), a primeira vez que tive contrato com ele, foi ao 14 anos, através, de uma reportagem sobre a serie americana LOST. Achei a historia tão interessante que pedir para minha mãe compra no sebo. Na época e demorei um pouco para lé, mais quando eu pequei o livro de verdade, fiquei, super conectada com a historia. No ano passado ( depois de "velha") tiver a oportunidade de volta lé essa obra, e posso dizer que foi uma leitura totalmente diferente do que tiver aos 14 anos. Primeiramente Ralph e Porquinho, deixara de ser os personagens "chatos", para ser tornarem, um tipo de justiça, e moralidade civilizatória talvez necessária. E Jack e Simon nessa nova leitura continuara personagens condenáveis e fascinantes. Vejo o comportamento humano, como uma caixa de pandora, tudo de ruim e bom pode sair dela. A escolha entre ordem X liberdade e Natureza X Razão, faz parte da construção social da raça humana, podemos fazer uma analise desse livro, utilizado diversos pensadores que ser debruçara sobre a origem do contrato social. A ideológica entre Ralph X Jack para mim é um tipo de alegoria para muitos dos processos de tomada de poder no mundo. Quem não ser lembra de Salvador Allende ou Jango. Se existir um tipo de essencial no homem vejo que esse livro conseguiu captura um pouco a complexidade da nossa raça.
comentários(0)comente



Felipe.Tavares 05/02/2016

É, clássico é clássico
Se analisarmos a mensagem final da obra, teremos um clássico que merece ser estudado, analisado e discutido em qualquer meio de convivência.
Entretanto, a construção do autor para se chegar a este final é por diversos momentos confusa (será culpa das traduções?). Com isso, as descrições do ambiente em que a história se passa nos deixa perdidos, tirando nosso foco em alguns momentos do real significado que são as relações humanas.
Tenha um pouco de paciência que vale a pena!
comentários(0)comente



Luuh 26/01/2016

Nha
A história retrata vários pontos relevantes do comportamento humano em situações extremas, especialmente se tratando de crianças tendo de escolher entre a ordem e a liberdade. Devido à situação, todos os sentimentos, bons ou maus, são intensificados entre eles, tornando a superação de suas próprias individualidades um desafio.
Há uma disputa ideológica entre Ralph, que foi eleito democraticamente pelo grupo, e Jack, que quer assumir o poder a qualquer custo e consegue, uma vez que detém a força física do seu lado após convencer os outros que o estilo de vida dele era melhor. Dado que o autor participou ativamente da Segunda Grande Guerra, é possível identificar sua influência na história, por exemplo, ao falarmos de fascismo ao analisar a atuação do grupo de Jack, e até relacionando o poder de convencimento dele com o de Hitler, que teve apoio de grande parte da Alemanha ao vender sua ideologia.
Uma questão frisada várias vezes ao longo do livro é a importância das regras como elemento essencial da humanidade deles, pois elas impedem que eles se rendam à selvageria. Sem uma devida regulação, eles vivem o estado de natureza explorado por Thomas Hobbes, em que há conflitos, competições, medo e imposição da vontade por meio da força, inviabilizando a vida em sociedade.
comentários(0)comente



Arthur.Moura 25/01/2016

O tipo de livro que te faz refletir e debater.
Vou começar minha resenha fazendo uma crítica, a construção da paisagem da ilha ficou extremamente confusa. Fora esse problema é uma narrativa rica sobre a natureza humana e a sociedade, o medo, a insegurança, a coragem, a razão, a insensatez, a violência, a paz, a democracia, a ditadura, o poder, o autor consegue explorar todas essas questões através dos personagens que são apenas crianças, mas quando colocados em uma situação extrema, perdem sua inocência que dá lugar ao extinto. Éuma obra-prima, sem dúvida.
comentários(0)comente



Bruno Leandro 21/01/2016

O Senhor da Guerra não gosta de crianças.
Um livro pesado. Uma coisa que me impressiona nele é o fato de que o final é brusco, sem uma resolução óbvia e, definitivamente, foge do esquema água com açúcar. É como se o autor chegasse para os leitores que almejam um "viveram felizes para sempre" e jogasse na cara deles que a decisão nunca esteve em suas mãos.
comentários(0)comente



Tiago 11/01/2016

Só quem não entendeu , não gostou. É fabuloso !.
Um livro perturbador , te prende e te leva aos primórdios da raça humana onde o medo , o poder e os símbolos faziam parte do cotidiano. Em alguns momento é preciso ter fôlego e coragem de seguir em frente, um livro indispensável para qualquer um.
comentários(0)comente



Rodrigo 23/12/2015

Tenham em mente que o livro é uma alegoria
O que acontece quando deixamos a sociedade escolher entre o que ela precisa e o que ela acha que quer? Ela corre para o lado que oferece uma ilusão de satisfação. Não importa o que seja feito para alcançar, e por mais fantasioso que pareça, atualmente podemos ver o poder da ignorância das grandes massas perante o que fazem seus governantes, desde que esses os alimentem com migalhas para dar a falsa sensação de cuidado, de que estão fazendo algo. No decorrer disso nos vemos a sociedade se destruindo, incapacitando aos poucos os instrumentos que serviriam para mudar esse quadro e assim aumentando o controle que os líderes corruptos exercem sobre ela.
comentários(0)comente



jel 23/11/2015

Senhor das Moscas
Acabo de ler o livro e senti grande dificuldade em criar a paisagem da ilha, repetidas vezes descrita pelo autor, na cabeça, o que acabou me deixando confusa muitas vezes. Além disso, a narrativa não me prendeu em nenhum momento, achei o desenvolvimento lento e o livro em si sem grandes acontecimentos. Também não consegui criar empatia por nenhum dos personagens. Enfim, pra mim não rolou.
Bruno Galli 21/12/2015minha estante
Isso!


Karla 12/01/2016minha estante
Também achei que o autor não conseguiu passar de uma forma clara e real a descrição das paisagens ou mesmo das cenas. Algumas partes são desnecessariamente confusas "Como uma espécie de animal selvagem, as chamas rastejaram, tal um jaguar rastejando sobre o ventre, rumo a uma linha de brotos semelhantes a bétulas que bordejavam uma saliência da rocha rosada". Com uma linguagem mais concisa seria uma leitura perfeita.




Dessa 28/10/2015

narrativa deixa a desejar
Uma boa historia com uma narrativa que eu esperava ser mais elaborada.
Algumas partes da historia achei que os conhecimentos das crianças, parecendo mini adultos, não eram tao plausíveis. O desenvolvimento da selvageria aconteceu mto rápido mas ao mesmo tempo as descrições as vezes chamavam atenção pra fatos que não interessavam tanto... esperava mais desenvolvimento de historia, mais acontecimentos, mas inteligencia da parte racional do grupo.
Mas é uma trama muito boa. Ainda não vi os filmes antigos mas acho que seria uma ótima base para adaptação de um filme atual.
comentários(0)comente



Milla Carvalho 15/10/2015

"Não peço que você seja um bom amigo, direi, não porque você seja forte, mas porque o que é certo é certo."
Este ano estou sendo agraciada por escolher livros incríveis para o Desafio de Leitura que me propus a entrar. E procurando um título que me chamasse, O Senhor das Moscas apareceu de forma singela e roubou minha atenção. Dizer que fiquei embasbacada com a crueldade das palavras de Willian Golding em uma narrativa tão dura e simples, mas de uma profundidade complexa e instigante, é muito clichê, porém muito verdadeira.

A proposta do autor de apresentar uma sociedade composta por garotos em uma ilha, após um acidente aéreo, foi genial. E ver o desenvolver dos fatos em conjunto com a individualidade de cada personagem, gerando uma bomba-relógio, foi algo extremamente angustiante. Mas são as entrelinhas que faz este livro ser tão fantástico.

A discussão entre o que é certo e errado, a liberdade e a obrigação, o medo e a revolta são parcerias decorrentes no livro, além do velho cabo-de-guerra da democracia com o facismo/ditadura. Eu acredito que o autor foi rico em transformar esse história em algo mais devido ao significado forte de viver em sociedade. De ver a inocência ser vencida pela realidade do instinto de sobrevivência e, porque não, da vilânia tomar seu trono em um ambiente puro e casto. Por isso, há quem perceba uma sociedade distópica na descrição de Golding neste livro. E admito ter percebido algumas caracteristicas inerentes desta utopia negativa.

Os três personagens principais Ralph, Jack e Porquinho leva-nos a uma viagem sem volta, em que o traquejo social pode tanto elevar o melhor sentimento, como também destruí-lo. E que o homem é o causador de suas maiores aflições, seja ele criança ou não.

Um livro assustador, que provoca a nos perguntar se "o homem é o lobo do próprio homem", como Thomas Hobbes sempre afirmou. Perfeito!

#DesafioDeLeitura2015 #Item48 #UmLivroProibido #TemáticaForte #PoxaPorquinho #Recomendado
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Anderson 03/10/2015

Além da ficção!
De nada vale a pena ler este livro se vocês não for além do que a estória nos conta. Uma grande alegoria, O Senhor das Moscas nos conta o que acontece com um grupo de crianças quando são deixados num ilha sem a supervisão de adultos. O resultado é a desordem.
Sabe por que existem tantas regras em nossas vidas - desde o arrumar da cama pela manhã até o pagar pelo o que você gasta -? É porque, sem as regras, nós acabaríamos nos tornando tão selvagem quando Jack.

Abs,
comentários(0)comente



Déia 11/09/2015

Uma história surpreendente sobre a selvageria e o mal inerente ao ser humano, características essas representados por Jack e Roger (principalmente) a inteligência e razão representadas por Porquinho, sobre a ordem e o bom senso representados por Ralph. Apesar de serem evidentes as representações de cada personagem, acredito ser um equivoco achar que cada um destes é apenas “bom” ou “mal”, são personagens complexos e verossímeis, que apresentam diversas características no decorrer da obra.
Os simbolismos presentes na narrativa tornam a leitura muito interessante, é preciso refletir a cada página sobre a mensagem que o autor está transmitindo. Cada pessoa desenvolverá a sua própria interpretação sobre a história, e este é, com certeza, o tipo de livro que nos faz querer pesquisar mais sobre e discutir ideias com outros leitores.
As últimas páginas são extremamente tensas e assustadoras. Simplesmente genial!
comentários(0)comente



Vitoria 10/09/2015

MEDONHO
Medo. Foi isso que eu sentir ao terminar esse livro. É um um livro de terror? De modo algum. Na minha opinião, o que causa medo, é a profundidade dos sentimentos das crianças.
Quando o avião em que elas estão, cai, e todos os adultos morrem, elas tentam criar uma sociedade com princípios do mundo civilizado, mas elas estão em uma ilha, e pouco a pouco os instintos humanos e a selvageria toma conta das crianças.
A parte que mais me tocou, foi quando os meninos pensaram que se houvesse um adulto na ilha, nada daquilo estaria acontecendo, pois um adulto sempre sabe o que fazer.
A crença de que os adultos sempre sabem que o que fazer, e universal entre as crianças, pois quando somos pequenos, nossos pais parecem invencíveis e indestrutiveis.
Não quero falar mais para não dar spoilers, mas espero que quem estiver lendo isto, leia o livro, porque ele nos faz refletir sobre diversas coisas, principalmente o nosso papel na sociedade.
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7