A Batalha do Apocalipse

Eduardo Spohr



Resenhas - A Batalha do Apocalipse


631 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Orfeu 07/12/2014

Incrível, emocionante e empolgante.
Na minha opinião um dos melhores
Livros que já li, e o segundo melhor livro de fantasia que li. Seu enredo
é fantástico, muito bem construído e desenvolvido, uma construção incrível de personagens, e tais são muito cativantes, as menções históricas e voltas no passado são muito bem feitas, e te fazem imergir naquele contexto. Se há algum ponto fraco, são que algumas interrupções para voltar o passado e contar a história dos personagens são um pouco desnecessárias, dando uma pequena quebra na história, mas nada que afete o enredo da história de forma drástica.
comentários(0)comente



Marcio Silva 06/12/2014

O Fim do Mundo
Depois de 3 meses, enfim terminei de ler A Batalha do Apocalipse que conta a história de Ablon, um anjo renegado por seus irmãos! Por estar ao lado dos mortais e assim condenado a ficar como igual até o dia do juízo final.

Após Ablon e seu exercito serem "banidos dos céus" para a Terra, ele recebe uma visita e foi informado que o fim dos tempos estava por chegar! A procura de seus "seguidores" Ablon conhece Shamira "uma mortal feiticeira" que o ajuda a desvendar os mistérios do Fim do Mundo.

site: http://umbaixinhonoslivros.blogspot.com.br/2014/10/resenha-1-batalha-do-apocalipse.html
comentários(0)comente



André 02/12/2014

Uma trama incrível!
Um livro incrível! Comprei A Batalha do Apocalipse logo que foi lançado pela Verus, mas por falta de tempo, não pude lê-lo de imediato. Se passaram alguns meses e só depois disso pude degustá-lo. Mas valeu cada segundo gasto. Na história, temos o Anjo Renegado Ablon, que foi contra as iniquidades feitas pelo Arcanjo Miguel no Céu. Deus estava dormindo desde o Sétimo Dia e com isso, cada anjo que quisesse alcançar a divindade. Uma trama cheia de surpresas e façanhas dignas de um filme de fantasia. Ablon salva a feiticeira Shamira e esse relacionamento platônico guiará toda a história. Pouco depois, começam o soar das primeiras trombetas do Apocalipse. Uma guerra que findará com a humanidade e começará com a guerra entre os anjos e demônios. Se você procura um livro bem-escrito, leia A Batalha do Apocalipse, você não vai se arrepender!
comentários(0)comente



Gabo 01/12/2014

Surpreendente.
Desde o início eu sabia que "A Batalha do Apocalipse" é um bom livro. Afinal, quando se fala de fantasia nacional, este livro e o universo de Spohr é referência. O autor descreveu muito bem as batalhas e os personagens, gostei bastante do final, foi algo inesperado. O universo é algo diferente de tudo que eu já li e imaginei, algo bem singular. Achei os personagens sem carisma e o livro tem algumas incoerências SIM, mas nada tão grotesco a meu ver, recomendo o livro mais pela história e universo original. Por fim, o livro tem passagens que eu me identifiquei muito, falando sobre destino. Nada está predeterminado, cabe a nós construirmos o nosso destino.

"Tudo o que vislumbramos são caminhos, trajetórias abertas. Cabe a cada um, homem ou anjo, deus ou demônio, escolher seu destino." A Batalha do Apocalipse (Eduardo Spohr), página 468.
comentários(0)comente



Afonso 27/11/2014

Regular
Livro começa bem, te empolga bastante no começo e cria uma expectativa relativamente boa! O problema começa quando alguns "flashbacks" surgem sem sentido e não agregam no corpo do romance. Esperava mais! Não sei se isso foi devido ao alvoroço sobre o livro ou exaltações exageradas.
comentários(0)comente



bellammore 27/11/2014

Maravilhoso!
Bom, primeiramente quando peguei A Batalha do Apocalipse para ler, fiquei meio receosa por ser um livro brasileiro. Não que a literatura nacional seja ruim, na verdade amo a literatura nacional. Mas por se tratar de um livro de Fantasia/Ficção, confesso que imaginei que o conteúdo seria pouco explorado por ser brasileiro.
Mas esse livro, e o modo como o Sphor escreve me prenderam totalmente. Na minha opinião um dos melhores livros que já li, não me decepcionei em nenhuma parte, é aquele tipo de leitura que te prende do começo ao fim, é excepcional.
Confesso que até invejei a vida celestial citada no livro, e quem é fã deste gênero como eu, com certeza deve ter ficado também.
Já li e reli, e com certeza irei ler novamente um dia. Vale a pena cada centavo, é uma obra de arte.
comentários(0)comente



D_Spineli 20/11/2014

Um prodígio da fantasia brasileira.
Muitas pessoas tem esse livro mas ainda não o leram, outras nem o conhecem... Mas definitivamente todos deveriam lê-lo!! O tamanho assusta, mas uma história tão incrível precisa de espaço! Spohr reuniu anjos, deuses, feiticeiros, reis caídos e muito mais em batalhas épicas; e ainda ensinou história aos leitores! "A Batalha do Apocalipse" é uma das provas de que a literatura fantástica brasileira e tão boa quanto qualquer outra, e pode muito bem ser o livro que vai fazer você gostar de ler!
comentários(0)comente



LPHanna182 18/11/2014

Simplesmente, unbelievable!
Amo de paixão esse livro, uma das melhores histórias que já li, simplesmente incrível.
Eduardo Spohr é o cara, adoro ler todas as obras dele, ninguém escreve de tal forma aqui no Brasil, é um cara diferenciado. Histórias sobre anjos, guerra, conspiração, aventura me fascinam e tudo isso a gente encontra em A Batalha do apocalipse. Gostei tanto que li em dois dias, me senti o Ablon (anjo renegado), personagem mais que perfeito, super fã dele e do arcanjo Gabriel. Vale a pena ter esse livro maravilhoso. PS: adoro os nomes das espadas!
comentários(0)comente



Thall 18/11/2014

Muito bom
O livro tem algumas incoerências no enredo? Tem sim, mas não são coisas que cheguem de fato a comprometer a experiência de leitura, se você é como eu que lê um livro em busca de entretenimento e não para procurar falhas pode ir sem medo. Tem muitas batalhas épicas, algumas reviravoltas interessantes e uma mitologia muito bacana. Vale a pena.
comentários(0)comente



Filhos de Ogma 12/11/2014

Resenha: A batalha do apocalipse de Eduardo Sphor
Acesse a resenha no meu canal do youtube

site: http://youtu.be/qeMA1hkkDUA
comentários(0)comente



Maciel 05/11/2014

Surpreendente!!
Excelente!! Não poderia dizer o contrário."A batalha do apocalipse"foi o primeiro livro nesse estilo que li.Demorei um pouco para finalizá-lo, não porque a leitura não me agradasse, pelo contrário, adorei, mas o tempo para leitura estava meio curto. Mas enfim conclui!!
Eduardo Spohr nos apresenta a história de Ablon, um anjo renegado, que discorda da forma como seus superiores conduzem as questões entre o céu e a terra e para completar é traído por Lúcifer. Diante de sua rebeldia, é condenado juntamente com seus amigos celestiais a vagar pelo mundo dos homens, por ter se rebelado contra as ordens do anjo Miguel, nada mais nada menos que o Príncipe do anjos a entidade que Deus deixou encarregado para comandar em seu lugar,em quanto se recolhia no descanso do sétimo dia da criação do universo. O motivo de sua revolta contra Miguel é porque, Miguel odeia os homens e tenta de todas as formas destruí-los. Miguel os considera- os homens - inferiores e não merecedores das dádivas concedidas pelo Criador. É dele as ordens para o Dilúvio e a destruição de Sodoma e Gomorra.
O livro é repleto de lutas épicas entre anjos, demônios, criaturas do submundo e feiticeiros!
Ablon em sua ferrenha luta contra a tirania de Miguel, tenta de todas as formas neutralizar as tentativas da destruição da raça humana. Ablon atravessa séculos nessa luta e tem a ajuda de Shamira - A Feiticeira de En-Dor.
Muito interessante também na narrativa de Eduardo é a forma como ele nos conta fatos relativos a história da humanidade. É através da ótica do Anjo renegado - Ablon - que o leitor conhece a antiga Babilônia, os detalhes da queda da torre de Babel e a famosa Constantinopla. Cidades, culturas, povos e costumes são descritos com tantos detalhes que fica impossível o leitor não soltar a imaginação e se transporta para dentro da história se sentir parte dela.
Bom não vou me estender mais,para não ser acusa de Spoiler.
Enfim "A batalha do Apocalipse" tem uma narrativa envolvente, apaixonante e surpreendente.E foi escrita por um autor Brasileiro o que é ótimo.Portanto para os amantes deste estilo de literatura é recomendadíssimo!!!
comentários(0)comente



André Prado 31/10/2014

A Batalha do Apocalipse (Eduardo Spohr)
"Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense."

Eduardo Spohr além autor do livro A Batalha do Apocalipse lançado em 2010 pela editora Verus, é professor, jornalista, professor, blogueiro e podcaster (ufa). Carioca de nascimento, Spohr nasceu literalmente "viajado", já que seus pais trabalhavam em profissões que eram relacionadas com aeronática, sendo sua mãe comissária e seu pai piloto de aviões. Em vista disso, é fácil imaginar o porque de Spohr logo em seu primeiro livro ter escrito uma obra tão grandiosa, cheia de referências históricas e religiosas.

O boom em sua carreira se deu por esse livro, principalmente pela forte divulgação pelo site Jovem Nerd - da qual ele trabalhava como colaborador - e pela velha propaganda do boca-a-boca, afinal Spohr, antes de ter seu livro pela editora Verus, divulgou independentemente A Batalha do Apocalipse através do selo NerdBooks e na loja Nerdstore. Então sabe como é: "nerds unidos jamais serão vencidos", Spohr teve esse boom na sua carreira como escritor e tem até agora mais três livros publicados, sendo que ano passado publicou a segunda parte da série Filhos do Éden.

Voltando ao que interessa, A Batalha do Apocalipse é uma obra grandiosa; e como vocês puderam ler na sinopse, trata da luta final entre anjos e demônios que decidirá o futuro do Universo.

Yahweh, como é chamado Deus no livro, repousa em sono profundo após a criação. Assim, seus filhos foram designados para governar o planeta. O Arcanjo Miguel vê os humanos como "o único erro do Pai", então tomado pelos ciúmes e inveja do amor que seu Pai tinha pela sua criação, ordenou a destruição em massa dos humanos. Entretanto os Renegados, anjos que foram incubidos do plano de Miguel se recusaram a fazer tal atrocidade, sendo assim expulsos do Paraíso e condenados a viverem como anjos caídos na Haled, ou Terra.

Um desses anjos Renegados e protagonista, Ablon no ano de 2012, reside no Rio de Janeiro e presencia uma espécie de Terceira Guerra Mundial entre as nações do planeta desencadeando os sete selos do Apocalipse. Lúcifer, a Estrela da Manhã e do Alvorecer, se revoltou contra as ideias de Miguel, e em razão de sua cobiça, foi condenado a comandar o seu próprio reino nas profundezas do inferno.

Nas vésperas do último dia do Planeta, Ablon é convidado por Lúcifer ao inferno com a (suposta) intenção de juntar forças com Ablon para impedir o Juízo Final e se vingar de seu irmão Miguel, tentando convencer Ablon a governar o planeta junto a ele. Contudo as coisas não são tão simples assim, e Ablon sabe muito bem disso.

O livro contém três partes: A Vingadora Sagrada, A Ira de Deus e A Flagelo de Fogo, contendo flashbacks contando a saga de Ablon pela história e na busca da sua humanidade e razão de ser. Oscilando de inúteis a fascinantes e reveladoras, esses flashbacks vão até os tempos antigos da criação e queda da Torre de Babel, a destruição de Sodoma e Gomorra, e nas ruínas da Babilônia. Sempre com junto a seu verdadeiro amor: a feiticeira de En-Dor: Shamira, que descobriu a magia da imortalidade e desde então acompanha Ablon nessa paixão milenar.

Um dos pontos negativos no livro é o que tornam ele tão longo, são os tais "flashbacks". Na minha opinião eles poderiam ser resumidos e não tão abruptos, o que melhoraria a minha impressão final pelo livro. Apesar de A Batalha do Apocalipse ser um livro inegavelmente fantástico, ele sofre justamente por esses pontos que o transformam em várias partes em uma leitura maçante e lenta. Na obra, nota-se uma clara influência do RPG e da fantasia que Spohr sempre esteve envolvido, mas no começo da leitura, mesmo para quem está acostumado a designações que transformam cada personagem em mais uma peça de um roteiro cinematográfico, a designação de diversos codinomes aos Anjos e Arcanjos acaba atrapalhando um pouco para a designação de cada personagem no começo da história. No entanto, logo eu me acostumei a isso e a leitura se tornou mais fluida.

Ablon, apesar de sua saga e sua determinação em chegar a seu objetivo, não é um personagem carismático. Já Shamira por sua vez em diversos momentos rouba a cena, dona dos diversos sentimentos mais valorosos do ser humano, Shamira é peça-chave na história, muito mais que Ablon. A mim até passou a impressão de que se Shamira fosse uma renegada ao invés de Ablon, a empatia seria diferente.

Eduardo Spohr, no mercado brasileiro carente de obras desse gênero, foi corajoso em "tapar" um buraco na literatura fantástica nacional, até então um mercado ausente em 2010 e que incentivou outros bons autores como Affonso Solano e Leonel Caldeira. A Batalha do Apocalipse, mesmo com esse flashbacks abruptos e o final previsível e passando até a impressão de ter sido um pouco apressado, é uma obra muito bem escrita em suas 581 páginas e muito bem ambientada, numa estreia fantástica de um autor que só estava no seu primeiro livro. E apesar de altos e baixos pela leitura e um final um pouco brochante, é uma obra grandiosa com pesquisa e conhecimento profundo da mitologia que ao final cabem ao entendimento e a sensibilidade de cada um.

site: http://descafeinadoblog.blogspot.com.br
Patricia 20/11/2014minha estante
Oi, Acho que você vai gostar também de Saga De Bravos
"Saga de Bravos traz para você uma incrível história envolvendo três personagens principais, cujas vidas se encontram entrelaçadas há mais de 2000 anos, desde a época de Jesus Cristo. Um triângulo amoroso, onde dois homens, dois imortais, caminham na Terra disputando o amor de uma incrível e improvável mulher, que sempre renasce e vive dividida e impossibilitada de ficar com o seu eleito, numa busca incessante, frenética e misteriosa. Esses dois homens estão condenados a cavalgar juntos até o Armagedom, mas têm uma visão antagônica sobre a Humanidade: de um lado, Templários; do outro, Hassassins. É o sonho de ver a mudança versus o ímpeto de solucionar pela espada. Uma saga épica, com passagens históricas (crucificação de Jesus Cristo, Cruzadas, Cátaros, Corte do Rei Arthur), lugares sagrados, aventura, fantasia, amor, sexo, encontros, desencontros, guerras e paz. Você irá se encantar, perder o fôlego, aprender e se emocionar com esta fantástica história."




Gutao 19/10/2014

Incrivel!
Livro extremamente divertido! Lutas dinâmicas, cenários incríveis!

Com uma escrita sensacional, e atraente,e uma historia eletrizante, Eduardo Spohr se mostrou ser uma escritor de respeito, que deve ser lido por todos aqueles que se dizem fãns de literatura fantástica!
comentários(0)comente



Felipe 19/10/2014

Espetacular
A primeira vez que ouvi sobre A Batalha do apocalipse, através de alguns amigos, não tive a menor vontade de ler o livro, muito por preconceito com a literatura nacional e também porque tinha a absurda impressão de que seria uma história de anjos de um estilo mais dogmático, mas por fim de tanto ouvir sobre o ABDA, deixei o preconceito de lado e resolvi dar uma chance ao livro. E que decisão acertada eu tive!!.
O livro é simplesmente espetacular, me prendeu desde os primeiros capítulos, com uma história empolgante, que te estimula a continuar a ler, os flashbacks podem incomodar um pouco, mas eu particularmente gostei muito pois conta o porque de os personagens serem como são, achei muito legal também a incorporação de varias religiões e mitologias de uma forma completamente coesa com a história, para todas elas há uma explicação. E não posso deixar de falar da ligação dos acontecimentos do livro, algo que acontece no começo do livro e na hora você acha que foi apenas para "encher linguiça", no final você vê que aquele acontecimento não foi em vão.
Por fim dou meus parabéns ao Eduardo Spohr por esse livro espetacular que me fez perder o preconceito com a literatura brasileira, recomendo à todos os amantes da literatura fantástica.

site: http://ymirmiddangeard.blogspot.com.br/2014/10/1-resenha-batalha-do-apocalipse.html
comentários(0)comente



Marcio Silva 16/10/2014

O inicio de tudo
Se você é daqueles tempos, que os pais lhe contavam sobre o inicio do mundo e como tudo mudou depois da vinda de Cristo para a terra.

Eu recomendo esse livro! A Batalha do Apocalipse, conta a história de Ablon, um anjo renegado que se apaixona por uma mortal e com ela desvenda os mistérios do mundo.

Eu dou 3 estrelas para esse livro!
Pois "sinceramente" o autor enrola muito, fazendo com que o leitor acabe-se enrolando com a história...

Quando eu pensei que a história iria dar uma alavancada emocionante, o autor muda o assunto! E o leitor ficar querendo um pouquinho mais daquela parte e só saberá no capitulo seguinte.

Por pouco não dei 4 estrelas! Mais é uma excelente história.
Você irá gostar.

site: http://umbaixinhonoslivros.blogspot.com.br/2014/10/resenha-1-batalha-do-apocalipse.html
comentários(0)comente



631 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"Se você não achar um livro lá, você pode cadastrá-lo. Isso é um diferencial, porque o acervo se torna ilimitado"

Gazeta do Povo