Faça seu login para ter acesso a todo conteúdo, participe também do sorteio de cortesias diárias. É rápido e gratuito! :) Entrar
Login
Livros | Autores | Editoras | Grupos | Trocas | Cortesias

Quem é Você, Alasca?

O Primeiro Amigo, a Primeira Garota, as Últimas Palavras

John Green
Resenhas
Menos Gostaram
600 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |


Amanda 20/06/2012

Alasca é uma menina meio chata...
Eu esperava mais desse livro, já falo agora.
Comprei ele exatamente por que todo mundo falava de John Green. Todo mundo dizia que era um dos melhores autores contemporâneos e tudo mais. E uma das minhas escritoras favoritas, a Stephanie Perkins também vivia falando dele. Eles são meio amigos acho.
Bom, então lá fui eu e comprei o livro já achando que ia amar.
Talvez seja isso. As expectativas eram muito altas.
O livro conta basicamente a história desse cara meio desajeitado chamado Miles, que resolve ir pra um colégio longe de casa e se afastar da vida sem graça que ele tinha. Assim que chega no colégio, faz amizade com o colega de quarto, que apresenta ele pro resto da turma. E no meio da turma aparece essa menina, muito agitada, muito esperta, aquela coisa toda. Ela é a Alasca.
Miles descreve as coisas que estava descobrindo, seu dia a dia no colégio e sua paixonite por Alasca, de uma maneira simples e quase monótona, e entre uma besteirinha e outra, o autor consegue colocar algumas questões pro leitor pensar.
O personagem principal tem aulas de religião, e é nessa hora que aparecem alguns questionamentos do livro. O mais legal deles é:
"Como sairemos deste labirinto de sofrimento?"
Tirando isso, o resto do livro passa sem grandes reviravoltas, nada me empolgou. Nem a “surpresa do meio”(que eu já percebi o que seria antes mesmo de ler), nem as pegadinhas que eles faziam, nem a busca por respostas do final.
Não acho que tenha escolhido o livro errado.
Também não acho que John Green é ruim. Acho só que o livro que não me tocou.
comentários(0)comente



Mey 22/08/2013

Decepção!
Eu tenho a péssima mania de acrediatar que quando um autor escreve um livro MARAVILHOSO todos os seus outros livros também são assim. E foi pensando assim que resolvi ler "Quem é você Alasca?" do John Green, isso porque ele escreveu um dos livros mais incríveis que eu já li: "A culpa é das estrelas". Resolvi que queria ler tudo que ele escrevesse, porque tinha certeza de que seria perfeito, mas eu não poderia estar mais enganada.

Não procurei saber do que se tratava o livro "Quem é você Alasca?", eu só meti na cabeça de que precisava lê-lo. Então depois de o tê-lo em mãos é que fui ler a sinopse do livro, quando terminei de lê-la imaginei que a estória era parecida com "As vantagens de ser invisível" e me animei mais ainda em começar a leitura.

Como era de se esperar de John Green temos um livro fácil de se ler, com uma linguagem informal, com gírias e palavrões. Mas muito bem escrito, é inegável que o autor é muito inteligente e gosta de demonstrar isso através de seus personagens, que tal qual a seu criador são inteligentissímos, beirando ao nerdismo. Porém alguma coisa faltou a esses personagens, eles não são tão encantadores quanto Hazel Grace e Augustus Waters, são pedantes e um pouco esnobes, sempre se achando superiores aos coadjuvantes, algo que me irritou bastante. A estória "tenta" ser triste, mas não me comoveu, acredito que isso aconteceu devido a minha falta de simpatia com os personagens.

A minha grande implicância com essa obra de John Green é devido a antipatia que pela personagem principal: Alasca Young. Que garota insuportável! Ela quer todos a amando e a indolatrando. Sempre quer ajudar os amigos, mas essa bondade não me convence, acho que ela só quer provar que eles precisam dela. Além disso tem a questão de ela ser bipolar, ao mesmo tempo que está bem, ela está chorando e pisando nos outros, é muito maluca! E mesmo tendo seus problemas pessoais, acho que suas atitudes não são justificaveis, e ela nem mesmo tem um tumor no cérebro para mudar sua personalidade, ela é uma megera, sem fazer esforço.

Todos esses motivos que citei acima me fizeram achar o livro do John Green bom, mas só porque ele escreve bem, já que estória em si não me tocou. Posso dizer que fiquei um pouco decepcionada, porque acreditava que finalmente tinha encontrado o autor que me faria amar tudo que escreve, por isso em alguns momentos eu me esforçava para gostar do livro, só pelo simples fato de ser escrito pelo Sr. Green, mas não foi dessa vez. Espero ansiosamente o próximo livro do autor "Teorema de Katherine" que pode fazer com que essa impressão ruim seja apagada.


site: http://agoraqueeusoucritica.blogspot.com.br/2013/03/quem-e-voce-alasca.html
Lari 18/08/2014minha estante
só existem dois tipos de leitores de quem é você, alasca? Um deles é o que odeia a Alasca e julga o livro ruim e o outro é que é apaixonado pela Alasca e ama o livro também. Eu sou do tipo que ama o livro porque acredito que os únicos capazes de entender o verdadeiro significado dessa história são aqueles que já passaram por algo parecido ou conseguem colocar-se no lugar dos personagens. Alasca é uma garota extremamente cheia de qualidades, ela é do tipo que sabe provocar, do tipo que você olha e pensa "ela não se importa, ela não tem sentimentos, ela só pensa em si mesma, ela é como uma cobra, seduz, chama atenção por causa de suas perfeições e faz todos provarem do seu veneno". Mas, na verdade, se pararem pra pensar, é com esse tipo de pessoa que a Alasca DEVE parecer para que o livro tenha um significado, porque o livro mostra que por mais perfeitas e felizes que as pessoas sejam, mais sofridas elas são por dentro. A Alasca tinha um grande problema, ela se culpava pela morte da mãe dela, quando na verdade não deveria, ela mesma diz no livro "vocês fumam pra se divertir, eu fumo pra momrer", ou seja, ela estava gritando por ajuda, ela estava desesperada, mas a imagem que passa é de vilã, quando na verdade é a vítima. A beleza do livro está em mostrar a realidade de muitas pessoas, no caso da Alasca, ela não foi ajudada, mas precisamos aprender com a história dela e reconhecer que muitas vezes aqueles que julgamos são os que mais precisam de atenção, de ajuda. O livro é extremamente inteligente, inclusive ao deixar o suspense: ela se matou? Ou não? Creio que sim, mas quem sabe?


Gisele 25/06/2014minha estante
É o terceiro livro do Autor que li e não gostei muito...Mas ele descreve bem certinho a arrogância de alguns adolescentes....eu tb estou com o Teorema KAtherine para ler, espero que esse me surpreenda.


Adrian 09/05/2014minha estante
Mey, concordo com vc.. para mim tb foi uma decepção, não consegui tirar nada deste livro. Decepção!


vic 13/04/2014minha estante
Eu só achei errado você ter comparado A Culpa é das Estrelas com Quem é Você, Alasca?


Ju 11/11/2013minha estante
Já esclarecendo: Eu não achei esse livro uma maravilha, longe disso. Achei ele "bonzinho" (mas ainda acho melhor que A Culpa é Das Estrelas, enfim).

Alasca é uma pessoa como tantas outras, que um dia acorda de um jeito, outro dia acorda totalmente diferente. E o Miles é a coisa mais comum que existe: é egoísta. Porque convenhamos, todos somos egoístas (em graus diferentes, é claro). Não achei nada de absurdo na composição dos personagens. John Green só quis mostrar pessoas normais, com defeitos e qualidades. =)


Ana 02/10/2013minha estante
Você conseguiu definir tudo o que eu senti ao ler esse livro. Eu posso dizer que odiei a Alasca por ela ser uma megera, e odiei o Miles por ele ser egoísta, digo isso por que (inclusive foi uma das coisas que mais me deu raiva no livro) quando a Alasca morreu, ele não ficou triste pela tragedia, e sim por que ela não poderia voltar e cumprir a promessa de ''terminar depois''.


Paula 01/05/2013minha estante
Concordo com você. A culpa é das estrelas é excelente mas esse... A maioria das resenhas que li do Theorema Katherine tb não foram positivas, embora eu ainda não possa dar minha opinão com propriedade pq ainda não li, espero que seja melhor que esse.


Aline Ramos 27/03/2013minha estante
Adorei sua resenha e concordo com vc. Por ter amado A culpa, esperei mais deste livro e fiquei um pouco decepcionada. Me lembrei tb de as vantagens de ser invisivel... tb achei a Alasca bem irritante. E na metade do livro desconfiei do que iria acontecer...


Mey 21/03/2013minha estante
Oi Douglas, que bom que você pesquisou sobre o livro, mas acho que você tem que pesquisar principalmente sobre uma coisinha chamada: OPINIÃO. Você tem todos os motivos para considerar minha resenha ruim, afinal é a opinião que você tem sobre o livro.
Não queria que o livro fosse igual "A culpa é das estrelas", mas esperava um tão bom quanto. Mas como afirmei, o livro não me cativou por não ter sentido uma identificação com os personagens como senti no outro livro. Simples assim!
Também gosto de pesquisar sobre os livros que leio, mas devido ao grande número de spoilers espalhados pela internet, incluindo o scoob, em alguns momentos prefiro me jogar em uma leitura sem conhecimentos prévios.
Concordo com você que personagens tem que ter defeitos, inclusive, gosto dos que tem defeitos porque isso os torna real. Mas esse não foi o motivo de não gostar desse personagens em questão, foi apenas uma falta de simpatia com eles e até mesmo uma expectativa exacerbada de que iria adorá-los.Algo, que como você criticou foi causado, pelo mal hábito de acreditar que um bom autor escreve sempre bons livros. Confesso que tenho essa péssima mania, temos defeitos como você disse.
E também não se deixe levar pelas opiniões alheias que você viu por aí, você, como eu, pode ter uma opinião diferenciada daquelas que fizeram parte de sua pesquisa.
Ah, também quero afirmar que não tenho tempo e nem simpatia por novelas, gasto mais o meu tempo estudando, trabalhando e lendo. E em momento algum citei algo sobre novelas, ou seja, você retirou isso de sua cabeça preconceituosa.
Aguardo ansiosamente para ler sua resenha, para ver o livro com outros olhos, além dos meus imaturos.


Douglas 21/03/2013minha estante
Achei a sua resenha no mínimo péssima. Comecei a ler o livro hoje, estou no ínicio, na página 6 pra ser mais específico, mas nem precisou eu ter lido pra discordar das suas críticas "imaturas" ao livro. Primeiro que você acha que quando um autor escreve um bom livro ele não falha nunca e todos os outros precisam ser bons, mas o pior é você esperar que o livro seja igual "A Culpa é das Estrelas", com personagens encantadores e outros 500. Eu pesquisei muito a respeito de "Quem é você, Alasca?" O suficiente pra saber que os personagens não foram feitos para encantar com suas qualidades e que o autor tem maturidade suficiente pra não impor clichê a um livro fazendo sempre personagens cheios de qualidades, mas personagens que assim como nós somos cheios de defeitos, e pesquisei o suficiente pra saber que o objetivo do livro "todos tem um, intencional ou não, e diferente sempre" que esse livro foca mais na mensagem que passa ao leitor do que fazer você se tornar fã de Alasca ou de qualquer outro personagem do livro. Acho que mesmo eu que não li o livro poderia ter feito uma melhor resenha do que a sua. Preste mais atenção, e pare de assistir novelas, se for o caso. Pesquise bem um livro antes de ler, o Skoob foi feito pra isso, se não quiser ter outra "decepção" com "Teorema de Katherine". Aviso de amigo. :)




Blog MVL - Nina 02/01/2012

Minha Vida por um Livro | www.minhavidaporumlivro.com.br | Marina Moura

Primeiras experiências, primeiras emoções, primeiras decepções. “Que é você,Alasca?” é,supostamente, um livro sobre inícios. Visceralmente realista no que toca a vivência da adolescência. Quando começamos a reparar no outro e em nós mesmos. O que nos faz diferente, o que nos destaca, o que nos atrai. É uma época em que estamos começando a nos conhecer.

Miles é um adolescente de dezesseis anos solitário,acostumado a viver das últimas palavras de grandes homens. À procura de algo que modifique a sua vida, ele resolve se matricular na escola interna onde seu pai estudou, e descobrir por si mesmo o que a vida tem a oferecer. Lá ele encontra Chip. Aka “Coronel” é o colega de quarto e improvável amigo que Miles conquista ao ingressar na escola . Ambos trocam os diálogos mais hilários do livro. E mostra do que a camaradagem masculina é feita. Ele também conhece a complicada, irreverente e fumante inveterada, Alasca.

O protagonista Miles possui elementos bem caricatos em sua personalidade. Leitor ávido de biografias, antissocial, magricela e com um toque dramático. Não foi possível acontecer aquela imediata identificação. Miles vive situações,digamos,de uma perspectiva bem masculina. Acho que neste aspecto os leitores homens vão poder compreender melhor o personagem. O autor John Green utiliza o humor e o sarcasmo para personificar seu herói,ou anti-herói(faz mais sentido).

A narrativa de Green possui algumas particularidades não só originais, como estimulantes para o leitor. Não me sinto no direito de entrar em detalhes, mas posso afirmar que o texto do autor,escrito em primeira pessoa,cria um certo mistério a cerca do clímax do livro. O único problema é que quando o clímax acontece, o leitor descobre que o enredo não era nem tão original, nem tão bem escrito. E isso é no mínimo, decepcionante.

Por vezes a leitura cai em repetições, o protagonista - que é a voz que nos guia pela estória - pode ser tedioso ao extremo e desnecessariamente depressivo. Infelizmente, para mim,faltou ao livro o elemento chave que transforma um bom livro em um ótimo livro. Não há mágica em “Quem é você,Alasca?”. E apesar da tentativa de caracterização do autor, o livro não conseguiu me convencer, especialmente o romance entre Miles e Alasca. Apesar de haver uma explicação para a personalidade disfuncional de Alasca, eu não sei se estou confortável com suas atitudes em relação a Miles. Sinceramente, cheguei a altos níveis de irritação com a personagem e a forma como ela o trata durante a trama.

Basicamente, é a história de um garoto que se apaixona por uma garota. Um primeiro amor não correspondido. Amores platônicos funcionam assim: Nós criamos alguém em nossa imaginação,mas a pessoa real é o que não queremos enxergar. Miles cria sua própria Alasca, mas ela não era nem parecida com a verdadeira.

Existe muito potencial na narrativa de John Green, mas sua estória de amor não me convenceu, ou emocionou. Não me envolvi com seus personagens, não me importei com eles. Já li livros que me emocionaram, “Quem é você, Alasca?” Não – é – um – deles...

Mais um daqueles notáveis casos onde a sinopse vende mignon e o livro é... Acém.

OS. A analogia com carne foi o ponto alto desta resenha. kkkkkkkkkk
Tai 03/01/2012minha estante
Faço das suas palavras as minhas. Esperei bem mais do livro, mas como você disse, não foi nada original e/ou emocionante.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Charlie 08/05/2011

Corram, corram, corram, corram, corram... direto pro Grande Talvez. Pra sair desse labirinto.

Algo simples, corriqueiro, pervertido, louco, apaixonado, bêbado, fumante, morto. Assim é como posso descrever esse livro. Desculpem, mas não conseguiria de outra forma.

Leiam.
Pefico 21/07/2011minha estante
Ha, este autor está na minha lista. Baixei uma amostra do Will Grayson e gostei muito, e a crítica do Quem é você Alasca também foram muito boas.




600 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |



Publicidade


logo skoob beta
"Skoob faz sucesso e dobra em número de usuários e obras cadastradas todos os dias"

IG Tecnologia