O Grande Gatsby

O Grande Gatsby
4.14922 3391



Resenhas - O Grande Gatsby


231 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Luciana Lís 27/02/2015

Nick Carraway, um jovem recém-estabelecido em Nova York, é o narrador deste romance. Sua personalidade é taciturna e observadora, e embora se envolva no brilho da cidade – que exprime a prosperidade dos EUA pós-primeira guerra –, o rapaz é bastante frio e enxerga a rotina do “sonho americano”, embalada ao som do jazz, como fútil e vazia, sem precedentes morais. Sua vida em Nova York o expôs a uma história de paixão, luxo e tragédia.

Em sua módica residência em Long Island, Nick vive ao lado da mansão de Jay Gastby, um milionário cuja fortuna é oriunda de fruto desconhecido, o que o transforma num folclore – Gastby dá festas estupendas e recebe centenas de pessoas - atletas, mafiosos, políticos e artistas que desconhecem o anfitrião.

Gatsby se aproxima de Nick e revela as suas razões: todo o dinheiro que conseguiu e as festas que oferece em casa são a possibilidade que ele criou para atrair a bela e fútil Daisy, com quem mantivera um relacionamento no passado, e está casada com o torpe Tom Buchanan – Daisy é prima de Nick, que não tarda e acaba promovendo um comovente encontro entre os dois. A partir daí, o romance fica a cada linha mais emocionante – traições, passeios e jazz, as frágeis personagens dançam diante dos olhos do leitor até o desfecho sombrio e inesperado. Gatsby é uma das personagens mais carismáticas da literatura americana – bonito e rico, o rapaz é sonhador, mas diante do seu maior desejo é solapado por uma frágil autoestima. “O Grande Gastby” figura em listas importantes como a dos jornais Le Monde e New York Times, e, ainda, na extinta Revista Bravo!, como um dos 100 livros mais importantes da literatura universal.

Fitzgerald era escritor da “geração perdida” norte-americana, que se refere a um grupo de escritores que viveu em Paris e em outros pontos da Europa após a primeira grande guerra e a grande depressão norte-americana. Fitzgerald, Hemingway, T.S. Eliot, Ezra Pound e outros grandes escritores fizeram Paris povoar o coração dos apaixonados pelas histórias da Era do Jazz.
Por: @lucianalis

site: Para mais resenhas: instagram.com/coletivoleituras
comentários(0)comente



Matheus 13/02/2015

O Grande Gatsby - F.Scott Fitzgerald
O clássico obrigatório da literatura americana conta a história de Nick Carraway, que ao se mudar, conhece o seu vizinho, (acompanhado do seu estilo de vida) Jay Gatsby. Um homem misterioso, que promove imensas festas em sua mansão.
Começando por Gatsby, que é um personagem interessantíssimo. Ele misterioso e solitário, amargo e esperançoso e quando ainda não conhecemos seu objetivo, ele nos deixa intrigado. A Daisy também é uma personagem maravilhosa, muito bem trabalhada, assim como Tom, que para mim, é o melhor personagem da obra. Ele é o retrato de tudo que é mais odiado. É racista, machista, egoísta, mentiroso, e como uma pessoa assim poderia ser amada?
O livro trás ótimas discussões. Os dilemas apresentados, de forma sutil, são bem apresentados e a crítica ácida, mas cautelosa de Fitzgerald é que dão o toque especial que fez a obra se transformar em um dos maiores clássicos da literatura mundial. A leitura é fluida e mesmo que tenham se passado tantos anos desde sua publicação, ela não é, de forma alguma, datada. Pelo contrário, continua bastante atual, trazendo as ótimas discussões e críticas a todo o tipo de pessoa até os dias de hoje.

Mas confesso que não é algo que me marcou. Apesar de todos esses elogios, não consegui me apegar muito aos personagens, e me aproveitei mais do plano de fundo apresentado por Fitzgerald. Mas não se confundam, os personagens são ótimos, talvez o problema seja realmente comigo.
A narrativa é bastante eficaz. Nós vemos tudo de dentro dos acontecimentos, não do lado de fora, e isso te transporta de uma ótima maneira para a época em que se passa. É interessante relatar é que em alguns momentos do livro, o narrador (Nick Carraway) é imparcial a certas coisas. Fitzgerald deixa a reflexão a nossa escolha. O final do livro e melancólico e reflexivo e cabe bem com a mensagem passada pelo autor.
O livro é interessante, nos ajuda a entender a mentalidade americana do século XX e nos ajuda a refletir um pouco mais sobre os reais valores da vida. É ótimo e deve ser lido.
comentários(0)comente



Livs 04/02/2015

Surpreendente: essa é a palavra pra descrever essa narrativa.
O começo é incrivelmente massante e monotono, com uma narrativa descritiva muitas vezes tediosa, o que nos leva a achar que o resto da historia vai ser assim também.
Não é uma história que te prende, embora a leitura seja fácil não é das mais agradáveis e interessantes. Interessante mesmo é o contexto histórico no qual se passa a narrativa.
Mas, surpreendentemente, quando você não tem mais esperanças de que a história vai chegar a algum lugar, uma cadeia de acontecimentos começa a se desenrolar, e aí sim - lá pro final do livro - a historia passa a prender o leitor.
Quando o livro acaba eu me encontrei num estado "mindblowing" . Não acreditava que aquele livro chatinho , que eu ja tinha me arrependido de ter começado a ler, tivesse tido um final tão surpreendente.
Vale a leitura.
Vanessa 12/02/2015minha estante
Verdade, ano passado comecei a ler e abandonei logo no primeiro capitulo... Muito entediante!!! E considerando que ele é um livro fino você fica imaginando se vai ficar naquela mesmice o livro inteiro, mas agora vi o filme e fiquei doida pra ler, vou tentar de novo pra me surpreender também :)




wildfoxx 16/01/2015

Este não é um livro sobre máfia
Fiz um vídeo falando sobre este livro. Se quiser conferir, aí está o link :D

site: https://www.youtube.com/watch?v=MwuLX_84p6E
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ágata Bresil 12/01/2015

Gatsby é completamente diferente do que eu imaginava. Eu nem sequer tinha lido a sinopse da estória e eu gostei de ser surpreendida em cada linha. Fitzgerald toma forma no corpo de Nick Carraway, o narrador e personagem do livro. Carraway, após terminar seu serviço como soldado na guerra, se muda para trabalhar com venda de títulos e então conhece seu vizinho Jay Gatsby, dono de uma casa esplendorosa e cheia de vida, que respira através de suas festas, luzes e convidados ilustres. Os únicos contatos que Nick tem é com sua prima Daisy e seu marido Tom, que estudou com ele na faculdade.

Nick é um personagem pacífico, ele está ali, claramente, para absorver a história, é uma pessoa nobre em suas atitudes e apesar de seus julgamentos precoces, ele se permite mudar de ideia, tendo sempre postura de bom moço. Ao encontrar Gatsby, ele mergulha em um mudo completamente misterioso e diferente do que está acostumado. Apesar de não gostar muito de festanças, ele participa das festas do vizinho e analisa as tipicidades de uma forma natural e assim podemos ver um mundo glamoroso pela visão do narrador, que tanto quanto caracteriza como algo esplêndido e mágico, também revela o lado negro e infeliz que se esconde por baixo dos panos.

Gatsby é por si só, um material e tanto... cheio de lacunas e rumores a respeito de seu passado. Logo Nick descobre que nada do que dizem é verdadeiro e encontra no anfitrião um amigo. Jay Gatsby é um homem que se esconde por trás de seu dinheiro, que guarda sua dor protegendo-a com a ilusão. Já Daisy é uma mulher encantadora que, automaticamente, pode-se prever, encantou Gatsby, mas essa é uma história que só se pode ser lida e não contada assim, por alguém que não seja Fitzgerald, parece injusto revelar a melhor parte, revelar o grande segredo que Gatsby tanto se esforçou para esconder. Daisy tem o poder feminino em suas mãos e ela bem sabe dominá-lo através de seus amáveis tons musicais enquanto fala e seus adoráveis sussurros capazes de fazer qualquer um se sentir especial, mas Daisy é infeliz e isso me deixou desanimada quanto a ela. Uma pessoa que desiste fácil de seus sonhos em troca de uma segurança falsa e um respeito precário na sociedade.

Eu sinto em dizer que eu até que esperava mais do livro, mas mesmo assim ele me surpreendeu de diversas formas e F. Scott Fitzgerald é mestre em nos mostrar o óbvio que se camufla no dia a dia. Não importa que o livro se passe nos anos 20, o enredo tocará a consciência de todos os que vivem em um mundo de sentimentos, sonhos e amores inesquecíveis.

site: http://tudotemrefrao.blogspot.com.br/2013/07/resenha-o-grande-gatsby.html
comentários(0)comente



JV 10/01/2015

Não foi o tipo de livro que me prendeu, mas no final achei que foi satisfatório, regular.
comentários(0)comente



Sabrina Aiedo 03/01/2015

Esperança
Minha curiosidade ao inciar a leitura desta obra foi a de ser comparada como uma ilustração da própria vida do escritor Scott Fitzgerald, não me aprofundei a respeito desta citação, porém percebemos durante o decorrer da história que o esmero e até mesmo a afeição com que foi criado o personagem de Gatsby mostra a familiarização que o autor transparece ao caráter do personagem.
O livro surpreende por não ser um romance medíocre e superficial, focado apenas no sentimento do amor ideal e sublime entre os personagens, pelo contrário nos remete a uma angústia e expectativa até o último capítulo, onde nos damos conta de que o mais importante são os momentos que nos levaram a sentir o que Gatsby sente, a esperar que seus planos e suas estratégias tornem seu sonho realidade.
Outra emoção que o livro traz é a frustração, pois quando o lemos esperamos uma história que nos faça acreditar e perceber que as coisas podem ser diferentes e que as pessoas ainda podem acreditar em algum sentimento maior (o livro tem essa característica), acreditamos que o seu grande amor (Daisy) entenderá as razões pelas quais ele a abandonou e retornará ao seus braços para que ambos possam desfrutar de uma vida de riquezas e extravagâncias juntos, porém o livro nos faz aterrizar lentamente, nos dá dicas a medida em que avançamos as páginas, de que erros cometidos nem sempre podem ser concertados, e também de que há erros inevitáveis.
Enfim, é uma grande leitura, você irá do céu ao inferno, verá todas as suas frustrações refletidas nos sonhos de Gatsby, verá que muitas vezes se espera muito de pessoas que simplesmente são diferentes de você e que nem por isso essas pessoas estão erradas e você certo, verá que existe uma linha muito tênue entre a realidade e a fantasia, você irá se apaixonar por Gatsby e odiá-lo ao mesmo tempo.
comentários(0)comente



Café com Personagens (Lú Fideliz) 25/12/2014

O Grande Gatsby - Resenha
Uma leitura crucial para os apreciadores dos Clássicos! O autor audaciosamente faz uma crítica à classe média alta Americana, na qual era extremamente fútil, contrastando ao caos pós Primeira Guerra.

Long Island / Nova Iorque, verão de 1922.
Os personagens vivem em um ambiente regado a festas extravagantes, casamentos por interesse, traições e casas suntuosas. Onde o dinheiro faz com que o amor seja deixado em segundo plano.

Nick Carraway, jovem comerciante, formado recentemente na Universidade de New Haven acaba de se mudar para uma residência simples entre as mansões de Long Island, se tornando vizinho e amigo de Jay Gatsby.

É Nick quem vai narrar a história de “O Grande Gatsby”.

Jay Gasby, famoso pelas festas surpreendentes realizadas em sua mansão; toda semana centenas de pessoas comparecem à casa de Gatsby. Mas o novo milionário tem um só interesse ao dar as tais festas: atrair Daisy.

Amor da adolescência de Gatsby e que agora é casada com Tom Buchanan, nobre de berço porém, egocêntrico e machista.

Daisy é uma personagem superficial e detestável (a meu ver).

Mesmo assim, com a ajuda de Nick, Jay Gatsby vai fazer de tudo para trazê - la de volta aos seus braços.

Gatsby é doce ... sonhador. E Nick, um grande amigo.

Com exceção dos dois, o restante dos personagens são pouco profundos, mas nem por isso a trama deixa de ser cativante.

Os últimos parágrafos me sensibilizaram.

site: http://cafecompersonagens.blogspot.com.br/2014/12/o-grande-gatsby-resenha.html
comentários(0)comente



Estelia 20/12/2014

Surpreendente
Li o livro por indicação, e confesso que fiquei curiosa quanto ao titulo da obra. Assim no decorrer da leitura é possível constatar que Fizgerald possui uma sensibilidade ao criar Gatsby, e conseguiu unir elementos reais, atuais a época da escrita e a época de hoje, onde percebemos que muitas vezes nós deixamos levar por normas e até mesmo por conveniência. Grande leitura.
comentários(0)comente



Andressa 15/12/2014

Alguns livros são eternamente atuais...
O Grande Gatsby, do F. Scott Fitzgerald é a tão cultuada e renomada crítica ao sonho americano. O livro se passa em Nova Iorque, em meados dos anos 20 e tem a pretensão de nos inserir no círculo da elite da época.

Através do narrador, Nick Carraway, um americano classe média, temos um posicionamento crítico do convívio da época, dos eventos, das vestimentas e da ostentação. Nick é primo de Daisy, uma jovem rica, casada com Tom e é por intermédio desse casal que o narrador se relaciona com Gatsby.

À medida que o enredo se desenrola, tomamos conhecimento da futilidade e superficialidade de Daisy (a qual eu detestei) e da canalhice de Tom, e desvendamos o que Gatsby tem a ver com tudo isso. Há muitas dúvidas que cercam o leitor e os próprios vizinhos do Grande Gatsby a respeito de suas origens, de onde vem sua riqueza e qual o seu real propósito ao se mudar para uma mansão tão chamativa e realizar festas exorbitantes o tempo todo. Há boatos que acabam por nos confundir, porém a narração aos olhos de Nick me transpareceu confiabilidade, ele descrevia tudo com clareza, distanciamento e até sensibilidade. É como se Nick não se atingisse pelo desespero do status social e até se incomodasse com isso algumas vezes.

Peguei este livro para ler de forma bem despretensiosa e, talvez, por não criar expectativas é que gostei tanto. O achei bastante atual e com uma bela demonstração de inversão de valores e de como a falta de amor próprio (e ao próximo) e a necessidade exacerbada de dinheiro podem destruir as pessoas. Senti desprezo pela Daisy e sua corja e compaixão pelo Gatsby, assim como Nick. Mais uma vez, infelizmente, pude confirmar como o ser humano pode ser desprezível apenas pela manutenção do seu bel-prazer. É aquela velha história de que somente nas horas ruins sabemos quem realmente se importa conosco.
comentários(0)comente



Michele B. 10/12/2014

um clássico imperdível!!
O Grande Gatsby é um livro extremamente comovente e profundo sobre a luta de um homem para, mais uma vez compreender o amor de sua vida a qualquer custo. O personagem principal Gatsby é podre de rico e todo fim de semana faz grandes festas luxuosas...

Leia mais em meu blog Lost Girly Girl

site: http://www.lostgirlygirl.com/2014/11/resenha-478-o-grande-gatsby-f-scott.html
comentários(0)comente



Maiah 07/12/2014

Maravilhoso! Um dos melhores livros que já li...
Vou tentar ser o mais breve possível pois eu gostei tanto desse livro que acabo me estendendo demais falando sobre ele. Esse é simplesmente um dos melhores livros que já li, daqueles que a leitura termina mas os personagens continuam muito presentes com você. Passei uns dois 2 dias refletindo sobre toda a história depois que terminei, e posso afirmar com toda a certeza de que até o presente momento, esse é o melhor clássico que já li. Não li tantos clássicos assim, é verdade, mas dos poucos que li esse com certeza está em 1° lugar. A leitura flui de uma maneira maravilhosa, e apesar de ser um clássico tem uma leitura fácil, na minha opinião.
Eu achei o Gatsby apaixonante, impossível não gostar nem um pouco que seja dele. Minha relação com a Dayse já não foi lá essas coisas. Eu achei ela chata, egoísta, fútil e bem desagradável, principalmente na reta final do livro. O Nick assim como o Gatsby é um ótimo personagem e que tem uma postura que me agrada bastante durante todo o livro.

Se por acaso você ainda não leu este livro, então eu faço o apelo a vocês para que leiam! É um livro maravilhoso e que vale muito a pena ser lido.

site: http://www.livrosesonhos.com/2014/03/resenha-o-grande-gatsby.html
comentários(0)comente



Thais 26/11/2014

Amor e ódio!
RESENHA COM FOTOS NO MEU BLOG AMIGA DA LEITORA

Sempre ouvi muito falar na história de 'O Grande Gatsby', principalmente quando lançaram a mais recente adaptação cinematográfica da obra, aquela com o ator Leonardo DiCaprio, porém nunca me aprofundei no assunto. Como sabem eu dou total preferência ao livro do que ao filme, e fiz questão de lê-lo primeiro para depois poder me render a telinha.

Em 'O Grande Gatsby', conhecemos através de Nick - nosso narrador - a história de amor de Gatsby e Daisy, os dois se conheceram no passado quando Gatsby não passava de um pobre soldado que estava servindo ao exercito. Porém as circunstancias fez com que o destino do casal tomasse um rumo diferente. Linda e admirável Daisy logo se casou com Tom, um homem rico mas muito insensível. Gatsby por sua vez não mediu esforços para se tornar um milionário, só assim poderia ter de volta o seu grande amor.

Nick mora ao lado da mansão de Gatsby, que sempre promove grandes festas atraindo gente de toda elite novaiorquina. Então em um momento ele acaba sendo convidado para uma dessas festas, e dá inicio a uma certa amizade com o anfitrião. Com o tempo Gatsby revela a Nick sobre seu passado com Daisy, e pede que ele a convide para um chá em sua casa, para que assim possa se reencontrar com a moça. É a partir daí que o casal passa a se ver novamente, tendo Nick como uma espécie de 'ponte' entre eles.

O livro é curto, tem apenas nove capítulos, a narração é leve e flui com bastante tranquilidade. Mas de certa forma acredito que faltou detalhes. Não que o enredo deixe a desejar, porém seria de muito bom grado se o autor também tivesse dado mais enfase nas características dos personagens e cenários por exemplo. Sem falar que incluir algumas cenas românticas entre Daisy e Gastsby deixaria tudo ainda mais emocionante, pois como nosso narrador era um dos personagens, coisas como o dialogo de reencontro do casal principal não foi mostrado. Senti falta desses pequenos detalhes me entendem?

De qualquer forma, eu volto a dizer que o enredo não deixou a desejar, e mesmo depois de ter finalizado a leitura há dias, essa trágica história não sai da minha cabeça. Com certeza luxo, adultério e violência são as palavras que definem bem este livro. O senhor Gastby é aquele tipo de personagem apaixonante, que te conquista aos pouquinhos, e Daisy quase me deixou enganar no começo, mas ao terminar a leitura eu só conseguia odiá-la. Já Nick é um sujeito encantador, o tipo de camarada que merece mesmo o titulo de 'meu chapa'. Adorei cada um deles, adorei até mesmo o fato de odiar alguns deles!

Essa minha edição é a da Editora Geração, ela tem capa dura e algumas fotografias do autor e dos filmes no meio dele. Além dessa eu também tenho uma outra edição com a capa do ultimo filme, que se vocês quiserem faço um vídeo mostrando as diferenças. Me digam nos comentários!



site: http://www.amigadaleitora.com/2014/11/resenha-o-grande-gatsby-editora.html
comentários(0)comente



231 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |



logo skoob
"Entro para pesquisar o livro que vai ocupar o lugar na minha mesinha de cabeceira"

Rede Bom Dia