A Hora da Estrela

A Hora da Estrela ...
4.1054 12400



Resenhas - A Hora da Estrela


315 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Elis 28/06/2015

"A Hora da Leitura"
Poucos compreendem a narrativa de Clarice, por isso A Hora da Estrela serve como um desafio, um enigma.
"Leia-me ou a literatura de massa te devorará". Indico como uma "leitura detox", para aqueles que como eu leem muitos romances com enredos redondinhos (começo, meio e fim), porque a narrativa de Clarice não tem uma forma definida, é um caleidoscópio.


site: http://www.elasleram.com/2015/06/a-hora-da-estrela-clarice-lispector.html
comentários(0)comente



Mi 24/06/2015

Até que enfim, eu li!
Não sei se sou capaz de escrever uma resenha ou sequer um comentário sobre este livro. Já tinha tentado lê-lo algumas outras vezes e por algum motivo, sempre acabava não terminando. Dessa vez, decidi ser firme e deixar me envolver por essa história tão diferente.
A escrita de Clarice Lispector não é fácil! É reflexiva, introspectiva, abre feridas na alma, mostra cicatrizes que nem sequer sabíamos da existência e o único jeito de lê-la é deixar tudo de lado e se concentrar apenas nas páginas do livro.
Esse livro conta a história de Macabéa. Uma moça de 19 anos, alagoana, órfã, com pouco estudo, apenas umas noções bem reles de datilografia, que decide tentar a vida no Rio de Janeiro após a morte da tia que era a sua única, maldosa, porém companheira. Ela passa a trabalhar como datilógrafa e a morar em um quarto de pensão junto com outras moças. O emprego vai mal! A moça não tem noções de higiene, escreve muito mal, erra muito e sempre suja os papéis com as suas mãos mal lavadas. O patrão, com pena do jeito simples da protagonista, acaba deixando que ela fique mais um pouco no emprego, embora tenha desejado despedi-la. Macabéa meio que odeia a si mesma, não possui o menor rastro de autoestima, aprendeu a reprimir todos os seus impulsos, é virgem, suja, mal cheirosa, tem uma péssima alimentação, não sabe se expressar direito e é invisível, ou seja, ninguém nota sua existência. Até chegou a arrumar um namorado, mas as coisas vão de mal a pior. Além do mais, ele não tinha nada de ''bom moço''. Enfim, é impossível descrever totalmente as características da protagonista. Macabéa é a personagem mais miserável que já conheci na literatura!
Acredito que cada leitor possui uma interpretação diferente do livro e de Macabéa. Mas para mim, ele proporcionou diversas reflexões sobre a nossa própria existência humana, sobre como deve existir outras macabéas por aí e como as vezes, nós mesmos, nos deixamos ser Macabéa. É uma leitura rápida, apesar de não ser muito simples, mas recomendo muito para os que gostam de refletir.
comentários(0)comente



Everton.Ribeiro 23/06/2015

A tragédia de Macabéa apresentada através das palavras de Clarice Linspector. Nordestina, retirante e que apenas sonhava com uma vida melhor.
comentários(0)comente



Edna 22/06/2015

Olá gente, a resenha de hoje é de uma escritora que admiro muito, porém demorei bastante para resenha-lo porque não sabia como expor meus sentimentos, quem já leu Clarice entende que não é uma leitura fácil, pelo o contrário, são 87 páginas com um apelo psicológico enorme, exige muito, cada linha, cada palavra contida nesse livro foi feita para se pensar sobre a vida e o sentindo da existência humana.

Estória é narrada por Rodrigo S.M (alter-ego de Clarice) que conta a estória de Macabéa, 19 anos, nordestina, órfã de pai e mãe. Saiu do sertão de Alagoas em busca de uma vida melhor no Rio de janeiro.

"Há os que têm. E há os que não têm. É muito simples: a moça não tinha. Não tinha o quê? É apenas isso mesmo: não tinha."

Macabéa é a personagem mais "miserável" que já me foi apresentada, Muito magra, muito feia, desprovida de conhecimento, mal sabe ler e escrever. Não tem amigas, solitária, virgem, mal tem consciência de sua existência, contudo muito sonhadora.. seu único luxo era o cinema uma vez por mês.
Maca consegue um emprego de datilógrafa e passa suas horas de folgas ouvindo a Rádio Relógio e filosofando sobre seus sonhos.

"Sou datilógrafa e virgem, e gosto de coca-cola"

E então Macabéa conhece Olímpico de Jesus, um nordestino e metalúrgico, eles começam a namorar depois de um passeio "romântico".
O ponto alto do livro acontece quando depois de uma desilusão amorosa Macabéa vai a uma cartomante seguindo os conselhos do pivô de sua desilusão, a cartomante diz a Maca que ela terá um futuro brilhante, cheio de luz e encontrará um novo amor. Feliz, Macabéa sai da cartomante pronta para ver sua Hora da estrela chegar..

"Maca, porém, jamais disse frases, em primeiro lugar por ser de parca palavra. E acontece que não tinha consciência de si e não reclamava de nada, até pensava que era feliz. Não se tratava de uma idiota mas tinha a felicidade dos idiotas. E também não prestava atenção em si mesma: ela não sabia."

A partir dai não posso contar mais nada da estória sem estragar a leitura, o que posso dizer é que A hora da estrela é um livro muito curtinho mas escrito brilhantemente, um livro para ser relido diversas vezes. Cheio de marcas pessoais de Clarice, é fácil identifica-la nas passagens de dúvidas, medo, morte.
A escrita é que talvez não agrade a todos, Clarice tem um estilo peculiar, cheia de metáforas e longos parágrafos de filosofia e reflexão. Para quem estar disposta a mergulhar nessa estória recomendo do início ao fim. Uma bela obra de uma magnifica escritora nacional!

"Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse sempre a novidade que é escrever, eu morreria simbolicamente todos os dias."

site: dnabookz.blogspot.com
comentários(0)comente



Horroshow 21/06/2015

Uma joia rara, mais poesia do que prosa
Resenha por Arthur Lins

" “Como começar pelo início, se as coisas acontecem antes de acontecer?”

Confesso que estou há alguns dias pensando em como resenhar a história de Macabéa e, sem querer, encontro-me no mesmo dilema que Rodrigo S.M., o misterioso escritor e narrador da história. A Hora da Estrela é um livro infinito de apenas 87 páginas, discute sobre ser e não ser, existir e não existir, viver e morrer. Diante de tamanha grandeza e conflitantes questões, eu me encontrei parado, sem saber muito bem o que pensar.

Ok, então vamos começar pelo início. A história trata-se da personagem Macabéa (ou pelo menos devia ser), mas ela não tinha muita história para ser contada, então no meio desse quase nada, temos uma profusão de questionamentos existencialistas do narrador. Quem é Macabéa? Ora, Macabéa são muitas pessoas, há tantas Macabéas que você nem conseguiria dar conta, mas nessa história falamos de uma garota (chamada Macabéa) que existe. Sim, ela só existe, e também não faz muitas perguntas. Para ela, se uma coisa é de tal forma, então é porque é mesmo e acabou. É uma garota que sobrevive, mas não vive, que existe, mas só é visível para seus iguais (para as outras Macabéas). É como um sopro de vida, você quase não a percebe. Bom, e quem é o narrador Rodrigo S.M.? Para responder essa pergunta, acho melhor mudarmos de parágrafo."

(... Leia mais no link abaixo)

site: http://bloghorrorshow.blogspot.com.br/2014/07/a-hora-da-estrela-clarice-lispector.html
comentários(0)comente



Felipe 16/06/2015

Vale muito a pena ler.
comentários(0)comente



Thaynna 15/06/2015

O livro conta a história de uma nordestina chamada Macabéa, uma mulher que se mudou para o Rio, onde foi morar com quatro mulheres em uma pensão logo após de perder sua tia. Ela era uma mulher feia e incompetente, se apaixonou por Olímpico de Jesus, um metalúrgico nordestino, que a traiu com sua colega de trabalho. E um dia recebeu um conselho de uma amiga e foi depois disso que Macabéa resolveu ir a uma cartomante, e lá ela falou em pouco tempo vai ver sua hora da estrela chegar.

comentários(0)comente



Rebas 15/06/2015

A hora da Estrela
Esse livro traz o resto do ser humano quer ninguém admite ser, mas o somos e o sendo, somos exemplares e únicos. Cada um de nós traz a arte da vida, uns trasmitem e outros transbordam em silêncio, que é para não incomodar os demais.
comentários(0)comente



Allana 15/06/2015

O livro fala da historia de Macabéa que é uma mulher muito comum, onde ninguém olharia ,tinha o corpo feio ,doente , maus hábitos de higiene , não poderia reproduzir devido a um grande problema no ovário , Ela tinha grande desejo de ser igual a Marilyn Monroe que era simbolo de grande desejos dos homens daquela época , Porém ela começa a namorar Olímpico de Jesus um nordestino bastante interesseiro ,só que ele não via chaces de mostrar ela para a sociedade e ele o abandona para ficar com Gloria uma moça onde o pai por ser açogueiro tem mais condiçoes que ela , apos ser abandonada ela decide procurar uma cartomante onde ela diz que vai ser feliz e se apaixonar por um estrangeiro , onde ao sai da casa desta mulher ela se encontra com Hans um gringo está é a hora da estrela pois numa cidade como aquela achar um cara deste . Só que apos tudo da errado em sua vida a personagem acaba se matando.
comentários(0)comente



jessika 14/06/2015

A HORA DA ESTRELA

O livro escrito pela grande escritora Clarisse Lispector aborda o contato de imigrantes nordestinos na cidade grande, tendo três períodos, no começo trata-se da historia da própria narrativa , depois a historia do próprio narrador, descrito pelo nome de Rodrigo S. M. e por ultimo a trajetória de Macabéa.
No inicio tratasse da vida descrita pelo Rodrigo e seus impasses na carreira, impondo frases e sentimentos em sua narração além de suas reflexões como “ pensar é um ato. Sentir é um fato” .
Rodrigo se depara em uma rua do Rio de Janeiro quando por uma simples troca de olhares ele conhece uma alagoana chamada de Macabéa e conhece sua historia de vida, ela diz que perdeu seus pais muito criança e por isso foi criada pela sua tia que com o intuito de educa-la bateu bastante em sua cabeça com os nós dos dedos, foi crescendo e estudou apenas ate o terceiro ano primário, não sabe escrever direito mas que ia levando a vida e o um curso de datilografia.
Macabéa também comenta que tempos depois sua tia muda-se para o Rio de Janeiro e ela tem que acompanha-la, no Rio arruma logo um emprego como datilografa. Tempos depois sua tia que é considerada como sua mãe de criação morre e ela vai para uma pensão que passa a dividir com quatro meninas que trabalham como balconistas. Macabéa mal ver as moças que chega tarde da noite e logo vão dormir dai ela fica ouvindo sua radio favorita a radio relógio.
Em um certo dia ela decide faltar seu trabalho para dar um passeio no qual ela encontra um moço chamado Olímpico de Jesus que trabalhava como metalúrgico e era Nordestino. Ele a chamando de senhorinha a convida para um passeio pela cidade. Macabéa estava encantada e logo pensa que ali já seria um começo de um namoro. Em suas conversas ela exibe um estudo de forma precária, por isso gostava de ouvir radio, assim aprendia um pouco mas das coisas para botar em pratica.
Macabéa estava muito empolgada com o tal namoro e apresenta seu local de trabalho, dias depois o Olímpico vai ate lá e conhece colega de trabalho da namorada e então se interessa pela moça deixando de lado Macabéa. Ela muito triste com o ex namorado resolve então mudar, e vai ate ao banheiro do escritório e logo passa um batom vermelho para se sentir uma estrela de cinema.
Ao se sentir envergonhada por sem querer roubar o namorado da colega Gloria decide dar dinheiro a Macabéa para que ela vá ate uma cartomante, e então ela vai ate uma madame e fica muito feliz, pois a cartomante lhe disse um belo futuro inclusive um amor por vim, mas ao sair de la Macabéa é atropelada e morre na hora. E pela primeira e ultima vez Macabéa foi o centro das atenções assim como uma estrela de cinema.
comentários(0)comente



Suz 10/06/2015

A hora de Clarice
O narrador é Clarice. Macabéa é Clarice. Nós somos Macabéa.
Impossível ler esse livro sem sentir o tapa de luvas de pelica que esta autora maravilhosa nos dá enquanto encaramos sua despedida. Porque essa é sua despedida, seu último livro e como ela mesma diz: "quando não escrevo estou morta".
comentários(0)comente



Jonas.Duarte 08/06/2015

É uma história dentro de outra, que fala de tudo o que não cabe nele...
Impossível não partilhar das questões existenciais evocadas durante a leitura, algo inquietante e incomodo, deixar o leitor desconfortável é a melhor forma e um livro atingir seu objetivo.
A analogia feita com o livro "Vidas Seca" de Graciliano Ramos fica bem retratada na personagem de Macabéa, cujo o próprio nome só tem espaço quando perguntada, caso contrário se manteria no anonimato.
Em muitos momentos o escritor fala da história que está sendo escrita e conversa com o leitor, sugiro a leitura do livro todo de uma vez, já que é bem curto, a experiência da leitura será ainda mais significativa.
comentários(0)comente



Alixandre 04/06/2015

O MOMENTO DA ESTRELA
Neste romance se enfatiza a presença de dois protagonistas, Macabea e o escritor que se interessa em descrever sua história, onde se mostra enfeitiçado por ela, no entanto em inúmeros momentos ele insiste em afirmar que a história desta imigrante nordestina não é interessante, que se o leitor quiser algo mais surpreendente que pare a leitura e procure algo mais épico, já que a história é simples e enfatizo que ele tem razão pois a história remete a uma simplicidade ao demonstrar a vida de Macabea, e me pergunto quantas “Macabeas” existem no nosso Brasil? Que transitam de um lugar a outro só ocupando lugar no espaço sem ninguém ao menos notar sua presença:
“Ela somente vive, inspirando e expirando, inspirando e expirando.” pag 23
O seu cotidiano é mostrado de forma crua, a própria personagem não sabe reconhecer (identificar) sua existência e insignificância diante dos acontecimentos a sua volta:
“ E mesmo tristeza também era coisa de rico, era para quem podia, para quem não tinha o que fazer. Tristeza era luxo.”
Os coadjuvantes ficam estupefatos com o modo de se comportar e viver de Macabea, durante toda sua trajetória miserável no fim ela consegue chegar no seu ápice, ter o seu momento, ou seja, a hora da estrela.
comentários(0)comente



Neilma 19/05/2015

A hora da estrela
O livro conta a história da jovem Macabéa que perde os pais ainda pequena e vai morar com a tia no Rio de Janeiro, sua tia é uma mulher muito religiosa e supersticiosa e passa esses costumes para sua sobrinha, Macaeba e muito maltratada pela tia com cascudos na cabeça e sendo privada de coisas que ela gosta, quando e mais crescida vai a cidade grade com sua tia, lá fez um curso de datilografia com que arranjou um trabalho, depois que sua tia morreu ela deixou seus costumes de lado e foi morar em uma pensão onde morava com colegas de trabalho, ela tinha uma aparência horrível e estava muito magra pois só comia cachorro quente seu salário que recebia só dava para ir ao cinema onde ela sonhava ser atriz e atuar ao lado de seu ídolo. Certo dia Macabéa resolve faltar o emprego com desculpas esfarrapadas e arranja um namorado com quem tem um namoro não muito agradável pois ele é ambicioso e logo troca ela por sua amiga que e bem de vida, sua amiga com dor de Macabéa convida para ir até sua casa para um lanche e dá uns conselhos a ela vá a uma cartomante, recebendo o conselho da amiga ela vai e descobre que vai casar com um homem rico e vai ser muito feliz, muito iludida com o que a cartomante diz não presta atenção na hora de atravessar a rua e é atropelada por um carro e morre
comentários(0)comente



Mila 12/05/2015

Um soco no estômago
"Os que me lerem, assim, levem um soco no estômago para ver se é bom. A vida é um soco no estômago"
Sim, este livro desfere um verdadeiro soco no estômago de seus leitores. E dói, nos machuca e nos faz refletir... me fez sentir pena da personagem principal e ao mesmo tempo raiva, vontade de dar uns tabefes e umas chacoalhadas nela.
Macabéa, uma nordestina de Alagoas, 19 anos, virgem, órfã, criada por uma tia beata, que a reprime, lhe surra e tampouco lhe oferece amor.
Vai para o Rio de Janeiro, dividir um quarto com mais 4 moças em um cortiço e trabalhar como datilógrafa, ainda que mal saiba escrever.
Nossa protaganista é pobre, inocente, desprovida de beleza e de pensamentos conexos. Não tinha plena consciência de quem ela era, porque existia ou o que fazia no mundo. Não indagava, não questionava, não se enfurecia, não conversava por não ter o que dizer, ou seja não sabia o que era viver, apenas existia.
O que a tira da mesmice da sua vida é conhecer Olimpico, homem por quem nutriu algum sentimento que nunca soube discernir o que era.
Olimpico, operário metalúrgico, Paraibano, era ambicioso e a troca por sua colega de trabalho Glória.
Gloria sugere a Macabea ir até uma cartomante, esta prevê o futuro da protagonista mas o desfecho não acontece de acordo as previsões.
Escrito em 1977, A hora da estrela nos traz um contexto social da época, um pouco do povo nordestino sofrido, que migra para a região Sudeste do país em busca de emprego e dignidade.
Os conflitos de Clarice enquanto escritora, sua inquietação com a passividade eterna da personagem e qual destino ela teria, pode ser visto durante toda a narrativa do livro, que é contado por Rodrigo S. M. (seu alter ego).
Quando fala da morte e solidão, muitas vezes confundimos a estória da personagem com a da própria autora. Sabe-se que enquanto escrevia esta novela, lutava contra um câncer e veio a falecer após 2 meses da publicação deste livro.
Não é um livro para se ler uma vez apenas.
comentários(0)comente



315 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"Uma ferramenta como essa pode certamente ser usada por professores para incentivar a leitura"

Jornal do Brasil