Dezessete Luas

Dezessete Luas

4.06298 4192



Resenhas - Dezessete Luas


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


fabio 04/04/2016

Comentários sobre: Dezessete Luas - Kami Garcia & Margaret Stohl
Um fato que sempre achei engraçado: quanto maior a expectativa, maior a decepção. Acho que pelo fato de eu ter lido várias resenhas negativas antes de ler o livro, comecei não esperando NADA e me surpreendi. De novo, já que o primeiro conseguiu me fascinar mesmo eu tendo assistido o filme muito antes.

Dezessete Luas começa com os mistérios em torno da décima sexta lua de Lena. Ethan não se lembra de quase nada sobre a noite, apenas o que lhe contaram. No decorrer do livro, sua relação com Lena é abalada e ele descobre que as duas coisas estão interligadas. Enquanto isso, Lena, alem de outros problemas, enfrenta o mesmo lema do primeiro livro: Luz ou Trevas? só que, dessa vez, com o peso de uma maldição nas costas.

O foco dos dois primeiros livros basicamente é o mesmo: os conflitos internos de Lena, mas, se antes Ethan estava ali apenas para narrar a história, nesse ele teve seu lugar no sol. No decorrer do livro, as autoras não entrelaçam apenas o protagonista ao mundo dos conjuradores, como também sua mãe; elas não decepcionam aqueles que gostam de cartas na manga. Entre visões e cartas, mergulhamos fundo nos mistérios envolvendo a família Ravenwood e o livro das luas. Foi interessante ver como trataram um Íncubo nessa série, totalmente diferente do que eu estava acostumado nos livros da Richelle Mead.

O final foi bem mal explicado. Sinto que as autoras perderam a conexão entre si em alguns momentos, o que deixou difícil entender algumas partes. Outro defeito, assim como no primeiro livro, foi como detalharam os ambientes - usei minha imaginação em grande parte do livro. Além de explicarem mal o complexo dos tuneis. Nada disso atrapalhou muito a leitura, já que a escrita de ambas é tão fácil que você escorre de página em página.
Também senti que estão tentando prolongar demais a história - o final deixou as portas abertas (ou escancaradas?) pro próximo volume, e, se eu não tivesse o livro fisico em mãos, iria achar que o arquivo perdeu alguns capítulos finais. Tentaram basicamente a mesma ponte do primeiro pro segundo, e tenho medo de dessa vez não dar certo.

No geral, foi um ótimo livro. Apesar dos defeitos citados acima, adorei a leitura e achei melhor que o primeiro. Entrei nesse mundo de cabeça como entrei no de TMI, e tenho altas expectativas para o próximo.


fabio 04/04/2016minha estante
tentei expor as muitas coisas que estou pensando sobre o livro, mas acredito que baralhei tudo e não consegui expressar nem 20% kkkk




Paloma 14/02/2016

um pouco massante
o primeiro livro já achei um pouco parado mas ainda tinha história.. esse segundo livro bem mais parado, começa a ficar interessante da metade pra frente...
quero ler toda a série.. mas está realmente ficando difícil ?
comentários(0)comente



Graci 30/01/2016

não consigo
não consigo ler. o livro.
comentários(0)comente



Yasmin 26/01/2016

n é ruim..... Mas dá pra inovar?
Ao contrário da maioria, adorei o primeiro livro, mas este segundo.....
A história em si Eh boa, n Eh de todo ruim, mas essa coisa chata de ethan triste e lena rebelde deu neh? 500 páginas só disso, no fim eu já tava dormindo, continuei p livro esperando q fosse melhorar. Eu achei esse livro uma enrolação pura, sempre a mesma coisa, o final até q foi legal, o q me fez seguir c a série. E eu n me arrependo, amei mt a série, mas esse livro, na minha opinião meio diferente heheh, estragou. Não Eh um livro ruim, mas é extremamente repetitivo e soh fica em uma história.
comentários(0)comente



Família Literária 23/12/2015

Resenha: Dezessete Luas - Margaret Stohl e Kami Garcia
Dezessete Luas não só se compara ao primeiro livro,como também excede todas as expectativas. Imperdível para o público assíduo de fantasia. Prontos para se apaixonarem mais uma vez? Lena e Ethan protagonizam mais um capítulo de uma história apaixonante!
Lena está depressiva pela morte do tio, seus dilemas e conflitos se agravam perante a perspectiva de um novo aniversário. Grande parte das más escolhas que a personagem faz nesse segundo volume, se solidificam na culpa que ela sente pela morte do tio. O mais emocionante é que mesmo magoado, Ethan não desiste de Lena. É uma das qualidades que eu mais admiro no protagonista. Ele é incansável quando realmente acredita em alguma coisa. Neste caso, no amor que eles compartilham.

Dezessete Luas é infinitamente mais sombrio que o primeiro volume da série. Ethan e Lena parecem estar em sintonias opostas, e apesar da paciência e determinação de Ethan, parece que o relacionamento de ambos está cada vez mais estremecido por quem e o que Lena é. Uma Conjuradora. Apesar de possuir uma narrativa altamente descritiva e minuciosa, Margaret Stohl e Kami Garcia conseguem escrever sem cansar o leitor, em parte por ambientar a história de forma muito eficaz, e também pelo protagonista carismático que guia o enredo.

Existem muitas novas revelações, incluindo algumas descobertas surpreendentes sobre o passado da mãe de Ethan. Estão de volta alguns personagens maravilhosos como Link – o divertido melhor amigo de Ethan e Amma, governanta excêntrica. E também dois personagens novos na trama, Liv e John, duas adições que despertam emoções fortes nos protagonistas, prometendo ainda mais tumultos com um possível quadrângulo amoroso.

Kami e Margaret desenvolvem um trabalho muito próprio, com personagens carismáticos e autênticos. Protagonistas e coadjuvantes formam uma história sobre feiticeiros, magia, amor e tudo isso ambientado no sul dos Estados Unidos, incluindo toda a cultura que os sulistas americanos possuem.

Ethan e Lena protagonizam uma história de amor épica, assustadora e comovente. Kami Garcia e Margaret Stohl são mestres em enredar os leitores neste romance sombrio, fadado a terminar em tragédia.

site: http://familialiteraria1.blogspot.com.br/2015/07/resenha-dezessete-luas-margaret-stohl-e.html
comentários(0)comente



Paula (Blog Moleca de 20) 28/10/2015

ATENÇÃO: SE VOCÊ AINDA NÃO LEU OS LIVROS ANTERIORES, PODE CONTER ALGUM SPOILER!

Dezessete luas é o segundo livro da série Beautiful Creatures. Neste volume, continuamos acompanhando a narração de Ethan sobre os acontecimentos na aparentemente pacata Gatlin. Porém, algumas coisas estão saindo dos eixos após a não-invocação de Lena e a morte de seu tio, Macon.

A garota não está lidando bem com isso, e as autoras resolveram focar uma parte maior do que o necessário nesse sofrimento, ressaltando a cada página o quanto ela se sente culpada e os esforços de Ethan para convencê-la do contrário e voltar ao relacionamento que tinham antes. Desculpa, mas isso não lembra alguma coisa? Provavelmente estou ficando paranoica, rs. Enfim, a Lena acaba se aproximando de Ridley e suas companhias nada boas, e fica cada vez mais distante de Ethan e da família. O romance dos dois vai enfraquecendo, mas o protagonista em nenhum momento mostrou sinais de desistir da amada.

Agora vamos falar do que eu achei. Para começar, não encontrei mais a quantia absurda de erros que me chateou no primeiro livro, e isso foi um ponto muito positivo. Os personagens secundários (tanto os que já estavam em Dezesseis luas quanto os que foram apresentados neste exemplar) mantiveram-se encantadores, e a escrita das autoras me deu forças para continuar firme e forte... e valeu a pena!

Entendo que o sofrimento da Lena era sem tamanho, e que a perda de alguém que amamos influencia diretamente em nossas atitudes, mas achei que isso teve um enfoque desnecessário na história. Uma parte do livro acabou se tornando um poço de sofrimento. Mas não se deixe desanimar por isso, porque as revelações de Dezessete luas são surpreendentes: o leitor terá uma nova visão do mundo conjurador e do limite tênue com o mundo mortal, além de conhecer mais sobre a família do Ethan, que também tem seus segredos.

Beautiful Creatures não é nem de longe minha série favorita, mas apesar dos muitos defeitos que podem ser apontados, é uma leitura agradável e cheia de mistérios, tem tudo a ver com o clima sombrio desse Halloween que vem chegando. Indico a leitura para quem gosta de histórias sobrenaturais!
comentários(0)comente



Inlectus 27/10/2015

Bom.
Fantasia mística.
comentários(0)comente



laricotta 13/10/2015

ñ consigo ler
o livro ñ da pra ler essa pohaa
comentários(0)comente



Amy 19/09/2015

Dezessete Luas - Kami Garcia, Margaret Stohl
O livro começa mostrando os estragos que o final do primeiro deixou. Lena está de luto pela morte do seu tio,seus dilemas pessoais de “ser das trevas ou da luz” ficam cada vez mais fortes, e as consequências de certas escolhas no primeiro volume fazem com que ela se afogue em culpa, a deixando cada vez mais distante. Mas como Ethan é persistente como uma mula ,ele faz de tudo pra que seu relacionamento não acabe. Só que algumas coisas estão bem além da persistência do nosso protagonista, Lena precisa fazer uma escolha e suas atitudes cada vez mais,a levam para um caminho que faz Ethan pensar que não há mais volta.

Dezessete não é só uma apresentação da história como foi Dezesseis, nesse livro a história vai muito além da família de conjuradores de Lena, envolve também Ethan que descobre ser uma peça muito importante na trama toda. Alguns segredos sobre o passado da mãe de Ethan e de Maicon (tio de Lena) são revelados e personagens novos são apresentados. Como Olívia ( que no começo me revoltei pensando ser uma peça pra um triângulo amoroso, porque vamos combinar que já deu) e John. Outros personagens como Link ( o melhor amigo de Ethan), Amma (a governanta ,segunda mãe e também vidente), Marian , as irmãs e Ridley aparecem muito mais na história, fazendo com que esta tenha o desenrolar perfeito. E além de Sarafine nos deparamos com mais alguns vilões….

Aqueles, que como eu ,acharam estranho ser o narrador ser o mocinho e não a mocinha como as outras seres teens, já se acostumam e até começam a gostar da escolha de Kami e Margaret. Ethan é muito carismático e consegue te fazer rir nos momentos de mais tensão da história. Outros personagens que trazem muito humor são Link e ” As irmãs” (particularmente junto com Maicon ,são meus personagens favoritos) Muitos autores tem uma dificuldade sinistra de manter a qualidade da série,mas esse não foi o problema pra Kami e Margaret que não deixaram a peteca cair e que mantiveram o ritmo na história, e na minha opinião fizeram as coisas um pouquinho melhor nesse volume. Além dos acontecimentos serem mais frenéticos, Dezessete Luas é bem mais sombrio.

Como admiti na resenha de Dezesseis, a série Beautiful Creatures me conquistou. E até agora é umas das melhores séries do mundo fantástico e de conjuradores. Vale MUITO a pena ler. Além das capas serem lindas, as escritoras não se perderam na estrutura da história,seguindo sempre o caminho certo e te levando a entender muitas coisas que não foram respondidas no primeiro volume.

comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Suzi 12/08/2015

Pura enrolação
Gente é muita enrolação pra um livro só, poucos acontecimentos pra valer , fora a Lena no seu egoismo total , continuação bem fraca espero que o dezoito luas seja melhor
comentários(0)comente



Carol 29/06/2015

(...) Dor da morte e vergonha das lágrimas (...)
Quando o filme de Dezesseis Luas acabou eu fiquei me perguntando: Lena se invocou ou não? Talvez mais pessoas tenha se perguntado a mesma coisa, mas foi só em Dezessete Luas que tive a resposta final de que ela não tinha se invocado. Lena estava muito triste por ter perdido o seu tio Maicon, de quem tanto gostava. Sabemos que Genevive fez um conjuro para salvar a vida do seu amado no passado e Lena para salvar a vida de Ethan faz o conjuro também. Por achar que o conjuro deu certo, que salvou Ethan e matou indiretamente seu tio, ela se afasta do seu amor e começa andar com sua prima Ridley e de um outro garoto que faz Ethan se intrigar por ele. Ethan prova mais uma vez que mesmo Lena se afastando dele, o amor que ele tem por ela é gigante de enorme e que não deixará nada de mal aconteça com sua amada. Além deste novo garoto temos também a nova ajudante/assistente de Marian, que está na cidade estudando mais profundamente para vir no futuro virar a bibliotecária guardiã da biblioteca dos conjuradores. Diferente de Dezesseis Luas, Dezessete prendeu totalmente a minha atenção e em menos de duas semanas acabei de ler o livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Daniel.Willyan 20/05/2015

Um livro Estraordinário
Para mim, o melhor livro da saga. Há alguns mistérios e lugares incríveis.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7