Faça seu login para ter acesso a todo conteúdo, participe também do sorteio de cortesias diárias. É rápido e gratuito! :) Entrar
Login
Livros | Autores | Editoras | Grupos | Trocas | Cortesias

A Culpa é das Estrelas

John Green
Resenhas
Mais Gostaram
2869 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |


Raphaella 03/08/2012

Para ser sincera, eu leria até a lista de compras de supermercado do John Green.
Helmonth 26/06/2014minha estante
Gente, esse livro é tão bom assim mesmo? Porque por onde quer que eu olho na internet eu já vejo essa capinha azul do livro - ou filme - e sempre acompanhado de muitos elogios... Confesso que nunca fez parte dos meus planos ler John Green mas por pura curiosidade vou começar a ler este livro hoje - e depois ver o filme- e dependendo, se eu gostar, faço até alguma resenha, quem sabe. Parece ser bom mesmo esse livro.


Cilene 18/06/2014minha estante
Gente ,ainda estou no começo ,assim que me " enturmar" com a história eu lhes digo ,mas ,estou gostando e espero gostar tanto quanto dizem os comentários!!!!!


Isabela Coelho 16/06/2014minha estante
Esse livro é perfeito! P-E-R-F-E-I-T-O. Simplesmente. Eu acabei de ler A Culpa é das Estrelas, quando fui ler outro livro, fiquei olhando o de John Green! Você termina de ler, e ainda quer mais!


Raphaella 05/06/2014minha estante
Só pra avisar, tem gente deixando spoiler nos comentários.


Mari 04/06/2014minha estante
Realmente, não sou mais a mesma desde que terminei o livro, me surpreendi com a morte dele, chorei por dois dias toda vez que lembrava do Gus, uma história tão inocente, com uma grande lição de vida por trás de tudo.


Ligyane 27/05/2014minha estante
Com certeza está na lista dos meus favoritos. É muito interessante a forma como os personagem encaram a vida e a morte. Como John Green consegue filosofar e nos fazer refletir sem ser chato nem velhíquo. Já li duas vezes e estou louca pelo filme. Quando o Gus morreu chorei como se o conhecesse realmente.


Farelaine Teimé 20/05/2014minha estante
Eu também tenho essa sensação de ter vivido, eu fiquei chorando, a morte do gus mecheu comigo de uma maneira que passei a ver a vida de outra forma


anndreiac 20/05/2014minha estante
Já li outros livros após este, mas a história dele ainda me parece muito real. Como se eu tivesse vivido tudo o que aconteceu. Como se o Gus fosse meu amigo. Mais alguém?


Lívia 29/04/2014minha estante
Esse livro, é sem dúvidas, o melhor que eu já li! Sou apaixonada nele ????


Gabi 28/04/2014minha estante
Meu Deus que livro triste! :(


Alvaro 07/04/2014minha estante
estou junto Raphaella


May 22/03/2014minha estante
Compartilho do mesmo pensamento.


Aline Silva 13/03/2014minha estante
e quem nao leria ? haha maravilhoso, john green é um otimo escritor.


Rick 27/02/2014minha estante
Sem sombra de dúvidas, eu também.


Mandy 08/02/2014minha estante
Eu também leria! hahaha


Priscila 28/01/2014minha estante
Raphaella eu admito que eu também leria a lista de compras de supermercado de John Green! Amo este autor!


Marcia 24/01/2014minha estante
Um linda história de vida, inspirador, com frases muito poéticas ...gostei!!


Brenda 22/01/2014minha estante
Eu também, com certeza *-*


Maria 21/01/2014minha estante
:) EU TBM!! :D


This Stark 20/01/2014minha estante
Comentário perfeito ^^


ZeloTheRapper 07/01/2014minha estante
Kkkkkkk comentário caprichado esse. Livro ótimo. Chorei igual a um bebê no final...


Tata 27/12/2013minha estante
Idem!


Lilica 18/12/2013minha estante
Esse livro é maravilhoso, comovente, emocionante, cativante, enfim, amo amo amo...


Jehmoon 07/11/2013minha estante
Arrasou no comentário Raphaella .. HAHHAAHA


Luar ☾ 02/11/2013minha estante
Ah, simplesmente perfeito!


Ana Gabriela 17/10/2013minha estante
E lerei tudo o que ele publicar eternamente HAUHSUAHSUH


Cássio 17/10/2013minha estante
Boa! haha Eu também leria, sem dúvidas. :)


Myrna 26/09/2013minha estante
Lindo demais, fiquei apaixonada pela sutileza da Hazel e a intensidade de Augustus!


Alexsandra 20/09/2013minha estante
Simplesmente perfeito! Li em 2 dias... era 2:49 da manhã e estava chorando por ter terminado um livro tão perfeito! A Hazel e o Gus são tão incríveis que eu fico sem palavras!!! Amei e pronto!
P.S: Quando lançar o filme...enfarto!


Kamila 28/08/2013minha estante
apaixona pelo o livro,quando pegue pra ler não sabia do que se tratava e simplesmente mim apaixonei.


rajhanah 30/07/2013minha estante
Eu tbm!!!
Apaixonada por esse livro.


Luiz Guilherme 23/07/2013minha estante
gente o Augustus diz que o mundo e uma fabrica de brinquedos ou a vida ou outra coisa?Disculpas esqueci hehe


NoteUsado 21/07/2013minha estante
Livro interessantissimo, vale a leitura, para mais informações, acesse: aculpaedasestrelas.com


Letícia 12/07/2013minha estante
Todo mundo, né?Me apaixonei pelo John Green quando li esse livro... E, bem, pelo Augustus também. Há uma parte, quando ele diz para Hazel que não é fácil fazer quem não o conhece se apaixonar por ele. Discordo. Afinal, quantas pessoas não se apaixonaram por Augustus Waters simplesmente lendo o livro?


Letícia 03/07/2013minha estante
Haha verdade.


Raphaella 28/06/2013minha estante
Nat Lala: hahaha! Verdade XD


Mari 28/06/2013minha estante
Amei o livro, exatamente o que eu estava esperando. Não posso esperar para ler os outros livros do John Green


Nat Lala 27/06/2013minha estante
Mudando um pouco de assunto, mas relacionado a frase que você pagou do livro: Eu acho que depois do encontro que a Hazel teve com o Van Houten, se ela lê-se a lista do super mercado dele com certeza só deveria ter bebida kkkkk


Guilherme Zarde 24/06/2013minha estante
De longe um dos melhores livros que eu já li...

John Green trata assuntos complicados com um humor negro indescritível, difícil de encontrar em outros autores. É difícil dosar esse humor negro, mas ele o faz de uma forma leve, fazendo com que a leitura seja absurdamente viciante.


Paula 16/06/2013minha estante
Simplesmente amei!!!
Quando leio os livros do John Green, costumo visualizar durante a leitura, nunca ri tanto de em uma leitura como esta, Só de lembrar da minha "imaginação" no trecho da destruição dos troféus, caio na risada. rsrsrsrsrs.... Diálogos super interessantes. Não sou muito de ler o mesmo livro 2x mas este será uma das poucas exceções.


friendly 04/06/2013minha estante
estou no pág.15

? Caramba! ? disse ele baixinho.
? Não é que você é mesmodemais?Nós dois não falamos mais nada até o fim da reunião, quando todos sederam as mãos e o Patrick nos guiou em uma prece.
? Senhor Jesus Cristo, estamos aqui reunidos em Seu coração,literalmente em Seu coração, como sobreviventes do câncer. O Senhor esomente o Senhor nos conhece como conhecemos a nós mesmos. Nosguie pela vida e para a Luz em nossos períodos de provação. Oremos pelosolhos do Isaac, pelo sangue do Michael e do Jamie, pelos ossos doAugustus, pelos pulmões da Hazel, pela garganta do James. Oremos paraque o Senhor consiga nos curar e para que possamos sentir Seu amor eSua paz, que excedem todo o entendimento. E nos lembremos em nossoscorações daqueles que um dia conhecemos, amamos e que foram para aSua casa: Maria, Kade, Joseph, Haley, Abigail, Angelina, Taylor, Gabriel?
A lista era grande.


Letícia 22/05/2013minha estante
Livro simplesmente perfeito. Eu ri, chorei e ainda quero mais ...


Raphaella 22/05/2013minha estante
É bem por aí mesmo, Nay! :]


Nay 22/05/2013minha estante
"Me apaixonei POR ESSE LIVRO do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra".

Maravilhoso, sem mais!


Rhafa 14/05/2013minha estante
INDESCRITÍVEL... É a única palavra que consigo encontrar para descrever esse livro... Simplesmente maravilhoso...


Manu 10/05/2013minha estante
E sou apaixonada DEMAIS pelo Augustus. Que personagem lindo afffffffff!


Manu 10/05/2013minha estante
O que Markus Zusac diz sobre esse livro resume perfeitamente: você vai rir, vai chorar e ainda vai quer mais.


09/05/2013minha estante
Estou lendo na verdade... ''O teorema Katherine'' e to goxtando


09/05/2013minha estante
Ei essa fala é minha!!! HAHA Eu gostei muito do livro!- leria qualquer coisa que ele escrevesse...


Milena 30/04/2013minha estante
Senti que faltou algo a mais, ao meu ver, a história entre os dois não foi abordada suficientemente bem. Meio que me iludi com os comentários, admito. A culpa é das estrelas é um livro regular.


Adriana Souza 29/04/2013minha estante
Se tornou o meu livro favorito... eu leria até a lista de supermercado de John Green.


Alícia 27/04/2013minha estante
Chorei do início ao fim!


Rafa 11/04/2013minha estante
Eu ja li muitos livros nessa minha vida.Mas "a culpa é das estrelas" ,foi com certeza, um dos melhores que ja li . Tocante e apaixonante.Recomendo.


Ingrid 01/04/2013minha estante
Verdadeira declaração de amor ao livro...


Raphaella 21/03/2013minha estante
E depois que vc ler, ela [a resenha] vai ganhar mais significado :]


M.M.JÚNIOR 21/03/2013minha estante
Resenha simples e direta! depois dessa, com certeza vou ler!


M.M.JÚNIOR 21/03/2013minha estante


Anna 16/03/2013minha estante
Iria ler e guardá-la.


Priscila 13/02/2013minha estante
Eu também quero a leria a lista de compras dele... Acabei de ler o livro, e estou completamente apaixonada, e confesso, chorando!


Lulu 11/02/2013minha estante
Esse concerteza é um dos livros que eu mais gostei, ele é diferente, acho incrivel o jeito que John Green escreve, é impossivel você nao se apaixonar por cada livro que ele escreve, Quem é Você Alaska já está na minha lista e estou esperando Paper Towns lançar aqui no Brasil!


Daiene 05/02/2013minha estante
haha


Lays 31/01/2013minha estante
Gostei do livro, porém acho que faltou profundidade por parte dos sentimentos dos personagens. Tudo é tratado muito "como deve ser o curso da vida".


carol 20/01/2013minha estante
kkkkk eu também leria até a lista de compras do supermercado dele!!!! a culpa é das estrelas é agora o meu novo livro favorito já estou lendo pela terceira vez seguida!! me apaixonei pela Hazel pelo Augustus e pelo Isaac!!


ZeeL 20/01/2013minha estante
"Posso dizer que entre os livros que li, esse foi desparado, o que mais me fez feliz em um terço de segundo.. o que mais me motivou a querer praticamente comer o livro até terminar.. incansavelmente bom!!! Sem mais... perfeito.. Hazel Grace e Augustus Waters.. só isso ja explica todo o sentido do livroo!!!"


withcaah 15/01/2013minha estante
realmente, eu leria tbm!!


kayako 22/12/2012minha estante
É um ótimo livro! Amei! ^^


Becka 14/12/2012minha estante
Assim como a Hazel Grace leria a lista de compras de Peter, seu escritor favorito. Quem já leu, entende seu comentário. :)


Bruna 28/11/2012minha estante
eu tambem


Daniela Farias 24/11/2012minha estante
Eu amei esse livro, chorei horrores, mais mesmo assim amei!


Tata 16/11/2012minha estante
Haha , ótima definição para o livro.


Lucimara 08/11/2012minha estante
Eu ri, chorei e realmente queria ainda mais , um dos livros mais lindos que eu ja li....


Raphaella 06/11/2012minha estante
Ih, Lívia, eu te entendo! Não aguentei e li madrugada a dentro! :]


Lívia 06/11/2012minha estante
Estou adorando o livro, ainda estou na metade, na parte em que eles estao jantando juntos em Amsterda... o pior eh que estou cheia de coisas pra faer e estou sem tempo pra ler, se pudesse terminaria todo no mesmo dia.... rs


steph 25/10/2012minha estante
necessito comprar D;


Juliana 25/10/2012minha estante
Amei esse livro... e estou curtindo ele e tendo muitas emoções até que chegue o fim... ainda não sei se quero termina-lo... sinto a mesma sensação que senti com A Menina que roubava livros... é lindooo..


Aaghie 24/10/2012minha estante
Amei o livro. Ele me fez transbordar de emoções!


Mah 21/10/2012minha estante
Livro INCRÍVEL.


Thata 14/10/2012minha estante
HAHA, é incrível *_*, sua resenha definiu o livro todo.


Ohana Monteiro 29/09/2012minha estante
HAHAHA TODOS querem a lista de compras do John Green!


Magdalena 26/09/2012minha estante
ideeeem.


Jei 25/09/2012minha estante
eu também! com muito prazer [2]


Amanda 24/09/2012minha estante
Eu ainda tô lendo o livro, mas concordo com você plenamente! kk


Raphaella 21/09/2012minha estante
É sim :)


Mistura C/Class 20/09/2012minha estante
Ele é tão bom assim??


Carol 18/09/2012minha estante
eu também! com muito prazer.


Raphaella 14/08/2012minha estante
Hahaha! Acho que todo mundo pensa isso (inclusive eu)... agora se é ou não, só lendo pra saber ^^


Marcia 13/08/2012minha estante
Eu tbm leria , mas só espero que ele ñ seja parecido com o escritor de UAI rs


Raphaella 04/08/2012minha estante
Era essa a ideia - não dá pra comentar esse livro, no post que fiz sobre ele, coloquei também a citação em que a Hazel comenta a respeito dos livros dos quais não conseguimos falar :)
Uhum, TODO MUNDO deveria ler!


Andy 04/08/2012minha estante
HAHA, quem já leu, entende seu comentário.
Quem não leu, não sabe o quanto está perdendo.




Leticia 07/08/2012

A Culpa é do Marketing
Tenho pé atrás com livros com marketing excessivo, mas como a A Culpa é das Estrelas é do nosso querido John Green, o qual é conhecido pelos vídeos muilokos, relevei e fui comprar.

Sabe aquele livro que se tirasse o autor você acharia o mesmo de sempre? Pois então, ACEDE é definido assim pra mim. Existe um câncer ali pra dar um toque sentimental à trama, mas que a mim só passou uma tentativa de manipular emoções superficialmente, tipo Nicholas Sparks, que volta e meia joga com doenças na vã ideia de que isso lhe dá profundeza.

Não dá. Infelizmente.

O diferencial aqui é que temos os personagens de Green, tentado parecer inteligentes e filosóficos, mas sempre soam clichês e por vezes com reflexões “erradas”. Sabe quando você diz para crianças que as estrelas são anjos que oram pela gente, pois então, Green faz algo parecido, manipula conceitos em busca de encaixar na sua filosofia, mesmo se estes forem comprovadamente errados. No caso temos aqui sobre a relatividade e infinito, me incomodaram bastante, pois tenho pra mim um ícone do conhecimento, um livro, tem que mostrar uma verdade ao menos estudada e não algo que se encaixa. Tipo colocar ursos polares na Antártida pra ele caçar pinguins, alguém que estudou sabe que isso não pode acontecer.

Sério, ainda tem uma passagem que o autor recomenda a compra de um maço de cigarro para como evitá-la.

A Arte de ser inteligente...só que não.

Pessoal, existe conceito mais idiota? Sério, quando eu sou do contra eu tenho que ir lá e comprar o arsenal do inimigo para assim fazê-lo mais rico?

Outra parte do Gus chamando sua ex mortinha da silva de “vadia”, super maduro. Não entendi essa parte e ofender os outros não me faz ficar melhor, no caso essa mania de xingar ex pra fazer seu companheiro “mais” é idiota, tentativa tola de elogio.

É um livro comercial, sobretudo, o mais vendível de sua carreira. Mas nem por isso o melhor. Apesar de Green trabalhar com Esther Earl em uma hospital com câncer, sinto que essa relação não estava pronto para ser passada ao papel, está normal e comum. O que se pode esperar de um livro desse “gênero”.

Não me emocionei tanto quanto disseram, passou batido algumas cenas e somente as partes de Hazel com os pais chegou próximo de me tocar, pois sabia e senti que ali havia um elo. De resto é previsível, cheio de frases de efeito como disse ali em cima para beirar os mais medianos clichês de quem já conhece Green. Foi um livro em que ele ficou no seu plano base, não ousou, tipo Sparks que às vezes segue um único plot em 20 livros.

E francamente, os personagens me soaram Green demais, tipo, pra quem vê os vídeos dele sabe que aquilo está a cara DELE. Eu não senti Hazel ou Gus, dois adolescentes, senti Green, um homem maduro que não conseguiu entrar naquele tipo de personagens. O Câncer aqui entrou como um tipo de dom, que deixa os pacientes superdotados, e está claro que não. A Guardião da minha Irmã, por exemplo, a personagem é imatura como deve ser. Não é nenhum Dalai Lama mirim.

Do outro lado tem pontos bons, no caso, apesar de ser Green pensando e falando por Hazel, a construção dos seus hábitos foi de menina normal, nada fora do padrão, até porque ficaria estranho se ela soltasse umas gírias masculinas, ou seja, lá o que for, na base XY. Ela é forte apesar da pretensão a Nobel, o que fica diferenciado de outras protagonistas femininas cheias de nhênhê, do que tipo que odeia a família e é mimada demais. Esse é um ponto forte, não existe drama excessivo, só reflexão exacerbada, onde tudo ganha um significado gigante.

Enfim é um livro de altos e baixos como qualquer um, não acho que da de John Green devia ser o mais destacado, não senti A história, senti mais uma história. Esse, aliás, parece ser um tsunami do mercado editorial, livros nem tão necessários ou diferenciados, mas com capas e títulos interessantes andam conquistando a grande maioria que sem perceber come sempre o mesmo feijão com arroz temperado por fórmula. A Culpa é das Estrelas não foi mais importante para os leitores de Green com certeza, foi o importante da carreira do autor, que se alçou finalmente num salto mais alto, aderindo um público maior.
Laala 02/08/2014minha estante
Nossa cara, você disse tudo! E eu achei que eu não era normal pelo fato de não ter reagido ao livro como a maioria, tipo chorado e que "história PERFEITA", "MUITO LINDO!". Achei simplesmente TUDO o que você disse. Adorei sua resenha.


Sabrina M. 02/07/2014minha estante
Adorei a resenha, traduziu todos os meus pensamentos.


Bia 10/06/2014minha estante
Resenha brilhante!


Vandre 02/05/2014minha estante
O título de sua resenha já disse tudo.


Giovana 14/04/2014minha estante
Ótima resenha! Acho que nunca tive um pingo de vontade de ler esse livro justamente pelo amor gigante que cultivam por ele. Já pego raiva, birra, e não leio nem a pau. Se é bom ou ruim nunca saberei, só sei que por causa dessa modinha ridícula não consigo ler nada desse autor. Li um livro "Deixe a neve cair" que só gostei porque ele não escreveu sozinho, mas mesmo assim pude sentir um pouco da sua literatura e vi como ele é infantil e típico escritor para meninas de 12 a 15 anos, e para mim, que tenho 21, não encaixa jamais. Nem critico tanto pelo autor em si, só acho que pela discrepância da idade não dá para mim esse tipo de literatura, talvez há uns 5, 6 anos eu o leria, hoje, não quero nem ouvir falar, obrigada!


Yasmim 22/03/2014minha estante
Parabéns pela ótima resenha!


Joy 23/02/2014minha estante
"O que seria do rosa se todos gostassem do verde?" Acho q aqui se trata apenas disso. Ao contraio do que escreveram aqui eu vejo o livro como uma forma de superação não drama... Sem falar q O John Green gosta de forçar o drama SIM é só lembrar do inicio do "O teorema Katherine" que na boa da nojo de tanto drama. Esse livro ganhou os louvores que ganhou por que mostra que o câncer não é o fim do mundo, mostra que não é só porque a pessoa é doente ela não queira realizar sonhos, mostra que nenhuma doença pode te deixar parado e que a beleza da vida esta em se sentir bem e se aceitar. Bom é isso


Júlia 19/02/2014minha estante
"Esse é um ponto forte, não existe drama excessivo, só reflexão exacerbada, onde tudo ganha um significado gigante."
This.
Acho Green um cilindro de oxigênio no irrespirável ambiente da literatura juvenil contemporânea, mas apesar de possuir o mérito considerável em relação a outros livros que tratam do tema (vide Sparks & Cia.) evitando sentimentalismo de 1,99, ACEDE é cheio de simbolismos forçados e explícitos. Não são sutis e naturais, como têm que ser.
P.S.:A questão dos infinitos também me incomodou, mesmo sendo só uma metáfora. O que ele falou sobre relatividade mesmo?


Lanny 13/02/2014minha estante
Exatamente o que eu penso sobre esse livro! Parabéns pela excelente resenha!


Ana Letícia 07/02/2014minha estante
Quando virei a última página, fiquei feliz por não ter comprado o livro, e sim tê-lo baixado em PDF. Concordo com grande parte das suas palavras. Todos que eu conheço e já leram ACEDE colocam o livro num patamar de perfeição e superioridade que eu, sinceramente, não entendo. Foi só uma história de amor. Mais uma.


Stêphano 06/02/2014minha estante
Ótimas palavras, a pouco terminei a leitura do livro e ainda estou procurando o que ele tem de tão "bom" para as notas recebidas.


Juan 03/02/2014minha estante
Faço das suas, as minhas palavras :)


Bruna098 29/01/2014minha estante
Nossa, EXATAMENTE!
Me falaram tanto do livro que baixei. Não quis comprar porque li um resumo e não chamou a atenção. Dei graças a DEUS! Não achei mesmo nada demais!
O pior é todo mundo falando sobre o assunto, Falando "Okay" como se isso fosse a coisa mais foda do mundo, mas é uma besteira como qualquer outra! De tantos livros maravilhosos, as pessoas escolhem esse para colocar no pedestal! Fico incrédula!


Milena 27/01/2014minha estante
Não poderia ter dito melhor!


anac 18/01/2014minha estante
Eu estou lendo o livro e estou achando o MESMO. O triste é ver pessoas falando que o livro é perfeito. Poxa, tantos livros que realmente merecem esse adjetivo...

http://somundomeu.blogspot.com/


Su 17/01/2014minha estante
Estou lendo agora e penso exatamente assim. Começei a ler de tanto que me falaram dele, que era ótimo. Mas não estou vendo nada disso, pelo contrário, muito marketing para pouco livro.


Roberto 09/01/2014minha estante
Li o livro e gostei,apesar de não achar que ele mereça essa atenção toda que ele está tendo


Gabriel 08/01/2014minha estante
Uma bela bosta. Mesma história, mesmos personagens apáticos (e não é porque tem câncer!) e clichês, "filosofia" que parece ter saído da cabeça de um adolescente que curte "frases incríveis" no facebook... Enfim, muito dinheiro e marketing em cima, pouco conteúdo. E tem gente que lê. Isso me assusta...


Larissa Sales 21/12/2013minha estante
Finalmente uma pessoa que me entende! Demorei pra achar uma pessoa que NÃO tivesse classificado o livro com 5 estrelas. Concordo com tudo que você disse, principalmente quanto ao excesso de frases de efeito presentes na narrativa.


Bru 08/12/2013minha estante
Finalmente alguém que pensa como eu! Não entendo esse amor todo que o mundo tem por esse livro. Tudo bem, não é um livro ruim. Mas também não é "nossa". Ele é bom e só isso.


Tamires 02/12/2013minha estante
Thank God!
Exatamente o que eu achei. E mais, achei os personagens todos muito parecidos. Principalmente em uma coisa: TODOS possuem o mesmo sarcasmo, desde os pais da Hazel até a enfermeira do Isaac.


Lili' 24/11/2013minha estante
Hahaha Achei uma resenha q concorda com a minha opinião em relação ao livro. Eu tmbm, como muitos aqui, tinha altas expectativas para ACEDE; acabei de ler hj e tenho de dizer que estou muito decepcionada.


Watashi 17/11/2013minha estante
Eu, particularmente gostei do livro.
mas não chorei, não me emocionei e nem pediria mais.
eu só ri em algumas cenas e não gostei muito dos personagens.
A Hazel é muito narcizista (e o Gus também), os dois pagam de inteligentes, são metidos demais, e se acham superiores.
eu não consegui criar empatia com eles.
e o que eu mais odiei foi como a Hazel lida com a doença dela, por favor né?
Câncer é tão triste, tão doloroso que eu não conseguiria ser sarcástico como ela foi, só se eu quisesse realmente morrer e tivesse cansado da vida.
Enfim... é isso, sinto muito aos fãs rs


Jhey 18/10/2013minha estante
Eu não esperava muito do livro, mas esperava pelo menos o básico, já que tantas pessoas gostaram dele, mas nem o básico eu vi. Gente dizendo que chorou, que o livro é muito fofo, que os personagens são lindos e etc e etc. Apenas mais uma prova de que a população mais engole do que mastiga. Apesar dos poucos pontos positivos do livro não vi motivo pra tanto falatório, afinal, como você mesma afirmou, ele basicamente utilizou-se de uma doença séria, triste e extremamente desgastante para qualquer ser humano ter que enfrentar, pra dar drama a trama.O que eu senti foi: Adolescentes que se apaixonaram rápido demais sem um aparente motivo, vítimas de câncer e frases filosóficas soltas simplesmente pra dar uma ilusão de que o livro é mais do que um simples YA, de que você aprendeu algo profundamente filosófico ali... Achei forçado. Bacana que muitos gostaram mas, na boa, existe tanta literatura mundo afora que poderia ser transformada em filme que fico me perguntando porque esses YA americanos vendem tanto e fazem tanto sucesso... Concordo com um dos comentários sobre Uma Aflição Imperial ser ainda mais interessante do que A culpa é das estrelas... Mas acredito que ele preferiu seguir o ritmo que lhe pertence, afinal uma obra como UAI demanda muito mais conhecimento filosófico, científico e por que não dizer, de mundo e vida, do que o que ele está acostumado a usar... Se nem para A culpa é das estrelas ele utilizou-se adequadamente das pesquisas que fez, como ele próprio afirma ao final do livro, que dirá para UAI... Eu sou adepta da ideia de que livros bem trabalhados, ou o cara é um gênio ou levou anos de pesquisa para produzir.


Aline 16/10/2013minha estante
Achei chatíssimo!
Olha que com o Sparks eu já me emocionei (em um amor para recordar), mas este eu achei realmente muito sem graça, forçado e sem emoção.


Yeza Dutra 19/07/2013minha estante
Green parece ter dado mais capricho ao fictício Uma Aflição Imperial do que ao próprio livro, pois esse me pareceu bem mais interessante rs.
Realmente, um livro puramente comercial que, com toda certeza, não merece todo esse destaque que está tendo.


Rossana 21/06/2013minha estante
É um livro interessante, mas eu concordo: não merece toda a atenção que lhe deram. Me arrependi um pouco de ter comprado, o disponibilizo para troca, se alguém se interessar.


E.V.D.B.C 20/06/2013minha estante
A chamada síndrome de pequeno príncipe: frases tentado parecer inteligentes e filosóficas, mas sempre soam clichês.


Lorena 27/05/2013minha estante
Eu estava com a expectativa grande nesse livro, mas depois de ler achei bom e só. Por vezes a narrativa fica cansativa e boba. Há partes emocionantes sim, mas nada que compense o estardalhaço todo que estão fazendo em torno dele.


Leticia 22/05/2013minha estante
Obrigada a todos os comentários, que bom q concordam ;D


Jéssica 20/05/2013minha estante
Eu li mais o livro pelos comentários das pessoas,dizendo que esse livro é Perfeito,tocante. Logo, já li o livro na maior expectativa e nossa, me decepcionei. Claro que não é um livro ruim, mas não é esse "fusuê" todo que estão falando. Eu até durante a leitura, tentava me imaginar,que nas próximas páginas iria acontecer algo bem tocante, porque pra mim o livro é comum e normal. Nada de EX-TRA-OR-DI-NÁ-RIO! E fiquei me perguntando, se era somente eu que achava o livro nada demais, porque os comentários positivos são imensos. Adorei sua resenha, concordo com tudo!


Jvitor 18/05/2013minha estante
Em certos pontos até concordo, mas Nicholas Sparks já é sacanagem ashuashuahu... As reflexões não me pareceram tão exacerbadas e massantes como você disse mas tudo bem... A propósito, onde está o seu blog Letícia? Já tentei o link do seu perfil e até mesmo o google, mas só aparece ora um blog vazio ora uma mensagem dizendo que o endereço mudou...


Emily 17/05/2013minha estante
Concordo com tudo. Esperava bem mais, a escrita é boa mas não chega a ser tocante. E dá impressão que aquele Van Houten foi colocado para aumentar a história.


Mari 21/03/2013minha estante
Achei que fosse só eu... Exatamente tudo que esta ai em cima!


Mari 18/02/2013minha estante
Estava tão empolgada para ler esse livro depois de ler resenhas em diferentes sites e ouvir os depoimentos de diversos amigos... Me desapontei profundamente. O livro TENTA ser profundo, mas sei lá, pelo menos para mim não "funcionou". Não me maravilhei nem pela escrita nem pela história, que, devo acrescentar, é muito fraca... Resumindo, esse livro se equipara à diversos outros livros infanto-juvenis. Nada demais. Sou grata de ver que mais pessoas pensam como eu! Pensei que tivesse algo de errado comigo...


Leticia 06/02/2013minha estante
Né meninas, muito marketing pra pouco caldo, prefiro Now is Good xD


Bruna Degow 02/02/2013minha estante
Finalmente achei uma resenha que falasse tudo o que senti quando li o livro !
A maioria das resenhas mais populares estão com 5 estrelas, e sinceramente, não sei como alguém consegue dar 5 estrelas para um livro desse. É quase iguala-lo a Harry Potter !
Fala sério.


Regiane 04/01/2013minha estante
Esperei tanto desse livro e no fim, me decepcionou muito.

Romance forçado. Personagens que faltaram profundidade. Aquele tal de Van Houten é um dos personagens mais medonhos que conheci. Senti vergonha alheia. Acho que no fim até o Green viu o quanto ele é patético, pois nem conseguiu dar um fim decente a ele.

E o romance é medonho.


Letícia 05/12/2012minha estante
Li o livro e realmente, fiquei decepcionada! Não vejo porque muita gente diz que é bom e blábláblá. Porque realmente não é. Achei o livro muito curto. Achei que o autor poderia ter dado mais tempo para nos apegarmos com os personagens, mas o livro é extremamente curto. Fiquei decepcionada porque todos falavam que era maravilhoso e valia a pena ler... Não vale a pena ler.


Leticia 20/11/2012minha estante
Obrigada, meninas, realmente não mais vale do uma boa sinopse, pq capa e marketing hoje em dia mentem


Angélica Roz 04/09/2012minha estante
Concordo plenamente com você!


Valeria Yasmine 12/08/2012minha estante
Gostei muito da sua resenha... acabei de ler o livro e vim dar uma olhada aqui nas resenhas. Todas dando notas altíssimas, mas eu não entendo como isso é possível. Então, achei a sua, que é a q se parece com o q eu achei do livro. Eu esperava mt mais dele, achei a história meio fraca, mt previsível msm... mas, ate q gostei da parte filosófica, apesar de superficial.




marypaixao 10/07/2012

The fault in our stars
~ Resenha postada no MUITO POUCO CRÍTICA ~
http://www.muitopoucocritica.com/2012/07/10/resenha-the-fault-in-our-stars-john-green/

Hazel Grace tem câncer desde os 13 anos. Naquela época, seu estado foi diagnosticado como terminal, mas agora, três anos depois, Hazel Grace ainda vive devido a um milagre da medicina que conseguiu encolher seus tumores. Acostumada a conviver com o câncer, mas sem nunca esquecer de sua presença, Hazel Grace segue sua vida e conhece Augustus Waters no grupo de apoio. Com ele, Hazel Grace vai chegar onde nunca chegou em vários aspectos de sua vida.

Hazel Grace é uma das melhores personagens que eu já li sobre na vida. Não só por causa de sua situação de saúde, porque ela não é só “a garota com câncer”. Mas porque ela é forte, carismática, sarcástica, passional. As sensações e impressões que ela passa durante todo o livro são poéticas, tocantes, emocionantes.

Além de toda a história dela sendo uma sobrevivente do câncer e lutando contra ele, outra coisa linda e emocionante e crucial desse livro (e da Hazel Grace) é que ela tem um livro preferido. E ela o lê e relê e fala sobre ele com as pessoas e insiste para que elas o leiam também. Meu instinto de bookaholic teve uma síncope ao descobrir a Hazel Grace bookaholic. E tudo a respeito do livro é incrível e emocionante e aterrador.

E sem esquecer do Augustus Waters. Augustus conhece Hazel Grace no grupo de apoio, pois ele também é um sobrevivente do câncer. E eu só consigo descrever o sentimento dele pela Hazel Grace como singelo. Os diálogos entre eles são os melhores. A relação deles é incrível. O modo como eles se ajudam e se entendem é algo único. Tudo o que ele faz por ela, e o que ela faz por ele, também, me levaram às lágrimas diversas vezes durante a leitura.

Essa citação da capa “você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais” é algo totalmente verdadeiro. Eu ri muito com a convivência da Hazel Grace com o Augustus. Eu chorei na mesma intensidade. Eu não conseguia me decidir se lia mais rápido pra saber o que iria acontecer ou se lia mais devagar pra aproveitar cada palavra da narrativa do John Green. Quando vi, mesmo relendo vários parágrafos várias vezes (de tão lindos que eles são), terminei cedo demais.
Bruno 13/09/2013minha estante
De ínicio pode parecer meio triste, levando em conta a condição dos personagens. Mas a história é contada de uma maneira tão sutil e divertida que por alguns instantes até nos esquecemos de quão dura é sua realidade. Não consegui desgrudar do livro até te-lo terminado. E quando acabou, não queria que tivesse acabado. Acho que é uma sensação boa. E como você, reli vários parágrafos, várias vezes.


Higor 22/07/2013minha estante
Gente, eu comprei o livro mas achei ele muito pequeno, não a quantidade de folhas, mas as medidas mesmo, é quase do tamanho de um livro de bolso. Sem contar com aquelas folhas. A vendedora da livraria disse que essa era a edição normal. O de vocês também é pequeno em relação ao tamanho comum? Obrigado.


Letícia 12/07/2013minha estante
A Culpa é das Estrelas é perfeito porque, apesar de ser sobre uma garota e um garoto com câncer, não é uma "história de câncer", como a Hazel diz.


Amanda 02/06/2013minha estante
Simplismente amei, não tenho e nem vou ter palavras para descrever, chorei, ri e ainda quero mais, eu me apaixonei pelo Gus, Hazel e Isaac.


amanda 08/05/2013minha estante
adorei o livro, ri, chorei... a história é muito comovente


Isabele 02/05/2013minha estante
Excelente. Pensei em um final impossível devido as condições de saúde e Hazel Grace, mas ainda tive esperanças que esse final viesse... Não veio. Ainda assim, gostei demais do livro. Devorei em menos de 48h. Super indico!

"O.k"


Barbie 21/04/2013minha estante
Li os últimos 5 capítulos em voz alta, para o meu marido ouvir, na página 237 eu desabei, não consegui segurar a emoção. Eu só conseguia dizer: eu não queria que ele morresse. E o meu marido, não sabia o que fazer.


Amanda 01/04/2013minha estante
Realmente,"você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais". Cabe acrescentar que você vai ficar triste. Mas, você vai aprender a dar valor a vida!

Ps.: A parte do Augustus, foi a pior pra mim... Foi triste o que aconteceu com ele, Terminei de ler e não paro de pensar, ainda não me desliguei do livro.


Babi Lima 29/03/2013minha estante
Creio que as pessoas que não gostaram desse livro não foram loucas o suficiente para mergulhar na história. A culpa é das estrelas se tornou o meu livro preferido. E ah, como eu quero mais.


Babi Lima 29/03/2013minha estante
Creio que as pessoas que não gostaram desse livro não foram loucas o suficiente para mergulhar na história. A culpa é das estrelas se tornou o meu livro preferido. E ah, como eu quero mais.


Babi Lima 29/03/2013minha estante
Creio que as pessoas que não gostaram desse livro não foram loucas o suficiente para mergulhar na história. A culpa é das estrelas se tornou o meu livro preferido. E ah, como eu quero mais.


Kamila 14/03/2013minha estante
Eu ri e chorei praticamente o livro todo, e mesmo depois de ter terminado continuei chorando com a morte de Augustus. Mas mesmo assim ele é meu livro preferido com toda a certeza.


Catuxa 27/02/2013minha estante
li em pdf, alguém que tenha o volume pode me confirmar se há epílogo?


Gabriela 24/12/2012minha estante
"Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida" do mesmo jeito que a dor precisa ser sentida para passar, pra entender a importância e significado que esse livro tem, é preciso ser lido. Nem o maior comentário do mundo poderia explicar a personalidade surpreendente e admirável de Hazel Grace.


karen 13/10/2012minha estante
Estava na duvida de ler esse livro, porque estava com medo de ficar triste depois de ler, mais depois da sua resenha tomei coragem para ler, acho q mesmo que eu chorar lendo esse livro, vai valer a pena


marypaixao 24/08/2012minha estante
Dídi, obrigada pelo seu comentário! Eu realmente não lembrava desse aspecto de ela não falar sobre o livro, apenas com a família e o Augustus. O que pareceu pra mim é que ela não fala pra tudo e todos porque é algo da personalidade dela mesmo... Mas mesmo ela falando só pra pessoas especiais pra ela, pra mim pareceu muito com o sentimento que eu tenho ao falar de livros incríveis (como esse!!) pra outras pessoas. O fato de ela tentar entender o livro, e falar sobre ele avidamente, e bolar teorias sobre ele me pareceu muito bookaholic :) E minha intenção não foi enaltecer a Hazel Grace pelo fato de ela ter câncer, nunca! Isso vai contra todo o livro, né? Os adjetivos são todos para ela, e somente ela, nada para o câncer :)


Dídi 24/08/2012minha estante
ela não luta contra o câncer, se o câncer é feito a partir dela mesma, como ela citou no livro, então ela luta contra uma parte dela mesma. E outra: ela não fala para todas as pessoas lerem o Uma Aflição Imperial, quando ela fala do livro para o Augustus ela sente algo parecido com arrependimento, pois o livro é algo muito particular para ela. Só quem sabe do livro são os pais dela e o Augustos, ela não o recomenda assim, de mão beijada. Gostei do primeiro parágrafo e dos dois últimos. No segundo e no terceiro parece que você está enaltecendo a personagem pelo fato dela Ter Câncer, coisa que ela tanto repudiou nos livros, pelo menos na minha interpretação dos fatos.


Luana 24/08/2012minha estante
Um bom livro é como uma história de amor... querer que não acabe mais! Esse foi um dos melhores que li! Longe de ser penoso, por tratar de pacientes com câncer, nem meloso, por ser uma história de primeiro amor.
Livro inteligente, divertido e, também, de aprendizado!


Amália 23/08/2012minha estante
Nossa...eu quero muito ler esse livro. Deu pra perceber que realmente vai valer a pena lê-lo.


Ana Alice 21/08/2012minha estante
Concordo totalmente, cegamente e indiscutivelmente com tudo o que você disse. Eu também acabei cedo demais. Eu prometia pra mim mesma que ia parar e deixar para continuar lendo no outro dia, mas não consegui...


Renata 13/07/2012minha estante
Ok, eu procuro nunca me influenciar muito por resenhas de livros,não descarto nem compro um livro de cara.
Mas esta descrição da personagem Hazel me deixou com muita vontade de saber mais, conhecer a história por inteiro. Bacana.




Regiane 11/03/2013

A Culpa é das Minhas Expectativas

“ Às vezes as pessoas não têm noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem. ”

Eu criei tantas expectativas com esse livro, mas infelizmente elas não foram superadas. Eu imaginei que ia chorar muito no término da história – pois sou uma manteiga derretida – mas nem isso aconteceu. A Culpa É das Estrelas é uma obra bonitinha que contém uma mensagem válida, mas que não passa disso.

Hazel Grace é uma paciente terminal de apenas 16 anos. Ela tem câncer desde os 13. Apesar de um possível milagre da medicina ter feito que seu tumor tenha diminuído bastante, dando lhe uma chance de prolongar sua vida por mais um tempo, ela sente como que sua história fosse finalizada no momento que recebeu o diagnóstico.

Mas esse pensamento logo se vai, quando Augustus Waters entra em cena ao participar do Grupo de Apoio de Crianças com Câncer. A partir disso, esses dois vão correr atrás dos sonhos que poderão preencher as páginas em branco de suas vidas.

O livro é narrado em 1ª pessoa, aos olhos de Hazel. John Green conseguiu dar uma boa visão de tudo que ocorria ao redor, mas confesso que me irritei muito com a protagonista no início da história. Sei que ela tinha todos os motivos para reclamar por causa de sua situação, mas dei graças a Deus quando Gus apareceu e ela mudou sua maneira de ser.

A história começa morna e só começa a esquentar lá pela página 60. E quando tudo leva a crer que vai engrenar, ela volta a ficar como no início. Apesar disso, a escrita do autor é boa e acaba fluindo. Acho que se não fosse dessa forma, eu teria tido dificuldades para concluir a leitura.

O romance contido em A Culpa é das Estrelas não me convenceu. Achei muito passivo para duas pessoas que seriam capazes de viver cada momento e cada dia como se fossem os últimos. Esperava um amor mais desesperado e mais intenso e infelizmente não foi assim. Sem contar que no ápice do relacionamento houve acontecimentos que me fizeram crer que Hazel parecia mais uma boneca do que um ser humano. Faltou emoção da parte dela e isso me incomodou. Atrevo-me a dizer que John Green não entende muito do universo feminino e pouco procurou entender. Ele se preocupou muito mais com termos técnicos da medicina do que com os sentimentos dos seus personagens.

Uma das coisas que mais me agradaram nessa obra foi o humor negro – na medida certa - que o autor usou para driblar a tensão dos momentos mais críticos do câncer. Com certeza, esse foi um dos pontos mais alto do livro. Outro detalhe que gostei e que achei importante foi a mensagem que foi passada na história: de superação e de persistência.

Quanto aos personagens, não tem nenhum que tenha me conquistado 100%. Hazel é bem chata de início, mas depois que ela começa a mudar, quase me cativa. Nem gosto e nem desgosto dela. Ela se tornou neutra. Já Gus eu gostei bastante da sua personalidade, da forma que ele lidava com sua doença e com as pessoas que estavam ao seu redor. Só não gostei muito da formalidade – mesmo que tenha sido um detalhe proposital do autor – que ele utilizou para com a Hazel, chamando-a por nome e sobrenome toda vez que se dirigia a ela. Isaac com todo seu drama, chega a ser cômico e apesar de não ter muito destaque, ele tem o seu valor. Van Houten é um personagem que achei totalmente desnecessário. Eu cheguei a pensar que ele era interessante, mas conforme fui conhecendo-o, percebi que ele não faria falta alguma de tão medíocre que ele é. Me causou vergonha alheia. Só não vou falar mais nada sobre ele, pois acabaria em spoiler. Gostei muito dos pais da Hazel e achei que eles deveriam ter sido mais explorados.

Gostei da reviravolta, pois em nenhum momento eu desconfiei. Pegou-me totalmente de surpresa. Só que eu esperava muito mais do final. Imaginei que seria a parte que eu mais poderia gostar, mas me enganei. Não surtiu nenhum efeito, pois faltou impacto. Fechei o livro e pensei: “Ficou faltando algo”. Sinceramente fiquei espantada com a minha reação. Meus olhos sequer encheram de lágrimas. Costumo chorar com livros com temáticas mais leves e justo nesse que trata de algo sério e delicado, passou longe. Acho que pelo fato de muita coisa ter soado artificial e forçada demais.

Eu ainda estou tentando me conformar por não ter me afeiçoado a esse livro, como eu gostaria. Reconheço que ele tem seus méritos, mas também existem muitas coisas que me incomodaram. Poderia ter sido bem melhor caso o autor ousasse mais no romance. Eu esperava muito mais de John Green. Posso ser apedrejada, mas A Culpa é das Estrelas é um livro pretensioso demais.

Conselho: Não vá com tanta sede ao pote como eu fui, pois você poderá se decepcionar.
Thata 12/07/2014minha estante
"Eu ainda estou tentando me conformar por não ter me afeiçoado a esse livro, como eu gostaria." Eu sinto o mesmo. Eu esperava que a história fosse me cativar, assim como os muitos fãs da obra que eu conheço.

Eu não sou uma pessoa que tem dificuldade de gostar dos livros, ficar procurando pontos negativos nele e tal... Mas A Culpa é Das Estrelas, pra mim, deixou a desejar. Tudo que você falou, é o que eu penso. E o que me dá mais raiva é que quando eu falo o que achei sobre o livro, me chamam de "sem coração".

Não é um livro ruim, mas é um livro superestimado. Esperava mais.


Jad 16/06/2014minha estante
Acredito que tudo é uma questão de ótica, porém a sua resenha foi satisfatória e faço das suas palavras, a minha.
Talvez haja uma "pitada" de marketing, mas pude aprender e lidar com sentimentos importantes.
Parabéns pela resenha Regiane.


Naiara 05/05/2014minha estante
Melhor comentário que eu vi sobre o livro!


Carol 21/04/2014minha estante
Concordo totalmente com o que você disse. Eu li o livro quando todos esses comentários sobre quão. Bom era o livro surgiram e não vi nada demais. Romance superficial, frases de efeito que não funcionam e reflexões sem sentido.
Não é um livro ruim, mas dizer que é perfeito está muito longe da verdade. Digam o que queiram sobre o Sparks, mas se for para ler esse tipo de romance, prefiro ele ao Green.
Talvez quando eu tinha 16 anos ia ter amado o livro,talvez... Fico feliz em saber que não fui a única "coração de pedra" que leu o livro e não vi nada demais!


Amanda 27/02/2014minha estante
Eu terminei o livro e pensei: então é isso?. Faltou e não foi pouco. Acho que " Costumo chorar com livros com temáticas mais leves e justo nesse que trata de algo sério e delicado, passou longe. Acho que pelo fato de muita coisa ter soado artificial e forçada demais." definiu o meu pensamento.


Feh 06/02/2014minha estante
Eu concordo, em quase tudo que você disse. Só que simplesmente acho que eu pensa tudo isso de uma maneira "mais gentil". A propósito sua resenha ficou ótima.


anac 18/01/2014minha estante
"O romance contido em A Culpa é das Estrelas não me convenceu. Achei muito passivo para duas pessoas que seriam capazes de viver cada momento e cada dia como se fossem os últimos. Esperava um amor mais desesperado e mais intenso e infelizmente não foi assim. Sem contar que no ápice do relacionamento houve acontecimentos que me fizeram crer que Hazel parecia mais uma boneca do que um ser humano. Faltou emoção da parte dela e isso me incomodou. Atrevo-me a dizer que John Green não entende muito do universo feminino e pouco procurou entender. Ele se preocupou muito mais com termos técnicos da medicina do que com os sentimentos dos seus personagens."

O paragrafo que mais descreve os meus pensamentos. Uma das resenhas que mais descrevem os meus pensamentos. u.ú

http://somundomeu.blogspot.com/


Ana 08/10/2013minha estante
Boa resenha Regiane! O livro é médio. Estava gostando até a hora que eles conheceram o Van Houten. Não senti que os personagens eram jovens, pareciam grandes filósofos, tudo bem que a intenção era passar uma importante mensagem, e sim entendi o final e sei que a vida não é um mar de rosas, mas foi tudo muito clichê e realmente artificial.


Josi 05/09/2013minha estante
Não concordo com você, diz que não gostou porque esperava mais e compara a SPARKS, o livro é bem melhor que Um amor para recordar, por exemplo, acho que todas as pessoas que vi dizendo ter não gostado do livro, não gostaram porque o livro foi realista, a morte do Gus é uma surpresa e torna a história ainda mais maravilhosa, as personalidades dos dois são únicas e não acham que se apaixonaram do nada, hoje em dia pessoas tolas se "apaixonam" por bem menos, a relação com a família dela também é bem interessante e o fato do John envolver o UAI, faz com que entendamos que o motivo do livro ter acabado assim, da para supor o que vai acontecer com a Hazel, e a conversa que ela tem no fim do livro com a família explica como seu pai e sua mãe vão seguir com a vida caso ela venha a morrer, tenho um irmão que morreu aos 21 anos e entendo que a vida é assim, nem sempre o livro tem um final feliz coisas como a morte, chegam sem que tenhamos feito muitos de nossos desejos. Entendo que cada um tem sua opinião.


Regiane 12/07/2013minha estante
Letícia Batista, desculpe, mas não são todos livros que personagens se apaixonam instantaneamente, e dá sim para ter romances onde os personagens se apaixonam instantaneamente e que ao decorrer da história há profundidade.

E nenhum momento eu disse que não curti o romance por ser instantâneo. Nem citei isso. Acho que você não entendeu minha resenha. Disse que o romance é morno, passivo demais, porque faltou calor (não falo de sexo), mas de beijos e declarações tocantes.


Letícia 12/07/2013minha estante
Não concordo com sua análise de que o romance de Hazel e Gus é "morno". Em todos os livros que lemos, os personagens se apaixonam instantaneamente. Não é assim na vida real. Pra mim, a história deles se desenvolveu de forma paciente, da forma como deve ser, não tão desesperado como é na maioria das histórias.Esse foi um dos motivos pelos quais eu me apaixonei pelo livro, porque foi bom sair um pouco das histórias em que há "amor à primeira vista".


Dhay 11/06/2013minha estante
É exatamente isso. Estava tão curiosa para ler a "Culpa é Das Estrelas", baixei e comecei a ler ontem. É uma narrativa de linguagem simples que tem o poder de prender-nos. Confesso chorei em alguns momentos, porém eu esperava bem mais, também sou uma manteiga derretida sabe, chorei assistindo Querido John, imagine na tamanha expectativa que coloquei nesse livro.
Eu fechei o livro com o pensamento de ter faltado o final, faltado realmente algo, na minha minuciosa pretensão iria chorar horrores quando acabasse a leitura, porém não fui assim. Me decepcionei um pouco também nesse quesito.


Regiane 30/05/2013minha estante
May, a viagem também me incomodou. Foi tão desnecessária.


May 15/05/2013minha estante
Eu também não gostei do livro, e demorei pra me conformar com isso haha. Sei lá, realmente ficou falntando 'algo', que eu não sei explicar. E o Van Houten e a viagem são duas coisas totalmente desnecessárias. Não gostei e estou com um pé atrás em pegar outro livro dele.


Erica 21/04/2013minha estante
Amei. Veja minha resenha em http://www.leiasempre.com/2013/04/a-culpa-e-das-estrelas-um-romance.html


Regiane 11/03/2013minha estante
Oi, Nati!

Eu não tenho coração de pedra, pelo contrário e mesmo assim senti um vazio. Não consegui me emocionar, e achei tudo superficial demais. Me decepcionei, esperava muito mais.


Nati 10/03/2013minha estante
Sinceramente, já estou indo pro final do livro e continuo com a mesma opinião do começo.MUITO INTROSPECTIVO. Não está funcionando,não estou gostando da Hazel,sentindo quase que um vazio nela,e a estória,segue, segue e quando vc se dá conta, não chegou á lugar algum...Talvez eu seja coração de pedra, mas não sinto paixão,não sinto nada, na verdade. Espero que mude, antes que eu o abandone, pois pelas criticas e resenhas, me conquistaram, porém sinto que, está me perdendo. Volto para dar minha postura final.


Regiane 04/03/2013minha estante
Oi, Nana!

Eu fiquei bem decepcionada. Eu esperava muito mais desse livro. Tem falhas, e emocionalmente não me comoveu em nada. Foi algo bem superficial.


Nana 04/03/2013minha estante
Aleluia alguém que não fez desse livro um rio de maravilhas. Já li coisa ruim e esse não é uma porcaria. Mas também não é esse quadro todo que me pintaram.


Regiane 08/01/2013minha estante
Muito obrigada, Ândrea. Puro marketing, pois esse livro não é nem 70% dos elogios que ele recebe.


Ândrea - LPL 07/01/2013minha estante
Você tem razão, é decepcionante.
Parabéns pela resenha, foi muito bem escrita =)

http://leioporqueleio.blogspot.com.br/




Blog MVL - Nina 13/07/2012

John Green me conquistou e seus personagens me cativaram e arrebataram. Entre risos e lágrimas, eu me apaixonei pelo livro e tudo, absolutamente tudo que ele representa.

"A culpa, querido Brutus, não está nas estrelas, mas em nós mesmos". – Julio César, William Shakespeare.

Hazel é uma leitora assídua... de apenas um livro. Diagnosticada com câncer aos treze anos de idade, a adolescente encontra um refúgio nas páginas de uma obra literária sem fim, que narra a estória de uma jovem leucêmica. Hazel sente que apenas o autor do livro poderia entender seus sentimentos e sua (semi) vida gira em torno dessa obsessão. Até que ela conhece Augustus Waters. Um jovem de dezoito anos, tão charmoso quanto singular, Augustus está em remissão há quatorze meses e possui uma visão grandiosa da vida. Qual o objetivo de viver – e morrer – se não por uma grande causa? Com perspectivas de vida e morte opostas, ambos os jovens encontram um no outro a chave para as emoções mais secretas e inexplicáveis. Hazel e Augustus partem em uma viagem intelectual em busca de respostas para as perguntas mais essenciais sobre a hipocrisia da morte e a fragilidade da condição humana. Em “The Fault in Our Stars” John Green fala diretamente a seu público leitor. Ele usa uma narrativa jovem e uma protagonista carismática para contar uma estória de aflição humana que ocorre todos os dias, com milhares de jovens diagnosticados com câncer. Green desafia Shakespeare e afirma – acertadamente – que às vezes a culpa está no destino, nos eventos que não podemos controlar, e não nas pessoas em si. O autor possui uma voz contemporânea e marcante. Sua personalidade transpira a todo o momento nos pensamentos e diálogos de suas personagens. Eu me encontrei completamente consumida pelo enredo brilhantemente desenvolvido por John Green. A inteligência e a perspicácia de suas observações sobre vida e morte são chocantes e possuem o poder de mudar completamente a perspectiva do leitor sobre ambas. As citações incluídas no texto, as referências literárias transformam a obra em um trabalho literário rico, muito mais do que apenas um livro dramático para jovens.

Há uma acidez incomum e ironia cortante no caráter da protagonista. Ela encara sua doença com cinismo e escárnio. O intrigante é observar como, em certos períodos da leitura, ela demonstra a ingenuidade corriqueira a sua faixa etária. Pensamentos simples, objetivos e tocantes que partem o coração do leitor. Lidar com a eminência da morte, com a lucidez mental de Hazel, é uma tortura intermitente, mas que ela enfrenta com humor e sarcasmo. O que de certa forma alivia o impacto emocional no leitor. A leitura é fácil, apesar da complexidade do tema central. E Augustus. O que contar sobre Augustus? Brilhante? Intensamente questionador? Encantador ao ponto de roubar a cena – e o coração das leitoras – Seu interesse por Hazel é genuíno e suave, desde o primeiro momento, quando ambos trocam o primeiro olhar. Há fagulhas no ar, e o coração do leitor acelera. Porque a doença física não afeta o poder de amar. E eles provam isso muitas vezes durante o enredo. O romance se desenrola lentamente, há entre eles muito mais que o aspecto físico de um relacionamento, e sim um encontro de mentes e almas. É doce, é inocente, é juvenil, é surpreendente. É tudo o que se pode esperar de um amor construído em alicerces (corpos) tão delicados.

A interação de Hazel com seus pais é algo notável na estória. A fragilidade das emoções de seu pai, a força inabalável da mãe. A união incrível de uma família formada apenas por três indivíduos focados em salvar e preservar a vida uns dos outros. Os cuidados da mãe com as necessidades da filha, a compreensão infinita do pai e a preocupação de Hazel com ambos. Seu medo de deixá-los, sua culpa por ser um transtorno, e o temor de mostrar sua própria infelicidade e magoá-los ainda mais. São tantos os elementos que a doença traz para uma família, tantas pessoas saem machucadas além do próprio doente. E ela sabe de tudo isso.

“The Fault in Our Stars” me deu uma incontrolável vontade de ler em voz alta. Não é uma ocorrência freqüente, mas eventualmente, quando estou lendo um livro com personagens tão reais, sinto a urgência de emprestar a minha própria voz para que se tornem ainda mais verdadeiros. Assim são as personagens de John Green. Grosseiramente autenticas. Elas derrubam todas as defesas do leitor, nos deixando vulneráveis e ao mesmo tempo livres. É uma sensação como poucas, é como colocar um pedaço de algodão doce na boca, ou o momento em que o avião alça voo. É indescritível e é assustador pensar que um livro, apenas papel e letras impressas, possa ocasionar tal sensação. É suficiente dizer que quando terminei o livro estava com a palma da mão pressionada em meu peito, sobre o coração. Grande parte da leitura eu estive nessa posição, massageando o meu peito. Como se algo estivesse faltado ali. John Green rouba seu coração e o devolve transformado, um pouco magoado, meio partido, definitivamente diferente de quando você iniciou a leitura. Você mudou. Sua visão de mundo e do ser humano mudou, graças a um livro.

A culpa está nas estrelas. A culpa está em nós, que somos as estrelas deste planeta. A culpa está na cegueira que nos faz indiferente, ou apenas condescendente ao sofrimento alheio. “The Fault in Our Stars” é uma obra crua, que não poupa o leitor, o constrange e força a deixar de lado sua própria superficialidade, e a olhar, realmente olhar para o ser humano.


Marina - Blog Minha Vida por um Livro
http://www.minhavidaporumlivro.com.br
Isabela 17/06/2014minha estante
Nossa, parabéns pela sua resenha! Está muito bem escrita e disse tudo o que eu mesma senti lendo =)


Mariana 25/08/2013minha estante
Trecho perfeito:
"John Green rouba seu coração e o devolve transformado, um pouco magoado, meio partido, definitivamente diferente de quando você iniciou a leitura. Você mudou. Sua visão de mundo e do ser humano mudou, graças a um livro. "


Mari 06/08/2013minha estante
A melhor resenha que li sobre o livro... :)


Taly 09/02/2013minha estante
Adorei! Com certeza na minha lista de favoritos e entre os 3 primeiros.
Concordo em gênero, número e grau com Markus Zuzak quando disse que eu iria rir, chorar e ainda querer mais! Rs.
5 estrelas!


Joana 27/11/2012minha estante
Excelente comentário! Conseguiu transmitir tudo aquilo que eu senti e pensei ao ler o livro. Parabéms


Blog MVL - Nina 13/07/2012minha estante
Oi, Lygia.

Então, quando disse que o livro é "cru" estava falando no sentido de ser "áspero", de fazer o leitor sair de sua zona de conforto e encarar o sofrimento de forma real. Concordo que TFiOS tem floreios, mas como é o estilo de John Green, esses floreios nunca ultrapassam a realidade. Não diria que John Green gosta de florear suas histórias.Sim, ele utiliza analogias e cria milhares de conceitos, mas não acho que poderia chamar seu livro de lúdico. De qualquer forma, agradeço o comentário e fico feliz que você tenha exposto a sua opinião. Bons debates começam a assim. Obrigada mesmo! ;)


Lygia 13/07/2012minha estante
Oi, Marina. Curti muito a sua resenha. Particularmente, penso que é meio complicado falar de um livro que gostamos tanto. Ou nos falta palavras ou elas ficam sobrando. De qualquer forma, acho que muito da experiência que vc teve com TFiOS foi semelhante com a minha. Realmente só não compreendi no final da sua análise, em que você define o livro como uma "obra crua". Posso ter interpretado errado ou a forma como ficou no texto que causou a interpretação errada. Quando você diz "crua" vou supor o melhor e entender que você quis dizer que JG escreve tudo "preto no branco" e sem floreios. Pois bem, apesar dele deixar o leitor "constrangido", pelo impacto de suas palavras, não acho que a história não tenha floreios. Ele usa e abusa de metáforas, principalmente na fala dos protagonistas e em suas reflexões sobre vida x morte. Enfim, apenas comentei porque realmente a palavra ?crua? me causou um certo incômodo, rsrs. Beijos pra você!




2869 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |



Publicidade


logo skoob beta
"O encontro dos livros com a web"

Ministério da Cultura