O Julgamento de Gabriel

Sylvain Reynard



Resenhas - O Julgamento de Gabriel


89 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Saah_nunes 15/10/2014

Resenha para o blog The readings from grandmother
Gabriel e Julia sobreviveram ao primeiro semestre do mestrado sem maiores problemas. Na romântica viagem para Itália, Julia se entregou de corpo e alma para Gabriel, e descobriu os novos prazeres da vida ao lado de seu professor. Ele com sua paixão a ensinou que uma mulher deve ser tratada com ternura, e não como seu ex a tratava, e ela com seu amor o ensinou que todos podem sair das trevas e ser feliz sem culpa.

Após a palestra sobre Dante na Itália, ela a apresenta como sua fidanzata (que significa muitas coisas, como namorada, mas todos entendem que é sua noiva), assim, deixando claro o relacionamento a todos, incluindo aqueles que desejam estragar essa lua de mel.

Mas, o que eles não esperavam é a quantidade de problemas que iam surgir quando voltassem da viagem: Paulina resolve aparecer e usar Maia para que Gabriel fique mais próximo a ela, a amante de Simon (ex de Julia) a chantageia com fotos e vídeos do antigo casal em momentos íntimos, ameaçando revelar tudo para a mídia, e o pior de tudo, ao chegarem na universidade há duas queixas contra o casal: assédio sexual e contra a regra de relacionamentos entre aluno e professor.

Todas essas sombras caem praticamente de uma vez na vida do casal, a queixa poderia fazer com que o professor nunca mais pudesse lecionar em uma faculdade, e pior, Julia poderia perder para sempre sua vaga em Harvard, e ter que fazer todo seu mestrado novamente.

Então, temendo pela carreira de sua amada, Gabriel faz um acordo com a reitoria, ele terminará seu relacionamento com Julia e aceitará toda a culpa, e ela poderá terminar o ano e ir para Harvard, e toda essa história não saíra daquela sala, para não acabar com a futura brilhante carreira que dela.

Gabriel deixa um bilhete em um livro para Julia, tenta mandar um sinal pra que ela o espere, porém é tudo falho, ela acha que foi abandonada para que ele não perdesse seu tão importante cargo de professor. Sendo assim, ela segue sua vida com a ajuda de seu pai e seu amigo Paul, que a ajuda a passar por esse momento difícil, a arruma um alojamento perto da universidade e até um emprego temporário, mas mesmo sabendo que Gabriel não vai voltar, Julia não consegue se apaixonar por Paul e começar uma nova vida.

Enquanto isso, Gabriel refaz a viajem romântica que fizeram pela Itália, visitando todos os lugares que se amaram naquelas férias, encontrando assim a sua redenção, deixando de lado aquela Gabriel que não se importava com ninguém só com o valor do seu terno e se transforma em um homem caridoso, crente e que quer fazer o bem a qualquer custo.

O livro mais uma vez é magnífico, é muito mais intenso que o primeiro volume da série, as cenas calientes que protagonizam é de tirar o fôlego de qualquer um, e o melhor ainda, as cenas de sexo deles não são ''explícitas'', são envolventes, apaixonantes, de dar inveja, mas nunca com vulgaridade.

O autor, na sua narração onisciente e onipresente consegue nos fazer sentir o que Julia e Gabriel sentem, chorar com as despedidas e se alegrar com os reencontros. No final, tenho certeza que você vai querer sair correndo e pegar o próximo volume, para ver o que o futuro reserva pros amantes, e mais uma viver essa paixão tão envolvente que nenhum outro casal literário tem (na minha humilde opinião)

site: http://asleiturasdavovo.blogspot.com.br/2014/10/o-julgamento-de-gabriel-livro-2-sylvain.html
comentários(0)comente



Juliana 12/10/2014

O livro continua exatamente de onde O Inferno de Gabriel parou. Gabriel e Julianne estão na Itália, pois Gabriel vai ministrar uma palestra sobre Dante, assunto no qual é especialista, em uma Galeria de Florença. Ele leva Julia com ele, apresentando-a a todos como sua namorada.

Neste livro o romance deles, já tão turbulento, se tornará ainda mais complicado, devido a diversas influências e ataques externos e das circunstâncias em que o relacionamento deles se desenvolve, já que tudo começa quando Julia é ainda aluna de Gabriel.

Com o tempo, Julia mostra a Gabriel um lado bem mais belo da vida e, aos poucos ele consegue ir enxergando a beleza da bondade por meio das atitudes dela e de sua forma de pensar nos outros antes de si mesma.

O casal compartilha muitos momentos lindos e também suas histórias complicadas de vida, o que vai transformando os dois, pouco a pouco, em pessoas mais maduras, mais seguras e ainda mais apaixonadas, com o passar do tempo.

Infelizmente o mar de rosas é interrompido por denúncias à Universidade, a respeito do relacionamento deles, incriminando o professor Gabriel junto ao Comitê Disciplinar e ameaçando o ingresso de Julia em seu sonhado doutorado em Harvard. Aparentemente, se eles ficarem juntos, todos os planos acadêmicos dos dois irão por água abaixo.

Muita coisa acontece em decorrência dessas denúncias e, como eu não gosto de dar spoilers, vou parar por aqui. O livro é tão bem escrito quando o primeiro e, em muitos momentos, bem mais emocionante. Creio que essa leitura foi bem mais rápida que a do primeiro volume da trilogia.

A história é linda, cheia de romance, com um erotismo elegante e sutil. Gostei muito da escrita do autor e gostaria de ler mais livros dele, assim que houver algum. Achei a escolha do tema muito interessante e, devo confessar, me deixou com vontade de ler a Divina Comédia, de tantas citações belas de Dante e de tantas analogias e explicações sobre a história que há no livro.

Valeu a pena a leitura, principalmente pelo desenvolvimento do Gabriel. Infelizmente Julia não teve um desenvolvimento tão marcante, mas acredito que isso tenha se dado justamente pelo seu perfil absolutamente boazinha, que conhecemos desde o primeiro livro.

É um livro romântico e poético para quem espera emoções fortes e um toque de sensualidade, mas sem tanto conteúdo explícito.
comentários(0)comente



Caio Chaves 10/09/2014

Então depois de um primeiro livro que alternava entre o ótimo e o tédio, posso colocar que era bem mediano, porém acima das outras publicações do gênero. Esse segundo volume acabou me ganhando e tive que dar 5 estrelas porque realmente sofri junto com os personagens e a história me prendeu de vez.
Julia me irritou bastante no início, sempre dando explicações e bancando a psicóloga do Gabriel durante a viagem deles. Porém depois ela volta a melhorar e ser uma protagonista, que você acaba torcendo pela felicidade.
Christa volta a atacar a felicidade do casal e esse é o principal tema do livro. Será que um casal formado pelo professor x aluna poderá ficar junto?
Durante esse conflito entre eles e a sociedade estudantil, vemos a Julia amadurecer muito e lutar pela sua bolsa em Harvard, achei isso ótimo dela, não deixou dos seus sonhos pela desilusão.
Paul está mais amoroso ainda nessa história e sinceramente, ele pra mim é o melhor personagem, faria tudo para ficar com a Julia, uma pena ela não amá-lo, além dele ser um homem lindo e maravilhoso por dentro e por fora, um verdadeiro cavalheiro clássico.
No livro, as relações familiares são bem discutidas, aliás há uma certa propaganda pro Catolicismo nas entrelinhas, não que isso atrapalhe ou invalide, mais que é uma apologia, há.
Embora tenha muitas poesias, passagens e aquele blablablá literário sobre o Dante, isso é bem reduzido na história e principalmente é usada de maneira correta pelo autor, ponto para ele que não cansou nossos olhos com aquelas páginas fillers em que nada acontece.
Quando você chega ao final acaba se perguntando: por que fizeram um terceiro livro?
Também me fiz essa pergunta algumas vezes, embora o primeiro livro tenha acabado sem um clímax para uma continuação e acabei me surpreendo positivamente com esse, que aliás, é o tipo de livro que você não consegue largar.
Veremos como vai ser o terceiro e último livro da saga.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Loren 20/08/2014

Aguenta coração!
O livro tem um enredo muito drástico no sentido de revelações bombásticas e com muitos mal entendidos.
Mostra a maldade do ser humano neste mundo que no qual tudo é "possível".
Fiquei muito nervosa com o decorrer da história e que me senti angustiada por Julianne, muita coisa que ela passou poderia ter sido esclarecido e confesso que odiei Gabriel por um bom tempo.
No final tudo começou a se encaixar e tirei muitas lições para a minha vida.
Um amor só é possível quando deixamos ele ir, para se curar dos mal vividos no passado. Pois viver sendo um rascunho do que você é não vale a pena.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Três Leitoras 22/07/2014

Resenha: Trilogia
Oi Leitores... Aqui está uma trilogia que me deixou encantada, inicialmente achei que não ia gostar, mas aos poucos fui conquistada pelo enredo, personagens e escrita.

Quando pegamos o primeiro livro da trilogia já temos a promessa abaixo e no fim acredito que o autor atingiu o seu objetivo.

A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher.


A trilogia é sobre a história de Gabriel Emerson e Julia Mitchell. Ele um famoso especialista em Dante, rigoroso professor universitário, mas que também se envolve em noites e mais noites de prazer sem limites. Ela uma jovem doce e inocente, que acredita no bem acima de tudo.

Ele carrega consigo feridas do passado, culpa-se pelos erros cometidos e não acredita que poderia ser absolvido de seus pecados. Ela tenta superar seus traumas de infância e de um péssimo relacionamento.

Continue lendo no link...

site: http://tresleitoras.blogspot.com.br/2014/03/resenha-trilogia-gabriel.html
comentários(0)comente



Sabrine Borges 22/07/2014

O Céu sorriu para nós
PODE CONTER SPOILER DO LIVRO O JULGAMENTO DE GABRIEL

Por que o nome do primeiro livro era O Inferno de Gabriel? Seria algum livro religioso? Me perguntei isso a primeira vez que vi o livro, mas estava totalmente enganada. Depois que olhei direito a capa e li a sinopse comecei a entender o motivo. O inferno faz uma metáfora ao passado de Gabriel, ao que ele deixou para trás.
No primeiro livro, Gabriel é um professor universitário reprimido por seu passado, um homem frio e distante, que tratava as mulheres como objetos sexuais. Beatriz é uma estudante de mestrado meiga e fofa, as vezes até meio bobinha e ainda virgem.
Beatriz é apaixonada por seu professor desde se encontraram no pomar, há muitos anos atrás. Mas ele por conta de seus problemas nem lembrava dela. No começo ele se mostra distante, mas depois Beatriz o conquista. Ela também tem segredos que só revela para ele.
Mesmo sendo um romance proibido pois ele é seu professor, é inegável a atração dos dois, mas eles resolvem somente transar depois de Beatriz sair de seu mestrado. Mesmo ainda se encontrando as vezes, eles fizeram esse voto de abstinência.


O segundo livro mostra um Gabriel totalmente diferente. Um homem que tenta fazer o bem apesar de todos os problemas. Muito carinhoso e compreensivo. Os dois estão juntos e felizes, mas não por muito tempo. O departamento descobre seu relacionamento, e acusa os dois, pois é explicitamente proibido romance entre aluno e professor. Então, Gabriel faz o que se esperava de uma pessoa boa: se afasta de Juliane. Não por muito tempo, só até a poeira abaixar. Ele sabe que isso pode prejudicar seus estudos e que ela quer um futuro melhor e tem seus sonhos. Por isso ela abdica de seu emprego por ama-la demais. São várias pessoas que querem a infelicidade do casal, tem o Paul que gosta de Juliane, tem Paulina que é uma ex namorada de Gabriel, entre outras.
Mas no fim tudo acaba bem e eles finalmente se casam e podem curtir sua vida juntos para todo o sempre. Juliane está muito ocupada com seus estudos, o que não a impede de casar. Por isso o título da resenha foi "O céu sorriu para nós", porque no fim o bem sempre vence e o amor dura o tanto para se tornar inesquecível.

comentários(0)comente



Cris 06/07/2014

Apaixonada por este professor...
Apenas um breve resumo de O inferno de Gabriel:

Julianne Mitchell amava Gabriel Emerson desde os 17 anos, quando inocentemente haviam passado uma noite juntos num pomar, mas, ao acordar na manhã seguinte, ele tinha desaparecido. Como estava bêbado e drogado, Gabriel se não lembrava de nada.
Julianne só voltou a vê-lo depois de seis longos anos em um curso que ele mesmo ministrava na pós-graduação da Universidade de Toronto, a primeiro momento, ele lhe pareceu atraente porém frio, ela achava impossível que o professor temperamental e arrogante correspondesse o seu afeto. Com o decorrer das páginas houve a lembrança e mesmo correndo o risco de assumir essa paixão proibida, ambos decidiram ficar juntos e lutar para curar as feridas do passado. Seria o amor suficiente para pôr fim no inferno de Gabriel e fazer com que Julianne alcançasse a felicidade que sempre sonhou?...

Em O julgamento de Gabriel, nossos protagonistas viajam à Itália, e lá finalmente desfrutam de tudo que o amor pode lhes oferecer, a entrega dos dois acontece de uma forma arrebatadora e sublime. E após longas semanas de descobertas e passeios românticos, eles retornam à Toronto e encontram um futuro ameaçado por algumas denúncias a respeito da proibição do relacionamento amoroso entre professor e aluno. Se todas as acusações forem comprovadas, a carreira acadêmica de Gabriel e o doutorado em Harvard de Julianne estarão comprometidos e arruinados definitivamente.
Pensando na proteção de sua amada, Gabriel decide tomar uma decisão e surpreende a todos, inclusive Julianne.
Os capítulos seguintes serão doídos e ao mesmo tempo inquietantes, uma vez que você consegue sentir o sofrimento de ambos.
Qual desfecho podemos esperar para este livro? Será que as decisões bem-intencionadas de fato valem quando o amor está em jogo?

Dizem que Sylvain Reynard é especialista em arte, e com base nisso, não por acaso, temos uma aula de cultura, posso afirmar que os pontos altos do seu livro, são as suas citações, poemas, pinturas, etc. Fiquei muito curiosa para conhecer tudo. Principalmente sua inspiração que é Dante Alighieri.
A narrativa do até então desconhecido autor, nos traz tanta riqueza cultural que é impossível não se apaixonar pela história; com base na obra literária de Dante Alighieri e Beatriz Portinari, os capítulos são construídos minuciosamente. Por ser detalhado demais, o livro pode sofrer algumas conotações como: ele é maçante e chato. Mas, mesmo aqueles que não gostaram, não podem alegar que a história é ruim. Até porque, isso seria um pecado rs!

Gabriel, é o perfeito superprotetor e amante ideal com um passado perverso e obscuro. Juliane é a famosa mocinha ingênua que vai amadurecendo aos poucos e criando uma autoconfiança que jamais existiu.
Leitura mais que recomendada para quem gosta de um romance sensual sem esperar nada do erótico. E claro, se você é fã de um livro com conteúdo vai amar que nem eu.
Só um aviso: leitores que nutrem um ódio fácil por mocinhas sonsas, tomem cuidado!! Julianne Mitchell pode causar irritação rs! - não é o meu caso, como já disse, sou imune a todas...

Estou lendo A redenção de Gabriel, último livro da trilogia. Estou amando, e espero finalizar da mesma forma que terminei o segundo.
E lá vamos nós!

Beijos e até mais!

Crísney Oliveira.
comentários(0)comente



Yulli 22/06/2014

Um inferno para Gabriel
O segundo livro aparentava que daria tudo certo entre Gabriel e Julia, até que uma denuncia no comitê estudantil arruinou todos os planos do casal, obrigando Gabriel se afastar de Julia. O livro tomou um rumo mais melancólico mostrou todo o sentimento ruim de um amor perdido, como na obra de Dante, e Gabriel atravessou o purgatório, e quase alcançou o inferno.
Durante o tempo que ficaram separados Julia pensou que Gabriel a tivesse abandonado sem qual tipo de consideração, mesmo sofrendo ela tentou continuar a vida. Seu amigo Paul foi uma peça fundamental desse tempo, mais não conseguiu o resultado que esperava que era o coração de Julia para si, já que desde do começou da historia ele estivera apaixonado por ela.
Antes do final do livro eles se encontram em Harvard onde ela está estudando e Gabriel conta todos os motivos que levaram os dois se separem, Julia o ama muito e o perdoa, e dois se casam na Itália.
O autor (ou autora) sabe escrever de uma maneira que a gente acha que sabe o que vai acontecer, mais é totalmente diferente do que a gente imaginava, gosto disso.
- Por Iolanda Estrambek
comentários(0)comente



Elaine 11/06/2014

Melhor ainda
O primeiro livro foi ótimo mas esse foi "melhor ainda". Depois da apresentação dos personagens e do início de seu envolvimento no livro anterior,agora que o semestre do curso acabou e nada pode acontecer por eles estarem juntos bora ir pra Itália e apresentar os prazeres da carne para Julienne né Gabriel? Só que não fou bem assim! Ao voltar pra Toronto uma denúncia investigada pelo Comitê da Universidade ameaça ambos e para não colocar o futuro de Julia em risco o amado Gabriel aceita acabar tudo entre eles. Bem vinda ao mundo da dor por amor Julienne!
Bem... confesso que achei Julienne um pouco tapada demais... como ela não se tocou que o e-mail e despedida era encenação de Gabriel? E os outros sinais? Tava na cara! Mas quando se esta apaixonada é assim mesmo,cega surda...
Adorei essa continuação e recomendo mesmo a leitura ja avisando que não há comparação entre os demais clichês do gênero... aqui os personagens tem vida e sexo menos surreal!
comentários(0)comente



Val 15/05/2014

Acabei o Julgamento de Gabriel. Maravilhoso e com certeza não pode ser comparado com a trilogia dos 50 Tons de Cinza. Apaixonante, com muitas citações de autores importantes em nossa história e com uma escrita mais erudita. Amei! Em busca do último livro da trilogia A Redenção de Gabriel.
comentários(0)comente



Jessica 07/04/2014

Declínio.


Me desculpe as fãs/simpatizantes deste livro.. Mas, que livro chato!
O primeiro foi muito legal, agradável, sexy e tudo mais, mas este? Como diz meu titulo, entrou em declínio.
Primeiro, eu adoro homem que se preocupa e é atencioso, mas Gabriel parece Crsthian Gray, ele tira a virgindade de Beatriz e age como se estivesse estuprado a menina, pelo amor de deus minha gente, eu adoro homens sensíveis, mas esse tava DEMAIS. Ela faz ela comer, faz ela beber algo, fica perguntando se ela se machucou de 5 em 5 minutos, e ela fica toda maluca pensando que não o agradou, pensando que é frigida, logico que tem toda aquela historia do ex-namorado que fez ela pensar que não gostava de sexo e blá blá, mas no 1º livro achava a sua personagem com personalidade, depois que ficou com o Gabriel se tornou outra Anastasia da vida, ela gira em torno dele, faz tudo que ele pede, tem medo de não agrada-lo e eu sei que quando ficamos apaixonados nos tornamos surdos, cegos e mudos, mas na maneira certa.

Estou sendo ignorante porque só li o epilogo, mas me desculpa eu não suporto mulher submissa, não suporto homem com essas frescuras, e até hoje acho que na realidade em que vivemos, nenhum homem fez alguma mulher tomar um suco, comer e ficou fazendo perguntas em cima de perguntas após a 1º vez dela. Tem que se preocupar? TEMM! Mas na medida certa, se não se transforma no que o livro proporcionou, 2 pessoas água com açúcar, sem nenhum climax, nada que nos deixa boquiabertos, e sim que nos faz ficar com nojo e não conseguir mais ler (meu caso). Ate 50 tons de cinza foi melhor.

Me desculpe os sensíveis, mas masculinidade (em um homem) é fundamental.
comentários(0)comente



Rafa 02/04/2014

Que garota nunca se apaixonou pelo seu professor? Ok, imagine agora que seu teacher é um belo homem, inteligente, bem humorado, 'intenso', que adora vestir-se de Armani e que recita as mais belas poesias em italiano! Este cara existe sim, nas páginas de um livro, é verdade, mas e daí? Seu charme começa pelo seu nome, Professor Emerson Gabriel, segue para seus olhos azuis intensos e termina nos... bem, pra dizer bem a verdade, o magnetismo deste homem não tem fim.
Adorei a leitura do início ao fim. A Julia continua um pouco chatinha, mas a mesma recompensa com uma inesperada recém confiança adquirida em determinada parte do livro.
Dou as 5 estrelas levando em consideração as boas sensações que tive ao lê-lo, sem levar em conta qualquer análise mais 'crítica'.

Aplausos infinitos para Gabriel e suas ótimas referências de música e arte.
comentários(0)comente



Carolina Durães 30/03/2014

"O Julgamento de Gabriel" começa exatamente onde o primeiro livro termina. A princípio temos a sensação de uma eterna lua de mel entre Julia e Gabriel. Os dois não conseguem se desgrudar e a cada vez mais a vida dos dois se entrelaçam.
A situação se complica quando os dois estão na Itália e encontram o professor Giuseppe Pacciani, um acadêmico que conhece alguém muito interessada na história dos dois pombinhos.
Quando o casal volta para o seu cotidiano, Gabriel mostra-se muito possessivo principalmente em relação à Paul. Essa situação ainda se complica um pouco mais com as inseguranças de Julia, que ainda não acredita que pode ser tudo o que Gabriel deseja. Apesar de ser esperado a baixa estima de Julia graças ao seu ex-namorado, a protagonista caí um pouco na mesmice pois as suas lamentações se tornam constante no decorrer da leitura.
Esse cenário demonstra uma certa instabilidade no relacionamento, que os protagonistas acreditam que pode ser resolvida entre quatro paredes. É claro que com todos esses ajustes no relacionamento, mais o fato da carreira de ambos estar na berlinda torna a vida a dois muito complicada apesar do sentimento genuíno entre os dois.
A autora não poupou obstáculos nesse livro: a volta de Christa Peterson e o seu recalque, a Paulina pairando entre os dois e Natalie só dificultam o cenário. E Gabriel também causa mais problemas do que ajuda com a mania de manter segredos com a intenção de proteger Julia.
Um dos pontos positivos da obra foi conhecer um pouco sobre o ponto de vista dos personagens secundários. Em "O julgamento de Gabriel" vamos entender os sentimentos de Paulina, as loucuras de Christa e como Paul está lidando com as novas revelações. O interessante é observar que apesar de termos dois grandes empecilhos na vida do casal, Paulina e Christa, o leitor se solidariza com Paulina ao entender sua história e conhecer suas dores, enquanto acaba sentindo um repúdio ainda maior por Christa.
O segundo livro traz um enredo cheio de mudanças e adaptações, o aprendizado de uma vida a dois e as dificuldades de um casal em confiar um no outro.
Em relação a revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.

"- Para mim seu nome é sinônimo de orgasmo. Vou passá-los a chamar de Emgasmos". (p.46)

site: http://www.adpiagge.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



89 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6



logo skoob
"Diferentemente das redes de relacionamento pessoal, o que importa no site não são as fotos dos usuários ou para que time eles torcem, e sim o que merece ou não ser lido."

Estadão