Música Ao Longe

Erico Verissimo



Resenhas - Música Ao Longe


24 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Vanessa 29/09/2014



"O amor que ainda não se definiu é como uma melodia de desenho incerto. Deixa o coração a um tempo alegre e perturbado e tem o encanto fugídio e misterioso de uma música ao longe..." Erico Verissimo

comentários(0)comente



Paloma 28/12/2013

O que eu precisava naquele momento.
É lindo! Fico imaginando se o Erico passava pelas coisas que a Clarissa escreve no diário.. porque o que eu mais amo desse livro são os pensamentos dela, não parava e anotar frases num papel ou dobrar as páginas pra marcar.. virou um dos meus livros preferidos desde as primeiras páginas. Me identifiquei com a forma como ela descreve a mudança que vê nas pessoas conforme vai crescendo, principalmente em seu pai - ao notar que o herói dela também tinha fraquezas. Ainda não li os outros dois da série, mas não vi problema em começar por esse. É bem sensível e vale a pena ser lido em qualquer idade.
comentários(0)comente



Mariana 26/12/2013

meu último livro do ano. Peguei devido ao autor e gostei. Livro bem simples porém com história interessante.
comentários(0)comente



Petra 26/11/2013

Este livro foi publicado em 1936 e faz parte de uma série de romances escritos pelo autor Érico Veríssimo, que têm Clarissa como protagonista. Desta vez nós vemos a transformação de Clarissa, ela deixa de ser uma menina ingênua para se tornar uma jovem mulher. Tudo isso em meio a uma crise familiar, os Albuquerque vão perdendo seu status social e econômico. A linguagem é toda poética e ainda faz uma crítica à sociedade da época, que vivia o início do governo Vargas.

site: http://naproximapagina.blogspot.com.br/2013/11/coluna-das-irmas-2.html
comentários(0)comente



Juh 14/08/2013

Resenha: Música ao longe de Erico Verissimo
Eu estou completamente apaixonada pelas obras do Erico, ele sabe criticar a sociedade ferrenhamente. Música ao longe é uma continuação do livro Clarissa, mas não se preocupem vocês podem ler música ao longe sem ter lido Clarissa que vão entender perfeitamente.
Clarissa aqui já é uma mulher adulta, professora e que volta para Jacarenga, o avô faleceu, um primo suicidou, a crise financeira atingiu a família e melhorou a situação para os Gambas ( uma outra família da cidade). Clarissa agora percebe que a vida não é a mesma da infância, os amigos que tinha outrora se mudaram, outros já se casaram e Clarissa cada dia que passa aproxima mais do único que restou: O mal caráter da família, o seu primo Vasco.
No decorrer do livro, a narrativa flui rápido e Erico sempre criticando e ironizando com toda aquela sua acidez, que só quem lê seus livros conhece. Enfim o livro é muito bom, e eu só achei o final um pouco sem graça, mas eu recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Babi 15/04/2013

"O amor que ainda não se definiu é como uma melodia do desenho incerto. Deixa um coração a um tempo alegre e pertubado e tem o encanto fugidio e misterioso de uma música ao longe."
comentários(0)comente



Renata CCS 01/02/2013

"O amor que ainda não se definiu é como uma melodia de desenho incerto. Deixa o coração a um tempo alegre e perturbado e tem o encanto fugídio e misterioso de uma música ao longe..." Erico Verissimo
MÚSICA AO LONGE é construída do ponto de vista da jovem professora Clarissa que vive com a família que, de origem rica, está em declínio. Em meio à monotonia de uma cidadezinha pacata do interior gaúcho, Jacareacanga, e da tristeza pela decadência econômica e moral de sua família, a jovem sonha com um acontecimento extraordinário e com seu príncipe encantado. Isto se dará através de sua aproximação crescente com o rebelde e selvagem primo Vasco, que a desperta para o amor. É um livro com toques poéticos, onde o amor da moça nasce e cresce de maneira delicada e vai se tornando mais forte à medida que ela e Vasco se aproximam. Os personagens são únicos e inesquecíveis. O que vemos nesta obra é a vida duma cidade do interior do Rio Grande desfilar em câmera lenta, onde há uma “tristeza indefinida”, que se apodera da protagonista e dos demais membros da antiga e nobre família. A linguagem de Érico Veríssimo é simples e doce, há romantismo e beleza no estilo singelo com que o autor retrata a sociedade decadente e o nascimento da nova sociedade simbolizada por Clarissa e Vasco: mais alegre e mais colorida. Um romance perfeito!
Bárbara 28/05/2013minha estante
Faz muito tempo que li esse livro, mas me lembro que o amei tanto, que por muito tempo estive decidida, de que quando tivesse um filho, lhe daria o nome de ?Vasco?. :D


Mariana Cardoso 07/10/2013minha estante
Senti falta da Clarissa menina, das cores da pensão, de Amaro... em dois anos ficou tudo tão diferente!


sonia 28/10/2013minha estante
Clarice é muito bobinha, não me convence. Prefiro outros livros do autor.




15/07/2012

Tive que ler para fazer um trabalho de escola e tomei gosto pela leitura de romances. Este, em particular, me traz boas lembranças: tirei dez!
comentários(0)comente



Guy 12/05/2012

Histórico de uma família no interior do RS
A obra retrata a decadência econômica e moral da rica e tradicional família Albuquerque, de Jacarenga, interior do Rio Grande do Sul, sob o ponto de vista da ingênua Clarissa .Clarissa tem em seu diário o confidente a quem conta a sua vida, agora professora de volta a casa dos pais nos anos 30
comentários(0)comente



Adriel 11/02/2012

Resenha: Música ao longe
A história do livro é simples, mas o modo que o autor tratou o tema principal (tradição familiar) enriqueceu toda a obra.

Por ser uma Albuquerque, Clarissa, personagem principal, tem que “concordar” com todos os costumes deixados pelo Senhor Oliveiro. Cansada da mesmice, a jovem professora de 16 anos que acabara de se formar resolve escrever um diário. É através de Clarissa e seus escritos que a história se desenvolve.

Os Albuquerques eram a maior família de Jacarencaga, maior não em tamanho, mas em riquezas. Para se ter ideia da importância da família, na pequena cidade havia ruas com o nome da família.

Uma coisa que achei legal no livro foi o momento em que o Vasco, primo e possível paixão de Clarissa, disse que é melhor vivermos um romance do que lermos (romance).

O final é decepcionante, o autor não dá um fim aos personagens. Ninguém sabe o que acontece com Tia Zezé, se Cleonilda casou depois de 12 anos noiva e, por fim, se Vasco namora Clarissa.

Meu personagem preferido é o Velho Leocádio. Ele era um homem que queria ser intelectual, para isso lia uma biblioteca virtual.

A obra recebe esse nome porque para Clarissa o amor é como uma música ao longe; incerto demais.

(Esta resenha foi postada no meu blog: http://www.naomevenhacomdesculpas.com/ )
Ariadne 01/01/2013minha estante
Sou apaixonada pelo Vasco! *____*




Danilis 12/07/2011

Música ao Longe
Bom livro. Não pensei que fosse classificá-lo dessa maneira, mas depois de ler seu prefácio fui forçado a isso. Nele, o autor dizia não esperar muito do livro por ter sido escrito rapidamente (em poucas semanas senão me engano) e ter criado o mesmo apenas pela motivação de um prêmio. Com um começo tão frio logo desanimei quanto ao seu desdobramento. Mesmo assim não deixa de ser um belo livro, pois veio das mãos e mente do grande Érico.
O livro conta a história da família de Clarissa, quer era de uma família de posses, mas que com o passar do tempo foi perdendo tudo que tinha devido à má administração do seu pai, João de Deus. Ele, por estar acostumado à sua vida confortável, não aceita se sujeitar aos outros, trabalhando para eles. Dessa forma o salário de Clarissa, que dá aulas na cidade, tem que ser gasto nas despesas da família.
O livro se desenrola em fatos superficiais que ocorrem na vida dessa família. Conta, por exemplo, sobre como era o passado de Clarissa, brincando com seu primo Vasco e outras crianças da ‘turma’. Essas lembranças se misturam com o presente dela, e criam uma atmosfera de nostalgia e eternas comparações na cabeça dela. Ela possui um diário, onde relata todas essa lembrança, sua visão das coisas e medos, esperanças em geral.
O livro, diferentemente de Um Lugar ao Sol (que estou lendo, uma continuação desse) é muito linear, não entra nos relacionamentos e emoções com a profundidade conhecida de Érico, o que faz da obra um bom livro, mas pouco envolvente.
Mas ainda assim recomendo a leitura dele, pois mostra uma outra maneira de escrever do autor, o que ajuda a definir uma imagem mais real do mesmo. Quando lemos apenas Best-sellers de um autor corremos o risco de nunca o conhecermos de verdade, quais as suas reais características literárias. Por isso recomendo que leiam esse livro, também!
comentários(0)comente



Gláucia 10/03/2011

Querido diário...
Só após tê-lo lido descobri se tratar da continuação de Clarissa, agora mocinha e apaixonada por Vasco, seu primo. Os livros de Erico Verissimo são sempre interessantes por nos contar um pouco sobre o cenário político e social da época.
comentários(0)comente



larissa 10/03/2011

Gostaria muito de ter lido esse livro na minha infância. Ia fazer tanta diferença...
comentários(0)comente



Laura 06/12/2010

"por que será que só somos sinceros pensando?..."
wow, esse é o livro da minha vida, sério. é de uma delicadeza que puta que pariu. na figura dessa Clarissa agora mulher mas ainda de toda a inocência, vai fazendo toda uma descoberta do mundo numa mansidão impressionante, desde a injustiça social e o comunismo até Deus e a Eternidade. em meio ao marasmo e da solidão da vida no interior e à decadência implosiva da própria família, a moça pensa, e questiona as coisas como são, toda tímida. e o Vasco, aaaah, ele é a maior das minhas paixões platônicas! Gato do Mato tão do mato que quando agrada até assusta, dizendo "agora eu sei que você não é como os outros", OWN. li umas 10 vezes desde os meus 12 anos, cada vez com alguma surpresa a mais *-* (cresci tangente ao livro e com tanta força que tenho medo de tentar explicar e estragar tudo)
comentários(0)comente



Caarol 03/12/2010

chato
um livro monótono, sem sal, é a rotina de Clarissa e da família, o livro termina como começou, com uma pequena diferença: Clarissa em vez de odiar o primo agora ama. Mas termina na mesma rotina do começo e do meio. Os livros de Erico Verissimo são assim, rotina, política, e fim se nada extraordinário.
comentários(0)comente



24 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2



logo skoob
"O contato direto com outros leitores incentiva a ler e adquirir livros que nem imaginávamos existir."

Revista Época