O Inferno de Gabriel

O Inferno de Gabriel
4.39034 5280



Resenhas - O Inferno De Gabriel


206 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Caroline 12/04/2013

Clichê, mas e daí?
Primeiro ponto: esse livro tem sido muito comparado a 50 tons, então se a sua dúvida é se ele é um livro hot, cheio de cenas picantes, digo logo que não é! Tem alguns fatos que realmente lembram 50 tons, mas no geral, não tem nada a ver. Ele é romântico e paciente. (Só pra deixar claro, adorei 50 tons, apesar de concordar que é bem mal escrito e repetitivo)

Segundo ponto: cheio de psedo-intelectuais criticando que é um livro clichê. Se você não quer um livro clichê, se apegue aos Saramagos e jamais os largue e ponto final. Se o livro é um romance entre a menina pobre e o menino rico, é clichê; se o final é feliz, é clichê; se um dos dois morre de alguma doença no fim, é clichê. Parece que tudo é clichê hoje em dia. Só podemos ler livros não-clichês?? Já parou pra pensar em quantos livros não-clichês, "bons" são lançados por ano? Um? Dois? Cinco? Bem, a resposta não sei, mas são bem poucos, então essa história de "é clichê, não vou ler" fica pra os que ou só leem clássicos ou para os que se contentam com 5 livrinhos ao ano. Como não é o meu caso, vamos a resenha do livro clichê que eu, absolutamente, amei!!!

Terceiro ponto: enfim, segue a minha opinião!

O inferno de Gabriel é um daqueles livros que você não consegue parar de ler, mesmo sem conseguir explicar bem o porque. Um livro que cita músicas de qualidade, que cita arte e literatura, apenas por isso já merece algum crédito.
O livro é muito bem escrito, tem diálogos longos com bom vocabulário, sem muitas gírias. Cita Dante Aliguieri e seu inferno a cada parágrafo. A analogia entre o amor de Gabriel e Júlia com o amor de Dante e sua Beatriz está presente do início ao fim, o que deixa o livro muito mais rico do que muitos romances do gênero.
Júlia é uma menina inocente, doce, mas também deu seus gritos quando preciso e buscou quase sempre o diálogo como opção para resolver a situação.
Gabriel é seu professor, aquele do tipo temido, rigído e frio. Mas também é do tipo que faz as mulheres suspirarem e tem sua fama com elas. Gabriel tem seu passado sombrio, que lhe atormenta e lhe tira o sossego de viver bem.
Não gosto de dar spoilers, acho que a sinopse já diz muita informação, mas o relacionamento entre esses dois personagens é sutil e ao mesmo tempo forte, é carinhoso e alvoroçado, e é sobretudo paciente.
O inferno de Gabriel mostra (não as primeiras páginas, óbvio!) como se comporta um cavalheiro diante de uma mulher (ou pelo menos como deveria)! Eu sei que é um amor possessivo e que isso não é saudável, mas lembremos que é ficção e que esse é um recurso comumente usado nas estórias para intensificar um sentimento.

É um livro bonito, de um amor intenso e repito, paciente. É um livro gostoso de se ler, faz quem nunca leu Dante querer ler (muitos pontos por isso!) e faz quem já leu querer reler.

O livro não termina daquela maneira que você quer correr logo pra ler o #2 e descobrir algum segredo, já não ficam lacunas a serem preenchidas. Tenho a impressão que o segundo livro, esse sim, será hot e "parecido" com 50 tons, mas vamos aguardar. Por enquanto fica só a ressaca de um romance maravilhoso. Está nos meus favoritos, com certeza.


Caarol Canarim 01/07/2013minha estante
Adorei a resenha Caroline!
Fiquei super curiosa para ler.
Vou esperar um pouco mais pra comprar os dois de uma só vez.

:)


Caroline 01/07/2013minha estante
Obrigada, Caarol.
Espero que você goste!!
;)


Carolina 01/07/2013minha estante
Caroline, que resenha perfeita.
Também não suporto essa desse povo que se acha e chama tudo de clichè. Não gosta, não leia.
Parabéns pela resenha. Não vejo a hora de O julgamento de Gabriel ser lançado!
bjs


Yam 03/07/2013minha estante
Adorei o livro!


Marina 08/07/2013minha estante
Estou lendo e amando. E, Carol, você está certíssima. Sou mais um clichê bem escrito e envolvente que um romance original confuso e amarrado. Parabéns pela resenha. Ficou incrível!
Beijos,
Marina Carvalho
www.escritoramarinacarvalho.com


Day 08/07/2013minha estante
Concordo com vc. E se já estava com vontade de ler o livro agora é que eu vou ler mesmo.
Parabéns pela resenha!!!


Caroline 10/07/2013minha estante
Obrigada, Marina e Day.
Espero que gostem e curtam como eu curti!! ;)
Bjs


Klyssya 13/07/2013minha estante
Muito boa sua resenha, concordo! Um livro apaixonante, uma história bem contada daquelas q vc não consegue parar de ler, foi o q aconteceu comigo, bati meu record de leitura com esse livro, em menos de 30 hrs já o tinha lido por completo!


Marina 16/07/2013minha estante
"O inferno de Gabriel é um daqueles livros que você não consegue parar de ler". Exatamente! Agora eu to louca pra ler O Julgamento de Gabriel D:


Suziane 20/07/2013minha estante
Estava pensando em comprar o livro e depois da sua resenha já tenho certeza disso!
Gostei muito da sua resenha quando fala de livros clichês. Ah se houvessem mais leitores de livros clichês! Acho que todo tipo de leitura é válida. Sempre digo para as pessoas que me dizem que não gostam de ler que, elas ainda não descobriram o tipo de leitura que as fará gostar de ler. Daí a curiosidade se incumbe do resto. Dos romances de banca de revista aos clássicos da literatura o que importa é o prazer , a alegria e a viagem que se tem ao ler.
Quando eu era criança ler gibis era coisa mal vista, leitura de segunda categoria. Hoje meus filhos amam gibis e eu dou o maior apoio. Tenho certeza que serão leitores eternos , pois leem o que gostam!


Nássara 23/07/2013minha estante
Caroline eu AMEI sua resenha, descreveu perfeitamente o livro e esse pensamento, podemos dizer um tanto quanto restrito/preconceituoso que algumas pessoas tem sobre livros clichês.
É um livro bonito, de um amor intenso e repito, paciente. É um livro gostoso de se ler, faz quem nunca leu Dante querer ler (muitos pontos por isso!) e faz quem já leu querer reler. Essa frase resumiu tudo, o simples fato de Gabriel ser paciente o difere do famoso e desejável Christian Grey. Eu não li Dante, mas com o livro me interessei por demais. Vale ressaltar as músicas no livro, eu baixei várias. Novamente, sua resenha foi excepcional.


MisLene 01/08/2013minha estante
Adorei sua resenha....estou lendo e adorando....na verdade devorando....!!


Rosalia 08/08/2013minha estante
Caroline, você falou tudo sobre o livro, achei muito rico, pois tive vários momentos que tive que recorrer a internet para pesquisar um pouco sobre Beatriz e Dante, buscar algumas músicas para ouvi-las, sobre a divina comédia, e amei ter descoberto o poeta americano Cummings. Muitas pessoas quando me via com o livro e olhava o título logo dizia que o livro deveria ser muito erótico e tal, aí eu falava que nãos e deve jamais julgar o livro pela capa, aconselho todos a lerem.... chorei, me emocionei e me enchi de conhecimento...


Kah 21/08/2013minha estante
Carol, amei a sua resenha. Uma amiga minha também indicou O Inferno de Gabriel para mim. Li a amostra do livro de Sylvain Reynard e gostei. Já estou pensando em comprar o livro junto com O Julgamento de Gabriel no meu aniversario. Já li Dante por causa de O Inferno de Gabriel. Vale a pena ler os dois livros de Sylvain Reynard, aguardando o terceiro e o último, A Redenção de Gabriel. Beijos


Kah 26/08/2013minha estante
Sim. Estamos mesmo muito ansiossa pelo o 3° e o último livro de Sylvain Reynard. Meu aniversário já está chegando e já to ansiosa para comprar os dois primeiros livros! Beijos para vc, Carol!


Nycolas 26/06/2014minha estante
Ótima resenha, impecável em todos os detalhes. Gostei muito quando disse que após a leitura do livro "faz quem nunca leu Dante querer ler (muitos pontos por isso!) e faz quem já leu querer reler.". Sabe o que me questiono, o que seria dele sem ela e ela sem ele? Confesso que pensei em desistir, pois Gabriel demorou muito para reconhecê-la, além das revelações que me angustiavam e da demora da preliminar. Mas depois constatei que tudo isso foi necessário e na medida certa para eu me apaixonar e para história deles darem certo. Beijos.


Caroline 26/06/2014minha estante
Obg, Nycolas! O ritmo é lento, mas não tem como não se apaixonar, não é? Já estou com saudades desse livro, acho que vou reler em breve ;)
Bjs


Lu 08/07/2014minha estante
CAROLINE, adorei o que escreveu. É exatamente isso. Ainda não escrevi minhas impressões e o que o livro me fez pensar em meu blog, mas concordo com tudo que escreveu!


Amanda 22/07/2014minha estante
Colega, você falou TUDO!!!!!


Sandra Mika 29/01/2015minha estante
Nossa...rsrs...amei sua resenha...respondeu minha dúvida logo na primeira linha!! Ao contrário de vc , não curto 50 tons, mas tenho curiosidade sobre esse autor...e não sou também pudica a ponto de não aguentar algumas cenas e tal. Mas quero HISTÓRIA, conteúdo...vc entende..rsrs
Vou ler baseado na sua opinião!
Escreve muito bem, parabéns!


paula alessandra 26/03/2015minha estante
Adorei sua resenha.Realmente em algumas partes lembram sim cinquenta tons de cinza.Porém, ele é muito mais profundo.Chego a invejar do amor e do cuidado que Gabriel tem com a Júlia.Estou no final do livro e adorando, loca para ler a Redenção de Gabriel.


Drica 27/03/2015minha estante
O livro é muito bom e com certeza, não tem como parar de ler.


prib 07/04/2015minha estante
Carol...comecei ontem a ler, mas só pela sua resenha já acredito que será um dos meus queridinhos!!!




spoiler visualizar
Taylyne 23/04/2013minha estante
Hahahahaahaha, ri muito! E adorei sua resenha ^^


Gabriela 23/04/2013minha estante
Taylyne, se esse livro tem que servir pra alguma coisa que seja para nos fazer rir....rs


Ariadne 13/05/2013minha estante
concordo totalmente! uma bostaa kkk


Day 08/07/2013minha estante
KKK...KKK...Adorei sua resenha. O mais engraçado é que fiquei com vontade de ler o livro só pra poder rir mais...


Suellen 17/07/2013minha estante
SENSACIONAL!!! RS


Carol 14/08/2013minha estante
Nossa que tédio não sei porque fazem protagonistas tão ruins. Difícil ver uma ktness de jogos vorazes


Flavia 16/08/2013minha estante
Hahahaha também achei a história beeem fraquinha. Pelo amor de Deus, ninguém aguenta mais as virgens, rs. Sem contar que o quanto ele idolatra ela me irritou profundamente. Nenhuma mulher é tão perfeita e inocente assim em seus 23 anos!!!


Marcia Regina 10/11/2013minha estante
kkkkkkk, vc escreve muito, muito bem! Apesar de eu ter gostado do livro, não pude deixar de rir com sua resenha! Hilária!


Mel 24/11/2013minha estante
kkkkkkkkkkk Olha eu achei que era a unica que pensa assim viu. Morri de rir com sua resenha. Eu realmente acho a Julia bem chata e esse lance de Coelhinha é um saco mesmo. Concordo com a Flávia, nenhuma mulher é tão perfeita e inocente assim em seus 23 anos. Até porque de perfeita a Julia não tem nada, né. Pra mim ela é uma chatinha e super submissa. Sylvain quis copiar uma Anastasia, mas exagerou na submissão e melação do personagem, na boa! Parabéns, Gabriela por sua perfeita resenha!


Brubs 10/12/2013minha estante
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Lele 22/12/2013minha estante
Que resenha, hein. Foi muito engraçado! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk'.
Sabe, eu gostei do livro, mas a personagem dele eu odiei por ter essa personalidade frágil. O Simon viu que ela é assim, e acabou fazendo todas àquelas coisas com ela e ainda por cima ela aceita tudo, não pede ajuda, nem nada! Ela mesma procurou por isso...
Eu meio que achei enjoadinho aqueles momentos de afeto entre eles dois, foi muito meloso, algo que não gosto...


Maria 02/02/2014minha estante
Caramba, também tive a impressão de que a qualquer momento apareceria um vampiro, um lobo, e até o próprio tinhoso. Mas não. Vou parar de ler este livro, tá chato.


Tai 20/04/2014minha estante
Concordo plenamente, achei esse livro um porre e para piorar é o melhor livro da trilogia (sim, a louca perdeu tempo lendo os 3). Tive a impressão que era um livro escrito por um amador, me lembrei daqueles romances de banca de revista, só que seria uma grande ofensa compara-los. Enfim, trilogia de Gabriel um dos piores que já li.


Leacs 29/05/2014minha estante
Gente, eu sou uma leitora teimosa! Pra abandonar um livro, ele tem que ser muito , muito ruim... E desse eu desisti faltando umas 50 páginas... E é tão fraco que ainda está aqui na minha estante porque eu me sinto constrangida de doá-lo e correr o risco de alguém ler essa porcaria por minha culpa. E olha que eu gosto bem de um romancezinho água com áçúcar...Arghhh!!!!


Dai 02/03/2015minha estante
kkkkkkkk......muito engraçado! Adorei.


Mirian 07/08/2015minha estante
Adorei essa resenha, tinha lido o primeiro capítulo pela net e pensei que séria muito bom, achei uma mega promoção e acabei comprando os três de uma vez, que arrependimento, o livro e mega cansativo, estou no segundo livro, lendo por raiva de ter gastado dinheiro com eles, sua descrição da personagem está perfeita, ela e irritante.




Fernanda 09/09/2013

Resenha: O Inferno de Gabriel
Resenha: É muito difícil expressar todas as emoções que senti durante a leitura deste livro. Tanto é que demorei quase um mês para terminar de ler. Durante as primeiras páginas fiquei meio deslocada e não gostei nem um pouco da narrativa maçante, e por esse mesmo motivo comecei a ler mais devagar. Porém com o decorrer dos acontecimentos, fui me envolvendo mais com os personagens e me adaptando com a linguagem da trama, apresentando uma própria personalidade. Só que o fato é que realmente quem me incomodou foi a personagem Júlia Mitchell, com seu jeito tímido, inseguro e desajustado, e por ela ser representada de uma maneira tão santificada e ingênua. Enquanto Gabriel Owen Emerson chegou como aquele personagem durão e repleto de problemas e mistérios, e mesmo assim, é muito bem construído e passou uma segurança maior, demonstrando carisma de acordo com sua personalidade forte, instigante e conquistadora.

“ – Vou ser expulso do Paraíso amanhã, Beatriz. Nossa única esperança é que você me encontre depois. Procure por mim no inferno.” Pg. 67

Claro que um dos destaques dessa trama gira em torno das referencias artísticas por Dante e Beatriz de A Divina Comédia do italiano Dante Alighieri, bem como outras referencias de obras, locais, músicas e clássicos diversos. Gabriel é professor de uma universidade em Toronto e especialista em Dante, e logo nota-se que ele esconde algum mistério, exatamente por suas ações contraditórias: as vezes é grosseiro e impaciente e em outros momentos, calmo e romântico. Em muitos momentos, ele se apresenta de maneira explosiva de um modo bem impetuoso com as pessoas a seu redor. Uma personagem secundária que se destacou bastante foi a irmã de Gabriel – Rachel – que praticamente ajudou no desenvolvimento da relação dos dois.

Confira a resenha completa no blog;

site: http://www.segredosemlivros.com/2013/09/resenha-o-inferno-de-gabriel-sylvain.html
comentários(0)comente



Gabi 23/01/2013

Perfeito! Maginífico!
“O Inferno de Gabriel” do autor(a) Sylvain Reynard será publicado pela Editora Arqueiro em Fevereiro de 2013. Desde que a editora informou sobre o lançamento deste best-seller no Brasil a minha vontade de ler esse livro despertou. Principalmente pelo fato de ele fazer parte desta safra de livros eróticos que sempre existiram, mas que despontarem no mercado com a famosa, mas em minha opinião pouco interessante, trilogia de “50 Tons de Cinza”.

Fiquei muito feliz quando recebi da Editora Arqueiro a prova para leitura de “O Inferno de Gabriel” antes de seu lançamento oficial. Muito obrigada Isabella e Editora Arqueiro por esta oportunidade. E é com um coração cheio de amor e já cheio de saudades que trago a resenha do livro para os leitores do Ilusões Noturnas.

“O Inferno de Gabriel” do autor(a) Sylvain Reynard é o primeiro volume de uma trilogia erótica chamada “Gabriel´s Inferno” que conta com dois volumes publicados no exterior e que chega ao Brasil para a alegria das românticas de plantão. Como já li todos os eróticos lançados dessa safra desde o lançamento de “50 Tons” posso afirmar que “O Inferno de Gabriel” é de longe o mais romântico, o mais sensual, o mais bem escrito e o mais rico culturalmente, o mais poético!



“- Não acho que seja muito profissional – começou ela, os olhos repentinamente em chamas.
O sorriso sumiu do rosto de Gabriel e os olhos dele lampejaram em direção aos dela.
- Não, Srta. Mitchell, não é. Não estou sendo nem um pouco profissional com você. Mas acho que não seria apenas uma desculpa se eu disser que queria dançar com a garota mais bonita da boate.
A linda boca de Julia se abriu um pouco, mas então ele a observou apertar os lábios com força.
- Não acredito em você.
- Não acredita que é de longe a mulher mais bonita daqui? Com todo o respeito à minha irmã, claro. Ou que eu, um canalha com o coração de gelo, fosse querer dançar uma música bonita com você?”


No livro, que possui narrativa em 3º pessoa, somos apresentados a Gabriel O. Emrson e a Julia Mitchell. E somos inseridos em um intenso e sensual caso de amor.

Gabriel tem 33 anos e é um renomado, rigoroso e enigmático professor da Universidade de Toronto, é amante da cultura renascentista e especialista em Dante Alighieri. É um homem bonito, sensual, inteligente, rico e obscuro. Portador de inúmeras qualidades, mas também de muitos defeitos. Um homem extremamente esnobe, vaidoso e que já cometeu todos os 7 pecados capitais, principalmente o da luxúria, já que é extremamente sedutor e leva uma vida sem limites quando o assunto é sexo, prazer e mulheres. Gabriel possui um drama pessoal, um passado que não é motivo de orgulho nem para ele e nem para seus familiares. E carregar esse fardo é difícil e complicado e somente o amor e o perdão poderão transformar Gabriel e leva-lo a redenção.

Julia tem 23 anos é uma moça inocente, doce, inteligente, sonhadora e virgem. Ela é bonita e dona de muitos encantos, não é virgem por falta de oportunidade, mas sim por opção. O coração de Julia tem um dono desde os 17 anos e por mais que ela tenha tentado superar essa paixão e se envolver com outros homens nenhum foi capaz de despertar em Julia o que aquele homem do passado despertou. Julia também possui alguns dramas pessoais e muitas vezes se deprecia por conta do seu passado e de sua criação. Inteligente, conseguiu uma bolsa após sua formatura e foi fazer mestrado na Universidade de Toronto. Ela também é apaixonada pela arte renascentista e pelo romance épico e platônico de Dante e Beatriz.

E é assim que Julia se torna aluna de Gabriel e eles acabam iniciando um relacionamento. No início é uma relação aluna / professor, mas logo a relação evoluiu para um caso intenso de amor.

Gabriel e Julia sentem, desde o início, um pelo outro uma atração muito forte, mas Gabriel, por vários motivos, tenta evitar um envolvimento amoroso com ela. Ela é uma doce e inocente menina e ele um professor renomado e pervertido. A relação entre eles seria a ruína de suas carreiras e, para Gabriel, significaria ainda uma exposição de seus mais tórridos segredos.

Porém a atração e os sentimentos de ambos falaram mais alto e eles iniciaram um complicado, quente, envolvente e lindo relacionamento amoroso. O carinho, a cumplicidade, o respeito, o desejo e a sensualidade estão em todas as cenas protagonizadas pelo casal. Gabriel é o pervertido mais cavalheiro e nobre que conheci. Um verdadeiro Dom Juan!



“Quando lhe disse que pretendia venerá-la com o meu corpo, estava falando sério. De todo meu coração. Nunca tomarei nada de você. Só lhe darei. Na minha cama ou fora dela.”


Os personagens são muito bem elaborados e descritos ao longo da história. Personagens secundários complementam a história com maestria. Você torce por Gabriel e Julia, odeia Simon, se encanta por Paul, deseja uma amiga como Rachel, acaba entendendo Paulina e percebe que pais amorosos como Grace e Richard fazem muita diferença na vida de uma criança. Não ouve pontas soltas na história e o drama dos personagens é real e possível de acontecer em qualquer lugar, com qualquer família. O linguajar e a descrição utilizados na história são realistas, mas não são vulgares, o que fazem desse livro um romance quente e sensual de erotismo moderado.

Muito mais que um romance erótico, “O Inferno de Gabriel” é um verdadeiro clássico! Poético, intenso, bem humorado em várias partes e com grande conteúdo cultural. Uma história completa, um romance épico do início ao fim. O autor(a) cita grandes obras de artes e artistas do período renascentista e recebemos grandes explicações sobre Dante Alighieri e a “Divina Comédia”. Além disso, várias obras da literatura, vários filmes e músicas são citados ao longo do livro enriquecendo a bagagem cultural do leitor.



“- Você passou por uma experiência assustadora hoje. É claro que quer se sentir segura, protegida. Isso não é nenhum crime, Julianne. E eu quero ajudá-la, meu amor, você nem sabe quanto. Mas há muitas maneiras de fazer isso. Não precisa tirar a roupa para chamar minha atenção. Ela já é sua. Não tem que fazer sexo comigo para que eu faça você se sentir desejada.”


Gabriel e Julia, Dante e Beatriz, o passado e o presente, pecados e virtudes, sedução, sensualidade, desejo, perdão, redenção, superação e amor verdadeiro. Ao final do livro segredos são revelados, amores são consumados e eu como leitora me emocionei e fui às lágrimas. Gabriel deixou saudades e o desejo de ler a continuação da trilogia em Julho com o segundo volume “O Julgamento de Gabriel”.

Recomendado para leitores ávidos por uma grande, épica, inteligente, quente e sensual história de amor. Sinta você também esse desejo, conheça os segredos e os dramas de Julia e Gabriel e se apaixone pelos personagens e pela obra.

http://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2013/01/resenha-o-inferno-de-gabriel-sylvain.html
Eliza 08/03/2014minha estante
Concordo, adorei este livro, li a serie em uma semana. Não conseguia parar de ler, mal dormia!




Flavia Souza 17/03/2013

O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard (Livro #1)
Um livro que me surpreendeu e me conquistou. Um romance bem escrito que te prende do inicio ao fim e não te deixa para de ler!

Gabriel é aquele tipo de professor que a gente odiava quando estava no colégio / faculdade, ele é inteligente, mas é rigoroso e exigente na mesma proporção. Julia (é o típico clichê ambulante) é bonita, inocente, virgem, foi negligenciada durante toda a vida toda pelos pais e nunca se sentiu amada de verdade, e ama um rapaz que ela viu somente uma vez.
Quando Julia resolve fazer seu mestrado na Universidade de Toronto, seu amor pela Itália e sua paixão por Dante e Beatriz a unem intelectualmente a Gabriel, que se torna o orientador de sua dissertação. Contudo, o relacionamento de Julia com a Rachel, sua melhor amiga e irmã de Gabriel, e mesmo a amizade dela e de Paul, altera o relacionamento professor-aluna que ela e Gabriel mantinham, e faz com eles se tornem mais íntimos.

Gabriel é um personagem bastante complexo, inicialmente é difícil entender porque ele tem algumas atitudes quando suas palavras são sempre tão acidas, mas mesmo no inicio ele realmente faz por merecer estar com Julianne, e suas atitudes são notáveis. Ela por outro lado me incomodou um pouco, por vezes a achei muito cheia de ‘não me toques’ e insegura, o que mais adiante se torna compreensível quando conhecemos mais o passado dela. Alias o passado é tema recorrente neste livro, isso porque ambos os protagonistas possuem passados muito complicados e cheio de experiências traumatizantes.

O livro é longo, são 511 páginas, e embora a narrativa seja fluida, alguns trechos são bastante densos. Contudo não é nada que dificulte a leitura, além disso, o autor optou por uma narrativa bastante poética, de modo que há diversas citações e muitas referências às obras de Dante, bem como a músicas, a arte e a outros livros, o que o torna “O Inferno de Gabriel” um livro bastante intelectualizado se comparado aos demais do gênero.
E com tantas referencias, foi impossível não parar de ler para procurar alguma música citada ou mesmo não pesquisar mais sobre Dante Alighieri após a leitura, aliás, minha vontade de ler “A Divina Comédia” aumentou muito após esse livro.

Fazendo um grande parêntese aqui, é impressionante o cuidado do autor com algumas referencias, bem como a maneira como a história de Gabriel e Julia se une e se assemelha a de Dante e Beatriz sem parecer forçado demais.

Como ponto negativo, diria que o livro é muito longo e o autor desenvolve a estória sem pressa, alias bem devagar mesmo. Isso de certa maneira traz mais veracidade ao romance uma vez que as coisas não acontecem de uma hora pra outra, mas pode cansar o leitor. Outro ponto é fato que alguns personagens, especialmente Christa (eu esperava tanto dela no inicio) e a professora (que não lembro mais o nome), ficaram completamente aleatórios.

Em suma, trata-se de um romance adulto muito bem escrito e cheio de referencias. Um livro que te prende de modo que é impossível parar de ler. Recomento a todos com exceção os menores de 18 anos, pois embora possua poucas cenas explicitas, elas existem e por isso é melhor evitar, aos demais deixo uma pergunta “o que estão esperando para começar a ler?”.


P.S.1: Não considero, nem de longe, “O Inferno de Gabriel” como um livro erótico. Ele tem sim uma ou outra cena mais explicita, mas nada que eu classificaria na mesma categoria que 50 tons ou Toda Sua.

P.S.2: Vi muita gente comparando o romance de Reynard a 50 tons e apontando diversas semelhanças (ambos os protagonistas serem adotados e a questão da comida), mas gente, por favor, né? “O Inferno de Gabriel” tem algumas semelhanças com a trilogia de James, mas nada que valha comparações, in my opinion.

P.S.3: O autor faz muito mistério com relação ao passado dos personagens, e quando finalmente sabemos o que aconteceu, com uma ou outra ressalva, o desfecho é um pouco previsível, mas nada que desmereça o livro. Achei melhor não tocar nesta questão pra não soltar spoiler, mas se você ler com atenção o dá pra perceber que o mistério não é assim tão misterioso.

P.S.4: Embora muita gente tenha se incomodado com o tamanho do livro e com o tipo de narrativa que o autor adotou eu realmente gostei bastante do livro, li ele em dois dias e minha nota foi 5/5. Além disso, o próximo volume da trilogia (“O Julgamento de Gabriel”) que tem previsão de lançamento para julho/2013).

Resenha para o blog Leiturinhas: http://leiturinhas.com/2013/03/13/o-inferno-de-gabriel-resenha/
Karenhia Michel 31/03/2014minha estante
Flavia Souza quais outros livros tipo o Inferno de Gabriel você recomendaria para eu ler.
Já li a trilogia Crossfire, Cinquenta Tons estou terminando o 3° livro da trilogia Luxúria.




Daniela 25/08/2013

Poucos atrativos.
Nunca abandonei nenhum livro, nem mesmo os livros da Anne Rice que quase me matavam com a enrolação. Mas este eu acabei abandonando. Simplesmente não consegui mais aguentar a chatice da protagonista Julia e todas as suas frescuras e inseguranças sem motivos. Ser insegura não é nenhum defeito, mas ao nível daquela criatura eu diria que é melhor ela procurar um analista. Não sei se todas as mulheres pensam assim, mas eu sinceramente não vejo problema no passado de um homem. Se ele saiu com 5, 20, 80 mulheres pouco me importa. Mas para nossa querida Julia é um crime um homem transar com várias mulheres. Como se não bastasse isso, a mulher fica mais preocupada com quem ele comprou buchas de banho ou deixou de comprar (foi exatamente nessa parte que abandonei o livro) do que com a gentileza de ele sair pra comprar café da manhã e deixar tudo pronto para ela se arrumar em sua casa dando passe livre pra ela.
Nem vou comentar sobre corar e ficar olhando para baixo. Muita gente é tímida, eu mesma sou e confesso que coro várias vezes, ainda mais em público. Mas nem por isso travo e fico olhando para baixo. (mais um motivo para Julia procurar um analista, timidez demais é preocupante). Outra coisa que me irritou profundamente foi o fato de ela ficar recusando presentes e dinheiro o tempo todo posando de pobre e orgulhosa. Em minha opinião, tudo o que vem de graça é lucro, então aceite. Aliás, este é mais um ponto que está virando clichê nos livros de hoje em dia. Protagonistas mulheres sem nenhuma personalidade que coram, olham para baixo, mordem o lábio (queria saber que graça tem ficar se mordendo) e recusam qualquer tipo de presente porque acham que isso é ser honesto. Ser honesto é não roubar, mentir, trapacear. Aceitar presente desde quando é não ser honesto ou ser prostituta?
Gabriel quase salva tudo (da mesma forma que Grey em 50 Tons), porém isso não acontece por conta da história ficar mais focada nas babaquices de Julia (até o ponto onde li pelo menos) do que nele em si. Quando peguei o livro e vi que era em terceira pessoa fiquei super animada achando que iria ter um foco bem grande não só na Julia, como também no Gabriel. Mas isso não acontece. (lembrando que pelo menos na parte até onde li).
E por falar em 50 Tons, li em um site (que não me lembro agora o nome) que O Inferno de Gabriel também é uma fanfic de Crepúsculo, portanto, se assim for é mais do que normal as semelhanças gritantes entre os personagens das histórias.
Em resumo, meu abandono foi somente pela Julia e toda a sua infantilidade. Sim, infantilidade, pois pra mim ela é imatura ao invés de ingênua. Está certo que nem todas as mulheres querem ouvir um cara cantando Closer do Nine Inch Nails no ouvido delas, mas criar um trauma todo em cima de uma música é demais. Sem contar que a maioria dos homens são movidos a sexo, então se você é uma mulher estilo Julia que espera que eu cara beije seus pés, te chame de Beatrice (por favor né) sem pedir nada em troca, é melhor você preparar seu estoque de gatos para a velhice.
Taylyne 16/11/2013minha estante
Achei genial essa parte da sua resenha:

"Outra coisa que me irritou profundamente foi o fato de ela ficar recusando presentes e dinheiro o tempo todo posando de pobre e orgulhosa. Em minha opinião, tudo o que vem de graça é lucro, então aceite. Aliás, este é mais um ponto que está virando clichê nos livros de hoje em dia. Protagonistas mulheres sem nenhuma personalidade que coram, olham para baixo, mordem o lábio (queria saber que graça tem ficar se mordendo) e recusam qualquer tipo de presente porque acham que isso é ser honesto. Ser honesto é não roubar, mentir, trapacear. Aceitar presente desde quando é não ser honesto ou ser prostituta?"

Tirou as palavras da minha boca!!


Daniela 20/11/2013minha estante
Mas é, Taylyne. Isso é algo que me irrita ultimamente nos livros de hoje em dia, tem sempre essa coisa de deixar a mulher em sua forma mais inocente. E de tanto fazerem isso, as personagens acabam ficando um bando de lerdas e pamonhas, sem ação produtiva alguma. Sem contar essa mania de deixar as pessoas honestas ao extremo como se fosse a coisa mais bonita do mundo e fosse super comum. Pra mim até virtudes tem limites e eles deviam mostrar isso nas histórias.




spoiler visualizar
The Cat 20/04/2013minha estante
Exatamente!! Livro fraco e incoerente




spoiler visualizar


Taisa 15/06/2015

Se preparando para as pedradas em 3, 2, 1....
Gente que livro ruim!!!! Socorro!! Eu preciso dizer que não consegui ir até o final, fui penando até a metade, mas quando percebi que realmente ele não era para mim mandei para as trevas. Tudo é ruim: os personagens, os diálogos, acontecimentos, cenas de não-sexo, dramas.... TUDO! Vou tetar explicar o que aconteceu...

Esse livro conta a história de Julia, uma estudante universitária que se muda para Toronto com o intuito de fazer mestrado. E nessa mesma Universidade há o Professor Gabriel Emerson, um homem enigmático, frio e que possui um passado marcado pela dor.

A PARTIR DAQUI HAVERÃO SPOILERS PORQUE EU SIMPLESMENTE PRECISO DESABAFAR:
.
.
.
Mas o que o Gabriel não sabia é que eles já haviam se encontrado a 7 anos atrás. Ele é irmão adotivo de Rachel, melhor amiga da Julia. Então certo dia quando ele volta para casa os dois acabam se encontrando, mas ele está completamente embriagado. Na versão dele ela é um anjo, a sua Beatrice de Dante Alighieri em "A Divina Comédia", na versão dela ele é o amor em forma de homem.

Ok, quando se tem dezessete anos você acaba tento umas paixonites meio bizarras, coração acelera, fica com o menino na cabeça por dias, meses, mas 7 anos???? Uma maldita noite com uns beijinhos castos e o cara vai ser o projeto de homem que você quer para sua vida??

E pior, um homem de 27 anos (sim ele é 10 anos mais velho que ela), vai ficar sonhando acordado com um anjo que não sabe se viu ou não, idealizando qualquer tipo de mulher e comparando com ela?? FALA SÉRIO!!

Na boa, não consegui comprar essa ideia, eu juro que tentei, mas para mim não rolou. E não é só isso, a Julia é uma palerma, não há problema nenhum em ser virgem e nem tímida, mas ela não tem personalidade nenhuma. Qualquer um fala e faz o que quer com ela, uma árvore reage melhor ao ambiente do que essa pateta.

Quando o Gabriel descobre quem realmente sua aluna é, eu senti que o negócio ia melhorar, deu uma renovada de esperança, mas foi só ilusão, continuou o mesmo lenga-lenga. Em outro universo ele poderia ser um personagem interessante, mas achei que aqui foi mal trabalhado.

As cenas de não-sexo, sim porque a autora tenta criar um clima sexy mas para mim a Antártida me parece mais quente, são uma tentativa fraca de serem românticas e poéticas, assim como o próprio Gabriel, a todo momento ele é uma tentativa de ser aquele personagem antagônico, romântico e grosseiro, mas essa tentativa é tão ruim que tudo parece deslocado e até sem sentido.

Com todo essa pano de fundo esse livro poderia ter sido maravilhoso, professor/aluna é quase um fetiche, seria um amor proibido, mexeria com alguns tabus. Mas infelizmente foi levado de uma maneira esdrúxula, tiveram momentos que eram para ser considerados românticos e eu perdia o ar de tanto dar risada, tamanha a tosqueira!

E para terminar, o que é o Paul?? Coitado, não sei se sinto mais pena ou raiva dele. Se um cara ficasse toda hora me chamando de "Coelhinha" eu tascava-lhe uma cenoura na cabeça. Cara chato, não se toca.

Já deu para ver que não recomendo né? A nota dele é altíssima no Skoob (4.2), mas nem assim eu falaria para ler e tirar suas próprias conclusões, existem diversas outras opções, a vida é muito curta para se apegar ao que não vale a pena. Se você leu e gostou, mesmo não conseguindo entender como, me desculpe se te ofendi, não é essa minha intenção e até gostaria de saber o que exatamente te fez gostar. Mas eu realmente detestei esse livro!
- See more at: http://leiturasdataisa.blogspot.com.br/2015/06/leitura-o-inferno-de-gabriel-sylvain.html#sthash.WDuOiveD.dpuf

site: leiturasdataisa.blogspot.com.br
Tícia 15/06/2015minha estante
Isso aê!!! Taca cenoura no sujeito!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Concordo, livro bem chato, embora tenha tido boas passagens.


Taisa 15/06/2015minha estante
kkkkkkkk, eu tinha pensado em outra coisa, mas achei que seria mais apropriado tacar na cabeça mesmo....hahahahhahahah


Lori 16/06/2015minha estante
Eu não sei nem como consegui terminar este livro... Foram algumas horas da minha vida que eu nunca mais terei de volta! ;/


Taisa 16/06/2015minha estante
Nossa Lori, pensa na minha surpresa, imaginei que ia levar umas pedradas e aqui estou eu apoiada pelas odiadoras dessa série...kkkkkk




Beatriz 02/03/2013

Eu amei. Os LIVROS são ótimos!
Trilogia maravilhosa.. ops, até agora se encontram apenas 2 livros traduzidos, não faço ideia se o segundo já foi lançado, mas o primeiro sim. Leiam!

Peguei pra ler O Inferno de Gabriel em pdf, assim que terminei a leitura consegui o mais rápido possível (acredite) ir na livraria e comprar-ló.

Eu realmente gostei da historia, acho que realmente foi uma versão doce, romântica, inteligente, de 50 tons, e claro menos erótica que a trilogia mas famosa no momento.
O livro se baseia em um amor proibido, pode se dizer, entre Julianne uma jovem de 23 anos, e o professor universitário Gabriel um homem de 33 anos. Os dois já se conheciam um tempo atrás, Julia era amiga de Rachel, a irmã de Gabriel, e numa noite os dois se conheceram depois de um longo tempo ouvindo falar um sobre o outro.
Quando Julia vai pra a universidade, onde Gabriel é um especialista renomada em Dante, ela reconhece ele, mas ele não, já que na única noite que se viram, ele estava bêbado, e foi o único cara por quem Julia se apaixonou.
Agora, ele sendo um professor universitário 10 anos mais velho que Julianne, e ela sendo apenas uma aluna, irão enfrentar bocado de obstáculos já que por Gabriel ser um professor, a universidade tem suas inúmeras regras de confraternização entre professor e aluno, que por sua vez não permite NENHUM tipo de relação e envolvimento entre os dois. Com isso, continuaram o caso de amor, se envolvendo secretamente sem claro, o reitor ou qualquer um da universidade saber, já que alguém sabendo resultaria na demissão de Gabriel, e expulsão de Julia.
Contudo os dois não irão se separar, vão se apaixonar perdidamente um pelo outro (nha, soa piegas eu sei, mas né) e com isso irão fazer de tudo para continuar a relação; Já que por um lado Gabriel estará disposto a revelar seus segredos e seu passado obscuro, deixando tudo de lado, incluindo todo tipo de vicio, por amor á sua Beatrice. E Julia revelar seu passado intimo e conturbado, incluindo seu ultimo relacionamento amoroso, e seu ódio por sua mãe.
Irão mesmo superar qualquer tipo de problemas, e realmente deixar de lado seu passado envolvido de tristeza e pecados, por amor um ao outro? Hm, leia o livro! rsrs

PS: Já tem o segundo livro da trilogia de ''Inferno de Gabriel'', e obviamente do tanto que estou apaixonada pela leitura dele, eu já li. O segundo consiste no mesmo desfecho do primeiro, a Universidade irá descobrir graças a Christa uma aluna do Gabriel que odeia os dois, que vai acabar prestando uma queixa de assedio entre Gabriel e Julia. E claro vai haver um monte de problemas, julgamentos, revelações, etc. Sem contar nos empecilhos e obstáculos que a relação amorosa de Gabriel e Julia vai se encontrar, os dois terão que lutar por amor um ao outro, e no final fazer TUDO mesmo, pelo bem do outro.
O segundo livro é maravilhoso, sem falar no final, e já estou ansiosa pelo terceiro, que promete ser 3x mais envolvente e bom que os anteriores. Essa resenha é dois em uma, se não percebeste até agora, perceba ok? Quando falei que a trilogia era parecida com 50 tons, não foi totalmente, em alguns pontos se parece demais, em outros nem tanto. É mas pelo fato de ser uma trilogia, sensual, não erótica ok? S-E-N-S-U-A-L, inteligente, doce e bem mais romântica que a outra. Não quero fãs de 50 tons me xingando, até porque não é ofensa comparar as 2 trilogias uma com outra, ambas são maravilhosas, no entanto deixemos isso de lado.

Me encontro ansiosa pelo terceiro livro, leiam!!! Leiam o primeiro, partam pro segundo, e esperem (como eu) pelo terceiro, só não deixem de ler. A trilogia entrou pros meus favoritos!
Recomendo.






Gabi 03/03/2013minha estante
Obrigada por avisar que havia spoiler em sua resenha -,-'


Ieda 04/03/2013minha estante
Oi Bia também li o primeiro e gostei mtoooo, onde vc encontrou o segundo em portugues????




Juliana 01/07/2013

O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard
Na adolescência Julia conhece o homem de seus sonhos. Gentil e carinhoso, ele a leva a um pomar abandonado e lhe apresenta a história de amor de Dante e Beatriz. Acabam adormecendo juntos, ao amanhecer ela se vê sozinha, se sentido abandonada e humilhada, Julia não conta a ninguém sobre aquele encontro, porém jamais conseguiu esquecê-lo.

Anos depois ela vai fazer o seu mestrado na Universidade de Toronto. Sabia que seria obrigada a se defrontar com seu passado, mas nada poderia tê-la preparado para o que aconteceria. O seu professor, arrogante e grosseiro, Gabriel Emerson, não lembra em nada o jovem por quem Julia se apaixonou. E mais, ele não faz a mínima idéia de quem ela é.

Fiquei sem palavras – o que é difícil de acontecer – a leitura é muito boa, os personagens são ótimos, apesar de ter muitas coisas que não gosto em certos livros, aqui se encaixou feito uma luva. Apaixonei-me pelo Gabriel ele é lindo, inteligente, sedutor, tudo de bom! A Julia me irritou um pouco, pra que tanta timidez, eu nunca corei – sério, nunca! rsrsr-. Um dos motivos da minha paixão avassaladora por este livro foi à sensualidade e o romantismo, nada de só sexo! Tem paixão, carinho, devoção, cuidado, tantas coisas, o livro mostra a história de Dante e Beatriz de 1283 e é por esse caminho que a vida de Julia e Gabriel se cruza, o amor floresce no primeiro encontro, porém era necessário amadurecimento de ambos para que pudessem ficar juntos, ou não – nada de entregar o ouro para o bandido -!

O autor ou autora, ninguém sabe muito sobre a pessoa, conseguiu explorar o erotismo e o romance, sem vulgarizar e isso pessoal é a arte de escrever, recomendo o livro sem rodeios e não posso falar muito porque perderia toda graça, acho que muitos vão concordar comigo. Todos merecem redenção, porque pecados todos cometemos, porém é necessário encontrar anjos para nos ajudar, eles estão tão perto é só abrir os olhos para enxergar.
comentários(0)comente



Nadia 31/03/2013

Quem já foi logo julgando e dizendo que este livro entra nos romances eróticos, se enganou. Ele é totalmente romântico, cheio de palavras sedutoras e me desculpem pelo Lados dos livros do sexos na moda, este, não chega nem perto de ser tão descritiva e crua como os 50 Tons'' ou ''Toda Sua'' por exemplo, o livro ta mais pra história da branca de neve. O sadomasoquismo que Gabriel curte  é leve, super leve, e convenhamos, o pobrezinho mau tem chance de se divertir no livro! kkk 
Não quero dizer que o livro seja ruim ou que não gostei, muito pelo contrário, me surpreendeu e muito. É uma história muito sedutora, cheia de conflitos mas que encanta. Estarei aqui esperando o Segundo.
comentários(0)comente



Sueli 13/03/2014

Um Livro Chiclete
Leitores esse é o meu verdadeiro livro chiclete!
E, por causa da imensa onda de marketing da trilogia de 50 Tons, fiquei com certo preconceito em relação aos lançamentos que seguiam na mesma linha. Portanto, estou anos atrasada. Além de muito espantada... Eu não esperava gostar do livro de Reynard.
Fiquei bem intrigada com a minha reação ao livro, mas assistindo a uma entrevista do Michel Teló, onde o cantor justificava o sucesso de suas músicas simples, percebi que o simples é muito interessante, desde que acompanhado de um personagem tão intenso e charmoso (por que não?) como o Gabriel.
Mas, antes de mais nada, preciso dizer que não acredito nem por um segundo no gênero masculino do autor. E, o que me deu quase certeza de que esse gato é lebre, foi a tara de Gabriel por sapatos! Vamos combinar que o macho-alfa é fascinado por pés e não por sapatos, isso é coisa de fêmea com bom gosto!
Sem contar que o estilo da escrita e o texto de O Inferno de Gabriel está muito mais para Diana Palmer do que de George R. R. Martin.
O Gabriel de Reynard é intenso demais, bonito demais, inteligente demais e rico demais. E, aí você me diz que acredita que o criador de um personagem que habita a fantasia de 99% das mulheres do planeta é homem? Nã, na, ni, na, não!
Mas, voltando ao livro, preciso dizer que ele tem um perfume de Inferno, do Dan Brown, já que os personagens principais estão envolvidos no universo dantesco da Divina Comédia, incluindo o título do livro, a comparação constante que Gabriel faz da sua Julia com a Beatriz de Dante, e as referências aos estágios do inferno Alighieri.
Eu gostei do livro, mas não sei se terei gás para suportar um Gabriel tão intenso por mais dois volumes. Portanto, só seguindo em frente para saber, não é?
Lizzy 13/03/2014minha estante
Querida Sueli, como já trocamos figurinhas sobre o livro, passo aqui para reforçar o que falei antes, também tenho dúvidas quando ao sexo do autor. Quanto ao livro, penso que a intensidade de Gabriel muda de foco, por isso achei as continuações bem mais simples, um tanto "over the top" quanto ao romance, leia e depois me conte suas impressões finais. Beijokas


Sueli 18/03/2014minha estante
Lizzy querida, obrigada por me apresentar o Gabriel.
Pois é, sabe que eu tive uma impressão maravilhosa dos livros. Inclusive, achei que eles foram ficando melhores, literariamente falando... Achei que Reynard (seja ele ou ela) ficou melhor... Adorei o terceiro livro, com as cenas bem-humoradas, que deram um tempero gostoso e aliviou um pouquinho a tensão existente.
Lizzy, eu vou morrer de saudades do Gabriel e da Julianne! Não fiz resenha para o segundo livro, mas comentei sobre o terceiro, pois amei a forma holística de Reynard nos apresentar o seu universo místico.
Obrigada, minha ninja!


Lizzy 18/03/2014minha estante
Sueli, a mensagem espiritual do livro é linda, principalmente do terceiro volume, que eu gostei mais do que o segundo. Achei que o autor/autora incrementou muito o romance, açucarando muita a coisa...rsrs, aí deixou as leituras assim, babando, afinal esse Gabriel idealizado só na força do pensamento, não é mesmo? rs Bjs


Rafa P. 28/03/2014minha estante
Sueli adorei a resenha !! Falou tudo, o simples pode ser interessante, desde que bem trabalhado. Esse livro me chamou a atenção desde a sinopse, mas optei por esperar um pouco, pois estou dando um tempo neste estilo de leitura. Mas confesso que sua resenha só aguçou mais ainda a minha vontade de conhecer esse livro.


Sueli 29/03/2014minha estante
Lizzy, minha querida, eu continuo recebendo as notificações de comentários no Skoob de forma muito irregular. Portanto peço que me perdoe a demora em respondê-la, ok?
Então, quanto ao Gabriel, eu mesmo estou absurdamente espantada com a paixão que senti por este homem culto, lindo e intenso. Só mesmo com a força do pensamento! rsrsrsrsrsr
E, mesmo respeitando a sua opinião, a qual valorizo demais, eu adorei o terceiro volume, e fiquei tentando imaginar o motivo, e cheguei a conclusão de que foi o volume onde encontrei um Gabriel mais leve e feliz...
Adorei o bate boca dele com a ginecologista e depois quando ele esqueceu de mudar de roupa para ir para a maternidade...
Eu amo quando os personagens encontram a felicidade e rumam para o infinito e além! rsrsrsrsr
Agora, vou aguardar ansiosa os próximos livros desse autor?autora!
Beijão, minha amiga!


Sueli 29/03/2014minha estante
Oi Rafa, tudo bem?
Sabe, desde que li alguns comentários debochados a respeito dessa trilogia, eu, de cara, descartei a possibilidade de lê-la, mas sem querer passei os olhos pelas primeiras páginas, e pronto! Foi amor à primeira vista. Eu nem dormi até acabar de ler os três volumes.
Eu espero que você goste tanto dos livros quanto eu, e não deixe de me contar o que achou, ok?
Obrigada pela visita!
Beijão




Milena 27/03/2013

Gabriel Emerson merecia uma história melhor!
Aí, o que dizer deste livro...
Qdo digo que o personagem Gabriel merecia uma história melhor, me refiro ao fato de ele ser um homem extremamente enigmático, inteligente, sexy e fechado no seu mundo de pecado nao redimidos, um personagem tão complexo que toma a atenção toda para si, e por isso merecia sim uma história um pouco melhor!
O livro é bem interessante, em paralelo a história de Júlia e Gabriel podemos conhecer um pouco sobre a história de Dante e Beatrice.
Achei que o desenrolar da história foi um pouco lento...
Não sei o que dizer sobre Júlia, acho que é porque ainda estou com as características de Anastasia Stelle na minha cabeça e por isso estou rejeitando personagens femininas incapazes de ficar em pé sem cair, no caso de Júlia ela nao consegue manter nada nas mãos sem derrubar...acho exagerada a forma como construíram essas personagens tornando-as tão frágeis a ponto de fugir da realidade.
Já o personagem Gabriel, ahhh esse foi uma bela surpresa....um homem bonito, inteligente, misterioso, sexy e seguro de que é tudo isso, achei muito interessante que mesmo que a história dele seja cheia de traumas e de erros, ele é muito seguro de si, presunçoso de uma forma que nao irrita...ele sabe o poder que tem sobre a mulheres.
Encontrei alguns indícios dos cinqüenta tons...porém foram colocados de forma sutil, ao meu ver nao precisava, teria tornado a história mais original.

O livro nao tem nada de erótico, o que enriqueceu a história, trazendo para o relacionamento de Gabriel e Júlia a sensualidade sentimental encontrada nos relacionamentos onde o sexo é feito com amor! Sim, fica mais a cargo da nossa imaginação, aqui tratou- se mais daquele frio na espinha dos casais apaixonados e nao simplesmente de tesão e sexo em si.

Vale a pena ler esse livro, já tenho o segundo em pdf mas a tradução ta ruim pra c***!!!

Comparando Gabriel x Cristian Grey...acho que um Gabriel poderia perfeitamente existir, enquanto que o Cristian Grey acho que não! Gabriel é muito mais humano, e muito mais interessante!

Gabriel carrega o livro nas costas!
comentários(0)comente



Grazy 23/06/2013

A história me prendeu devido aos segredos dos protagonistas, que vão aos poucos sendo descobertos. Gosto de livros que me prendem assim, que me fazem querer ir para casa para lê-lo, ou carrega-lo para todos os lugares para ler sempre que possível.
Achei o livro bem escrito, bem desenvolvido. Ele é escrito em terceira pessoa e não em primeira, como é a onda desses livros mais recentes que li. Para mim foi uma historia sensual e mais culto devido a todas as citações de clássicos literários, às obras de arte, às discussões filosóficas dos temas e Dante e tudo o mais.
Ele me irritou mais ou menos pela metade, por toda a relação do romance, e como o Gabriel depois de mostrar sua face de “demônio” , por ter sido muitas vezes cruel com ela, passa a ser muito mais atencioso e apaixonado, quase meloso. E Julia, me irritou por toda lenga lenga “ai sou virgem”. Mas a irritação durou umas cem paginas e depois passou. Talvez por esse motivo e pela personalidade mais “bondosa e tímida” de Julia, eu vi muitas pessoas a comparando com a Anastásia de Cinquenta Tons de Cinza. Ela LEMBRA como personagem mesmo, eu também cheguei a pensar nessa semelhança enquanto lia, mas O Inferno de Gabriel tem um enredo mais desenvolvido e melhor escrito. Os livros se assemelham no romance apenas, porque de uma forma ou de outra é a mesma fórmula de romance clichê. Mas como eu gosto dos romances clichês porque são uma ótima distração, fiquei irritadinha por algumas paginas mas depois passou. Vi pessoas achando ele incoerente e sem sentido. Para mim foi normal e tranquilo, uma história como qualquer outra, ela faz sentido se você mergulhar nela e entender as dúvidas e os sentimentos dos personagens.
O livro te deixa com vontade de ler todos os clássicos que ele cita e ouvir todas as musicas. Baixei a playlist dele assim que terminei de ler e pretendo dar uma revisitada nos clássicos literários no futuro.
Outra coisa que me lembro de ter pensado enquanto lia é que os últimos romances que li, e que tem sempre essa mesa fórmula, moça inocente, cara mais velho, um ou outro ou ambos cheios de traumas, problemas e segredos, eram todos mais fúteis, sem um pano de fundo mais elaborado, e por isso pensei: esse deve ser diferente porque é escrito por um homem. Mas acabei de me deparar com pessoas reclamando que tem certeza de que é uma mulher utilizando o pseudônimo, por que eles sentiram isso na escrita. Bom, eu pensei justamente o contrario, achei mesmo que tem uma característica mais masculina. Então fica aí a duvida sobre a realidade do pseudônimo de Sylvain Reynard.
Ele é um livro sensual, e não erótico. Foi uma ótima leitura. Lerei a continuação com certeza.
comentários(0)comente



206 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"O contato direto com outros leitores incentiva a ler e adquirir livros que nem imaginávamos existir."

Revista Época