A Christmas Carol

A Christmas Carol
4.21182 203



Resenhas - A Christmas Carol


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Talita.Chahine 21/01/2016

O melhor conto de natal
Sem palavras , nada como ler o conto que fez parte da sua infância e ver como é emocionante ler as palavras que inspiraram os melhores filmes de natal !!!
comentários(0)comente



Helena Eher 05/01/2016

Lindo!
Um conto de Natal foi escrito por Charles Dickens e publicado pela primeira vez no dia 19 de dezembro de 1843, ou seja, há 172 anos! O autor levou 6 semanas para escrever esse livro, durante as quais escreveu intensamente, só parando para caminhar por Londres nas primeiras horas da manhã. Menos de duas semanas depois de concluído, o livro foi publicado e vendeu as 6 mil cópias impressas até a véspera do Natal.

Tantos anos depois e a história continua viva! Acredito que é um dos contos natalinos mais conhecidos que já foi inúmeras vezes adaptado e recontado por filmes, desenhos e animações.

A narrativa é sobre Ebenezer Scrooge, um homem ranzinza, solitário e avarento que detestava o Natal e as pessoas em geral. Não tinha amigos e não se importava com isso. Tinha dinheiro, mas não gastava nem para seu próprio conforto, muito menos para ajudar alguém que precisasse.

Até que em uma véspera de Natal, o espírito de seu sócio, que já havia falecido, o visita e avisa que ele será visitado por outros três espíritos para que não sofra após sua morte, como aconteceu com ele mesmo.

E assim acontece. Scrooge é visitado pelo Fantasma do Natal Passado, do Natal Presente e do Natal Futuro e tem a oportunidade de ver sua vida, e a de outras pessoas que conhece, por uma visão mais ampla e mais profunda.

Li o livro em inglês (ele já é de domínio público e pode ser lido de graça aqui ou aqui) e adorei! O livro é curtinho (160 páginas) e em português teria lido bem mais rápido, mas em inglês havia várias palavras e expressões que precisei consultar, por ser uma linguagem de outra época. Ainda assim, valeu a pena ler a história como foi escrita pelo próprio Dickens.

A narrativa é toda muito bem construída, as cenas são bem descritas sem serem cansativas. Há um humor que permeia alguns comentários do narrador e que tornam a leitura ainda mais leve e agradável.

Acho muito legal a experiência de ler um conto simples de um autor tão grandioso! Mostra que a beleza da literatura e da leitura pode ser encontrada em diferentes tipos de textos e com diferentes tipos de linguagem.

Recomendo a leitura dessa história que nos faz refletir e nos aproxima do clima de Natal!

site: http://leitoranaholanda.com.br/2015/12/31/resenha-um-conto-de-natal/
comentários(0)comente



Fimbrethil Call 26/12/2015

Bom
Bom, um livro inspirador e cheio de moral.
comentários(0)comente



Milena 11/09/2015

A Christmas Carol
Ebenezer Scrooge era um tremendo pão-duro, um velho mesquinho, “unha de fome” e ganancioso. Não se podia arrancar dele a menor faísca de generosidade, era solitário e fechado como uma ostra. Além disso, achava o Natal uma grande bobagem!

Era véspera de Natal e após trabalhar muito foi para casa descansar. Mal sabia ele que naquela noite uma grande surpresa o aguardava: a visita de seu ex-sócio, Marley. Mas tinha um pequeno detalhe: Marley estava morto. O espírito aparece para Scrooge na tentativa de ajudá-lo a se libertar das amarras na vida terrena, para que possa viver em paz na eternidade, diferente do que aconteceu com ele.

Para que isso realmente ocorra, como última chance, Scrooge receberá a visita de três espíritos: O Fantasma do Natal Passado, o do Presente e o do Futuro e, a partir de então, sua vida nunca mais será a mesma...

A leitura desse livro mostrou a excelência da literatura de Charles Dickens. Mesmo tendo sido criado há muito tempo, o conto que mistura realidade e fantasia é atemporal, visto que atravessa gerações, permanecendo sempre real e tocante. Chamando a atenção do leitor para assuntos como a miséria de boa parte da população advinda da Revolução Industrial, Dickens trabalha os extremos: a riqueza e a miséria, a generosidade e a avareza, a felicidade (mesmo que com pouco) e a tristeza (mesmo que com muito), a vida e a morte.

Estou completamente apaixonada! Super indico!

site: http://albumdeleitura.blogspot.com.br/2015/08/eu-li-e-voce-29.html
comentários(0)comente



Henrique 08/05/2014

hey, Scrooge.
finalmente li um Dickens! escolhi começar pelo A christmas carol(1843) já que é o menorzinho, e não me arrependi.

Esse livro é uma -triste- história de natal, porém, muito linda. Charles Dickens escreve extremamente bem, há muita descrição (num inglês badass arcaico), e sabe como envolver o leitor na história. emocionante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



JuliaBrasileiro 15/02/2011

É bem mais detalhado que o filme - do Jim Carey -, porém o filme e o livro são muito parecidos. As únicas partes que se diferenciam mais são o fato de no livro não existir o par romântico do Scrooge, e no livro ele não corre da morte (o ultimo fantasma), pelo contrario, conversa com ele como conversou com os outros fantasmas - só que ele não responde - deixando claro, porém, que é do ultimo fantasma que ele mais teme.
comentários(0)comente



Miin 09/02/2010

Um Conto de Natal

Esse livro é um clássico da literatura mundial. Escrito pelo inglês Charles Dickens para pagar suas dívidas. Existem muitas traduções desse livro no Brasil, sendo a mais correta "Um Cântico de Natal"[/Mas eu resolvi usar a do meu exemplar, que é 'Um Conto de Natal'].
A história é sobre Ebenezer Scrooge, um senhor que não gosta do Natal. Ele trabalha em um escritório em Londres, com seu empregado Bob Cratchit, um homem pobre, mas feliz, que tem grande afeição por Tim, um menininho que tem problemas nas pernas.
Na véspera do Natal, Scrooge recebe a visita de seu ex-sócio Jacob Marley, que havia morrido sete anos atrás. Jacob diz que seu espírito não pode ter paz, por ter sido avarento durante a vida, mas também diz que Scrooge ainda tem uma chance, e que por isso três espíritos o visitariam.
O primeiro espírito chega, um ser com uma luz que emanava de sua cabeça e um apagador de velas embaixo do braço. Ele se apresenta como o Espírito dos Natais Passados, que leva Scrooge de volta no tempo e mostra sua adolescência e o início da sua vida adulta, quando Scrooge ainda amava o Natal.
Scrooge se entristece com com as lembranças, colocando o chapéu na cabeça do espírito, para ocultar a luz que emanava de sua cabeça, fazendo com que o espírto desapareça.
Scrooge se vê de volta à seu quarto. É quando o Espírito do Natal Presente aparece, na forma de um gigante risonho com uma coroa de azevinho e uma tocha na mão. Ele mostra para Scrooge as celebrações do Natal presente, inclusive a celebração de seu humilde empregado, Cratchit, aonde Scrooge vê que, apesar de pobre, a família Cratchit é feliz e unida.
No final da 'viagem', o Espírito revela sob seu manto a figura de duas crianças com rostos terríveis, a Miséria e a Ignorância, e diz à Scrooge que os homens devem ter cuidado com elas, então parte.
O Espírito dos Natais Futuros é uma figura alta, envolta em um manto escuro, que esconde seu rosto, deixando à mostra somente uma de suas mãos.
O Espírito não diz nada, mas aponta, mostrando á Scrooge uma morte solitária e sem amigos.

Na manhã seguinte, Scrooge acorda como um novo homem, tornando-se amável e generoso, celebrando o Natal com mais entusiasmo que qualquer um.

--

A leitura desse livro é leve e gostosa, te dando a impressão de um conto infantil, o que não deixa de ser. Porém, em qualquer idade esse livro apresenta a mesma mensagem bonita. É um livro bonito e que aconselho a todos.
scicilla 12/03/2012minha estante
tem um pouquinho de spoiler nessa sua resenha, mas parabéns, foi bem sucinta!

Realmente esta obra é a mais conhecida de Dickens e a mais leve de todas.




8 encontrados | exibindo 1 a 8