Killing Sarai

Killing Sarai
4.60681 529



Resenhas - Killing Sarai


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Tamy 16/03/2015

Singular
Se você está a procura de um YA neste livro, desista, ao contrário de Entre agora e o nunca esse livro trata de temas mais sérios e polêmicos como o tráfico de garotas e a corrupção praticada obscuramente pela elite da sociedade, além é claro de assassinatos a sangre frio. Entretanto encontra-se uma envolvente e improvável relação de apego emocional entre os protagonistas de características únicas, que você sem perceber já se encontra envolvido por esse "romance".
Eu realmente me surpreendi com esse livro, é algo diferente e muito envolvente, a caracterização das personagens é ótima, nos faz entender seus pensamentos e sentimentos que se desenvolvem ao longo da história.
comentários(0)comente



Izabella 15/02/2015

Suuuuper intrigante!
Este livro me surpreendeu por sua singularidade.. muito diferente dos outros livros do mesmo gênero. Redmerski tem o dom de surpreender com a narrativa! É maravilhosoooo :)
O livro nos conta a história de Sarai, uma menina/mulher que passou parte da vida aprisionada em um complexo de drogas no México, servindo como escrava sexual de um traficante. A história dela é de força, garra, mentira, manipulação e, notadamente, VINGANÇA.
Sarai sempre quis fugir do complexo e vê essa possibilidade quando encontra Victor, um assassino cruel, sangue frio e, principalmente, que parece não ter coração ou sentimentos.

A história se desenrola em torno desse casal estranho, cada um com suas peculiaridades.. no início com ódio e depois com uma paixão (que nenhum dos dois quer admitir).
Enfim, para não dar spoiler, só posso recomendar muuuuuuito essa leitura!
Eu me apaixonei porque foi um dos livros mais intrigantes e diferentes deste gênero. A continuação é 'Reviving Izabel' e é muito surpreendente.
O casal descobre que, apesar das diferenças, tornam-se melhores quando estão juntos.
A-DO-REI!!!
comentários(0)comente



Lori 06/01/2015

Eletrizante, sombrio e viciante
Drama. Suspense. Sexo. E ação. Killing Sarai traz tudo isto envolto numa estória de amor não convencional que certamente embaralha as barreiras do certo e do errado. Ele toma vida em um mundo onde sequestro, escravidão sexual e assassinato a sangue frio perfazem o quotidiano de seus personagens. E a intensidade e a originalidade de seu enredo fará com que você torça pelo “cara-mau”. Porque aqui o nosso herói é um bad boy no sentido estrito da palavra.

A narrativa conta a estória de Sarai, uma garota de vinte e três anos, que há nove é prisioneira, no México, de um traficante de mulheres chamado Javier. Sarai não chegou a ser sequestrada. Ela foi entregue a Javier pelas mãos de sua própria mãe. Sem nunca ter conhecido o pai, ou ter qualquer família próxima, ela sabia que ninguém nunca a procuraria. Por anos, Sarai acreditou que suas chances de escapar daquele lugar com vida eram praticamente nulas. Isto até ela descobrir que o mais novo visitante de Javier é um americano.

Victor mata pessoas por dinheiro. Isso mesmo, ele é um assassino de aluguel que foi treinado desde a tenra idade de oito anos de idade. Apesar de Victor nunca matar inocentes, eu não posso dizer que um traço de seu carácter seja simpatia ou remorso pelo próximo. Em verdade, a primeira impressão que eu tive foi de que ele perdeu parte de sua humanidade há muito tempo.

Contudo, Sarai vê em Victor a sua chance de finalmente escapar daquele inferno em que ela vive. Seu plano é se esconder no carro de Victor e esperar que ele a leve para os EUA. O problema é que Victor vê Sarai como uma ameaça. E ele não está nem um pouco interessado em ajuda-la... Pelo menos de início.

Para meu grande espanto, foi impossível não me deixar cativar pelo nosso herói. Eu o achei tão intrigante! Sempre no controle, sempre um passo à frente. Inteligente, calculista, eficiente, frio, mas sempre com aquela pontada de algo mais... lá no fundo eu sabia que ele possuía um quê mais profundo, mais humano.

De início, foi difícil dizer qual era a dele, o que faz sentido, já que eu acredito que até mesmo Victor estava confuso quanto aos seus próprios sentimentos. Ele encontrava-se constantemente dividido entre fazer aquilo que ele havia sido treinado para fazer a vida inteira, e que fazia sentido dado o mundo em que ele foi criando, e o que a sua consciência estava lhe dizendo. E algo em Sarai aos poucos foi abrindo seus olhos...

Victor não deveria se importar com Sarai.
Ele certamente não podia se apaixonar por ela.
Mas, talvez essa seja e primeira coisa da qual a sua tão controlada pessoa não pudesse controlar...

Eu não consigo nem descrever o quão surpreendente e imprevisível esta estória foi. Foi praticamente impossível colocá-la de lado. E eu só o fiz porque estava lendo durante as férias com duas crianças pequenas demandando atenção 24 horas do dia.

O livro se desenrola numa séria de terríveis acontecimentos que são engenhosamente desenvolvidos. As cenas são um tanto gráficas, mas em hora nenhuma eu me senti chocada. Esta não é uma estória de amor propriamente dita, mas ela é lindamente executada.

Killing Sarai é eletrizante, intrigante, sombrio e completamente viciante. O final não é exatamente um Chiffhanger, mas ele definitivamente me deixou ansiando pelo segundo livro.
Mariane 07/01/2015minha estante
não vejo a hora de lançar aqui no BR :xxxx


Lori 08/01/2015minha estante
Parece que ele será publicado em fevereiro!




Phaela 10/12/2014

ENCANTADORAMENTE sombrio, viciante e eletrizante...
Killing Sarai é um livro sombrio, viciante, eletrizante... Essa história prova como do pior de dois seres humanos, ainda pode sair algo bom. Mostra que ninguém é totalmente mau, ou totalmente bom! É principalmente sobre duas pessoas que passam por cima de muitas coisas para sobreviver.
Victor é um assassino sangue frio profissional que resgata Sarai, involuntariamente, das mãos de um traficante de drogas que a mantinha como escrava. A partir de então Sarai está disposta a tudo para ser livre, mesmo que isso não esteja nos planos de Victor, que parece não se importar com o que acontece com a moça, e só quer devolve-la ao traficante... A partir daí minha gente, é só tiro porrada e bomba, literalmente!!!
Mas não pense no clichêzinho que "o bandido se apaixonará pela mocinha" pq aqui não há mocinhas e mocinhos... Ninguém é inocente! Mas talvez até seja, mas acredite acontecem tantas reviravoltas que até o final do livro, não dá pra saber se Victor ama Sarai, ou se se ele vai matar a Sarai, se Sarai vai matar Victor, se ambos vão viver ou morrer... E se Sarai está com síndrome de Estocolmo, afinal ela se apega ao primeiro cara americano que ve, mesmo que este aponte constantemente uma arma pra sua cabeça! E então uma decisão surpreendente, de Sarai, que eu não vou dizer! Tem muita coisa pra rolar, depois dos tiros das porrada s e das bombas, vem o drama de "somos quem somos"
Sarai é uma personagem coerente, não trai o leitor, como quando o autor quer criar conflitos e faz com que os personagens tome atitudes estúpidas que não condizem... Não, o autor respeito nossa inteligência!
E essa coerenca é tão forte, que voce conseguirá entender e aceitar positivamente o final da história, que não é o padrão "felizes para sempre" mas é um final que eu gostei muito! E sobrevivi à ele! rsrs E deixa espaço para continuações, e para o leitor imaginar outras possibilidades... Mas não pense que não há um final! Sim o livro tem final! E não, não é triste!
Enfim, o livro não é muito previsível, é cheio de emoções a flor da pele, tem toque dramático que não pesa nem cansa, mas instiga, e tem uma tensão sexual também entre Sarai e Victor que é delicioso de se ler, não há sexo apenas por sexo, desproposital só para apimentar o livro! Há uma relação construída e com sentido! Tudo isso faz com que ler este livro seja algo simples e natural.

Enrolei para ler este livro, mas quando peguei pra ler, foi em uma noite! Adorei
comentários(0)comente



Mônica 26/03/2014

Incrível
Adorei a narrativa! O livro flui e quando vc vê as 396 páginas passaram e deixaram gostinho de quero mais! Recomendadíssimo!
comentários(0)comente



Gina 03/03/2014

Sarai tinha apenas 14 anos quando sua mãe a levou para viver no México, em um quartel de drogas onde morte, violência e estupro fazem parte de seu dia a dia. Nossa história se passa nove anos depois disso, com Sarai ainda presa, sob as ordens de Javier. Até que um dia um homem americano aparece no complexo e ela vê sua chance de escapar. Ela foge, se esconde no carro do homem, aponta uma arma para sua cabeça a ordena a ele que dirija até os Estados Unidos. Mas seu plano dá errado e Victor - que é o nome do nosso americano - a tem como refém e vai usá-la como um objeto de troca e negociação.

"[...] você vai pelo menos me dar uma arma?" Silêncio filtra através do espaço entre nós. "Você vai?" Pergunto novamente, agitando esse silêncio. "Isso vai me dar uma chance de lutar. Ou eu vou matar Javier ou a mim mesma, mas vou morrer sabendo que eu tentei."

Como a maioria das resenhas só diz isso, eu vou dar mais alguns detalhes. Durante o livro, Victor tem que proteger Sarai para quando chegar a hora, ele a usar para negociar com Javier. E isso acaba aproximando os dois. A pergunta que eu me fiz durante boa parte do livro foi: "Qual é a tua, Victor?". Victor é um assassino profissional, que foi treinado a vida inteira para matar. No começo do livro ele me irritou bastante porque ele não falava nada e você tinha que tentar descobrir sua história e isso foi frustrante. Porém na metade você já começa a entender a história dele e preencher as lacunas. A única coisa que você não entende até as últimas páginas é o que ele quer com a Sarai. Uma hora você pensa que ele só quer usá-la para conseguir o que quer, outra hora você acha que ele realmente se importa com ela e têm horas que você não faz ideia do que pensar.

"Eu a abraço forte. Desajeitadamente. Porque eu nunca fiz isso antes. Eu nunca passei por este tipo de tristeza e dor e teria sido o único que seria esperado para me ajudar a consertar isso. Minha mãe era a única que tinha me segurado assim quando eu era um menino e não me lembro do jeito que eu senti."

O romance entre Sarai e Victor é o mais complexo que eu já li. No começo ela odeia ele, ele não se importa com ela, depois ela começa a se sentir segura com ele, e ele protege ela - ou você pensa que é isso. O jeito que o relacionamento deles se desenvolve durante o livro é incrível porque a evolução é devagar, em pequenas etapas. Se tem uma coisa que J.A. Redmerski sabe fazer é desenvolver romances. Outro fato é que nossos protagonistas não são adolescentes. Sarai tem 23 anos e Victor é até mais velho que ela, talvez 30 anos, segundo Sarai. A idade dele não é revelada nesse primeiro livro.

"Isso vai contra tudo o que eu sou, Sarai." Ele diz e, em seguida, beija-me. "Não, não vai." Eu sussurro e beijo de volta. "É você tornando-se mais quem você realmente é."

Outra coisa que eu amei é que esse livro é eletrizante, não têm como você largar ele até ter terminado aquele capítulo ou no meu caso, o livro inteiro. As cenas de ação são bem maiores que as de romance e te fazem querer gritar com os personagens.

"O que você fez comigo?" Ele diz.
"Eu ia te perguntar a mesma coisa."

Se você procura um livro com um romance fofo, um pouquinho meloso ou coisa do tipo, esse livro não é pra você. Victor é um assassino profissional e Sarai conviveu com violência e morte a vida inteira então digamos que eles não fazem um casal fofo. As poucas cenas de romance entre eles são bem mais intensas, sem diálogos melosos e isso não acontece logo no começo. Já quem gosta mais de ação, sangue, assassinato e um pouquinho de romance vai amar o livro. Eu geralmente leio romances mais melosos mas não tão melosos então foi uma mudança muito grande pra mim ler esse tipo de livro. E eu acabei descobrindo que eu amo esse tipo de livro também.

"Eu não sou seu herói. Eu não sou a outra metade de sua alma que nunca poderia deixar nada de ruim acontecer com você. Confie sempre em seus instintos primeiro, e em mim, se você escolher, por último."

Uma coisa que me surpreendeu bastante foi o seguinte: você passa o começo inteiro do livro torcendo para acontecer tal coisa e ela acontece só que não no final como eu imaginei mas sim na metade do livro. Depois que isso aconteceu eu fiquei meio perdida, me perguntando "E agora?". Mas a outra metade acaba sendo melhor que a primeira.

"Mas você fez outra coisa que ninguém nunca poderia ter feito." Suas características amolecem e meu coração está derretendo lentamente. "Você fez-me sentir emoções reais. Você me destravou."

A evolução de Sarai durante o livro é o mais perceptível. No começo ela era uma garota indecisa, sem saber o que fazer com sua vida ou para onde ir. No final do livro, ela é decidida e sabe exatamente o que planeja fazer. Nesse pouco tempo com Victor ela cresce mais do que cresceu durante os 9 anos em que ficou presa.

"Você está errado." Ela se opõe. "Eu temo tudo. O que o amanhã irá trazer e se eu vou estar viva para ver o fim disso. Tenho medo de Javier ou de qualquer outra pessoa entrando por aquela porta e me matando enquanto eu durmo. Tenho medo de nunca ser capaz de viver uma vida normal. Eu nem ao menos sei com o que o normal se parece mais."

Sobre a escrita da autora: eu já estava acostumada com o jeito de escrever de J.A. Redmerski que é totalmente incrível. Fiquei muito feliz quando eu vi que ela usou o mesmo esquema que em Entre o Agora e o Nunca, deixando Sarai narrar algumas cenas e Victor outras. É demais poder enxergar pelo ponto de vista dos dois protagonistas. Ela escreve no presente, por exemplo: "Eu entro por aquela porta e me viro, bem à tempo de vê-lo apontar a arma para mim." (essa não é uma frase do livro). Isso te deixa ainda mais animado para ler o livro porque tanto você quanto o personagem não sabem o que vai acontecer em seguida. É como se aquela cena que você está lendo estivesse acontecendo naquele momento e você estivesse presente. Além disso a escrita dela é super simples, tem bastante palavrões e é fácil de compreender.

"Eu acho que agora eu sei o que se sente quando uma pessoa que passou metade de sua vida na prisão é libertada de volta para o mundo. Eles não sabem o que fazer com si mesmos, eles não sabem o que fazer para se adaptar à sociedade. Eles constantemente olham por cima do ombro. Eles não porem dormir por cinco horas ou acreditar que eles podem escolher o que comer e quando comer."

O livro ainda não foi lançado no Brasil mas a Suma das Letras vai lança-lo ainda esse ano, junto com a continuação, Reviving Izabel. Eu li o livro por pdf, quem quiser baixar, clique aqui. A autora disse que serão mais de dois livros (esses já lançados nos eua), então talvez seja uma saga grande, para minha alegria.

site: http://morethanbooksbr.blogspot.com.br/2014/03/resenha-killing-sarai.html
comentários(0)comente



Jéssica 17/12/2013

Uma Boa Leitura
O livro traz um romance bem diferente e me surpreendeu por não foca em certos dramas e virar clichê. Sarai mostra-se uma personagem de varias faces no começo um pensei nela como uma menina frágil marcada pela violência e que simplesmente abaixava a cabeça a atos cruéis para sobreviver, mas com o continuar da leitura pude perceber que ela era mais complexa do que parece.
Logo no começo eu percebi que teríamos um romance, primeiramente eu imaginei essa garoto como alguma síndrome de abandono, pois ela conseguiu se apaixonar pelo "primeiro" americano que ela viu em tempo, claro que ela não percebeu isso, oque sempre acontece, mas não conseguia se desgrudar dele e por mais estranho que pareça ela resolver que não iria abandona-lo mesmo ele sendo um assassino de aluguel, que não é bem um assassino de aluguel já que trabalha em um organização. E como não poderia faltar isso ele também se apaixonou por ela.
No livro também vamos encontrar dramas familiares envolvendo tanto Sarai quanto Vitor e o dele dará uma pitadinha a mais para o livro. Bom é melhor eu parar por aqui antes que eu acabe contando tudo que acontece no livro...
E por fim apesar de sim o livro ter algumas partes que para mim não são tão originais o livro se mostro como um todo bem supri endente.

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Juliana 27/10/2013

Killing Sarai
Aos quatorze anos Sarai foi levada por sua mãe a um lugar onde nenhuma criança deveria estar, crescer no meio de drogas, abuso sexual e assassinatos não foi uma opção, mas ela sobreviveu. Nove anos se passaram e quando um americano aparece, ela vê nele sua chance de escapar e viver normalmente. Porém Victor é um assassino desde criança, treinado para não ter sentimentos, e quando Sarai decide colocar uma arma em sua cabeça, ele não sabe se quer matá-la de uma forma lenta e dolorosa ou rápida.

Com esse livro J. A. Redmerski mostrou que veio para ficar, com uma trama extremamente envolvente ela me ganhou, mas se vocês acham que vão encontrar flores e corações nesse livro estão totalmente enganados.

Sarai aprendeu a ser forte da pior maneira e deixou de lado seus sentimentos tornando-se uma pessoa fria, quando vê a sua chance de escapar e ser normal ela aproveita, o problema é que Victor não quer salvar ninguém e é tão frio quanto Sarai.

- Eu não sou seu herói. Eu não sou a outra metade de sua alma que nunca poderia deixar nada de ruim acontecer com você. Confie sempre em seus instintos primeiro, e em mim, se você escolher, por último.

O que me impressionou nessa leitura é que tudo acontece em seu tempo, sentimentos ocorrem naturalmente sem pressa. O casal se completa, ambos quebrados e com uma bagagem bem pesada para carregar, mas quando estão juntos algo acontece, uma mudança na alma! Apesar de a leitura ser forte - e te deixar com os nervos a flor da pele – a autora consegue sim colocar o romance na trama, e minha gente quando isso acontece é algo inexplicável.

Com o tempo Victor percebe que quer arriscar tudo, e manter Sarai segura se torna sua missão. Num mundo onde as pessoas podem matar e sentimento é sinônimo de fraqueza, eles precisam tomar decisões difíceis para sobreviver.

comentários(0)comente



Mi 07/09/2013

Kiiling Sarai (In the company of killers #1)
Victor: "Temo que eu não seja bom em ser um ombro para chorar."
Sarai: "Então no que você é bom?" Pergunto. "Além de matar pessoas, é claro."

O motivo de querer ler KILLING SARAI foi 90% porque foi a J.A. Redmerski - a mesma autora de ENTRE O AGORA E O NUNCA - que escreveu. Como amei esse livro, tinha muitas expectativas em cima deste novo livro. E não me decepcionou em nada.

Diferente dos livros do gênero que tem por ai, KILLING SARAI é tenso do primeiro capitulo ao último. Em 100 paginas já tinha acontecido tanta coisa que fiquei pensando no que mais poderia vir. Posso dizer que mesmo amando ENTRE O AGORA E O NUNCA, creio que em KILLING SARAI a autora melhorou muito sua escrita. A narrativa flui perfeitamente, em momento algum tornando a leitura cansativa.

O livro conta a história de Sarai que desde os 14 anos vive presa num quartel de drogas, no México, junto com outras garotas no meio de estupros, torturas e mortes. Nove anos depois, agora com 23 anos, Sarai vê uma oportunidade de fugir e acaba parando dentro do carro de Victor, um assassino de aluguel, frio e calculista. Sarai não lembra mais de como é uma vida normal e suas atitudes demostram uma garota forte e corajosa, mesmo que tenha uma alma ferida por todos esses anos de cativeiro.

Victor, apesar de não ser o mocinho convencional, acaba conquistando a gente. O mais legal do livro é isso. Você tem que ter a cabeça aberta pra fugir do que é o certo. Por que, como gostar e torcer por um cara que é um assassino? O conflituo de Vitor, ajudar Sarai a voltar para os Estados Unidos ou utilizá-la como barganha, mostra que lá no fundo Victor pode ter, sim, sentimentos. E apesar de sua frieza, ele vai aos poucos chamando atenção de Sarai e de quem lê.

Apesar de ser um gênero New Adult e ter, claro, o desenvolvimento de uma relacionamento entre os dois e até algumas cenas mais quentes, o livro foca na fuga, na vingança e na descoberta de Sarai sobre o que quer dá vida agora que há a possibilidade, mesmo que seja pequena, de ter uma vida. Isto é se ela conseguir sair viva, pois o nome do livro, em tradução livre é "Matando Sarai".

O final, claro, nos deixa SUPER curiosos pela continuação. E "REVIVING IZABEL" (Tradução livre: Revivendo Izabel) será lançado nos EUA dia 10 de dezembro de 2013. Já quero pra ontem!!! rs


"Como alguém pode passar a vida tão clandestinamente, sem emoção, tão desapegado por alguém ou alguma coisa? Quando eu olho nos seus olhos eu vejo alguma coisa lá, embora adormecida e completamente indistinto, eu sei que ele está lá. E é poderoso. Quero entendê-lo, senti-lo, prová-lo em meus lábios." - Sarai

"Sou grata por.. tudo que fez por mim. Acho que no final nada disso vai realmente importar, não salvar minha vida ou poupa-la. Mas eu sempre serei grata a você."



Caroline 07/09/2013minha estante
Parabéns pela resenha, Mi! Fiquei curiosa, mais um pra listinha :)


Mi 08/09/2013minha estante
Thanks! ^.^
Recomendo demais! Muito bom.




Reeh Ribeiro 25/08/2013

Nossa, não posso mentir que esse livro me pegou pela capa, mas ao contrário do que acontece muito, NÃO FOI UMA DECEPÇÃO!
Eu amei a história, de verdade.
Sarai foi levada por sua mãe quando tinha 14 anos para um traficante de drogas no México, um traficante muito poderoso.Lá ela ver Victor, e nele sua chance de finalmente escapar daquele lugar, assim ela foge, e se esconde dentro do carro de Victor, e é aí que começa a jornada deles.
Eu tenho que dizer que adorei a Sarai, ela é tão forte, por tudo o que ela passou, mas ao mesmo tempo uma garota que só quer encontrar seu lugar no mundo, e isso a deixou muito humana para mim, porque acho que é esse o sentimento que qualquer um que passou pelo o que ela passou teria.Mas ela não é daquelas mocinhas que fica chorando pelos cantos, ela quer e vai atrás e não tem medo do perigo.
Victor, apesar de ser frio e impassivel no começo, logo vai criando laços com Sarai, que mesmo ele tentando MUITAS vezes se livrar dela, não consegue.E com isso ele vai mostrando seu lado mais humando, e nós entendemos as suas maneiras conforme vamos descobrindo mais sobre seu passado.
Podemos dizer que Sarai e ele são vítimas das coisas que eles viram e passaram e não conhecem nada além daquilo.
Achei os diálogos muito bem escritos, tanto internos quanto externos, os cenários das cidades, e também o modo como o relacionamento deles foi se desenvolvendo, eu particulamente tenho uma implicância com relacionamentos instantaneos, e o modo como o deles foi se desenvolvendo aos poucos, me agradou bastante, a tensão está sempre ali entre eles, até um momento que ela explode.
É um livro violento,intenso,cheio de adrenalina, que me vez virar a noite, por que eu realmente não fazia a mínima idéia do que poderia acontecer, e isso não é comum comigo.
Recomendo totalmente para todos!
comentários(0)comente



Ione 24/08/2013

Adorei!!!!!!!!
Adorei o livro!!!!!!!!!!!

Uma história envolvente e interessante...
Sou suspeita porque gosto de histórias com suspense, rsrsrsrs.
Mas devorei o livro e fiquei com raiva, contente, me fez refletir, e entender a complexidade de seus personagens e o melhor de tudo o livro é imprevisível!!!!!!!!
Estou aguardando o desenrolar da história no próximo livro da trama, mas não fiquei no desespero pelo próximo quando o livro acabou porque há uma finalização bem interessante...
comentários(0)comente



Paula 23/08/2013

Achei bem diferente desses romances aguados que tem por aí. É uma história intensa, com muita ação, frieza, e sentimentos conflitantes. O início do livro é meio confuso mas depois que você entende o que está acontecendo e toda a trama começa a se desenrolar você fica preso na história da Sarai, que durante nove anos foi cheia de violência e abuso, ela nunca teve para onde fugir nem a quem recorrer. Victor não é o mocinho perfeito, o grande salvador, nada disso, ele é o anti-herói, um assassino profissional, que até tenta se livrar de Sarai, mas... Os dois são profundamente "estragados" em relação a sentimentos e confiança, e sem aquela melação típica dos romances constroem uma relação possível dentro de tudo que já viveram e estão vivendo, e relação dos dois acontece aos poucos, nada de amor instantâneo (embora seja previsível), mas tem um final bem realista (sabendo que tem continuação). Eu achei um barato ler um livro de romance com personagens que estão distantes da minha realidade(mas que podem muito bem ser reais), parece enredo de filme de ação eletrizante.
comentários(0)comente



flavia 18/08/2013

Amei
Simplesmente Perfeito e Eletrizante!! Impossivel parar de ler!!
comentários(0)comente



Nanda Guion 06/08/2013

Killing Sarai - J.A. Redmerski
Antes de começar a falar sobre a história, eu só posso dizer que nada do que escrever será o suficiente para dizer o quanto esse livro é maravilhoso !

Killing Sarai me envolveu tanto, que a única coisa que pensava quando não estava lendo era: eu preciso terminar para ver como é o final !

Sarai é uma jovem de 23 anos, que durante sua infância foi entregue pela própria mãe a um traficante de drogas mexicano, desde então é cercada pela morte. Durante o tempo que Sarai passa confinada se deixa ser corrompida pela vida que a rodeia: assassinatos, estupros e escravidão. Ela aprende a sobreviver com a esperança de um dia conseguir fugir do inferno que a aflige.

E depois de anos de tortura, quando um assassino americano é contratado a negócios ela finalmente encontra uma chance de fugir e a agarra.

Victor é um homem que mata a sangue frio, e não sente o minimo de culpa por isso. Mas a partir do momento que o vê, ele passa a ser sua única esperança.

Eu amei cada personagem, até mesmo os vilões. Suas personalidades são marcantes, cada um tem a sua própria maneira de se destacar no livro. E isso é realmente incrível pois poucos autores conseguem capturar a essência de cada personagem e passá-las para o leitor e Redmerski conseguiu fazer isso com maestria !

Sarai e Victor são de longe meus personagens preferidos, eles são o casal mais intenso que já vi. É fascinante ver o jeito que eles lidam com suas emoções, parece que irão colidir com uma bomba a qualquer momento.

Os lugares fluem na imaginação perfeitamente, a escrita de Jessica é divina e te conquista no primeiro momento.

O livro é narrado tanto por Sarai quanto por Victor, o que nos permite ver os dois pontos de vida e torna tudo ainda mais fascinante.
Como o livro é um New Adult, há cenas super quentes em Killing Sarai, o modo como a autora desenvolve o relacionamento dos dois é muito bom. Eles não tem aquela dependência que a maioria dos casais tem, de ficar perto um do outro o tempo todo, Victor e Sarai sabem que na situação que se encontram a morte é sempre uma possibilidade.

Isso tudo deixa o livro eletrizante, e o leitor fica ansiando pelo que irá acontecer em seguida. A escrita de Redmerksi evoluiu nesse livro, percebemos que está mais madura e experiente.

Aiai Victor... Victor. Eu sei que é ridículo falar isso, mas acho que me apaixonei por um assassino kkkk.

Tudo é perfeito: personagens, lugares, os conflitos te fazem devorar página após página. É incrível, então a única coisa que digo é: você precisa ler ! Killing Sarai não é 5 estrelas, é 100000 :)
comentários(0)comente



Deisiane 31/07/2013

Espetacular!
Das história do gênero, esta é uma das melhores! Os personagens são intensos, cativantes, e você torce pelo mocinho que nem de perto é bonzinho...
Uma história muito bem contada, de duas pessoas que tem muito para enfrentar ainda, e vai ser um prazer ler a continuação!
Está na lista dos favoritos!
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15



logo skoob
"Diferentemente das redes de relacionamento pessoal, o que importa no site não são as fotos dos usuários ou para que time eles torcem, e sim o que merece ou não ser lido."

Estadão