Peça-me O Que Quiser ou Deixe-me

Megan Maxwell



Resenhas - Peça-me O Que Quiser ou Deixe-me


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Patricia 25/11/2013

Excelente!!!
Trilogia Peça-me O Que Quiser

Já faz um tempo que não faço resenha dos livros que leio, estou sem tempo até para ler, imagine então para fazer resenha. Mas dessa trilogia fiz questão de fazer, ela merece e eu devo isso a ela. Desde que foi lançado o primeiro livro e eu soube dos jogos sexuais do livro, bati o pé e disse que não ia ler. Tentaram me convencer, diziam que eu ia gostar, mas eu me recusava. Quem me conhece sabe que adoro livros com muito sexo, sexo selvagem, com muita sacanagem, muita paixão, homens que são verdadeiros deuses, apaixonados por meras mortais e por ai vai... Daí me diziam: Pati, leia, é a sua cara. É do jeito que você gosta. E eu, me sentindo insultada respondia: Tá louca???? Eu nunca vou gostar de um livro que o homem compartilha a mulher dele. Eu gosto de homem ciumento, possessivo. Não vou ler de jeito nenhum, me recuso!

O tempo passou e o assunto morreu. Hum! Morreu o que? Aparece um tal de Bjorn que deixa todas as mulheres enlouquecidas. E quando pergunto quem é ele, me respondem: É o amigo com quem Eric compartilhava Jud. HÃ???? AMIGO???? NÃO!!!! Agora é que não leio mesmo. NUNCA!!!!

Nem preciso dizer que esse NUNCA não durou muito tempo né? Uma amiga queria ler o livro do Bjorn, mas como ela não tinha lido Peça-me ainda, teve que ler todos os livros até chegar em Bjorn. Ela falava (quando falava né? Porque ela sumiu enquanto tava lendo!) do livro de um jeito que foi me despertando o interesse. Mas eu não sou uma pessoa fácil e volúvel, então resisti. Resisti o máximo que pude. Dois dias! Comecei a ler escondido, sem coragem de dizer a ninguém. A intenção era ler sem que ninguém soubesse, nas já na primeira página me apaixonei pela Jud e suas loucuras. Eu tentei não comentar, tentei guardar só pra mim o que eu estava sentindo, mas não deu. Resisti. Resisti mesmo! Tipo assim... uns 10 minutos, e ai não aguentei, contei que tava lendo rsrs, eu tinha que gritar pro mundo que eu estava amando o livro.

Para começar tenho que dizer que eu estava completamente enganada. Eu estava com preconceito e por isso não queria ler. A trilogia me surpreendeu, em todos os sentidos.

Mas vamos lá, a história é a seguinte: Eric é alemão e é um homem frio, poderoso, rico e com preferências sexuais não convencionais. O pai morre e ele assume a direção da multinacional da família. Numa visita a sede da empresa em Madri, conhece Jud, uma espanhola linda e espontânea que trabalha em sua empresa e desperta o seu interesse imediatamente. Ele se aproxima e deixa claro que só quer sexo, e sexo do jeito dele, do jeito que ele gosta. É pegar ou largar! Ela resiste uns 2 minutos, mas acaba cedendo. Desse modo eles começam a ser relacionar, o que era só sexo, passa a ser algo mais. Jud é encantadora, divertida, inteligente e Eric, mesmo sem querer e sem admitir, se envolve. Ela nem se fala, desde que teve os 2 minutos de dúvida e acabou cedendo, já tava na dele. O relacionamento segue com muito sexo (de todo tipo), muito ciúme, muita falta de confiança, muita briga, intriga, segredos, separação, sofrimento, reencontro, mais sexo, revelações, declarações de amor, momentos lindos e emocionantes, momentos engraçadíssimos e outros momentos de tirar a paciência de um monge budista, conflitos familiares, problemas de saúde, mais brigas, mal entendidos, teimosia, separação, momentos que nos dá vontade de matar os personagens, reconciliação, mais sexo, muito sexo, momentos lindos, momentos engraçados, ciúme, desconfiança, intrigas, sofrimento... cansou???? Eu não! Foi isso que fez com que eu não conseguisse parar de ler um segundo. Durante a leitura ri muito, chorei, esquentei, suspirei, sofri, me desesperei com a frieza, intransigência e orgulho de Eric no livro 1 e quase enfartei com a Jud sendo irracional, inconsequente e orgulhosa no livro 2. Até chegar ao final, a série despertou em mim sentimentos que vão da tristeza à alegria e da irritação extrema à euforia, e me fez ir das lágrimas às gargalhadas.

Eric. Gostei dele, mas não me apaixonei perdidamente. Nem sei dizer o porquê, não há um motivo especial. No livro 1 ele me irritou muito pela forma de lidar com os problemas, não deixar a Jud falar, se explicar... Ainda por cima sumir e não dar notícias... Ele demonstra que gosta dela, mas é muito orgulhoso e cabeça dura. Mas no decorrer da história ele aprende a ceder, a escutar, a aceitar. No livro 2 ele passa a fazer tudo por ela, só não cede naquilo que ele considera perigoso e arriscado. E não é a toa, afinal ele passou por maus bocados com a morte da irmã. E no livro 3 nem se fala. Até o que ele considera perigoso ele aceita.

Jud. Nossa! A Jud é uma bomba! Ela é o melhor da trilogia. Arrasa com suas loucuras, seus pensamentos e suas pérolas. Ela é muito intensa, alegre, espontânea, amiga, honesta, justa, corajosa, impulsiva, briguenta, estourada, etc e etc. Com ela é 8 ou 80, não tem meio termo não. Eu simplesmente AMEI a Jud, quero ser amiga dela. Claro que teve momentos que eu tive vontade de enfiar a cabeça dela numa privada. Ô bichinha teimosa!!!! Mas, ao mesmo tempo em que tinha vontade de matá-la, não conseguia ficar com raiva dela...

No livro 1, eu a apoiei totalmente, mas no livro 2, putz! Ela fala um monte de absurdos, põe palavras na boca do Eric, tira conclusões erradas e toma decisões péssimas. Terminei o livro emocionalmente esgotada. Não consigo entender como a pessoa opta por sofrer ao invés de ser feliz só para não dar o braço a torcer. Mas assim como Eric, ela amadurece, e no livro 3 dá show. Aprende a ficar de boca fechada, a controlar seu lado impulsivo e desafiar Eric deixa de ser o seu esporte predileto. E ela prova que amadureceu mesmo quando Eric está em Londres. Se eu já gostava dela, depois disso ela se tornou a minha mocinha predileta!

Além de tudo o que eu já disse, ela é boa, tem um coração enorme. O Susto é um exemplo disso. Assim como a sua relação com o Flynn, suas atitudes com relação a ele e a forma como ela trata o Norbert e a Simona. Ela mudou o Eric, a vida dele e sua relação com a família. Como ele mesmo dizia, ela foi o que melhor aconteceu na vida dele.

Ela me fez rir muito. Gargalhar. A Rachel, a Martha, a Sonia e a Graciela não ficam atrás de jeito nenhum. Todas loucas. Gente!!! E a novela Loucura Esmeralda? Sem comentários elas assistindo e chorando. Ri muito! A Luz, sobrinha dela é uma louquinha. Quando crescer vai ser igual a mãe e a tia. O pai dela, o Manuel, é um fofo. Que pai! Mas também chorei com ela, em vários momentos. Chorei junto com ela, chorei por ela e chorei com a beleza do seu coração e das suas atitudes. E não! Não estou grávida! kkkkkkkkkkkk

O interessante é que, apesar do atrativo da série é o fato de ser hot, isso foi o que menos me marcou. Tá! Tudo bem, não vou mentir. Fiquei com aquelas cenas na cabeça? Fiquei. Dormi e acordei pensando nelas? Sim!!! Mas não me surpreenderam, pois eu já sabia que teria muito sexo. Ou melhor, me surpreenderam. E muito! Me surpreenderam por serem boas. Creio que cerca de 85% (não estou certa quanto a esse percentual, pois as cenas dos jogos são mais demoradas, então não tenho uma noção muito boa) das cenas de sexo são só com o Eric e a Jud. Mas o que eu me peguei ansiando loucamente foi pelos 15%. Genteeeeee, é estranho, no início fiquei de boca aberta, mas depois entendi que o Eric sente prazer compartilhando a mulher dele com outra pessoa, ele sente prazer em vê-la sentindo prazer. E Jud entendeu isso também. Entendeu tão bem que passou a apreciar tanto quanto ele. Ou mais! kkkk Eu sei que é contraditório, mas mesmo ele compartilhando ela, ele é possessivo, ele cuida dela, ele tem ciúme. Na verdade os dois são ciumentos e possessivos como casal, mas ao mesmo tempo são liberais durante o sexo. Para ser bem honesta, gostei mais dos 15% que dos 85%. Inclusive, gostei muito mais que os jogos de BDSM, que são mais comuns nos livros. Eu só não sei como ela conseguia andar no dia seguinte... kkkk Ah! Não posso esquecer as cenas com o Bjorn, ahhhhhhhhhh Bjorn... O Bjorn é perfeito (lembrando que ainda não li Surpreenda-me), e as cenas dele com a Jud e o Eric são ótimas. Mas continuando, o que eu queria dizer é que o que mais me marcou, o que me surpreendeu foi como a história é engraçada, emocionante, como valoriza as relações familiares e as relações de amizade. O quanto Jud e Eric se amam e do quanto precisam abrir mão para ficarem juntos. Abrir mão de convivência com a família e amigos, preconceitos, orgulho, liberdade, medos, inseguranças, convicções, passado...

Enfim, a Jud é linda, o Eric é lindo e possuem uma família linda. Tudo é lindo! rsrs Me apaixonei mesmo pela história. Eu amei os livros, a leitura é ótima, envolvente, divertida. Dou 5 estrelinhas para a trilogia e RECOMENDO demais a leitura ;)

Livro 1 Peça-me O Que Quiser
Livro 2 Peça-me O Que Quiser Agora e Sempre
Livro 3 Peça-me O Que Quiser ou Deixe-me
Erycka 08/04/2014minha estante
NOSSA!!! Adorei sua resenha, tipo de todas que já li, a sua resenha foi a melhor. Adorei, meus parabéns e me deixou muuuuuuito curiosa pra ler essa trilogia.


Genilton 28/09/2014minha estante
Excelente resenha msm. No inicio me assustei um pouco e no fim aprendi a separar (junto com a jud) o relacionamento dentro e fora dos jogos. Me apaixonei por cada personagem. Ri mt e tb senti mt raiva dela e do Eric. E o Fyn defendendo a mamãe hahahaha. Enfim essa trilogia entrou para minha prateleira de livros q lerei novamente. Eu os li tão rápido q estão novinhos em folha....nem parece q alguém leu.




Bianca 22/11/2013

Peça me o que quiser? Que eu não tivesse perdido tempo!
Definitivamente, não tenho nada contra literatura erótica mas ultimamente os que tenho lido são péssimos (minha opinião), a trilogia de Megan Maxwell entra nessa lista! A história é repetida: mocinha se apaixona por milionário dono de empresa, homem em questão que não quer compromisso mas muda quando conhece a protagonista. Ambos tem que enfrentar diversos contratempos, inclusive uma ex ciumenta, para ficarem juntos. Familiar para vocês? Nesse o casal é a espanhola Judith Flores e seu chefe, o alemão Eric Zimmerman. A história se passa no eixo Espanha - Alemanha, e confesso que esse aspecto eu adorei. Estamos acostumados com cenário Americano e quando vemos algo novo, eu tenho que aplaudir. Mas acaba aí!Eric é adepto de todos os tipos de sexo: voyers, troca de casais, menages, swings, sexo entre pessoas do mesmo sexo, entre outros. Eu, antiquada e careta que só, fiquei enojada com a capacidade de Eric de "oferecer" a mulher para qualquer um, apesar de que prefira jogar com o melhor amigo Björn (que ganhou livro próprio "Surpreenda-me"). O alemão é totalmente instável sentimentalmente, mesclando momentos de carinho com momentos de pura ignorância. Judith é uma mulher independente mas vira um turbilhão com os altos e baixos do Sr Zimmerman. Ela se importa em ser maltratada/posta para escanteio pelo rapaz somente por alguns momentos, mas é só ele chegar perto que "o corpo dela clama pelo dele" e ela esquece tudo. Incrível!
O casal é puramente sexual, que é o único lugar no qual eles concordam plenamente e imediatamente. Outra coisa cansativa é o fato deles romperem o tempo inteiro, um casal ioiô para ninguém por defeito. Eles terminam em média de 2 vezes por livro, sério! Além da desconfiança surreal de Eric, mesmo sendo adeptos dos tais "jogos". Sem esquecer que eles, durante esses momentos, só podem beijar um ao outro ("sua boca é só minha e a minha é só sua) mas sexo oral tá permitido!Depois de ver todo mundo comentando nos grupos literários, eu decidi dar uma oportunidade. Eu não gostei! Eu não recomendo! Recomendo tacar fogo nesse tipo de livro que menospreza tão fortemente a mulher, tornando a mesma como uma peça a ser jogada pelo companheiro quando quer e bem entender.
MAS para quem gosta de tais jogos sexuais, essa trilogia é para você. Pode ler sem medo e receio. Se joga que não irá se arrepender!

site: http://literalialista.wordpress.com/
Lu Bandeira 16/04/2014minha estante
Bianca... concordo com vc. Achei MUITO doido esse livro, e para o meu gosto e minha opinião achei totalmente sem noção. Tb senti como se eu tivesse perdido o meu tempo.
Respeito quem goste e se identifique com o livro, mas esse lance de compartilhar não é comigo. E pior ainda ela ter pedido para outro homem fazer sexo oral nele. Fiquei chocada!!!




Ana Carolina 13/10/2014

Megan fofa!


Esse último livro da trilogia me deixou emocionada , com saudades , com vontade de quero mais . Agora os protagonista estão muitos mais maduros e sabem o que quer ,mas nem sempre é assim, se não , não seria Jud e Eric.
No começo è maior love ,gente estranhei mesmo . Porque vocês mesmo lembram essa trilogia é pior que novela mexicana um vai e volta brigas e intrigas. Agora com um. Amor mais sólido esse livro veio pra mostrar como o amor deles é lindo !!
Tá eu eu sei fui a primeira a falar que Jud é uma otária e Eric um babaca por dar tanta patada em Jud. Mas quer saber ?Quem nunca foi assim, engolir sapo e deixar pra lá? O marido/namorado fala uma coisinha boba no ouvido e pronto já perdoamos.
Nesse livro perdoei totalmente a Jud ,porque vi o lado dela e muita de nós somos assim vamos falar a verdade .
Eric, por sua vez, nesse livro está tão romântico que muitas vezes me peguei falando aaaaa que lindoooo.
Claro que você vai ver as brigas do casal que são clássicas mais nada muito intenso que nem foi nos outros livros , pois é , o sexo também.
Mais espera aí Ana não tem sexo ? Tem sim claro eles são explosão pura . Acho que de tanto do povo reclamar acho que a autora deu uma freada nesse livro. Mas continua as brigas ,sexo calientes, mas não como antes :/
Nesse livro também vamos ter uma prévia de Bjorn e Mel , esse casal acho que vai ter mais brigas que o casal Eric e Jud estou doida pra ler .
No final juro que me emocionei, ri e chorei e senti que a autora deu um final correto e lindo como merecia Jud e Eric . Uma trilogia para amantes ,que sempre vai ficar no meu coração, que venha o Bjorn :D
Aaaa e é pra se espantar ,mas no final senti falta das orgias kkkkkk prometo nunca mas reclamar senhora Megan ;)

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2014/10/resenha-peca-me-o-que-quiser-ou-deixe-me.html
comentários(0)comente



Thalita 22/06/2014

De cara, digo que dos três livros este último foi o que mais me agradou. A história continua sendo muito piegas e, em até certos pontos, extremamente chata, pois não gostei muito desse jeito explosivo e orgulhoso da protagonista Judith Flores. Talvez essas características dela não fossem tão irritantes se ela não estivesse muita das vezes errada.

"Peça-me o Que Quiser ou Deixe-me" nos mostra o desfecho da relação entre Eric Zimmerman e Judith Flores. Como é de se esperar desde o início da trilogia, os dois ficam juntos ao final. No entanto, boas surpresas aparecem para selar ainda mais a relação entre Eric e Judith.

O casal é a concretude daquele ditado que diz "os opostos se atraem". Não obstante, achei que a relação dos dois em muitos momentos foi muito forçada, fazendo com que a história fosse muito clichê. Um alemão frio que se apaixona por uma espanhola esquentada; a exigência de uma confiança, quando muitas das vezes qualquer intriga que aparece no meio do caminho é motivo de separação; brigas bestas e personagem piegas e tradicionais que aparecem em qualquer novela mexicana.

Neste livro, novas cenas picantes aparecem, no entanto, não mais com tanta intensidade do que nos dois primeiros livros.

O livro é o melhor dos três, na minha opinião, não obstante continue achando a história em si muito piegas.

site: http://thalitalindoso.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Tami 25/02/2014

Muito, muito, muito, mas muuuuito boa essa trilogia!
Eu estou completamente apaixonada por esses livros. Essa autora Megan Maxwell escreve muito bem, e cá entre nós, ela sabe como terminar com chave de ouro uma história e não deixar nada no ar!
Os três livros são escritos em primeira pessoa, já me conquistou por ai, e depois não tem só sexo, swing e orgia... Diferente de Cinquenta Tons de Cinza, na minha humilde opnião, tem muito mais história neles. A autora descreve casos na família de Jud Flores e Eric Zimmerman, que muitos que ler vão pensar, “nossa igualzinho na minha família”!
A Jud é uma mulher como outra qualquer, bem, até se envolver com o então chefe dela kkkk, o gostosão do Iceman! E o Eric é simplesmente APAIXONANTE. Lindo, educado, trabalhador, rico e o melhor, ama com todas as forças a sua família e faz de tudo para proteger os seus.
Se não fosse por seu gosto peculiar por sexo eu diria que ele é perfeito.
Imaginar que tem pessoas que realmente fazem as coisas descritas no livro me deixa pasma! Eu jamais teria coragem, ciumenta como sou, não conseguiria ver meu amado maridinho com outra, e ele, se bem o conheço, jamaaaaaaais me ofereceria a outras pessoas!
As partes do sexo entre o casal Jud e Eric são muito boas quando eles estão sozinhos... Ai ai ai... Até suspiro... Que homem é este!? Kkkkkk
Eu máster indico essa Trilogia. Ri muito com a Jud, ela é cômica e é impossível não se divertir!
Leiam meu povo, não vão se arrepender. Para mim, é melhor que Cinquenta Tons de Cinza.
comentários(0)comente



ni 06/03/2014

Minha opinião: Eu li o livro de TPM e fiquei chateada por muito pouco em diversas situações. Na maioria das páginas, Judith estava chata e previsível. O meu querido Eric Zimmermman estava sempre gostoso claro que sim, porque não? Mas previsível e fez tudo errado novamente, não deixou o seu lado inseguro de ser no segundo livro, como eu esperei que ele fizesse, a possessividade dele nesse livro me irritou e eu juro que eu nunca mais leio um livro, um ultimo livro da minha trilogia preferida de TPM!!! Isso mesmo!!! Tudo me irritou!!! Tudo!!! Como pode? Até a bondade da Judith junto com a safadeza dela. Como pode ser tão safada??? Como pode???


Outra coisa que me irritou bastante também é que nesse livro os apelidos foram bastante citados, todo mundo no mundo inteiro só chama a querida Judith... Jud de Moreninha! Era um apelido que o pai dela costumava chama-la, mas até ela resolve fazer uma camiseta escrito Moreninha! Não gosto!!! Não gosto!!! Não gosto!!! É como em Belo Desastre em que o Trevor, um home viril, forte, musculoso, chama a toda hora a personagem principal de Flor!!! Ahhh não gosto!!!


Nesse livro a irmã de Judith fica grávida e Judith acompanha o parto da irmã dela e depois disso fica dizendo que NUNCA vai ter um bebê! Porque? Porque? Porque? Quem adivinha? Dou-lhe uma... Duas??? Ninguém???


Ai nesse volume temos o Dexter se aproximando de Graciela, e adivinha? Me irritou também a lerdeza de como as coisas andam, eu estava quase entrando na história e dando com a cabeça nos dois.


Aí de repende a minha querida TPM foi melhorando e eu comecei a gostar mais de todo mundo... Comecei a olhar a Judith com outros olhos e eu amava quando ela jogava o sapato dela quando estava nervosa no rosto perfeito do nosso Iceman, porque ele pode ser o que quiser, mas é um homem de gelo literalmente. E aqui o nosso querido, perfeito como o Eric, Björn me cativa a cada trecho que ele aparece, e ai eu lembro que terá um livro só dele. Delicia!!! Aí a minha TPM some de vez!


"Tenho no corpo uma tatuagem que diz "Peça-me o que quiser" e que eu fiz por você. Tenho no dedo um anel que diz "Peça-me o que quiser, agora e sempre" que você me deu de presente. - Te amo. Te adoro. Sabe que sou capaz de virar o mundo do avesso por você, mas, como chegamos a um ponto em que você não me deixa te abraçar e eu me sinto péssima porque vejo que você não quer nem mesmo olhar pra mim, vou apostar todas as minhas fichas e só te dizer uma coisa: "Peça-me o que quiser ou deixe-me." - Minha voz está embargada e, sem me virar para ele, concluo: - Estou indo. Vou deixar você pensando no assunto. Se quiser que eu volte, porque você me ama e precisa de mim, já sabe o numero do meu celular."


O livro todo me lembou aquelas novelas da tarde do SBT (novelas que a Renata assiste e adora, e chora e tudo mais), mas até que melhora. O livro em si é muito bom e a história acaba melhorando.


Judith morando em Madri, longe da família, tem um novo desafio, e precisa se desprender um pouco de lá, para prender seus laços aqui, com Eric, sua família e Flyn, fora os amigos. Não posso falar mais do que isso, porque já escrevi muito spoiler aqui.


Gente, desculpem a minha TPM, mas realmente o livro irritou, mas mesmo assim não perdeu o seu brilho, então claro que eu dou uma boa nota. A trilogia vale muito a pena e tenho certeza que vocês irão gostar de pelo menos um personagem. Megan Maxwell é perfeita!!! Queria ler mais uns 50 livros dela. Mas vou ficar na expectativa, sentadinha aqui esperando o Surpreenda-me.



Bjs amigos e até a próxima.

site: http://amordelivros.blogspot.com.br/2014/03/peca-me-o-que-quiser-ou-deixe-me-megan.html
comentários(0)comente



Laura Brand 09/02/2014

Um livro é bom quando ele te entretém, te faz sair um pouco da sua cabeça e quando acrescenta algo à sua vida. E foi isso que a trilogia Peça-me O Que Quiser fez comigo. No começo, não fiquei muito empolgada com a história, (veja a minha resenha do primeiro livro clicando aqui e aprenda o básico da história) e disse que leria os outros porque aprendi a não julgar uma trilogia apenas por seu primeiro livro. Não estava enganada.
A relação de Eric e Judith se desenvolveu bastante e ficou bem mais cativante. Confesso que, por ser o primeiro livro que li que trata o voyeurismo de maneira tão aberta e explícita, eu não entendia como um homem pode querer dividir a sua mulher de maneira tão íntima e não sentir ciúmes. Lendo os livros e mergulhando mais na história de Zimmerman e Flores e na possessividade que Eric sempre em relação à Judith, compreendi que são coisas completamente diferentes. Ainda não sei como eu, pessoalmente, lidaria com a situação mas abri um pouco mais a mente e acho que é isso que um livro deve fazer.
O terceiro e último livro é simples e gostoso de ler, como nos outros dois a leitura é extremamente fácil. A história é agradável e li o livro em meros dois dias.


“Sozinha em Madri e mais uma vez desempregada, Judith precisa descobrir como se recuperar da separação de Eric e esquecer o tempo que passaram juntos na Alemanha. No fundo ela sabe que ainda deseja o Iceman. Sente falta dele e dos jogos eróticos que lhe davam tanto prazer. Para o alemão, a vida sem a espanhola parece ter perdido a graça. Desesperado, começa a enviar e-mails em busca de seu perdão.Neste último volume da trilogia, o casal se verá frente a frente outra vez e lutará para retomar sua relação. Mas os ciúmes e a superproteção do Iceman são motivos de constantes brigas, e Judith deverá encarar o fato de que talvez um futuro juntos não seja possível. Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui um das sagas eróticas mais populares da Espanha.”


Preciso me manter firme em relação à minha impressão inicial: a escrita não é a melhor do mundo. O que me passou pela cabeça durante a leitura dos três livros é que o livro mais parece um relato oral do que uma história escrita. A autora não usa muitos adjetivos, não se aprofunda na complexidade dos personagens, na descrição de ambientes e sensações, são muitos diálogos curtos e, confesso, gostaria que ela tivesse mergulhado um pouco mais na descrição das emoções e sentimentos do voyeurismo. Alguns comentários de Judith poderiam ter sido relevados por serem muito desnecessários, digamos assim. Megan Maxwell não é a melhor escritora do mundo, mas isso não me decepcionou.
Dito tudo isso, não vou mentir: gostei bastante do livro. Me peguei dando algumas risadas durante a leitura e passei as páginas com tranqüilidade. Não é uma narrativa reflexiva ou complexa, não aborda questões filosóficas e que te fazem pensar bastante a respeito. O livro é divertido, simples e gostoso.
Você não vê o tempo passar enquanto lê e se diverte com as brigas, discussões e com o temperamento de Judith. Fiquei feliz enquanto lia e acho que isso é o que conta de verdade. Gostei de perceber a evolução de Eric e como ele lida melhor ao longo do tempo com suas preocupações e possessividade exagerada em relação à segurança de Judith.
Não me arrependo de ter lido a trilogia, pelo contrário. Me diverti bastante e com certeza leria mais livros da autora Maxwell. Minha classificação passou de 2,5 estrelas para 4. O livro só perde por conta na narração que, como expliquei na primeira resenha e no quarto parágrafo, me incomodou. Dou quatro estrelas para Peça-me O Que Quiser Ou Deixe-me porque a história me cativou (até me arrisco dizer que me encantou), a leitura foi muito agradável e porque fiquei como uma louca atrás do último livro da trilogia para saber como o livro terminava. Essas quatro estrelas são puramente pessoais, não sei como as outras pessoas reagiram a esse livro e vi vários comentários de outros que não gostaram. Pessoalmente, gostei das sensações que o livro me passou e da leveza que a história deixou.
Peça-me O Que Quiser Ou Deixe-me foi escrito por Megan Maxwell e publicado no Brasil pela editora Suma de letras. Os títulos anteriores são Peça-me O Que Quiser e Peça-me O Que Quiser Agora e Sempre.

Classificação: 4/5 estrelas.


site: http://nostalgiacinza.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Três Leitoras 23/08/2014

Resenha: Peça-me O Que Quiser ou Deixe-me
Oi, Leitores!!!


Estamos aqui para finalizar as resenhas da Trilogia Peça-me... Ah, Eric e Jud, sentiremos saudades!!! :)

O livro começa do ponto que parou o segundo livro: a briga e separação do nosso casal Eric e Jud. Ela só pensa em esquecê-lo e seguir em frente. Ele, para quem bem conhece o nosso lindo alemão, não desistirá facilmente, aliás ele nunca desistirá. Porém, enquanto existir tanto orgulho nos dois, as coisas demoram a se ajustar. Ele deixa o orgulho de lado e resolve correr atrás do que perdeu. Já a Jud...

les se desentendem, mas no final como sempre esperamos eles se acertam... Voltam para a Alemanha, são bem recebidos pelo Flynn, que os aceita finalmente como casal e pais dele...

A autora caprichou nas cenas eróticas e caprichou muitoooo, percebemos que a cada livro, essas cenas são melhores... Outra coisa que adorei nesse livro foi que ela nos manteve a par de outras histórias como a de Dexter e Graciela, Rachel e seu novo amor... O encontro de Bjorn com Mel...

Continue lendo no link

site: http://tresleitoras.blogspot.com.br/2014/08/resenha-peca-me-o-que-quiser-ou-deixe-me.html
comentários(0)comente



Mara seidhom 22/10/2013

No último volume da trilogia, os protagonistas lutam para preservar sua relação. Judith está adorando ter o Iceman só para ela, e os jogos eróticos dele continuam lhe dando prazer; Eric se sente o homem mais feliz do mundo e não pode imaginar sua vida sem seu grande amor. Mas os ciúmes e a superproteção
do alemão são motivos de constantes brigas — Judith já não está tão certa sobre o futuro da relação. Com Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui uma das sagas eróticas mais populares da Espanha.
comentários(0)comente



AndyinhA 07/02/2014

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Acabou-se mais uma série... eeeeeee.... gritinhos de alegria e felicidade de terminar mais uma série aqui no Poison e por ser o terceiro livro de uma série hot, tivemos nesse livro aquelas coisinhas de praxe, casamento e bebês, em todas as séries seguiram o esquema e aqui não foi diferente. A diferença foi que Jud grávida foi uma comédia e situações reais e do dia-a-dia que acontece com as futuras mamães, como enjoos, gritos, mudanças de hormônios e afins.

Mas claro que não tem só o lado alegre, ainda tem umas invejas, brigas entre o casal, fofocas das outras querendo roubar o marido de Jud e a própria e Eric brigando bastante e fazendo as pazes. Tudo que tivemos nos outros livros, só que mais intenso.

Nesse livro a autora não investiu tanto em sexo ousado, nada de ménages ou outros jogos que eles curtem, dessa vez ela focou apenas no casal dentro de quatro paredes, aquelas coisas ousadas dos livros anteriores foram apenas comentadas, mas não descritas.

O que achei bacana nessa série foi o fato dos personagens brigarem, gritarem, irem atrás das coisas que querem, coisas que nos outros hots não acontece muito, a agente tem o cara dominador que sofreu algo e ou a mocinha é virgem ou também tem um problema relacionado ao lado sexual, aqui não os dois são normais, ninguém foi abusado ou coisa do tipo. Eles gostam de sexo e estão dispostos a conhecer coisas novas em conjunto, ou não. A realidade das atitudes dessa série foi melhor que nas outras.

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2014/02/poison-books-peca-me-o-que-quiser-ou.html
comentários(0)comente



CooltureNews 18/02/2014

Coolture News
Rotina, rotina, rotina. Uma palavra define o livro: rotina.

Depois das confusões do segundo livro (e de seus defeitos), um terceiro livro poderia ser a melhor ou a pior coisa a acontecer. Nesse caso, foi a pior, já que passamos de uma trilogia erótica, para um chick-lit com cenas de sexo.

Eric e Jud continuam teimosos, prontos a escutarem as fofocas e ignorarem o bom senso. E aí reside o grande erro da Megan neste livro: transformar qualquer diferença entre o casal em uma tempestade em copo d’água. Assim, algo que poderia ser resolvido de forma tradicional, com uma conversa sincera, é tratado como um evento catastrófico. Além disso, a trama pensada para atrapalhar o casal é tão fraca e sem sentido sendo dispensável a história, que não ganha e nem perde com ela.

De resto, Megan trabalha com os clichês básicos de folhetins: casal se casa feliz, tem uma rotina, a mocinha fica grávida e todos ficam felizes no final. É tudo bonitinho e exagerado, com os mesmos defeitos narrativos do segundo (muitos apelidos melosos, excesso de vogais e do prefixo “inho”), bem como saltos temporais estranhos.

Tirando tudo isso e ignorando aquilo que não te agrada, o enredo final da trilogia ganha um adendo muito simpático: um final para todos os personagens. Os personagens ganharam cada qual um encerramento digno, encontrando a felicidade que o casal principal compartilhava entre si.

A parte erótica continua excitante, mas pouco foi acrescentado de novidade ao mundo apresentado pela trilogia, repetindo a fórmula que conquistou os fãs no primeiro livro. Ao menos isso se manteve igual ao longo das aventuras e desventuras de Jud e Eric, sendo um ponto muito positivo.

Ao final, tanto do livro como da trilogia em si, fica-se a impressão de dispensabilidade deste livro final, cuja história pouco acrescenta a trama completa e que poderia ter sido condensada no epilogo de “Peça-me o que quiser: agora e sempre”.

Num balanço muito otimista, a trilogia foi impactante por ser tão explicita com algo tabu como o swing, apresentou personagens carismáticos e uma mocinha que não deixa as coisas baratas. Pecou em alguns pontos, mas conseguiu manter o interesse do público feminino em geral, evoluindo tanto seus personagens como os relacionamentos entre eles.

site: www.coolturenews.com.br
comentários(0)comente



Jess 03/03/2014

Ao começar este último volume eu estava tensa por causa de todos os acontecimentos do livro passado, porém no fundo eu sabia que não tinha porque me preocupar, afinal de contas, estamos falando de um romance ao qual, todos já devem ter noção de seu final, pelo menos eu desde o começo já sabia como seria por mais que Jud e Eric tenham passado por tantos momentos críticos em seu relacionamento.

Enfim, com o decorrer da leitura fui relaxando e adorando cada segundo, me sentindo mais conectada com os personagens, assim sendo, sentindo todas as suas emoções como se fossem minhas. Com o passar das páginas comecei a achar que a Megan iria dar uma trégua aqueles dois e apenas colocar algumas brigas bobas, mas... Fora um grande engano! Todos aqueles momentos felizes fora apenas uma ilusão para a bomba que estava por vim e foi justamente por culpa disto e por ter acontecido já no finalzinho do livro, que eu cheguei a achar que talvez Jud e Eric não tivessem um final tão feliz assim.

- # -

Novamente Eric comete um grande erro levando ao termino do relacionamento dele com Jud e desta vez a mulher está determinada a se afastar do alemão, pois ver que estarem juntos não dá certo, apenas trás magoa para eles. Ela então decide ficar longe por algum tempo por isto arruma uma pequena bagagem e segue rumo ao interior da Espanha onde aluga um chalé. Para que Eric não ficasse sabendo onde se encontrava Jud decide não contar a ninguém onde estava, faz apenas ligações diárias para seu pai lhe informando que estava. A mulher sabia da grande amizade que havia entre o pai e o alemão, ela gostava muito deste laço, mas naquele momento ele era inoportuno, pois faria com que o senhor Flores acabasse contando para Eric onde ela se encontrava.

Depois de algumas ligações de Eric, Judith resolveu desligar o celular e curtir sua paz, porém o alemão continuou insistindo lhe mandando e-mails todos os dias, assim como ela mesma fizera no livro anterior, agora sim Jud sabia como o alemão se sentirá naquela época e isto a atinge ainda mais.

Quando já se sente um pouco melhor, quando acha que vai poder voltar a sua vida Jud resolve voltar para seu apartamento... E não é de se surpreender quando Eric aparece por lá, não é? E desta vez, sabendo que as coisas estavam muito complicadas para seu lado, Eric trás reforços para lhe ajudar a convencer a mulher que ama a não somente voltar para ele, mas também aceitar seu pedido de casamento.

Será que o furacão Judith Flores vai aceitar o pedido?

Será que o reforço de Eric vai convencer a mulher de que o alemão é o melhor para sua vida?

- # -

Não quis falar muito do enredo para não soltar spoilers, mas há várias coisas ainda para ocorrer depois deste pedido de perdão: ciúmes, a super proteção de Eric causando problemas, uma pessoa má intencionada tentando mais uma vez detonar a relação deles, além de algo que realmente não me surpreendeu, mas que vai trazer muita felicidade, assim como também mais algumas discussões para o casal.

Enfim, algumas partes do livro camin
comentários(0)comente



Albertini 29/10/2013

Eric Zimmermman e Judith Flores
No último volume da trilogia, os protagonistas lutam para preservar sua relação. Judith está adorando ter o Iceman só para ela, e os jogos eróticos dele continuam lhe dando prazer; Eric se sente o homem mais feliz do mundo e não pode imaginar sua vida sem seu grande amor. Mas os ciúmes e a superproteção do alemão são motivos de constantes brigas — Judith já não está tão certa sobre o futuro da relação. Com Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui uma das sagas eróticas mais populares da Espanha.
comentários(0)comente



Mi 17/09/2014

Final feliz!!!!
Neste último livro nós nos deparamos com vários acontecimentos interessantes, porém alguns não recebem uma atenção maior como deveriam. No caso, os preparativos e o dia do casamento de Judith e Eric. Não fica claro nesse livro a amizade que surge entre Judith e Melanie. Assim como surpreenda-me, a autora poderia criar um livro contando a história da irmã de Judith (Raquel).
Bom, no começo eu não me agradei nem de Jud e muito menos de Eric...
Mas com esse último livro os dois me conquistaram e agora estou naquela velha ressaca literária, terminei a leitura hoje, mas já sinto saudades infinitas dos personagens do livro.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2



logo skoob
"o Skoob oferece um espaço com comentários e críticas que lhe servirá de amparo antes de qualquer leitura."

Outro Lado