A Garota Que Você Deixou Para Trás


4.64567 1572



Resenhas - A Garota Que Você Deixou Para Trás


72 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Roberta 22/01/2015

{Resenha} A Garota Que Você Deixou Para Trás
Desde o momento em que soube sobre este livro, ele já havia entrado na minha lista de desejados. Jojo Moyes virou uma das minhas autoras favoritas, escrevendo romances como ninguém. Ela deixa cicatrizes em seus leitores ao final de cada livro, pois as histórias nos tocam de forma que nos deixa marcados pelo resto da vida. Com A garota que você deixou para trás não foi diferente, a história contém seu lado dramático, mantendo-se fiel ao estilo da autora, assim como também as indas e vindas no tempo. Mais um livro da autora pelo qual me apaixonei.

"Essa era a história de nossas vidas: inssurreições menores, vitórias miúdas, uma breve chance de ridicularizar nossos opressores, barquinhos de esperança em um mar de incertezas, privação e medo."

A história inicia em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, onde Sophie narra as consequências da Guerra na sua vida. Como o seu marido teve quer ir para guerra, assim como o marido de sua irmã, Sophie optou por ir morar com sua irmã e seua filhos, para que assim pudessem ajudar uma a outra. A casa onde moram era um hotel, porém com a guerra as única poupas pessoas que iam lá eram os assustados moradodes da pequena cidade. Porém Sophie acaba chamando a atenção do Kommandant alemão e ele resolve que Sophie e sua irmã teriam que cozinhar a janta dos alemães todas as noites.

"Não consigo me lembrar de como era viver sem medo."

Ao mesmo tempo que isso deixou Sophie aterrorizada, pois teriam seus inimigos em sua prórpia casa, também trouxe um pouco de alívio, pois assim conseguiua furtar um mínimo de comida para sua família. Porém sempre que Sophie perdia as esperanças, ela olhava para o quadro que seu marido Édouard fez dos dois, admirando a mulher que há muito tempo deixou de existir devido as dificuldades enfrentadas nessa nova realidade. Mas outra pessoa passa a admirar o quadro, o Kommandant alemão, e, ao mesmo tempo, ele tenta se aproximar de Sophie, mostrando a ela que ele não passa de outro ser humano normal. Dessa forma surge nela um pequeno brilho de esperança, que ela possa de alguma maneira reencontrar o seu marido, mesmo odiando os alemães, tudo o que ela quer é reencontrar Édouard e saber que ainda está vivo. Os outros habitantes da cidade viram como traição o fato de Sophie ter aberto seu hotel para seus inimigos, mesmo sabendo que ela não tinha escolha, e começaram a menosprezá-la.

"Saiba, minha querida, que marco cada dia , não do mesmo modo que meus companheiros, grato por ter sido mais um dia a ter sobrevivido, mas agradecendo a Deus pelo fato de cada um significar que seguramente devo estar vinte e quatro horas mais perto de voltar para você."

Quase um século depois conhecemos Liv, uma mulher que perdeu seu marido há alguns anos e que ainda não descobriu como seguir em frente. Porém, em uma janta com seus amigos que tinha tudo para dar errado, devido ao seu acompanhante desnecessário que seus amigos insistiram em apresentar, ela acaba terminando com o reencontro de Liv com Mo, sua colega de faculdade. Tomada por um momento de carência, agradecimento e também de desespero por ter que ficar sozinha na casa que David construiu para eles, Liv convida sua ex-colega para dormir na sua casa, pois ela passava as noites no restaurante em que trabalhava.

"Para ela, a multidão só pode ser uma afronta ao seu estado solitário. Eu já fui uma de vocês, pensa, e não consegue imaginar como seria voltar a ser assim."

E assim Liv acaba ganhando uma pessoa com quem dividir a casa de vidro, porém ela está cada vez mais desesperada porque não tem dinheiro para pagar as contas e sua casa, a única herança de David, corre o risco de ser perdida. As vezes seu único consolo é o quadro pendurado na parede de seu quarto, um presente dado por David na sua lua de mel, porém o que ela não esperava é que esse quadro mudaria a sua vida.

"Às vezes a vida é uma série de obstáculos, uma questão de colocar um pé na frente do outro. Às vezes, de repente ela se dá conta, é simplesmente uma questão de fé cega."

Em uma noite que tinha tudo para dar errado Liv acaba conhecendo o Paul, que trabalha recuperando obras de artes perdidas durante a Guerra Mundial. Um outro dia, quando ele está no quarto de Liv, Paul acaba vendo na parede o quadro de A Garota que Você Deixou para Trás, obra que seu atual cliente está tentando encontrar, e assim a vida dos dois acaba virando de cabeça para baixo. Liv tendo que disputar pela única lembrança do seu marido no tribunal, ao mesmo tempo que tenta descobrir mais sobre Sophie e a história do quadro e tenta aguentar as críticas da mídia sobre sua decisão de não devolver o quadro.

"- Não fique muito nervosa na segunda-feira. Sei que tem sido difícil. Mas estamos muito orgulhosos de você, sabe?
- Por quê? - diz ela assoando o nariz. - Eu falei, pai. A maioria das pessoas acha que eu nem devia ter tentado.
O pai a puxa para junto dele. Ele cheira a vinho tinto e a uma parte da vida dela que parece um milhão de anos atrás.
- Simplesmente porque você vai tocando o barco, de verdade. Às vezes, minha querida, isso em si é heróico."

Este livro é fantástico, assim como todos que já li da Jojo. A autora nos mostra duas mulheres guerreiras lutando por aquilo que acreditam, por mais que os outros duvidem delas. A parte da história no porto de vista de Sophie é bem trágico, nos relembrando o horror da guerra. Porém, quando o livro está no "presente", ele passa a ser contado em terceira pessoa, alternando entre o ponto de vista de Liv e de Paul.Os personagens do livro são apaixonantes! Para mim Mo roubava a cena quando aparecia, com seu jeito único de ser, que transformava qualquer momento dramático em gargalhadas.

"- Você dormiu com esse cara sem dar um Google nele? - diz ela, quando recupera a fala. - Ai, meu Deus, quando você disse que finalmente tinha ficado com alguém, eu nem por um minuto pensei... Não se dorme com uma pessoa sem pesquisar os antecedentes. Caramba."

Foi bem difícil para mim escrever essa resenha, pois me faltam palavras para descrever muitos dos sentimentos que ele me proporcionou, porém, se você gosta de um bom romance, com aquela pitada de drama e comédia, não exite em lê-lo.

"- O que isso ensina à gente, Sr. McCafferty, é que na vida há coisas muito mais importantes do que vencer."

site: http://www.apenasumtrecho.com/2015/01/resenha-garota-que-voce-deixou-para-tras.html
comentários(0)comente



Leka 20/01/2015

Gostei muito!
A história é tão linda que da vontade de ler inúmeras vezes, amei cada página! O fato de ser passar em duas épocas e com tantos fatos históricos envolvendo me envolveu muito! Eu queria viver e presenciar cada momento do livro! Pessoalmente, preferi as partes que se passam na primeira guerra mundial. Vale muito a pena ler!!
comentários(0)comente



Gi 13/01/2015

Como me senti ao ler este livro¿
Livro julgado pelo título. E já na sinopse percebi que uma grande história seria contada em 379 páginas. Pra mim, não foi um livro estável. Mas uma montanha-russa de sentimentos. E quem está numa montanha-russa se diverte né¿ Eu me apaixonei, tive nojo, me alegrei, chorei, senti raiva, dei conselhos, torci como numa final de copa do mundo, cruzei os dedinhos, prendi respiração e suspirei..Então... Fim da história.

Dois tempos cronológicos; Primeira Guerra Mundial e meados do ano 2000.
Sophia, uma mulher criada para ser forte e ser o alicerce de toda uma família, o amparo de uma cidade que está em guerra. França é tomada pelo exército alemão. Em época de guerra vive-se o hoje, mas numa esperança de um amanhã mais brilhante, menos doloroso. Separada de seu marido e seu grande amor, Édouard Lefèvre. Os dias se passavam e ela sempre fora a mulher destemida e esperançosa. Mulher que sofre paciente pelo fim da guerra, pela volta de seu marido e serve pacientemente os alemães em seu restaurante em St Péronne. Uma mulher de modelo em uma obra de arte. E uma mulher de modelo na vida.

Não, Péra! É isso mesmo? Será que uma mulher que vive em tempo de guerra sempre permanecerá paciente e sem fazer algo de insano, incoerente?

Liv uma mulher frágil, que tenta superar a morte de seu marido David não se desfaz ainda de quase nada do que tinha quando vivia com seu esposo, principalmente uma obra de arte que está exposta em seu quarto. No entanto, Liv não imaginava quanta história aquela obra de arte carregava. E levada ao tribunal toda a história é desvenda, esclarecida. O que aconteceu com Sophia? Por que aquele quadro estava em mãos alemãs?
comentários(0)comente



Nat 12/01/2015

Lindo! Só não ganhou 5 estrelinhas porque demorei pra conseguir engatar na leitura e me afeiçoar aos personagens. Depois foi só alegria! Ou tristeza.. Um bom drama!
comentários(0)comente



Rebeca 08/01/2015

Amei o livro!
Sinto que tinha deixado um livro perfeito para trás e que só agora consegui recuperar o tempo perdido! Linda história, ou melhor, lindas histórias em épocas diferentes. Vidas interligadas pela "A Garota" que é capaz de levar beleza em tempos de tristeza e guerra, ao mesmo tempo, que apoio e força em tempos de solidão!!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lourena 07/01/2015

No ano de 1916 em St Péronne, na França durante a primeira guerra mundial Sophie e sua família passam por muitas coisas entre elas fome. Depois que seu marido Édouard foi lutar na guerra, Sophie foi obrigada a cozinhar para os alemães. O Kommandant das tropas alemães coloca o olho no retrato que Édouard fez de Sophie... e daí tudo de ruim começa a acontece. Sophie é uma mulher muito corajosa e maravilhosa, uma verdadeira heroína. Londres 2006 o retrato de Sophie agora ocupa um espaço na casa de Liv, um presente que foi lhe dado por seu marido Davi antes de morrer, o que ela ainda não sabe é que esse quadro vai virar sua vida de cabeça pra baixo. Como esperado de Jojo Moyes um livro muito bom, triste é maravilhoso.
comentários(0)comente



Karol 04/01/2015

A garota que eu nunca vou esquecer...
Recentemente eu li Como eu era antes de você e a leitura com certeza emplacou entre as melhores de 2014 então eu decidi começar 2015 com outro livro da Jojo Moyes e como eu já havia ouvido falar muito bem de A garota que você deixou pra trás decidi ler lê-lo e definitivamente não me arrependi. Nem preciso dizer que Jojo Moyes é fantástica, A garota que você deixou para trás até agora não sai da minha cabeça e eu mal posso esperar pra ler outro livro dessa autora.
Bom, esse livro é dividido em duas partes, a primeira parte se passa na França em 1917 e conta em primeira mão a vida da decidida e impetuosa Sophie Lefevre, uma francesa que vive com a irmã, o filho e os sobrinhos em uma cidadezinha devastada pela guerra. Sophie é casada e apaixonada pelo marido, Edouard que é um pintor e que num dos momentos mais felizes e memoráveis do relacionamento desenha o rosto de Sophie e lhe dá de presente, aquele retrato é uma das poucas lembranças que Sophie tem do marido quando o mesmo parte para a guerra. Algum tempo depois contra sua vontade ela é obrigada a receber e alimentar os alemães que são responsáveis por seu sofrimento e do seu povo e é nesse período que ela acaba se aproximando do Kommandant e que estranhamente parece ser interessado nela. Num ato corajoso e definitivo Sophie faz um acordo com o Kommandant para que o mesmo ajude o seu marido quando ele é pego e levado para uma das piores prisões conhecidas. A partir daí a sorte de Sophie não está mais nas mãos dela e as consequências são devastadoras....
A segunda parte se passa em Londres, 2006 e conta a história de Liv, uma viúva que mesmo após quatro anos ainda não superou a morte do marido e no dia do aniversário da morte do dele, Liv encontra Paul e pela primeira vez sente que pode ser feliz de novo.
Essas duas histórias se entrelaçam quando o quadro de Sophie vai parar numa das paredes da casa de Liv e é incrível o modo como a Jojo consegue fazer o quadro ser praticamente um personagem da história, enfim, esse livro é fantástico e eu só tenho elogios á ele. A garota que você deixou para trás é definitivamente o tipo de livro que não sai da sua cabeça tão cedo e eu nunca pensei que poderia gostar tanto de um livro que se passa na maior parte as margens de uma terrível guerra, a Primeira Guerra Mundial.
comentários(0)comente



Raquel Comunale 02/01/2015


O livro começa na cidade de St Péronne na França no ano de 1916, Primeira Guerra Mundial. Sophie Lefèvre voltou para a cidade ocupada pelos alemães após seu marido, Édouard Lefèvre, ter ido para a guerra. Sophie e sua família sofrem com o tratamento dos alemães. Sophie e sua família cuidavam do hotel Le Coq Rouge e o novo Kommandant responsável pela cidade logo fica interessado pela postura decidida de Sophie. Édouard era pintor então na casa da família de Sophie existe um quadro com uma imagem dela e isso chama bastante atenção do Kommandant. Aos poucos ele e Sophie vão se aproximando mesmo ela precisando lidar com os comentários de que ela está traindo o marido com um alemão contudo quando Sophie recebe a notícia de que o marido está correndo risco de vida não pensa duas vezes antes de pedir a ajuda do Kommandant. Infelizmente suas decisões causam diversos problemas e aos poucos ela precisa lidar com o desdobramento das suas decisões e dos riscos para reencontrar Édouard.

A segunda parte do livro se passa em Londres em 2006. Liv Halston é uma viúva que ainda está lidando com a volta a vida depois da morte do seu marido, um famoso arquiteto. Deprimida e sem opções Liv acaba em uma noite sozinha de bebedeira e por acaso conhece Paul McCafferty, um ex-policial que trabalha em uma empresa responsável por encontrar e devolver objetos furtados durante guerras. Depois de se conhecerem melhor e finalmente Liv aceitar abrir sua vida para um homem Paul descobre que ela é a dona de A garota que você deixou para trás, um quadro do famoso Édouard Lefèvre avaliado em muito dinheiro. Sem ter opções Paul precisa começar um processo para devolver o quadro a família Lefèvre. O destaque vai para Mo, uma amiga de Liv que surge do nada e tem sempre ótimas tiradas para ajudar a amiga.

Depois dessa contextualização as 2 histórias vão se mesclando e aos poucos a autora vai desenhando o destino deSophie e Liv. Uma lutando pela sobrevivência e a outra encontrando motivos para seguir em frente. O desfecho da história é incrível e a forma como JoJo Moyes vai trazendo o desdobramento é fenomenal. É o terceiro livro que leio dela e estou oficialmente apaixonada. Super recomendo a leitura.

site: http://desencontre.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vanessa 19/12/2014

Livro comovente
Terminei de ler este livro ontem e posso dizer que foi um dos melhores que li. Já gostava muito da autora e tinha lido Como eu era antes de você e A última carta de amor. A princípio achei que eu não fosse gostar do livro, mas as primeiras páginas me prenderam.
Sempre gostei de ler histórias ambientadas em tempos de guerra e esta simplesmente me cativou: a escassez de recursos, o caos, a necessidade de ajudar os outros e pensar na própria sobrevivência etc.
Mais uma vez percebi o talento da escritora em intercalar passado e futuro com maestria. Como não envolver-se com uma história tão bela que descreve os amores de duas mulheres: ambos distantes de suas musas; ambos artistas, mas cada um com sua especialidade e o que os une, a arte.
Sophie, uma mulher tão forte, tão bela e defensora da família que tanto sofreu por amor! Liv, uma mulher que perdeu a alegria de viver e vive imersa em lembranças de seu falecido marido.
O que mais me fascina nas histórias da Jojo é a escrita leve, mas mesmo assim bastante descritiva; a história tão bem amarrada, com desfechos comoventes! Você chega às últimas dez páginas pensando: - E agora? Como isso vai terminar? E pensa que nessas poucas páginas dificilmente será surpreendido, mas depois percebe que estava errado.
Eu simplesmente amei a história e com certeza indico!
comentários(0)comente



Juuh 17/12/2014

A garota que você reencontrou
Sophie foi forte, determinada para aguentar todo o sofrimento e humilhação em uma época que os seres humanos eram menos que nada para os alemães.
Foi forte por ela, pelos irmãos, pelas crianças, por Lillianne, pela cidade e por Édouard.
Liv foi forte por Sophie.

Um livro surpreendentemente maravilhoso.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ana Beatriz 06/12/2014

A garota que você deixou para trás
França 1917: Sophie Lèfreve é obrigada a cozinhar para os alemães que invadiram sua cidade durante a priimeira Guerra Mundial.

Para que essa guerra não se torne tão insuportável ela deixa o quadro que seu marido Édouard pintou , dela.

Quando Sophie fica sabendo que o marido foi preso, ela propõe uma troca arriscada para garantir a liberdade de seu marido.

Quase cem anos depois esse mesmo quadro está na parede de Lia Halsto, ela ganhou o quadro como presente de seu falecido marido.

Porém os franceses aparecem reinvidicando o quadro alegando que ele foi roubado pelos alemães.

Jojo Moyes desenvolve um enredo tão emocionante que você não consegue desgrudar do livro e quando nãp está lendo você fica pensando para saber o que aconteceu com Sophie e o que essas duas garotas tem em comum.

site: ultragirlandstuffblr.tumblr.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Michelle 20/10/2014

Uma leitura rápida e agradável
Resolvi ler esse livro por já ter lido e gostado de outro título da autora, o "Quem eu era antes de você".

"A garota que você deixou para trás" começa com a história de Sophie na França do início do século XX. Sophie relata como conheceu o seu marido, um artista impressionista, em Paris, e os rumos que suas vidas tomam por conta da Primeira Guerra Mundial e a ocupação de algumas cidades pelos francesas pelos alemães. Sophie, quando seu marido é levado para o front, volta para sua cidade natal e assume o hotel de sua família, que será usado pelos alemães para que façam suas refeições.

Dando um salto no tempo e no espaço, já nos anos 2000, vemos Liv, uma jovem viúva que tenta encontrar um motivo para retomar sua vida e seguir em frente. Liv foi casada com um promissor arquiteto que morre repentinamente em uma viagem. Liv não consegue se livrar das lembranças e nem das coisas que representam David. Até que um dia, por conta do roubo de sua bolsa, Liv conhece Paul. Paul é um americano divorciado que traz para a vida de Liv a alegria que ela achou que nunca mais sentiria.

Mas o que Sophie e Liv têm em comum? Você vai ter que ler para descobrir! Muitas reviravoltas, segredos e surpresas são revelados no decorrer do romance.

O livro mostra como o passado, mesmo que você não tenha conhecimento dele, pode afetar o futuro.

OPINIÃO

Não gostei tanto quanto gostei de "Quem eu era antes de você", mas me agrada a forma como Jojo Moyes escreve. Ela consegue nos passar uma ideia do que acontecia aos prisioneiros durante a Primeira Guerra, e o medo e o terror que aquelas sentiram e passaram. Ela também nos mostra através de Sophie e Liv que as perdas não são sempre algo negativo. Às vezes para ganhar precisamos abrir mão de algo que amamos muito.


site: http://nerdantenada.blogspot.com.br
comentários(0)comente



72 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5



logo skoob
"Quem dedica boa parte de seu tempo livre às ferramentas de rede social, como Orkut e MySpace, tem agora um novo passatempo."

A Notícia