Cidade das Cinzas


4.48745 16381



Resenhas - Cidade das Cinzas


327 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Marcos 26/01/2015

Envolvente
Enfim chego aqui com a continuação do livro Cidade dos Ossos. E, só para esclarecer, também li esse livro antes de criar o blog e só por isso a resenha está saindo tanto tempo depois. Mas demorar a resenhar não significa que não gostei da série; como disse na resenha anterior, essa é uma das minhas séries favoritas, principalmente por ter uma premissa simples, mas que funciona muito bem.

Como a sinopse é enorme e ambienta bem tudo que aconteceu nesse segundo livro, então não farei aquele breve resuminho inicial, ok?! Vamos direto para o que eu achei do livro.


De início eu já afirmo: o segundo livro é melhor do que o primeiro. Como o livro inicial tem que ambientar o leitor nesse novo universo criado pela Cassandra, ele se torna mais explicativo. Nesse segundo, nós já estamos “dentro” da história, o que torna tudo muito mais elétrico e viciante. E, assim como no primeiro livro, a autora nos presenteia com algumas reviravoltas.

“Eu me lembro de quando você falava que crescer acontece quando você olha para trás e percebe que há coisas que gostaria de poder mudar. Acho que isso significa que eu cresci”.


Os personagens também melhoraram, o que torna a leitura ainda melhor e mais expressiva. O que os fez melhor foi o amadurecimento apresentado. Aquele choque inicial pelo contato com o novo mundo passou, fazendo com que eles sejam mais adultos e melhorem seus pensamentos e atitudes.

Simon continua sendo meu personagem preferido, principalmente porque ele é inteligente e muito engraçado, o que torna a leitura mais leve. E, claro, as confusões que ele arruma são excelentes. Por outro lado, também adorei Valentim. Sim, o vilão. Eu gostei da construção dele, por ser um tanto frio, inteligente e estar sempre um passo à frente. Quanto a Clary e Jace: eles continuam sendo bons personagens e também amadureceram. Mas confesso que um pouco do mimimi deles me irrita.


O enredo e os personagens melhoram; e, claro, a Galera não ficou atrás. A capa é maravilhosa e a diagramação está excelente: bonita e confortável. Isso, aliado à escrita ágil da autora, proporciona uma leitura dinâmica. Apesar do livro não ser curtinho, é possível lê-lo rapidamente.

“Talvez fosse verdade o que a rainha Seelie dissera, afinal: o amor transformava as pessoas em mentirosas”.

Obviamente, indico a série para todos que gostam de fantasia infanto-juvenil. Dê uma chance à Cassandra Clare, tenho certeza que a escrita dela irá te cativar.

site: http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br/2014/12/resenha-cidade-das-cinzas.html
comentários(0)comente



Indianara 25/01/2015

Veja no blog
Disponível no blog!


site: http://coisinhaselivros.blogspot.com/2015/01/resenha-cidade-das-cinzas.html
comentários(0)comente



Marcos 02/01/2015

RESENHA: "CIDADE DAS CINZAS" - CASSANDRA CLARE
Pelo fato de toda a mitologia da série já ter sido apresentada anteriormente e o livro dar continuidade à história, "Cidade das Cinzas" segue um ritmo mais rápido; porém o estilo de escrita da autora permanece, constituindo um livro mais longo que o necessário.
Nos são apresentados novos personagens e uma em especial, subtitulada de "Inquisidora", nos deixa inferir mais sobre a Clave e como ela atua e se organiza.
O livro basicamente gira em torno de Valentim e nos seus planos para acabar com a Clave por meio do segundo dos instrumentos mortais. É interessante destacar que Valentim não é contra o que a Clave representa, mas sim contra os seus métodos de intervenção.
O triângulo amoroso continuou irritante, porém foi deixado mais de lado, o que me deixou mais animado para o próximo livro que promete muito mais ação e acontecimentos bombásticos.

site: http://tripliceliteraria.blogspot.com.br/p/resenhas.html
comentários(0)comente



Karol 14/12/2014

CIDADE DAS CINZAS
Esse livro é torturante! Você espera a cada página um momento "Clace" , mas ele quase não acontece. E como sempre, fica tudo para o próximo livro. No mais, eu amei!
comentários(0)comente



Dani 08/12/2014

Muito bom!
Bom, é sempre difícil falar sobre o segundo livro de uma série sem dar spoilers do primeiro... Mas vou tentar ok?! Não vou falar muito sobre a história em si, apenas vou destacar alguns pontos da própria sinopse, como é dito ali, algumas coisas mudaram um pouco do primeiro livro para cá, como a relação entre Clary e Jace, ou mesmo entre Clary e Simon. Mas apesar disso (lembrando que sou a favor de Clace u_u), ao contrário do que geralmente acontece, de o segundo livro de uma série ser o mais chato e parado, eu gostei mais desse segundo livro do que do primeiro.

A história em si ganha um tom mais melancólico, algumas mortes acontecem, mas agora que a Clary já tem mais conhecimento sobre o mundo de Caçadores de Sombras, ela começa a se desenvolver um pouco mais, começa a descobrir mais sobre seus próprios talentos, e achei isso muito bacana. Outro ponto que gostei bastante, foi uma participação bem maior do Magnus Bane, que para mim é um personagem fantástico, eu particularmente adoro aquele jeito dele. Também gostei muito de como a história foi se desenrolando, achei que teve bastante ação, alguns novos personagens foram introduzidos, e claro, o livro acabou com um enorme cliffhanger, que me deixou maluca para começar o terceiro livro o quanto antes. E assim que eu comprar e ler eu venho fazer resenha dele aqui para vocês também.

Eu li super rápido, acho que em menos de uma semana consegui terminar ele, e com certeza entrou para minha lista de favoritos, porque eu achei o livro muito, mas muuuito bom mesmo! Se você gosta de literatura fantástica, ação e aventura acho que vai gostar da série também!

site: www.letras-e-cores.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cláu do Val 18/10/2014

Sequência muito boa. O livro term ação do começo ao fim.
comentários(0)comente



Rafael Palone 13/10/2014

*ATENÇÃO! Este post contém spoilers do primeiro livro da saga Os Instrumentos Mortais, Cidade dos Ossos.


Cidade dos Ossos foi um livro que dividiu opiniões. Vi pouquíssimas pessoas dizendo que o livro é regular. Quem gostou, gostou muito. Quem não gostou, odiou. Eu enxerguei o primeiro livro como uma história em formação, que talvez não estivesse tão bem idealizada quando colocada no papel. De toda forma, o segundo livro ajusta para que a história encaminhe direito, com um contexto muito melhor estruturado, personagens mais bem construídos e um contato direto com o leitor.

Cidade das Cinzas é aquele tipo de livro no qual as coisas, de fato, acontecem. Apesar dos dramas, romances e adolescência à flor da pele, a aposta é em um ritmo não só recheado com bons momentos de ação, mas também diálogos que fluem ao desenrolar ou enrolar dos mistérios e segredos.

Os personagens secundários estão bem mais aprofundados. As singularidades de cada um estão traçadas mais efetivamente: Magnus Bane, uma diva. Alec Lightwood, o rabugento sensível. Isabelle, poderosa quase o tempo todo. Luke, o paizão. Até mesmo os personagens passageiros, como a Inquisidora e Maryse, têm uma história por trás de cada forma de agir ou reagir. Mas, o grande destaque vai para Simon. Com uma reviravolta do primeiro livro, o personagem roubou a cena - o que foi muito bom e prejudicial ao mesmo tempo. Muito bom porque quebrou o estereótipo do primeiro livro de mundano nerd atrapalhado, prejudicial porque os protagonistas, Clary e Jace, ficaram mais em segundo plano em relação ao primeiro livro.

Por conta do fim do primeiro, o casal principal começa Cidade das Cinzas com as pernas quebradas. Não só descobriram depois de ter se pegado muito que são irmãos (!) como também descobriram que o pai deles é um Hitler do submundo. A distância necessária entre eles é o que veta o clima romântico do livro, apesar da premissa de amor proibido.

O valor da família é um dos pontos mais explorados no livro. São levantados questionamentos como: qual o conceito de família, afinal? É preciso correr o mesmo sangue nas veias para ser irmão de alguém? Até que ponto um pai se arrisca por um filho ou até que ponto um filho deve abrir mão dos seus ideais para favorecer ao pai?

Em Cidade das Cinzas, o vilão Valentim continua na sua missão de exterminar os membros do submundo. Para isso, ele busca o segundo Instrumento Mortal. Uma espada que, ao ser banhada no sangue de um lobisomem, um vampiro, uma fada e um feiticeiro, concede a ele poder de invocação sobre todos os demônios. Assim, a guerra entre os ideais de Valentim e os da Clave está travada.
comentários(0)comente



Fernanda 11/10/2014

Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é normal quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau... e também o pai de Clary e Jace.
Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai?

Nota:Muito chato,depois de mais de um mes lendo,muito zzzzz
comentários(0)comente



Jenny 08/10/2014

Cidade das Cinzas é o tipo segundo livro. uma ponte entre o primeiro e terceiro livro, apesar de acontecer alguns fatos super importantes para o resto da história.

[...]

site: http://apenaseugarotadoblog.blogspot.com.br/2014/09/resenha-cidade-das-cinzas-cassandra.html
comentários(0)comente



Micaela Ramos 24/09/2014

Incrível. Enervante. Misterioso.
Eu já falei pra vocês que há muito tempo eu quero ler todos os livros da série dos Instrumentos Mortais? Pois é, Cidade das Cinzas é a continuação de Cidade dos Ossos e eu não poderia deixar de lê-lo, comprei ele junto com o resto da coleção até o 5º livro: Cidade das Almas Perdidas. Eles estavam de promoção, de modo que comprei todos bem menos do preço em que estavam na época.

Incrível. Enervante. Misterioso.

Em Cidade das Cinzas, o mistério de Valentim continua no ar. Dessa vez Jace está balançado pelo pai (e até dá pra se entender quando tudo no mundo que ele mais queria ter de volta era o pai dele... e a "não irmandade" de Clary né? hahaha) O Instituto recebe a visita da Inquisidora, que chega para "colocar as coisas nos eixos e investigar". Agora vocês me perguntem, investigar o que? Isso mesmo que você pensou, investigar se há alguma relação entre Valentim e Jace e se o louco está usando o "filho" (até agora ainda não acreditei que o Jace é filho desse homem chato, sinceramente) para se infiltrar no meio dos caçadores de Sombras e arrancar informações das possíveis ações que a Clave estaria tomando contra as investidas de Valentim de quebrar os acordos e destruir o Submundo. O que acontece é que algumas mortes e movimentos estranhos vão tomando conta da cidade, como por exemplo, a morte de um mago adolescente, a morte de um menino fada e a tentativa de morte de um filho da Lua, o que choca a população do Submundo e faz com que eles reivindiquem justiça e pelo menos investigação da parte da Clave, mas o que acontece mesmo é que uns seres do submundo ficam culpando as outras espécies. As fadas culpam os vampiros, os lobos também e assim vai, porque os corpos são encontrados com o sangue drenado, bem estranho né? Eu sei que o Jace vai preso, parar na Cidade dos Ossos, com os Irmãos do Silêncio de olho nele, mas isso nem dá muito certo porque... (não vou contar HAHAHAHA). Muitas coisas acontecem, Valentim está resoluto em destruir a Clave, nem que pra isso ele tenha que matar muitos, inclusive os da própria espécie e jogar os "possíveis filhos" de encontro com demônios que estão ávidos por morte. Enfim, há muitas coisas que não posso contar porque vocês poderão perder o interesse, leiam e saberão as emoções que os aguardam.

Os personagens aqui estão um pouco mudados, mais preocupados, mais ansiosos (também, com tanta coisa acontecendo né?) As relações mudaram também, O Jace tá mais estranho com a Clary e com todo mundo, mais desconfiado e mais pensativo, enquanto que a Clary está confusa e resoluta em esquecer os sentimentos em relação a Jace. Já Clary e Simon estão tentando ir, mas o que empaca é o fato de Simon mudar muito e perceber com clareza o quanto Clary está confusa em relação a Jace. As coisas melhoram bastante entre Clary e os outros personagens, inclusive Luke, que vira um pai pra ela mais ainda. Aparece a Maya na história e ela vira "amiga conhecida" do povo, mas um pouco mais próxima de Simon. Vou nem falar de Magnus e Alec, porque né?

O projeto gráfico do livro não decepciona na segunda obra da série e vem bombando, de novo com a paisagem de New York e tons de azul presentes, agora a capa estampando a Miss Ginger Clary em suas poderosas curvas e sua ruivice estranhamente aloirada (enquanto no filme o ruivo dela é escuro, bem escuro). Na minha edição o título não foi diminuído, coisa que aconteceu nas edições posteriores a essa e eu sinto muito, ficou oh, uma bosta. Prefiro assim.

Recomendo:

Aos leitores do primeiro livro, claro. Quem gosta de muita ação e fantasia densa, aquela em que há tudo misturado num livro só! Recomendo pra todo mundo. Eu só sei que eu duvido muito que você não game na história, e dizem que o 3º é ainda melhor (AI, SEM OR!!!)

TRECHOS:

"- Pensei que essa parte do meu coração estivesse quebrada. - Tinha uma expressão no olhar enquanto falava como se estivesse surpreso em se ouvir dizendo aquelas palavras, dizendo meu coração. - Para sempre, mas você..."

"- Clary, estou dizendo que ele tomou as próprias decisões. Você está se culpando por ser o que você é. E isso não é culpa de ninguém, nem algo que você possa mudar. Você disse a verdade para ele, e ele decidiu sozinho o que fazer a respeito. Todo mundo faz escolhas, e ninguém tem o direito de tirar essas escolhas de nós. Nem mesmo por amor."

site: http://feitadeversoseletras.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Laura 21/09/2014

simplesmente amei esse livro, ele trouxe mais do simon e do amor proibido da clary e do jace
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



327 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"Quem dedica boa parte de seu tempo livre às ferramentas de rede social, como Orkut e MySpace, tem agora um novo passatempo."

A Notícia