Cidade das Cinzas

Cidade das Cinzas
4.36705 19981



Resenhas - Cidade das Cinzas


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Neto 07/04/2016

Apenas começo e fim interessantes... o meio :/
Curti demais o 1º livro e esse segundo foi um banho de água fria. Não acontece nada de tão importante, só alguns questionamentos para os próximos, e tem muito pouco ação. Os Lightwood tem bem pouca participação e aquele lance com o Magnus, meio forçado né... assim como a aparição de uma nova personagem, a Maia, tipo "pra ninguém ficar sem um par". A exceção é o último capítulo que é muito bom e a relação entre Clary e Simon que é... "fofa" XD. Detesto histórias adolescentes como são tratadas em filmes e séries... mas aqui tá até legal, uma pena que o mala do Jace domina a maior parte do livro e a Clary. Livro mediano que caiu em relação ao primeiro.
comentários(0)comente



Sil 02/03/2016

UMA SÉRIE COM UM MOCINHO MALVADO…
Hellloooouuu pessoas,

chove e o clima está gostoso, mas não vou enrolar, tem muito assunto pra ser abordado:

Hoje o post será sobre uma série YA (Young Adults, ou: Jovens adultos): a série literária Os Instrumentos Mortais! Escrita pela autora norte-americana Cassandra Clare, a série vendeu milhares e milhões no mundo inteiro e conquistou muitos fãs!

Atenção: contém pequenos spoilers.
A série inicia com o livro Cidade do Ossos: Clary Fray é uma garota de 15 anos que é super protegida por sua mãe Jocelyn Fray. Certo dia, Clary vai para uma boate com seu amigo Simon Lewis e lá ela testemunha um assassinato. Acontece que somente ela consegue enxergar os três assassinos, mais ninguém, nem mesmo seu amigo! A coisa estranha não para por ai, os assassinos são Caçadores de sombras (humanos que são descendentes de anjos) e alegam que estão no mundo para protegê-lo dos seres do submundo (demônios)! What??? É isso mesmo! Certo, após passado o primeiro choque, Clary começa a ter contato com esse mundo e conhece melhor Jace, Isabelle e Alec (os caçadores de sombras assassinos da boate) conhece um mago muito poderoso chamado Magnus Bane, e sua mãe Jocelyn some misteriosamente (não exatamente nessa ordem). Na busca por sua mãe, Clary se apaixona por Jace, o nosso ogro mocinho da história. Não vou mais resumir além disso.
O segundo livro se chama Cidade das Cinzas, nesse livro Clary já esta um pouco familiarizada com o mundo dos caçadores de sombras e ela acaba encontrando e descobrindo parte do que queria. Á cada dia que passa, conhece Jace cada vez melhor, e nas atuais circunstâncias isso pode ser muito bom, mas também pode significar ruína. Seu amigo Simon lhe faz uma revelação, Clary descobre certas habilidades, revê alguém do seu passado e uma batalha com este se inicia. Algo além disso é dar muito spoiler.

O terceiro livro se chama Cidade de vidro, Clary ainda esta envolvida na batalha que finaliza o livro dois, vive ainda a descoberta das sua habilidades, usa-as de vez em quando, mas não entende exatamente como elas funcionam. A convivência com Jace, o monstro mocinho é uma montanha-russa de emoções e nada é certo. A batalha iniciada finalmente se encerra, Clary conhece um homem muito charmoso chamado Sebastian Verlac e fica na presença de um anjo.

O livro quatro se chama Cidade dos anjos caídos, uma nova ameaça surge, o grosseiro mocinho Jace, resolve ser mais intenso do que já era (e isso nem sempre é positivo), alguém está matando caçadores de sombras, um vampiro poderoso toma decisões perigosas, novos personagens são inseridos na história, algumas traições acontecem, e a batalha entre o bem e o mal não tem fim.
No quinto livro (ufa!), intitulado Cidade das almas perdidas, o vilão está mais poderoso do que nunca! Praticamente ninguém pode detê-lo! Simon tem sérios problemas em sua vida pessoal, alguns instrumentos mortais já foram encontrados, Clary vai para um mundo diferente, do qual não conhece nada. Jace esta diferente (e isso também não significa ser algo positivo), mais traições acontecem e o vilão sai ileso novamente.

O sexto e ultimo livro, se chama Cidade do fogo celestial, Simon arruma uma namorada, Jace volta ao normal (e isso pode ser perigoso), o vilão ainda está na área e muita coisa acontece.

A história termina bem? Não vou dizer, com as observações que vou fazer abaixo, talvez vocês tenham mais alguns pequenos spoilers, mas eu juro que não é nada que vá comprometer a leitura de ninguém!

Essa série chamou bastante a minha atenção por algumas coisas:

Como conseguem tirar sangue só de apertar as unhas na palma da mão? Sério, eu tentei fazer isso, não sai sangue assim fácil não ta?

Simon, eu adoro o personagem dele, o bom humor, as piadas, mas a mania de se oferecer facilmente pra morrer o tempo todo é irritante. Como se fosse tão fácil decidir: hoje vou morrer.

Personagens super malvadões, matadores, terríveis, mas que não me causaram medo, havia partes em que eu não conseguia levar eles á serio, falavam coisas clichês e soavam engraçados demais.

Jace é loiro ou moreno? Sério gente, posso jurar que ele sempre foi descrito como loiro com pele super branca, quase translúcida, mas do nada, li um trecho onde falavam da pele morena dele. Não tenho preconceito nem preferência, mas seria legal imaginar o personagem só de um jeito. Acredito que isso possa ter sido problema na revisão do texto.

Os homens dessa história fazem MIMIMI demais. Sempre se lamentando em como são terríveis, em conflitos interiores de personalidade, tudo bem, são livros pra jovens adultos, e os personagens são adolescentes, mas alguém pode se sentir tão fora do contexto assim?
A personagem da Clary tem o “tique” nervoso que tantas outras personagens principais também tem. Medo desses “tiques”. Alias, um personagem precisa ter “tique”? Por que isso está tão em alta?

Um diferencial da série, que foi bem divertido, foi o amor de Alec e Magnus Bane.

Uma coisa é clara: Poderia ter sido escrito em três livros, ou a historia poderia ter parado no livro quatro. A escrita arrastada e enrolada gerou seis livros de cerca de 400 páginas cada (mais dinheiro pras editoras). #Desnecessário. Devido á isso, já estou com medo de iniciar novas leituras, por exemplo: Se eu ficar (Gayle Forman) e Como eu era antes de você (Jojo Moyes), são livros que tem continuação, o que me deixa com a pulga atrás da orelha: Vão ser mais livros-enrolação ou vou realmente me divertir e emocionar com a leitura? Não entendo porque alguns autores insistem em fazer uma continuação para certas histórias (vai ver porque tem público pra ler ne?).

Eu já comentei em outro post sobre o gosto que os livros tem, infelizmente essa série teve um gosto bem semelhante á outras histórias que li recentemente.

Os livros são horríveis? Não! De forma alguma, é só que são personagens parecidos com os que existem atualmente em livros atuais, o que torna tudo um pouco menos interessante.

Espero que não tenha desencorajado ninguém de ler a série, ela vale a pena, caso você ainda não tenha lido muitos livros nesse estilo.

Abraços e boa quarta (dia de namorar!)

site: http://www.colunadovale.com.br/uma-serie-com-um-mocinho-malvado/
comentários(0)comente



I Love It Group 01/03/2016

Resenha de Raquel Muniz
O primeiro livro terminou de uma forma que deixou os leitores surpresos e ansiosos sobre o que aconteceria adiante. Jace e Clary são irmãos? Simon terá uma chance com Clary? O que Valentim realmente quer? O que aconteceu com Jocelyn, ela vai acordar? Prepare-se para se aventurar nesse livro com nossos queridos personagens. “Cidade das Cinzas” é um livro repleto de ação, que te prende até o final, com novos sentimentos florescendo e mistérios surgindo.

Após descobrir que Jace é seu irmão, Clary se sente indecisa e confusa, não sabendo o que fazer já que seus sentimentos por ele são tudo menos amor entre irmão e irmã, levando Jace a se encontrar na mesma situação, embora não transpareça. Com isso, no desenrolar dessa narrativa, ambos se afastam um pouco e tentam agir da maneira certa, como se fossem da “mesma família”, mas você observará que não será tão fácil como parece.

Há algumas reviravoltas com os acontecimentos do livro anterior. Simon que antes era apenas um coadjuvante, nesse enredo começará a aparecer mais. Entenderemos melhor sobre sua história e sobre as situações pelas quais ele está passando, além, é claro, do romance que está tendo com Clary, levando-o a se perguntar se ela está com ele porque gosta mesmo dele, ou só porque descobriu que ela e Jace são irmãos.

Fatos estão acontecendo ao mesmo tempo em Nova York, jovens estão morrendo sem explicação ou pista, embora hipóteses indiquem que faça parte dos planos de Valentim. Além disso, um dos instrumentos mortais sumiu e começam as especulações de quem está ajudando o perverso Valentim a realizar esses atos. Toda a culpa acaba caindo em cima de Jace, uma vez que foi notificado que ele é o filho perdido “Morgenstern”. Quem será que está por trás disso tudo? Será Jace o traidor?

“Gostaria de conseguir odiá-la [...] Quero odiar. Tento odiar. Seria muito mais fácil se odiasse. Às vezes acho que odeio, e depois quando te vejo eu... “

Posso afirmar que esse não é um dos meus livros preferidos da série, já que sou totalmente “Clace” e não têm muito do romance deles nesse volume. No entanto, é um livro fascinante e cheio de segredos, você vai adorar mais ainda e ficará doido para saber o resto da história.

site: http://www.iloveitgroup.com/#!resenha-cidade-das-cinzas/cj207
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ana 15/02/2016

Resenha: Instrumentos Mortais- A Cidade das Cinzas #2
Demorei imenso tempo para pegar na continuação de "Instrumentos Mortais". Não porque o primeiro fosse mau, muito pelo contrário; lembro-me de não ter poupado elogios ao enredo que Cassandra Clare criou, embora torcesse o nariz para o triângulo amoroso (algo que não sou fã). Não tenho desculpa para demorar tanto tempo a retornar a leitura desta brilhante serie, livros se puseram atrás de livros e outros assuntos pessoais que deixei de parte. Só com adaptação dos livros para série é que me despertou o interesse.

As melhores partes com continuações: não há necessidade de introduções. A história já nos foi apresentada, tal como as personagens principais e as peças-chaves do livro. E se os autores forem "espertos" podem usar isso a favor deles. Acredito que Clare foi esperta pois o livro não desapontou. Têm um ritmo muito mais apetecível para os leitores.

O que eu apreciei neste livro é que o foco não é apenas em Clary, mas sim em várias outras personagens que têm o POV, neste livro. Embora Jace não é das minhas personagens favoritas, gostei de ler sobre o conflito que ele passou em "A Cidade Das Cinzas". E o que mais gostei foi que esse conflito não era apenas o amor proibido que sente por Clary, mas sim, pela a sua família verdadeira e a sua família adoptiva. Não nos podemos esquecer da complexidade desta personagem. Muito por parte do seu passado abusivo, ele tornou-se o que precisou de se tornar para "ultrapassar" esse trauma, ou aparentar que o ultrapassou. Mas não podemos esquecer,para além daquele exterior rude e arrogante, Jace é uma personagem vulnerável e neste livro temos a percepção disso.

A jornada que Simon tomou neste livro, para mim, foi um dos pontos positivos do livro. Sim, já é algo cliché por toda a literatura fantástica, mas algo prendeu-me atenção. Talvez porque o personagem em questão ser Simon Lewis.

Uma personagem nova que me chamou atenção foi Maia, a lobisomem que pertence à matilha do Luke. Espero vir a ter mais dela no próximo livro; achei-a cativante e com um passado um pouco sombrio. Os poucos capítulos que ela apareceu deixaram-me com água na boca para saber mais sobre esta personagem.

Claru permanece uma protagonista sólida. Não cansa de ler sobre ela. Tem todas as qualidades de uma "mulher forte", mas ao mesmo tempo muito vulnerável. Ela é carismática.

Sou grande apreciadora de romances amorosos e esteve muito presente neste livro, infelizmente. A única relação que realmente me dá gosto de ler é entre Magnus Bane e Alec. Acho que é a única relação "saudável" e "sem dramas" que o livro trás. Está entre aspas, pois um destes ainda não aceita bem a sua orientação sexual. Acho que este tema está bem abordado por parte da autora e mostra o que muitos passam antes de se aceitarem a eles mesmos.

Este livro está recheado de acção. Têm um ritmo acelerado, embora os capítulos sejam um pouco longos, mas como alterna de personagem para personagem - como de se sub capítulos se trata-se - o ritmo não quebra.

"Os Instrumentos Mortais" têm uma trama muito bem orquestrada e um universo muito bem construído.

Mal posso esperar pelo o terceiro!
comentários(0)comente



Rafael 10/02/2016

No mundo dos Caçadores de Sombras, ninguém está a salvo.
A resenha pode conter spoilers do primeiro livro.

Como deixei claro na resenha de Cidade dos Ossos, não gostei tanto do livro e, por isso, iria dar uma pausa na série. Mas gostei tanto de Shadowhunters, que resolvi dar mais uma chance aos livros e comecei Cidade das Cinzas. E agora ao finalizá-lo, posso dizer o quanto a série subiu no meu conceito e quão animado estou para os próximos.

Não só a história como os personagens evoluíram e muito em relação ao primeiro livro. E isso tudo graças à escrita de Cassandra Clare, que cresceu bastante. A forma como ela escreve é brilhante e você realmente consegue "acreditar" que aquele mundo existe. Aliás, o mundo dos Caçadores de Sombras se expande mais nesse volume e a mitologia da série ganha várias novidades e personagens, dentre eles Magnus Bane. Gosto mais do Magnus na série, mas o feiticeiro também me ganhou nos livros e tem várias falas irônicas, assim como Jace, que também tornou-se mais forte emocionalmente, mesmo com sua vida sendo virado de cabeça a baixo novamente nesse livro.

Clary também deixou um pouco de lado aquele jeito passivo (deixá-lo todo seria milagre até demais, não é?) e está mais decidida sobre o que quer. Aliás, foi nesse livro que comecei a gostar e torcer realmente por ela e Jace como um casal, mesmo com toda a tensão reprimida entre eles por serem filhos de Valentim (além do que indícios de que Jace possa não ser filho dele começam a aparecer). E o vilão é outro que "evoluiu" nesse volume, seu jeito manipulador e mal caráter está muito mais afiado do que o primeiro e ele usa e abusa disso para tentar trazer Jace para seu lado, pois sabe que entre ele e Clary, o garoto é o mais fraco por não ter tido os pais na infância.

Alec também tem um destaque muito maior aqui, inclusive com o começo de seu romance com um certo personagem. Inclusive, depois que esse relacionamento começa, o personagem ficou mais solto, enquanto em Cidade dos Ossos era chato ao extremo. Também vemos que Izzy vive um romance proibido, mas é Simon que rouba o destaque entre os três aqui. O personagem sofre uma reviravolta que me deixou surpreso (já sabia que isso acontecia, mas achei que era só no terceiro livro) e, claro, isso vai afetar um pouco seu relacionamento com Clary.

Cidade das Cinzas é o típico livro que, qualquer informação pode ser um tremendo spoiler, mas com certeza ele conseguiu superar o primeiro. Mal vejo a hora de ler Cidade de Vidro, afinal todos dizem que ele é o melhor da série. Espero não me decepcionar!

site: http://crushforbooks.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Kess.Nogueira 07/02/2016

Clary, após ter sua vida transformada do dia para noite, depois de descobrir que na
verdade ela é uma Caçadora de Sombras – assim como sua mãe, que está em uma
espécie de coma induzido por magia – e de descobrir que Valentin, o verdadeiro
vilão da história é seu pai e que Jace – o garoto que ela ama – é na verdade seu
irmão, tudo o que ela quer é voltar à vida normal.O que agora é impossível, e Jace
após ser arrasado com as descobertas,começa a apresentar um comportamento
rebelde que pode colocar não somente a ele,mas todos os seus amigos em risco.
Em quanto isso, jovens do submundo estão sendo assassinados de forma
misteriosa,sem deixar pistas do assassino. Deixando os todos os seres do
submundo exaltados e preocupados, o caso é levado a Clave para ser investigado,
mas a maior prioridade da Clave no momento é encontrar Valentin e o Cálice
Mortal, que está em seu poder agora. E para piorar tudo a Espada Mortal também
é roubada da Cidade do Silêncio. E Jace por ser o filho de Valentin é considerado
o principal suspeito.
A continuação da série Instrumentos Mortais, é emocionante e cheia de surpresas e
novas informações, com relação ao primeiro livro não tem tantas cenas de ação,
embora no final há cenas de lutas que compensam pelo livro todo.É um pouco
mais dramático em relação ao primeiro, alguns dos acontecimentos são bem
intensos.Muitos não gostam muito do 2° livro,mas em particular acho muito
bom,só não é melhor porque você acha que finalmente uma coisa vai ser revelada
ai no final da tudo errado e sobra para o 3° livro responder,mas com certeza é uma
continuação muito boa.
comentários(0)comente



Márcia 29/01/2016

Diferente de "cidade dos ossos", consegui ler esse livro com uma distância maior dos personagens e da história. Considero isso como um amadurecimento meu enquanto leitora pois ler um livro e morrer de raiva com as maselas da vida dos personagens não é muito agradável - principalmente no primeiro volume de série em que o final não é feliz. Fiquei numa tensão insuportável e deixei - propositadamente - que se passassem vários meses até iniciar "cidade das cinzas".

Os personagens são os mesmos. Apenas Jace e Clare aparecem um pouco mais retraídos, um pouco mais calejados por tudo que agora sabem - embora a língua de jace continue tão afiada quanto sempre.
Minhas impressões sobre Clare não mudaram - a protagonista é corajosa, sem ser burra; apaixonada, sem ser retardada (porém um pouco covarde, mas incesto é meio complicado...). e Simon. Bem, Simon ainda é aquele amigo nerd-chiclete.
Sinto algo como nojo e pena dele. Ele é meio ridículo em sua tentativa de superar Jace.

A narrativa é a mesma: rápida e hipnotizante, embora dessa vez eu não vibrasse na cama de ansiedade (me convenci de que leituras assim fazem mal). Cassandra sabe como te prenter.


comentários(0)comente



Paraíso dos Livros 26/01/2016

Resenha | Cidade das Cinzas - Cassandra Clare - Livro 2

ATENÇÃO: Esta Resenha contém spoilers

No Final do primeiro volume de instrumentos mortais, descobrimos inesperadamente que Clare e Jace são irmãos, filhos do vilão Valentim e Jocelyn. Neste segundo livro da série, as consequências desta grande revelação acaba recaindo sobre Jace, sendo acusado de estar ajudando seu pai Valentim em seu plano diabólico contra a Clave.
Se em " Cidade dos Ossos", Clare é introduzida no mundo dos caçadores de sombras, agora em "Cidade das Cinzas", ela procura se manter afastada. Porém por diversas razões se vê obrigada a voltar para o Instituto, pelos atos inconsequentes de seu irmão. Este também é um livro decisivo para Simon que tem sua vida completamente mudada.

Apesar de Jocelyn continuar em coma, o foco passa ser Valentim. Temos muitas cenas interativas com todos os personagens em conjunto, pois tanto Luke, Magnus, Simon e os caçadores de sombras procuram desvendar os mistérios que se esconde por trás da busca determinada de Valentim pelos instrumentos mortais.

Também conhecemos duas novas personagens importantes Maryse Lightwood (mãe de Izzy, Alec e Max) e a Inquisidora Imogen Herondale. Jace, mostra-se mais agressivo, instável e sem controle procurando seu pai mesmo quando não deveria, intrigando a todos a sua volta, principalmente a Inquisidora que o persegue.

Os sentimentos mal resolvidos de Clare e Jace também se farão presentes, fazendo Clare começar um relacionamento com Simon sem entender direito o que quer para si, enquanto Jace parece não se importar que a jovem é sua "irmã", continuando atraído por ela de forma carnal. Tudo isso gera ciúme e inconformismo, induzido Simon a uma escolha não muito positiva após um episódio perfeito para os fãs de "Clace" e drástico para quem gosta do personagem de Simon. Fiquei preocupada que o personagem perdesse sua essência após o ocorrido mas Cassandra Clare, conseguiu manter o melhor do personagem deixando-o mais forte.

O líder dos vampiros Rafael, terá relação direta a Simon, fica a dica. Magnus também está mais ousado e interrogativo do que nunca em "Cidade das Cinzas", além de uma "suposta relação" ficar no ar com Alec, que não confirma os fatos, mas sempre sabe como chegar a Magnus. Em relação a Izzy descobrimos que a jovem tem uma relação significante com o mundo das fadas. Também temos o primeiro conflito direto com Valentim que na minha opinião foi uma das melhores parte do livro. Muitos fatos importantes são discutidos durante a luta de demônios.

Gostei muito de "Cidades das Cinzas" pois apesar de ser um livro menos descritivo, contém muito mais cenas ação do que o primeiro, revelando muitos elementos novos sem cair da monotonia. A revelação que Clary sendo mais poderosa do que acredita, Simon transformando-se em um "filho da noite", Jace sendo questionado, interrogado, punido e fragilizado, Luke e seu bando aparecendo para somar, Magnus e Alec em interagindo em momentos quase românticos e Valentim mostrando toda sua maldade com maestria, fazem esse livro entrar para os meus favoritos. Além de o final ser perfeito! Afinal Jocelyn ainda faz parte da história, certo? Tenho certeza que quem é fã vai gostar. #Recomendo
comentários(0)comente



Karina 26/01/2016

Resenha | Cidade das Cinzas - Cassandra Clare - Livro 2
ATENÇÃO: Esta Resenha contém spoilers

No Final do primeiro volume de instrumentos mortais, descobrimos inesperadamente que Clare e Jace são irmãos, filhos do vilão Valentim e Jocelyn. Neste segundo livro da série, as consequências desta grande revelação acaba recaindo sobre Jace, sendo acusado de estar ajudando seu pai Valentim em seu plano diabólico contra a Clave.
Se em " Cidade dos Ossos", Clare é introduzida no mundo dos caçadores de sombras, agora em "Cidade das Cinzas", ela procura se manter afastada. Porém por diversas razões se vê obrigada a voltar para o Instituto, pelos atos inconsequentes de seu irmão. Este também é um livro decisivo para Simon que tem sua vida completamente mudada.

Apesar de Jocelyn continuar em coma, o foco passa ser Valentim. Temos muitas cenas interativas com todos os personagens em conjunto, pois tanto Luke, Magnus, Simon e os caçadores de sombras procuram desvendar os mistérios que se esconde por trás da busca determinada de Valentim pelos instrumentos mortais.

Também conhecemos duas novas personagens importantes Maryse Lightwood (mãe de Izzy, Alec e Max) e a Inquisidora Imogen Herondale. Jace, mostra-se mais agressivo, instável e sem controle procurando seu pai mesmo quando não deveria, intrigando a todos a sua volta, principalmente a Inquisidora que o persegue.

Os sentimentos mal resolvidos de Clare e Jace também se farão presentes, fazendo Clare começar um relacionamento com Simon sem entender direito o que quer para si, enquanto Jace parece não se importar que a jovem é sua "irmã", continuando atraído por ela de forma carnal. Tudo isso gera ciúme e inconformismo, induzido Simon a uma escolha não muito positiva após um episódio perfeito para os fãs de "Clace" e drástico para quem gosta do personagem de Simon. Fiquei preocupada que o personagem perdesse sua essência após o ocorrido mas Cassandra Clare, conseguiu manter o melhor do personagem deixando-o mais forte.

O líder dos vampiros Rafael, terá relação direta a Simon, fica a dica. Magnus também está mais ousado e interrogativo do que nunca em "Cidade das Cinzas", além de uma "suposta relação" ficar no ar com Alec, que não confirma os fatos, mas sempre sabe como chegar a Magnus. Em relação a Izzy descobrimos que a jovem tem uma relação significante com o mundo das fadas. Também temos o primeiro conflito direto com Valentim que na minha opinião foi uma das melhores parte do livro. Muitos fatos importantes são discutidos durante a luta de demônios.

Gostei muito de "Cidades das Cinzas" pois apesar de ser um livro menos descritivo, contém muito mais cenas ação do que o primeiro, revelando muitos elementos novos sem cair da monotonia. A revelação que Clary sendo mais poderosa do que acredita, Simon transformando-se em um "filho da noite", Jace sendo questionado, interrogado, punido e fragilizado, Luke e seu bando aparecendo para somar, Magnus e Alec em interagindo em momentos quase românticos e Valentim mostrando toda sua maldade com maestria, fazem esse livro entrar para os meus favoritos. Além de o final ser perfeito! Afinal Jocelyn ainda faz parte da história, certo? Tenho certeza que quem é fã vai gostar. #Recomendo
comentários(0)comente



GeL 13/01/2016

Resenha do blog Garotas entre Livros
Chegamos ao segundo livro da série Os Instrumentos Mortais - Cidade das Cinzas – e Cassandra Clare me lembrou porque gosto tanto desses livros!

Li Cidade das Cinzas pela primeira vez em 2011, louca de curiosidade pra saber como todas as confusões do primeiro livro iriam se desenvolver... Nessa releitura eu pude ir com calma e analisar os detalhes, uma dica sobre os livros da Cassie Clare é ficar ligado nas entrelinhas. Ela está montando uma trama, vai deixando pistas pelo caminho como migalhas de pão... lá na frente (se prestar atenção aos detalhes) você com certeza vai ter um estalo e dizer: “Caraca! Essa mulher me deu a resposta disso no primeiro livro, mas só no terceiro ficou claro...” rsrsrs

Enfim, vamos ao livro... Se você não leu o primeiro não aconselho a ler essa resenha porque pode conter SPOILERS!

“Talvez fosse verdade o que a rainha Seelie dissera, afinal:
o amor transformava as pessoas em mentirosas.”

Tudo continua muito complicado no mundo dos caçadores de sombras. Valentim está com o Cálice Mortal e suas intenções não param apenas no primeiro dos Instrumentos Mortais. Uma investigação se inicia e a Clave quer saber onde está o procurado número 1 do mundo dos Nephilins, e qual a melhor forma de descobrir essa informação? Isso mesmo, através dos filhos de Valentim! Como Clary não foi criada por ele, ela é logo dispensada, mas Jace por outro lado...

“Nem tudo que Jace fazia era insano ou suicida,
ela lembrou a si mesma. Apenas parecia ser.”

Nosso queridinho é muito perseguido nesse livro traições acontecem, reações inesperadas, socorro de onde menos se espera e muitas meias palavras e suspeitas são levantadas. Se você pensa em encontrar respostas nessa seqüência, isso não vai acontecer! Sério, os dramas e problemas só vão se complicando e aumentando cada vez mais.

“O desejo nem sempre diminui com o desgosto. Nem pode ser outorgado,
como um favor, aos mais merecedores.”

Novos personagens aparecem e nos embrenhamos mais no submundo... fadas, vampiros, lobos e feiticeiros aparecem mais em Cidade das Cinzas e através deles conhecemos mais dos planos de Valentim. Eu gostei muito disso, ler o livro sob o ponto de vista de um membro do submundo traz uma perspectiva nova e interessante para o leitor.

“A Clave não faz ameaças, Lucian Graymark.
A Clave faz promessas, e as cumpre.”


Minha avaliação continua sendo baseada nos livros da própria Cassandra, nessa sequência eu consegui ver a evolução na escrita. Na resenha de Cidade dos Ossos eu cheguei a comentar que o livro era narrado em terceira pessoa e que ela tinha a possibilidade, nesse estilo narrativo, de abrir a história e mostrar pontos de vista de diferentes personagens, o que não fez focando 90% do livro na visão da Clary. Em Cidade das Cinzas isso já muda, eu amei essa mudança! Agora sim podemos ver a construção de cada cena para chegar a um determinado ápice. Com informações apenas para esse livro e as ‘migalhas’ sendo deixadas para os próximos, só posso dizer que adoooooro!!

Parabéns Cassandra, você está cada vez melhor!

Se você já leu Cidade dos Ossos, siga em frente e continue no mundo dos Caçadores de Sombras!

Ps.: A minha edição é a 7ª que comprei em 2013 na Bienal do RJ, sem brilho destoando da minha coleção infelizmente... Mas confesso que gostei do “sem brilho” porque na edição “com” tem brilho até na orelha e enquanto você lê fica refletindo na luz e comigo ficava me atraindo/incomodando haha – a louca atraída pelo brilhinho do livro – enfim, é um pouco incomodo apesar de lindo na estante.

Diferente de Cidade dos Ossos com a capa fosca, um pouco de brilho e nenhum na orelha... amor eterno por essa edição de CdO . No futuro eu irei fazer um post ou quem sabe um vídeo mostrando os meus livros e falando de toda essa questão de edição e capas diferentes.

Em breve nos encontraremos na resenha de Cidade de Vidro
Até breve!

site: http://livrosentregarotas.blogspot.com.br/2014/07/resenha-39-cidade-das-cinzas-os.html
comentários(0)comente



jacky 02/01/2016

Legal
Jacy e Claire tentam impedir Valetim de montar um exército de monstro despolis que ele roubou mais um instrumento mortal.
comentários(0)comente



Padronizado 23/12/2015

Resenha: Cidade das Cinzas - Cassandra Clare
Atenção: essa resenha pode conter spoilers de Cidade dos Ossos.

Segundo livro de Instrumentos Mortais, Cidade das Cinzas me irritou bastante. Desculpa, gente, mas eu shippo Clary e Jace. E esse livro me matou aos pouquinhos por isso. Fiquei a leitura inteira desejando que os dois ficassem juntos.
Isso não poderia acontecer por que, como lemos no primeiro livro (resenha aqui), os dois são irmãos. Sim, exatamente. E como eu chorava, gritava, morria cada vez que a Clary pensava nele assim.
Em Cidade das Cinzas, Jace está agindo mais como um bad boy que o normal, e, após o roubo do segundo dos instrumentos mortais, todos pensam que ele está cometendo uma traição à Clave - e ajudando o pior vilão da história, Valentim. Que também é pai dos dois.
Sem saber em quem acreditar e com a nova atitude de Jace, temos a trama do segundo livro, que eu li correndo por causa de alguns spoilers - que eu mesma procurei!!! - do terceiro livro.
Achei a escrita de Clare bem melhor no segundo livro que no primeiro, mais energizante e me fez gostar bem mais da série. E olha que esse também não é um dos melhores!

site: http://blogpadronizado.blogspot.com/2015/12/resenha-cidade-das-cinzas-cassandra.html
comentários(0)comente



dani 20/12/2015

melhor da série
Uma fascinante ficção entre nephillins e mundanos contada pela visão de Clary no segundo livro da série, onde no mundo dos caçadores das sombras ninguém está realmente seguro.
Jace se depara com um enorme desafio para sua vida: seu pai é do bem ou do mal? E só resta a ele saber a resposta. Lutar contra o mal já é algo comum na rotina dos wayland, mas como se sentir quando ninguém acredita em você?
Um livro de muitas surpresas, reviravoltas e principalmente muita ação, novos personagens vão nos deixando com curiosidade a mil nas nossas mentes.
a história gira em torno de Jace com a Inquisidora. Ele esconde algo que não conseguimos acreditar.
Depois de sua expulsão do instituto Jace muda, e Clary é a única que consegue ajuda-lo a perceber o que é certo e o que é errado. Uma série de acontecimentos marcantes realmente importantes para a história, pontos que nos marcam e nos deixam curiosos para uma continuação.
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7