A Cabana

William P. Young



Resenhas - A Cabana


1790 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Vinicius ! S. R 05/01/2010

Lixo Puro !
Ruim ! Ruim demais ! o livro é realmente muito ruim, certamente é o pior livro que (com muito esforço) li, perguntas teológicas ? esse livro não responde nenhuma ! teorias teológicas ? nenhuma novamente ! origem de deus ? negativo ! sentido da vida ? nem pensar !... se estão em dúvida em ler ou não... vão numa igreja qualquer e façam alguma pergunta para o padra/pastor, mas nada muito objetivo... como "se Deus me ama porque me maltrata ?" o padre provavelemnte vai ficar te enrrolando com palavras bonitas e não dizer nada... é mais ou menos assim o livro, tirando a parte das palavras bonitas, porque além de tudo é mal escrito, sem contar que no fim tem um super projeto de salvar a humanidade do autor... me deu até nojo... bem.. se querem saber sobre Deus aconselho lerem algum filósofo, como: Descartes, Parmênides, Heráclito... ou então o livro "Valis" esse sim vale a pena! pois esse... a única reflexão que me trouxe foi "porque raios comprei isso?"
Yorg 06/01/2010minha estante
Recebi uma mensagem que perguntava: "Pq não gostou de 'A cabana'", copiei sua resenha e respondi. Claro que citei a fonte.


Nádia 13/01/2010minha estante
Olha concordo muito com você. Eu sou uma pessoa católica, mas tive muita dificuldade para finalizar esse livro! Achei muito utópico, e "mundinho feliz" a história. Ele realmente não esclarece nada, e te cansa! Achei muito exagero ao redor do livro, mas cada um tem direito de ter um gosto, não é verdade? rss


Félix 24/01/2010minha estante
Perfeita a sua resenha, foi exatamente o que achei.


silcarina 19/02/2010minha estante
Mais um caso de supervalorização?


Jhow 26/04/2010minha estante
É claro que achou um lixo! É muito difícil- quase impossível - gostar de algo quando se espera que seja uma coisa e é outra totalmente diferente?

Pela sua resenha posso ver que com certeza você, talvez justamente por já estar com certo preconceito, não entendeu BOA parte do livro... talvez tenha lido superficialmente, não sei.

Mas uma questão muito importante que é abordada no livro e também faz parte do conjunto de crenças das pessoas é: certas perguntas estão acima da mente humana. Nossa busca pelas respostas não são o suficiente para consegui-las. E partindo do pressuposto apresentado no livro e pelo cristianismo original (e não pelo deturpado que temos nas igrejas de hoje), não há filósofo ou cientista que ocnsiga compreender completamente algo que é maior do que ele.

Apesar de gostar MUITO do livro, concordo que ele não é bem escrito, o que não impede de ser um livro interessante com perguntas concisas pra as questões apresentadas... Para que responder questões teológicas se a intenção do autor é justamente dizer que questões teológicas são inúteis com algo que está acima da lógica?

O problema todo é que nossa mente não consegue se libertar da ilusão de que podemos saber tudo e não sabemos nem a hora que estamos com fome...



Vinicius ! S. R 02/08/2010minha estante
Tudo bem.. entendo que esse possa ser o objetivo do livro, aliás, foi justamente isso que disse na resenha, ele na dá respostas, mas creio que a propaganda feita em cima dele esta errada então, lendo a sinopse do filme realmente se imagina uma espécie de tratado teológico, que apela para uma racionalidade e não para sentimentalismo, e mesmo assim não entendo por que alguém compraria um livro que transmite a idéia central : você não pode entender isso.... isso vai contra a pró´ria função de um livro...


Rafael Moss 27/09/2010minha estante
Sua resenha soa como alguém que não encontrou uma resposta nesse livro. Você pode até negar que não o leu procurando a resposta de algo, mas sua irritação mostra claramente que sua resposta não foi satisfeita.
A verdade é que você procurou no lugar errado. =/


Vinicius ! S. R 09/10/2010minha estante
Foi isso que disse...
mas se alguém achou a resposta ficaria grato ao me dize-la.


Vinicius ! S. R 12/01/2011minha estante
Uma sugestão para quem deseja ler o livro, leiam o conto "mistério de assassinato" do Neil Gaiman, o qual o propósito é o mesmo desse livro, só que com sentido, bem escrito e conclusivo (dentro do possível).


Rebeca 28/01/2011minha estante
Polêmica ca ca ca


Adriel 02/03/2011minha estante
Ninguém deve julgar um livro por ele não ter atendido suas expectativas. O objetivo de A Cabana é passar uma mensagem ao leitor, tanto que o autor mesmo diz que depende de você se quiser acreditar naquilo ou não.

Eu sou cético em relação à muita coisa, sempre preferi a ciência à Teologia, mas o livro me passou uma mensagem profunda e se eu imaginasse como seria Deus, bem, acho que seria justamente como é mostrado neste livro.

Reforçando, o objetivo do livro não é responder à todas as questões da origem de tudo e sim passar uma mensagem para o leitor, que pode afetá-lo profundamente ou não. Logo, sugerir uma literatura de Teologia ou Filosofia para refutar o que se diz no livro, não é algo que eu chamaria de racional.


Bruna 31/03/2011minha estante
Bom argumento, gostei do livro pela mensagem final dele... Mas senso crítico todos temos que ter e gostei do seu, e concordo plenamente, pensando em um ponto racional.


Marct 10/07/2011minha estante
Ainda bem que não comprei nem troquei essa droga. Detesto religião.


Matheus 06/08/2011minha estante
Comentário perfeito!...uns dos piores livros que já li tb...total perda de tempo!


Kellmsa 15/08/2011minha estante
Ainda bem que não foi apenas eu que odiou essa porcaria.

me deram de presente e OLHA que sou ateia.

livro chato, apelativo e ruim.

ABANDONEII


Vinicius ! S. R 06/09/2011minha estante
O livro n se torna religioso pq tem Deus, até mesmo pq muitas religiões n usam um Deus como um principio, como o Budismo.... o que o torna um livro religioso é a fé. E o que o torna um livro católico é toda utilização da simbologia católica...


Heitor Moizes S 10/10/2012minha estante
Na verdade esse livro não fala sobre Deus fala sobre a vida do homem que perdeu a filha, esse livro não é teológico ele busca sessar algumas e fazer novas perguntas de como estamos vivendo. Sem duvida esse é um dos melhores livros que eu já li!


Michelle 01/11/2012minha estante
Ainda não acabei de ler, mais estou encantada, acho que o autor consegue perfeitamente passar a mensagem que queria, vamos respeitar as opiniões, mais estou amando!!!!Imagino Deus do jeitinho que estou lendo,queria muito ser o Mack, certeza que Deus ia me dar otimas lições !!!!!


Nat 11/12/2012minha estante
Concordo, a única coisa que o livro ensina é que para se ter paz devemos perdoar quem nos fez algum mal - nesse caso, o criminoso que sequestrou, estuprou e matou a filha do protagonista.
Nunca li um LIXO como esse.


Kelly 26/01/2013minha estante
Confesso que achei um pouco cansativo em algumas partes, mas não achei o livro ruim, muito pelo contrário, na minha opinião o livro leva a uma reflexão dobre os acontecimentos tristes, frustrantes e até inesperados que nós, dentro de nossas limitações humanas não conseguimos compreender com clareza.


Felipe 27/01/2013minha estante
Concordo com você que o livro no início demora um pouco para o desenrolar, porém, na minha opinião, e eu repito, minha opinião... acho você leu o livro apenas por ler, talvez porque este livro era moda...não estou afirmando, mas é uma possibilidade. O livro, assim como A Travessia, tem um começo muito cansativo, porém, é um livro sim de fantasia, meio utópico, sobrenatural. Você não acreditou mesmo que as respostas que você busca sobre Deus estaria neste livro? Bom, para mim, quando preciso de respostas, o que é de praxe, vou até a bíblia, lá sim encontro o que procuro. Acredito você leu este livro com muita religiosidade...Para mim, foi de suma importância ler esse livro no momento em que li, talvez por isso eu tenha gostado tanto. Mas respeito a sua opinião e parabens pela sua resenha. Abração.


Pedro 17/02/2013minha estante
Cara, o livro não é um lixo, só o final que é podre. É o típico final feliz chato e sem surpresas.


Milena 22/02/2013minha estante
Não teve bem um final feliz, alias o livro em si não é para você se envolver com a história, e sim chegar em pontos que você se indentifique com ele. Mas acho o autor poderia ser mais direto em seu ponto de vista e dialogos que muitas vezes ficaram confusos.


Bruno Oliveira 07/03/2013minha estante
Acho que alguns pontps que você colocou são verdadeiros, Vinícius. O livro coloca como tema central a questão do mal, é ela que conduz a história e é ela também que não é respondida. Se o livro não nos dá respostas - já que elas seriam maiores que nós - por que afinal teríamos que concordar com o cristianismo, sendo ele também uma forma de resposta a essas questões?

Se nem deus em pessoa consegue dizer seus motivos, por que tenho que concordar com o que ele me diz? Supor que ele exista e que não seja uma ilusão?

Eu fiquei com a impressão de que o autor tenta cativar esteticamente o leitor ao ponto que ele mais esqueça suas inquietações e as direcione para a adoração de um deus que é dado, mas não justificado, como se todos fossemos, no íntimo, cristãos enrustidos, prontos para se reconciliar com deus se eles nos falasse com jeitinho.


Paulinha 30/03/2013minha estante
Quando a pessoa não tem profundidade acha tudo ruim mesmo... Também não gosto de livros de auto-ajuda mas me surpreendi com A Cabana... Um livro ótimo...


Carolina 06/04/2013minha estante
Achei o livro horrível e continuei com a mesma dúvida em relação a Deus. Porque ele não salvou a garotinha?
Se esse provavelmente o melhor livro que alguém já leu, então essa pessoa é pobre de leitura.


Paulinha 13/04/2013minha estante
Não acho que o livro seja um lixo puro, muitíssimo pelo contrário, acho que tem muita gente que se afasta de Deus e por isso acha tudo relacionado a Ele ruim. O mundo está cada vez mais perdido justamente por causa de gente como você.


Lindonor 16/04/2013minha estante
Não consegui terminar de ler este livro(e olha que isto é difícil hein). Acabei trocando ele em um sebo. Muito ruim mesmo! Odiei!


Vlads 22/04/2013minha estante
lixo puro realmente independente de resposta ou nao resposta o livro e apelativo e extremamente mal escrito ridiculo um dos piores q ja li....odiei tb li com raivae odio ate o final pq n consigo abandonar livro


Adv 03/05/2013minha estante
Você se mostra pobre de espírito com esses argumentos empobrecidos sobre esta obra.
Em nenhum momento no livro, o autor põe Deus como o ser absoluto, o Todo-Poderoso, que as instituições religiosas o define. Ele parte do princípio que Deus se coloca no nível humano e se limita.


Nathalia 06/06/2013minha estante
Concordo plenamente com você! Inicialmente ele é interessante pelo fato do suspense, mas depois fica incrivelmente entediante, ou seja, o livro só presta nos primeiros capítulos. Quando anunciei que estava interessada em ler as pessoas falaram que minha fé teria que ser forte naquele momento, pois o livro questionaria a isto, mas ele é tão pobre e, de uma certa forma, tão previsível que você acaba desistindo dele.


Priscila 12/07/2013minha estante
Comecei a ler e até q estava interessante o suspense no começo, mais depois...não deu abandonei, muito chato cansativo, o livro é curto mais vc não consegue terminar de ler.


Licia 14/07/2013minha estante
Péssimo livro , no começo parece ser aquelas histórias de filmes americanos com serial killers , mas depois o livro se torna chato entediante e muito confuso , sem contar algumas partes de duplo sentido que pude constatar nesse livro . Logo nas primeiras páginas desanimei de ler , mas fui além na esperança da coisa engrenar . O livro acabou e nada aconteceu , não recomendo .


Taciane 17/07/2013minha estante
Ufa! Encontrei pessoas que concordam comigo. Quase fui massacrada quando falei que não tinha gostado desse livro. Me forcei a ler todo pra ver se acontecia algo surpreendente e...nada!!!


Vinicius ! S. R 19/07/2013minha estante
Não sabia que minha resenha continuava a ser comentada heuaheae Talvez eu tenha "pecado" em fazer uma análise apenas do conteúdo, é que minhas frustrações foram grandes. Mas independentemente de ter respostas ou não, o livro é muito mal escrito. E me desculpe quem diz que não gostei por "não acreditar" em deus. Mas acredito que uma obra literária que para ser apreciada dependa de sua fé não possuí grande valor literário já que não se faz autossuficiente em si...


Gustavo 24/07/2013minha estante
achei um lixo e escrevi uma critica aqui: http://orbisfactor.blogspot.com.br/2011/03/muito-tem-se-falado-sobre-o-best-seller.html


Pê Gonçalves 01/08/2013minha estante
Eu me sentia isolada quando dizia 'Não gosto de A Cabana", nunca ninguém concordou comigo! De repente abro aqui e vejo que tem uma boa galera que também não curte.
Diferentemente do Vinicius, não consegui terminar de ler. Enquanto eu lia eu bufava ao mesmo tempo, e quando o cara "encontra Deus", não aguentei e fechei o livro...


PRI 04/08/2013minha estante
O meu problema (e creio que foi o problemas dos que não curtiram A cabana)é que fui seca achando que era um suspense, mas na metade ele vira outra coisa, é uma ideia original de se ver as coisas ,mas não me agradou.


Georgina Maria 05/08/2013minha estante
Nossa! Coisa boa encontrar inúmeros parceiros e tão jovens! Tb achei esse livro uma bosta! E fiquei como vc Vinícius, me perguntando: Mas pq eu comprei esse troço????


Bells 14/08/2013minha estante
uma palavra descreve o livro:APELO SENTIMENTAL


DAUGE 04/09/2013minha estante
Concordo com sua resenha,o livro realmente é um caos,e confesso que perdi parte de meu sagrado tempo lendo esse livro.O livro como mencionou não apresenta nada de novo sobre Deus além das mesmices do cristianismo.Esperava conceitos novos sobre o espiritual ainda que não fossem plausíveis.Se querem conceitos diferentes sobre Deus leiam Nietzsche ou algo mais ameno como Memnoch de Anne Rice.


Taynara Santos 09/09/2013minha estante
Concordo e concordo MUITO. Foi a pior aquisição que fiz na minha vida. Eu não aguentei, abandonei o livro um pouco depois da metade. HORRÍVEL


Gabi 09/10/2013minha estante
Concordo na maioria do post. Comecei, recomecei e por fim, desisti, pois as ideias do livro são totalmente contrárias ao meu pensamento. Portanto, julguei que nao seria enriquecedor tal leitura.


Camila 17/10/2013minha estante
Concordo total, fui persistente achando que o livro ia melhorar, que não era possível, que tinha de ter algum mistério, mas não, a pior aquisição que já fiz!


Sena 06/11/2013minha estante
Nesse caso, desisti de comprar.


Nanda 06/11/2013minha estante
Nossa, que horror! Uma vez elogiaram esse livro para mim e eu me interessei, achando que seria algum suspense ou coisa assim. Entretanto, não me lembrava de ter ido até a livraria, lido a sinopse e ter largado o livro imediatamente. Agora acabei de lembrar! Está por R$6,00 na Estante Virtual, para quem quiser se (des)aventurar.


Rhuan 13/11/2013minha estante
não seria melhor ler a Bíblia? a filosofia não passa de teorias não comprovadas (é assim que penso, e respeito sua opiniao).


Larissa 19/12/2013minha estante
Acho que a grande rejeição desse livro foi porque as pessoas começaram a ler esperando um suspense e tal, mas ele tem um forte cunho religioso na verdade...a idéia é aquela de mostrar como o personagem enfrentou seus tormentos com a ajuda de Deus que foi representado de forma bem inusitada, confesso que não amei o livro, mas faltou para muitas pessoa interpretá-lo.


Vitória 02/01/2014minha estante
Comecei a ler achando que teria algum suspense, então começaram a falar de Deus e não chegava em um ponto, ficou chato, não concluí a leitura. Horrível.


Cleide 11/01/2014minha estante
Achei entediante e cansativo por não entender direito a mensagem que foi passada nesse livro. Não consegui chegar nem a metade. Joguei dinheiro fora!


Naty 16/01/2014minha estante
Apoiado! Livro muito ruim.


Jhenyffer 16/02/2014minha estante
Concordo plenamente. O livro é tão entediante que não consegui terminar de ler.


Suelen 26/03/2014minha estante
Tão ruim, que nao consegui chegar nem na metade do livro!
Ao meu ver, o que descreve perfeitamente esse livro, seria a palavra: Intediante


Miranda 14/04/2014minha estante
Nossa, concordo muito. Cheguei até a metade com muito esforço. Muito ruim mesmo. Engraçado é que sempre me indicaram como sendo um livro ótimo. Não achei.


the 22/04/2014minha estante
eu ja achei interessante,pois e uma forma nova de ver Deus...muito tem Deus como injusto,voce pra entender esse livro voce tem que ler nas entrelinhas...se voce nao entendeu, era porque o livro nao era pra voce!!!


Carlinhos 19/06/2014minha estante
Concordo plenamente com você.
Esse livro é tão ruim que acabei abandonando.
Não sei como fez tanto sucesso.
É sem graça... estranho... seco... parado...
Completamente sem lógica!


Larissa 30/07/2014minha estante
Concordo com você. Simplesmente não consegui chegar a metade. Decidindo se ler ou não? Não leia.


Simone 09/09/2014minha estante
Tentei ler duas vezes. Li a primeira e empaquei no segundo capítulo. Para não ser injusta, tentei ler uma segunda vez e realmente tenho que concordar com você. O livro é ruim. Ruim demais.


Poly zanette 18/10/2014minha estante
É um bom livro, misterioso diferente e bem escrito, acho que o que fez ele ruim pra você, é que este livro não é o que você esperava.




Tata 20/06/2010

E depois me xingam quando digo que odeio livros de auto-ajuda...

No começo tava tudo certo, suspense crescente, bom andamento de uma história que prometia. Até que começou o processo de religiosidade medíocre, lançando mão de clichê atrás de clichê, de diálogos muito mal construídos e de uma brecada radical e quase permanente da história só pra tentar convencer o leitor de que Deus é bom, obstáculos são bons, o ser humano é bom, tudo na vida é bom, belo e perfumado como um pônei cor de rosa. É um livro que não se vende com o rótulo de auto-ajuda, mas não consegue negar a falta de profundidade que todos eles trazem.
Kiril 20/10/2009minha estante
Até hoje foi a opnião mais parecida com a minha que eu já encontrei sobre esse livro.


Enigma 08/12/2011minha estante
Concordo com seu ponto de vista, o livro começa a perder a graça para mim na hora que ele encontra a trindade (quando achei que ia melhorar), na cabana até lá estava indo bem, depois fica morno, mas gosto é gosto.


Helder 20/01/2012minha estante
rsrsrs. A sua resenha é boa! O livrinho chato!


Gustavo 14/02/2013minha estante
kkkkk Exatamente isso!


Bruno Oliveira 07/03/2013minha estante
hahahaha, ótimo!


Aline 17/04/2013minha estante
belo e perfumado como um pônei cor de rosa kkkkkk adorei


Vlads 22/04/2013minha estante
livro bem ruim mesmo exatamente isso i


Pamela 22/04/2013minha estante
Somos duas que não gostamos de auto-ajuda, leitura entediante para confortar o coração dos "perdidos" em busca de algum amparo. Livro completamente insuportável.


George 04/06/2013minha estante
o problema não são livros de auto-ajuda... há alguns muito bons...

o problema de "A cabana" é o DESENVOLVIMENTO... ou seja... tirando a introdução e a conclusão, o livro é um fiasco...

como você disse... começa MUITO bem... desenvolve uma história legal... até que... começa a "abobrinha" religiosa pra tentar explicar a morte... e a vida...

eu li ele... quando começou isso, li umas 3 páginas.. fui acompanhando dando uma lida por cima... e voltei a ler no final...

é um livro interessante, dá pra ler tranquilo o inicio e o fim, pulando a perda de tempo que se tem no meio dele... sem perder a graça do livro :)


Marcus 15/06/2013minha estante
a melhor parte do livro, foi a sua resenha.
kkkkkkk


Evelin Sheila 07/07/2013minha estante
E eu aqui, dando voto só pelo começo, vou ler até o final, mas já to decepcionada, nem queria ler os comentários, bosta :C


Georgina Maria 05/08/2013minha estante
"E depois me xingam quando digo que odeio livros de auto-ajuda" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tata vc não é a única! Qd alguém me pergunta se quero algum livro de presente eu digo logo: pode me dar qualquer coisa MENOS AUTO-AJUDA!!!!

Estou com vc na resenha e com o resto do pessoal!




André 17/02/2011

Abandonei.
Peguei o livro já imaginando que não ia gostar.



Consegui passar pelo prefácio relevando a quase santificada apresentação da história. Ignorei a descrição do personagem principal, com toda aquela aura de sapiência não demonstrada. 'Ele é quieto, mas quando fala abala o mundo' é a impressão que fica. Impressão que nunca se confirma.



Fiz de conta que o tom de 'isso pode ter acontecido de verdade' não me remeteu imediatamente ao Bruxa de Blair.



Deixei de lado a consideração de que o protagonista ou é arrogante o suficiente para acreditar que pode falar no nome de Deus (e até colocar palavras na boca dele) ou é louco e arrogante o suficiente para acreditar que Deus crie avatares para explicar as mazelas da existência humana a ele, só a ele e a mais ninguém.



Ri do fato de que as perguntas que são feitas a Deus são sempre sobre problemas morais e teológicos e podem ser respondidas (de maneira muito melhor, por sinal) por qualquer teólogo que se preze.



Como foi a origem do universo? Existe vida em outros planetas? Como podemos contactá-la? A realidade é realmente indeterminística em sua base? Como posso fornecer a outras pessoas uma prova de que o Senhor é real?



Tristemente, nada disso é perguntado. A realidade que vivenciamos é, talvez, desprezível? Minto; Deus fala no livro pelo menos em um momento sobre a realidade sensível. E, pasmem... Deus é criacionista!



Quando isso apareceu, fiquei esperando explicações sobre os falsos ossos de dinossauros. Sobre a engenharia da arca de Noé. Sobre os complexos subterfúgios divinos para sistematicamente enganar os cientistas sobre métodos de datação de forma que a sua falsa descrição do mundo seja coerente e incorreta ao mesmo tempo. Mas, como eu esperava, não veio nada.



Tudo isso passou, e eu continuei. E aí veio todo um capítulo sobre sujeição, sobre desligar o cérebro, uma frase estranha sobre a necessidade de aceitar testemunhos sem comprovação (?), já que 'nada que possa ser chamado de verdade' (?) pode ser alcançado de alguma outra forma.



Pensei, então, que o Deus de 'A Cabana' não quer que eu pense. Não quer que eu use minha razão, que eu aplique as coisas que aprendo no mundo que ele presumivelmente criou para nos servir como escola, como teste. Ele me deu a razão, mas não posso usá-la; Ele não quer que eu pense, só que me funda em algo que nem consigo imaginar.



E vieram na minha mente as imagens do onze de setembro, da certeza cega que guiou os fanáticos. Eles deviam mesmo estar se fundindo em algo que não entendiam. Uma mentira assutadoramente real.



E aí eu fiz algo que quase nunca faço: desisti da leitura. De vez. Porque, assim como o autor escreve no prefácio, se eu não gostei do livro ele não foi escrito pra mim. A diferença é que eu não acho que isso o salve de ser medíocre.
Adriana F. 25/11/2009minha estante
Nossa, André! Excelente! Por coincidência, ontem uma garota estava contando todo o livro no ônibus, bem atrás de mim, e ela falou justamente isso, sobre a fé cega. Claro, ela estava falando bem! O que pude perceber foi justamente isso que você colocou em sua resenha. Que a gente tem que acreditar por acreditar. Que a fé basta por si só. Deplorável! Adorei a resenha, desisti do livro antes mesmo de começar! Não vale a pena perder tempo! =)


Bruno T. 16/01/2010minha estante
Muito boa a resenha, André. Livros como "A cabana", que pregam a "fé cega",tem aos montes por aí e quem gosta das obras de Carl Sagan, Richard Dawkins e Sam Harris só pode ignorá-los.


Rosana Pegoraro 18/03/2013minha estante
Não gostei e não desisti.
Deveria retornar a leitura pois irá gostar menos ainda do livro.
O interessante é que no meio que vivo, TODOS adoraram o livro. Me senti meio alienada...rsrsrsrs.
Não gostei e teve uma passagem que até me revoltou mas não posso dizer aqui para não estragar a leitura de quem ainda não leu. Tal passagem está quase no final... então creio que não tenha lido...
Mas gostei de seu comentário, muito bem escrito.


Marcos Vinícius 27/03/2013minha estante
Infelizmente não terminou o livro! O Livro A Cabana, é uma aula de conduta e de viver! Todos os desastres e acontecimentos da história são baseados em 2 situações: A lei de ação e reação e do poder de escolha sobre cada ação! Pense nisso! Deus e o Diabo são apontados responsáveis de acordo com nosso interesse!


André 27/03/2013minha estante
Marcos, o seu comentário simplesmente ignorou tudo o que eu disse e repetiu o que eu já tinha lido no livro.


Ana Clara 10/09/2013minha estante
Livro muito chato nem consegui terminar.


Élida 21/09/2014minha estante
Eu acho que opinião cada um tem a sua, é igual gosto por alguma coisa, cada um tem o seu!
Eu sou evangélica, e simplesmente amei esse livro, tenho ele e o "Encontre Deus na Cabana" que é o que explica em detalhes para quem não entendeu o sentido do primeiro livro, ele é um complemento ótimo, tira todas as dúvidas... esse segundo eu comprei porque além de amar ler, eu coleciono também, mais se não fosse isso não haveria necessidade nenhuma de comprar pois achei "A cabana" bem simples e fácil de entender!




Mateus 17/12/2009

Sinto muito dizer que não gostei desse livro. Alguns morrem por causa dele, mas prefiro muito mais uma boa ficção. Até que a história e a ideia do livro são boas, mas as conversas entre os personagens me davam sono, e eu não prestava atenção em nada que eles diziam. Se os diálogos fossem menores, se não tivesse tanta falação, talvez até seria legal. Mas não gostei do jeito em que o livro foi escrito. E também não sou muito ligado nesses livros espirituais e sobre religião, eu só acho que existem livros melhores.
Se você gosta desse estilo de livro, leia que você vai gostar. Mas se for como eu, gostar de uma boa ficção, não leia que você irá se desapontar.
Marco 18/12/2009minha estante
Realmente vc precisa ter uma mente mais aberta e uns poucos anos a mais de vida para apreciar um livro desses...


Irlanda 23/12/2009minha estante
Mateus, você tem um bom senso crítico.

O fato de você nao ter gostado do livro, em nada tem a ver com a sua idade.

Concordo com você. E olhe que tenho muitos aninhos a mais que você, e ADORO este tipo de literatura. MAS QUE O LIVRO É RUIM, AHHHH ISSSO É!!!

O autor tentou "familiarizar" Deus, mas não soube abordar. Tornou a leitura cansativa!


Maressa 24/12/2009minha estante
O livro não é de ficção. O próprio autor diz que teve que ser classificado assim, mas que na verdade a história é real. Tá certo, não vou entrar nesse mérito.

Os diálogos foram longos porque quando uma pessoa está sofrendo, ela precisa ouvir 50000000000000 vezes o quando as coisas não são o que parecem ser, e as pessoas têm sempre que ficar convencendo.

Enfim, cada um com a opinião.


Mih Del Debbio 16/02/2010minha estante
Mateus... não existe idade para gostar ou entender um livro!! Adorei a sua resenha, vc sabe q eu já li o livro, mas ao cotrario de você achei bom! O que vc especifica na sua resenha está correto. O autor tenta Humanizar Deus, mas não faz isso de maneira concisa.. e estende demais os dialogos... o q torna imensamente chato! Parabens pela resenha e pela coragem de dizer que não gostou, pq sempre q nao gostamos de um livro, vem alguem e diz q a resenha eh pessima, gosto é igual cú, cada um tem o seu!! kkkk


Erika 09/12/2010minha estante
Mateus, eu também achei os diálogos muito longos, e o livro, bastante arrastado. Não tem nada a ver com ser religioso ou não. O problema é a estrutura do texto, que falharia independentemente do tema tratado. Os diálogos, em várias passagens, são inconsistentes e confusos. Não "fecham". Enfim, achei a idéia do cara até boa, mas não funcionou na prática.


Lorena 28/02/2012minha estante
Concordo com sua opinião. Várias passagens do livro são monótonas, porém a mensagem que ele nos transmite é muito bonita.


Yasmine 15/04/2012minha estante
Um dia minha professora de ciências me disse que estava lendo um livro que um homem se encontra com Deus numa cabana, falei nossa professora deve ser lindo, me surpreende quando ela me falou que não estava gostando. Decide ler o livro, tinha tudo para ser o melhor livro que eu já tinha lido, depois que li sinopse dele. O começo estava muito cativante, gostei não era nada entedioso, nada que me fizesse larga o livro de lado. Mas quando o personagem por fim se encontra com Deus, eu disse a mim mesma deve ser a coisa mais linda do livro inteiro. Mas que decepção! As conversas do personagem com Deus, eram sem pé nem cabeça! Muitas vezes sem sentido. Achei que o autor trabalhou bem no tema da história, no começo do livro, mas... quanto ao meio e ao fim digo, ele jogou o livro dele por água á baixo, tinha tudo para ser uma história surpreendentemente linda. Que pena né =/


Gi 22/12/2012minha estante
meu comentario e o mesmo de yasmine, o livro me prendeu ate a metade depois uma serie de dialogos confusos que parei no meio e soterminei de ler um tempo depois mas valeu como esperiencia


Laissantos 18/04/2013minha estante
Concordo com você, comecei a ler cheia de expectativas, que seria muito bom, e de repente ficou muito chato e não tem nada a ver com a história e sim como foi escrito, confesso que da metade pra frente pulei várias partes para tentar ler até o final.




Renata CCS 07/02/2013

Uma boa idéia, mas não deu certo
A CABANA é basicamente a história um homem atormentado com o sequestro e morte de sua filha caçula na mencionada cabana que dá título ao livro. O protagonista é Mackenzie Allen Phillips, mais conhecido pelos familiares e amigos como Mack. Passados quatro anos do assassinato de sua filha ele recebe um bilhete pedindo que retorne para a cabana a fim de colocar o assunto em pratos limpos. Lá é recebido por Deus, Jesus e o Espírito Santo, porém personificados: o Pai como uma senhora negra cozinheira, o Filho como um judeu de nariz grande e o Espírito como uma moça asiática que parece feita de luz. Essa tríade passa a questionar e confrontar Mack com seus medos e dúvidas, em especial sua descrença em Deus, que entende o ter abandonado e ser incapaz de aplacar seu sofrimento. Até aqui, tudo bem. A ficção dá direito a todo tipo de invenção e o autor goza o direito de utilizar sua imaginação. Os leitores é quem têm o dever de distinguir o que é bom do que não é. Não posso me privar de fazer muitos comentários pessoais, apesar de o tema ser altamente explosivo: envolve questões religiosas. Resenhas devem influenciar nas escolhas de livros e mostrar a opinião da pessoa que a escreveu, então, encaro este texto como um conselho amigável e é esta a maneira como gostaria que fosse lido. A verdade é que o livro me pareceu fantasioso demais, além de ter uma leitura carregada, cansativa, cheia de frases de duplo sentido e incoerências. Da metade inicial do livro até o seu final, a narrativa não evolui e a leitura praticamente se arrasta. Um dos pontos positivos (talvez seja o único) são os ensinamentos de Deus para o personagem principal, que é o amor incondicional ao próximo, e sem esperar nada em troca. A idéia por detrás da narrativa é interessante e, se bem desenvolvida, poderia ser comovente. A forma como ele relatou a Santíssima Trindade foge dos padrões tradicionais, e de certo modo, entendo a sua escolha: foi uma maneira de humanizar Deus e trazê-lo para perto do protagonista e de sua dor. Mas o livro não empolga: os discursos da Santíssima Trindade são monólogos extensos e repetitivos. É um texto a ser debatido, possui algumas coisas difíceis de engolir e, além do mais, cada um de nós vê as coisas conforme sua crença religiosa. Se não fosse pelo caráter surreal e fictício, já que ninguém pode testemunhar se Deus possui uma forma ou rosto, eu o classificaria como um livro de auto-ajuda. Mas fica a bela mensagem de que em Deus tudo podemos: basta nos entregarmos aos seus ensinamentos.
10/02/2013minha estante
Concordo com vc Renata. Li este livro , achei cansativo, como vc bem colocou , também achei que não funcionou nem os diálogos, nem a maneira que o autor conduziu a trama.Vc realmente soube expressar o que eu tentei , mas não consegui em palavras, por iso não fiz a resenha.Muito boa sua definição, bjos!


RuyaMC 26/02/2013minha estante
Eu concordo. O autor tenta humanizar Deus, mas não faz isso de maneira concisa. Tb estendeu demais os diálogos,o que fez dele um livro imensamente chato.


Renata CCS 22/03/2013minha estante
E que me perdoem os fãs da obra, mas este livro poderia ter sido esquecido em uma prateleira qualquer da cabana...


Aline 08/05/2013minha estante
Amei o livro, e presenteei uma amiga que estava passando por um problema parecido. Ajudou bastante.


sonia 28/10/2013minha estante
Considero este livro como religioso e não literário. Não me convenceu, achei bem fraco.




Danni 19/04/2010

Pessimo
O pior livro que existe!

Márcia 11/05/2010minha estante
Não sei se é o pior mesmo, mas detestei.


Gee 07/06/2010minha estante
Pois é! Eu também não sei se é o pior que existe. Mas também detestei. Foi o único livro que abandonei de verdade.


Cely 26/06/2010minha estante
Danni, estou no meio termo! Não amei nem odiei!


Patricia Duarte 01/11/2010minha estante
Concordo com vc, gosto não se descute mas não sei como algumas pessoas conseguem elogiar esse livro! É chato demais!!!


Lucia Sousa 30/11/2010minha estante
O livro é uma propaganda enganosa,na minha opinião,claro!


Myrna 02/01/2011minha estante
Tão ruim, mas tããão ruim, que não aguentei ler até o final. Geralmente tenho os livros como uma agradável companhia, este, para mim, foi uma terrível tortura.


Aline 04/03/2013minha estante
Amei o livro. Me fez refletir muito sobre o perdão!




Marques 22/10/2010

Decepcionante
Que livro ruim. O protagonista encontra Deus, e chora. Encontra Jesus, e chora. Faz algo, e chora. Faz outro algo, e chora.

E o livro possui uma permissividade com as incoerencias da religiao cristã impressionante. Quando o personagem coloca Deus na parede sobre as atrocidades do Velho Testamento, ele simplesmente desconversa.

E alem de tudo, é uma leitura pesada. Nao recomendo esse livro pra ninguem.
comentários(0)comente



Beatriz Morena 19/01/2010

Anti-auto-ajuda
Trechos do livro:

" ... os humanos feridos centram sua vida ao redor de coisas que parecem boas para eles, procurando compensação. Mas isso não irá preenchê-los nem libertá-los. Eles são viciados em poder, ou na ilusão de segurança que o poder oferece. Quando acontece um desastre, essas mesmas pessoas vão se voltar contra os falsos poderes nos quais confiavam. Em seu desapontamento, se suavizam em relação a mim (DEUS) ou se tornam mais ousados em sua indepedência..."

Obs: Em diversos trechos a "indepedência" é citada como algo que devemos abrir mão para permitir que Deus faça parte de nossas vidas =/

Agora o trecho que me fez desistir de vez do livro:

DEUS, interrompendo Mack, diz que de alguma forma o bem pode ser a presença do câncer ou perda de ganhos financeiros, ou mesmo uma vida.

Minha opnião?
Este é um livro essencialmente católico (Jesus é parte de Deus...), imaginava que ele abordaria Deus com um pouco mais de abrangência. Pelo menos esperava isso...
Agora, encarando ele como um livro católico posso fazer uma breve análise com apenas as 100 primeiras páginas do livro que eu li...
Parece que o crescimento de ateus no mundo tem deixado alguns fiéis desolados, como é o caso desse autor, que soa catequisador o tempo inteiro!:- não desista de Deus, -Deus não tem culpa, o homem que tem, -sem Deus você está perdido, etc...
Honestamente, me choca ver a quantidade de pessoas que concordam com esse tipo de lavagem cerebral ainda hoje!
A fé existe SIM! Mas ela não deve te tornar inferior e sim capacitá-lo para vida. Este livro, na MINHA opnião é o oposto da auto-ajuda.
Danilo Silva 19/01/2010minha estante
Ótima resenha!!! Na minha opinião, acabou de sintetizar plenamente o livro! Faço das suas palavras as minhas...


paulo feitosa 23/01/2010minha estante
PELA PRIMEIRA VEZ NA MINHA VIDA, A CABANA FOI A MAIS INCRIVEL HISTORIA QUE EU JÁ LI EM MINHA UMILDE VIDA , EU SIMPLISMENTE SE PODESE EU DARIA DE PRESENTE A TODAS AS PESSOAS QUE CONHEÇO, DARIA ATE MESMO ´PARA AS PESSOAS COM AS QUAIS LAMENTAVELMENTE NÃO NOS FALAMOS MAIS,

-NÃO VEJO A HORA DE PODER COMPRA O LIVRO PRA MIM POIS O QUE LI FOI MINHA AMIGA SÓNINHA QUE ME EMPRESTOU.

NOTA MIL .

SENTIR POR VARIAS VEZES MEUS OLHOS LAGRIMEGAREM E POR MUITAS VEZES MEU CORAÇÃO PARECIA QUE IA EXPLODIR DE TÃO FORTE QUE PATIA.


Seixas 26/01/2010minha estante
Perfeito.

O trecho "Parece que o crescimento de ateus no mundo tem deixado alguns fiéis desolados, como é o caso desse autor, que soa catequisador o tempo inteiro!:- não desista de Deus, -Deus não tem culpa, o homem que tem, -sem Deus você está perdido, etc..." exprime exatamente o conceito do livro.


Jhow 26/04/2010minha estante
Respeito muito a sua opinião... Mas é só que você precisa estudar um pouco mais o catolicismo.

João Paulo II deve ter se remexido no túmulo quando esse livro foi lançado... O livro simplesmente quebra todas as regras religiosas inconscientes do que é Deus - não só no catolicismo como em todas as religiões...



Quanto a auto-ajuda. O livro não é e nunca pretendeu ser um livro de auto-ajuda... o conceito dele é contrário a auto-ajuda por que é um livro essencialmente 'cristão'... e o cristianismo original defende que o homem não pode ajudar a si mesmo uma vez que a tendência da natureza humana é ter mais vontade de fazer o prejudicial para ela mesma...

Claro que minha intenção não é tentar fazer você acreditar ou gostar do que o livro quer dizer... Mas é que você leu o livro com um pré-conceito na cabeça... e ninguém que lê o livro com qualquer tipo de pré-conceito vai conseguir gostar dele...


biabiabia 24/07/2012minha estante
Bom eu acho que o livro só quiz passar a mensaguem de que Deus é simplesmente tudo que nós precisamos sendo que casa um de nós temos necessidades diferentes, Deus não tem uma forma especifica porém é perfeição é algo inexplicavél




E. Dantas 19/02/2010

BELA ESTÓRIA
É um Best-Seller? Sim.
Por merecimento? Talvez.
Ainda sim vale a pena? Muito.

Ganhei o livro de presente, e de uma forma muito bacana. Resumidamente foi o seguinte:

Eu, de filosofia de vida vez ou outra vista como incosequente, presenteei uma pessoa que amo com o "Sou o mensageiro" do Zusak. Para que ela conhecesse melhor a maneira como eu vejo as coisas.

Em contra partida, ela me presenteou com a Cabana, com o mesmo propósito.

Por fim, a interseção das páginas ficou clara para mim numa palavra só: "Verbo".

E é por isso que vale a pena ler a Cabana. Em meio a algumas "forçações de barra" e momentos de beleza inenarráveis ( na verdade são narráveis sim, tanto que está no livro, mas você entendeu! ) o livro passa uma bela estória. Um encontro com Deus de uma forma nada inédita, mas mesmo assim bonita.

Então por que tem uma estrelinha apagada?

Ahá! Porque livros ainda sim são livros e precisam nós prender da forma certa. Nesse ponto, o Doutor Young cometeu pequenas falhas.
Digo isso por que o meio do livro, ou melhor, o encontro de Mack com Papai, Jesus e Sarayu ficou de certa forma, categórico. Era previsível que para cada experiência viria uma conversa e em cada conversa um ensinamento e pra cada ensinamento uma reação emocionada e pra cada reação emocionada uma realização. Resumindo, o meio do livro foi escrito sem trama. Ficou nítido que Young listou as coisas das quais ele gostaria de compartilhar sua visão em relação ao universo "Deus-você" e foi criando tópicos para explica-las.

Me lembrou um pouco ( numa comparação esquisita, porém...porém...porém não lhe devo satisfações!) com "O mistério da Fábrica de livros" onde uma estória era contada apenas para se debulhar como são feitos os livros.

Mas, ainda sim, apesar dos pesares, é uma bela estória. Isso é!

Leiam. Não acho que vá transformar ninguém, mas acho que é uma experiência boa.

Beijos e inté!

Drikovisk 25/02/2010minha estante
Eu ri lendo a resenha. Concordo com você, apesar de que eu nem lembro muito bem se gostei ou não do livro. Não foi algo muito muuuito, logico, a historia da filha dele me comoveu. Só sei que dei o livro pra um enfermeiro na época que minha mãe estava internada. Porque dizia pra passar pra frente. Enfim. bjos.


Keli 20/09/2012minha estante
Excelente resenha, a melhor que achei até agora, tbm acho que vale a pena ler, e não acredito que o livro é sobre religião (pq se for eu tô mto por fora) , muitas pessoas dizem que se decepcionaram pq esperavam que o livro respondesse perguntas sobre Deus, de onde ele veio e tal, pelo amor de Deus né?! O livro pra mim não é auto ajuda e sim apenas ficção, o autor até disse que o livro teve que ser classificado como Ficção mas que na verdade a história era veridica, bom... sobre isso eu prefiro nem comentar, cada um cada um, mas mesmo assim gostei mto do livro, achei a história interessante e surpreendente, recomendo. Muitas pessoas odiaram pq esperavam, realmente, que o livro desvendasse os mistérios sobre Deus, o que na minha opinião nunca foi a intenção do autor.


Denise 10/02/2013minha estante
Gostei de sua resenha, e concordo com o seu ponto de vista. Já li o livro duas vezes e gostei do seu conteudo mas não das reviravoltas que ele dá. Assim como você recomendo-o!




Yorg 23/12/2009

Pq tantos abandonaram?
Inclusive eu...O título é sugestivo, a sinopse convidativa e o tema sempre desperta interesse.

Sim, o tema mais denso da existência humana discutido sob uma ótica "adolescentóide". De forma rigorosamente oposta ao que aparenta, o autor não quebra esteriótipos, ele os alimenta. Alimenta os esteriótipos, cria caricaturas, abusa dos clichês e da repetição de idéias.
Carol 03/02/2011minha estante
Nossa que engraçado pensei que isso tivesse acontecido só comigo..eu odiei o começo do livro mais depois que comecei a ler fiquei tão entusiasmada que li uma vez e li a segunda vez..ELE É INESQUECÍVEL!




Juliana Piovani 24/02/2010

Péssimo!
É a melhor definição para esse livro!Até tentei lê-lo,mas ele realmente exige muita fé e boa vontade para ser lido,coisa que não tenho.Além de ser muito mal escrito e ter uma linguagem horrível,que parece querer afrontar a inteligência do leitor,só é recomendado para quem acredita (e muito) em Deus e cia.

Jhow 26/04/2010minha estante
Você não leu a sinopse antes de ler o livro? O.o


Rafael Moss 29/09/2010minha estante
Recomendar o livro para quem acredita em Deus é muita sacanagem, principalmente que o Deus retratado no livro não tem nada a ver com o verdadeiro Deus da Bíblia.




Camilo 22/08/2010

Extremamente previsível e sem foco
Ok. Sei que noventa por cento dos leitores amaram esse livro.
Sua história é realmente cativante, mas, na minha opinião, extremamente artificial. Para mim, Young tentou passar uma idéia muito forte e simples através de uma história forçada e cheia de clichês.

Ele conta a história de um homem que perde sua filha de forma brutal durante um passeio. Ele culpa a si mesmo e a Deus por ter retirado dele tudo o que importava e sente o peso da solidão cada vez mais forte.

Voltando para o local onde encontrou esse peso, a cabana isolada na neve e no frio onde provavelmente sua filha foi assassinada. Lá ele descobre que esse peso é mais que a ausência de sua filha, é a ausência de Deus.

Retratando um encontro com Deus, o autor claramente usa estereótipos contrários aos comuns para representá-lo, mas começa a exagerar em sua descrição e em detalhes desnecessários, deixando de lado a mensagem principal, o que torna a história um tanto quanto tediante.

Um livro com uma história extremamente previsível, diálogos chatos, detalhes desnecessários, estereótipos forçados, mas com uma aceitação incrível pelos leitores. Talvez eu esteja errado afinal de contas. . .
comentários(0)comente



Rodrigo Rezende 25/03/2011

Decepção!!!!
Comprar livro só porque está na lista dos mais vendidos dá nisso. Confesso que não gostei.

O início do livro é eletrizante, muito bom e com uma trama fantástica. Mas do meio pra frente a leitura se torna cansativa, infantil e até certo ponto ridícula. Tive muita raça pra terminar de ler. Misturar ficção com religião não é fácil, somente poucos escritores fazem isso com maestria. É claro que eu entendi a mensagem do livro, a mensagem é boa, mas a forma de se contar é que não gostei.

Mas como tudo tem um lado bom, o livro abriu a cabeça de muita gente, não só para leitura como pra vida. Conheci várias pessoas que gostaram e começaram a ler outros livros a partir desse. Gosto é gosto, se algumas pessoas gostaram acho ótimo. Esse é o poder dos livros, agradam a Gregos, Troianos e Marcianos!!!
comentários(0)comente



Aline Higa 04/08/2010

Até agora não consegui entender como esse livro fez tanto sucesso...achei frustrante!
kalb 09/08/2010minha estante
EXATAMENTE! CONCORDO PLENAMENTE!




Armageddon 26/08/2010

Cozinhando com Deus
Confesso que só comprei A Cabana pela capa, para fechar um pedido mínimo de frete grátis. Não tinha nenhuma pré-concepção da história, não me informei sobre o livro e tampouco conhecia o autor. Total e completamente, fui guiado às cegas pelas palavras "Primeiro Lugar da Lista do New York Times".

Por isso, tive alguma surpresa ao descobrir que se tratava de uma história religiosa, ainda que não ligada a nenhum credo específico. Já faz alguns bons anos que não tenho nenhum contato com esta linha, mas como leio inclusive bula de remédio (como já comentei), enfrentei o tal encontro com Deus em um lugar isolado dos EUA de cabeça erguida.

No fim das contas é um bom livro. Não chega a ser espetacular, e precisa sim de uma dose cavalar de fé para crer na - pelo menos anunciada - história baseada em fatos verídicos. Mas de qualquer forma, pela maneira inusitada que foi trabalhado, é um texto gostoso de ser lido mesmo por alguém nem tão cristão assim. Na falta de fé, leie-o apenas como um romance comum.

A trama em poucas linhas: A Cabana conta a vida de Mack, um gordinho pai de cinco filhos que sofre a perda de uma filha em um sequestro nunca solucionado. Mergulhado na tristeza, ele assiste sua família desmoronar pouco a pouco pela dor da perda até que um dia um bilhete assinado por Deus lhe convida à regressar ao suposto local do crime.

Apesar dos dilemas abordados serem bem interessantes, em vários momentos me senti como se estivesse numa espécie de Mais Você (àquele da Ana Maria Braga) com Deus no lugar da apresentadora e Jesus como Louro José.

É um livro bacana, leve e com poucas páginas, especialmente recomendado para quem está meio em cima do muro quanto a religião organizada mas nunca deixou Deus para trás (ou até para aqueles que estão precisando de uma forcinha espiritual neste sentido). Mas se está procurando uma história mais pé-no-chão ou realmente não tenha o mínimo interesse em temas religiosos; passe longe.

Lido em Agosto/2009
Eder Leal 16/04/2011minha estante
hehehe.. eu compro varios livros assim, pela capa pra fechar um pedido minimo de frete gratis...
Sobre o livro, como agnostico que sou, achei uma perda de tempo... Deveria ter lido sua resenha antes, vc fez um bom trabalho nela.


Lee Nunes 21/05/2011minha estante
Armageddon meu amigo, já li umas cinco resenhas sua e não consigo parar de ler, meus parabéns pela clareza que dá aos livros lidos, esta então... falou tudo em poucas linhas concordo e ponto.


Mirna 25/06/2012minha estante
A comparação com o Mais Você foi genial! Definiu muito bem a imagem que o livro passa de Jesus como coadjuvante no programa de culinária de Deus. Mas de fato, apesar disso, o livro é bom.




1790 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"É sem dúvida um sinal de liberdade, uma mostra de que é a própria leitura que está pedindo seu espaço, independentemente de campanhas de incentivo."

JB Online