Pra Você eu Conto

Moacyr Scliar



Resenhas - Pra Você eu Conto


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Nathalia 27/02/2014

Resenha Pra Você Eu Conto
Bem!... O livro "Pra você eu conto" é a história do primeiro amor de um avô, contada para seu neto, Chico. Juca, no seu tempo de escola se apaixonou por uma professora, o nome dela era Marta, e ela era professora de história do colégio onde ele estudava.
Ele descobre que essa professora era contra o nazismo, e ele acaba ajudando ela contra o nazismo no Rio Grande do Sul, eles acabam descobrindo que vai ter uma passeata nazista em Porto Alegre. A professora tenta acabar com a passeata, mais ela fracassa, o garoto até tentou impedir, mais não deu tempo, ela estava com uma lata de tinta, e quando ela foi fazer o que ela queria, que provavelmente era jogar a tinta neles ela acabou caindo e rolando pelo chão. Todos os nazistas deram risada dela, então ele e um amigo o a levaram pra casa e Juca cuidou dela, de repente rolou um beijo entre os dois nessa hora.
Ela foi presa por participar de uma passeata que era "Abaixo nazismo" ficou um mês presa, ela saiu da prisão e foi para a frança, pois ela ganhou um bolsa de estudos que era a continuação da pesquisa dela contra o nazismo pois aqui no Brasil era impossível continuar essa pesquisa, ai Juca só tinha em sua cabeça que a vida tinha que continuar, nesse tempo que ela estava fora, ele sempre estava pensando nela, mais ai chegou um momento que ele diz que não morreu de amor, e ele começou a se apaixonar por Diana, que era uma vizinha dele, logo ficaram juntos.
Ele não amava Diana como amou a Marta, ele casa com a Diana, conquista seu próprio estabelecimento de trabalho, um dia seu telefone toca no trabalho, era Marta, ele não pensou duas vezes e foi logo ao encontro dela, ele virou aquele adolescente apaixonado que ele era, e acabou fazendo amor com ela, mesmo estando casado.
Naquele momento ele só pensava em ficar com a Marta para sempre, pois tinha reencontrado seu antigo amor e não iria perdê-lo agora, e é o que Juca propõe a Marta.
Porém acontece o inesperado para Juca. Marta se recusa dizendo a ele que iria embora para São Paulo fazer o que realmente sabia, lecionar história em uma Universidade e que na verdade ele amava a "professora de história", e o seu ideal que era a figura de "Rosa Luxemburgo", e não Marta.
Por fim, Juca se convence de que Marta está correta, e acaba acreditando que Marta acaba por ajudando-o a sair do doloroso transe como uma verdadeira mestra, com quem aprendeu a sair da História e mergulhar na vida.
comentários(0)comente



Tiele 13/01/2014

Esperava mais
Achei uma história muito incompleta e sem sentido.

Um menino de 14 anos se apaixona pela professora de História que luta contra o nazismo em seu estado e que acaba entrando nessa luta com ela pelo o amor que sentia, no fim o importante documento da professora se perde, ela simplismente vai para outro país ele deixa a luta contra o nazismo para traz se casa tem filhos e a professora voltar como se nada estivesse acontecido, os assuntos não foram bem tratados e nem desenvolvidos, eles tinham inicio mas não tinha nem meio e fim.
comentários(0)comente



Gabriel O. 21/11/2013

Moacyr poderia explorar mais
Eu achei razoável a história do menino e seu cotidiano, e o amor dele com a professora. Alguns trechos chegaram até a me lembrar As Vantagens de Ser Invisível. Só que ele não explorou a história toda: o negócio do Nazismo terminou sem fim, não foi interessante e mesmo sem o livro a professora continuou bem. Sabemos que não é e nem seria assim.
comentários(0)comente



Patrícia 04/06/2013

"pra você eu conto".
Juca conta a seu neto a emocionante história de sua primeira paixão:Marta,uma professora de história,que luta contra a repressão e contra os nazistas do rio grande do sul.
Marta vai ensinar na escola em que Juca estuda e ele se apaixona por ela,ambientada na época do estado novo,em que forças opressivas predominam,a narrativa mostra que o Amor pode ser uma possibilidade de libertação e transformação.
quando o tímido adolescente Juca vive essa experiência,passa a ver o mundo com outros olhos.
comentários(0)comente



Amanda 10/11/2012

Nazismo
Achei um livro sem graça.O Nazismo não me interessou.
comentários(0)comente



Renan 15/05/2012

Pra você eu conto o que achei
É um livro pequeno, bem dizer um conto, para adolescentes. Mas é Moacyr Scliar. O cara é bom. O livro se passa na época de ascensão do nazismo, mas a história é em Porto Alegre.
Interessante, vale a pena ler essas 74 páginas.
comentários(0)comente



Lani's 10/01/2012

Pra você eu conto
Pra você eu conto é uma obra infanto-juvenil escrita por Moacir Scliar no ano de 2008. O livro conta a história de Juca, um estudante gaúcho que descobre estar apaixonado pela professora de história, Marta. Sua professora luta contra um grupo nazista que reside em sua cidade, Juca entra nessa briga para ficar mais perto de Marta e acaba se metendo em muitas confusões, em uma dessas, chegou a ser expulso da escola. O livro nos leva à época da ditadura imposta pelo presidente Getúlio Vargas, o beijo entre os dois, a prisão e fuga de seu primeiro amor para a França, a invasão da Polônia por Hitler, o amadurecimento de um garoto que se tornava homem. Ele cresceu, formou família, foi bem sucedido nos negócios. Até o dia em que recebeu uma ligação que trouxe de volta as lembranças que não pudera esquecer.
Gostei do livro por ter esse toque de suspense e romance. E é um livro curtinho, 66 páginas devoradas em uma tarde. Espero que você descubra o final dessa história.
Ilana.
comentários(0)comente



Júlia 09/09/2011

Bela história
Ainda não tinha lido nada do Scliar, apesar das muitas recomendações. Quase por acaso, o livro veio parar em minhas mãos e não perdi tempo: o li em uma tarde. Só assim pude perceber a falta que esse grande escritor, e, mais do que isso, um perfeito contador de histórias faz no mundo. Com linguagem clara, ele nos apresenta o seu tempo com a costumeira confusão de um jovem que não entende o que quer dizer os tantos conflitos e ideologias presentes na ditadura de Getúlio Vargas.
O livro não corresponde às primeiras expectativas: é muito mais do que o diário de um homem relembrando paixões de infância. É o retrato - atual até os dias de hoje - da fase a qual todos passamos um dia, com seus receios tolos e amores pra vida inteira. Aquele que, mesmo depois de casado e com filhos, Juca não apaga da memória por lembrá-lo de uma fase de inocência onde seus olhos não podiam ver muitas das barbaridades que se tornam claras com o tempo e tiram a crença de alguns em um mundo melhor. Mas ele nunca deixa de acreditar, por causa dela.
Recomendo, portanto, pela clareza e beleza que poucos conseguem dar a uma história que a princípio se mostra singela, mas é também histórica e descritiva de uma época onde havia terror, pressões, medo. Mas também muito amor.
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8



logo skoob
"O contato direto com outros leitores incentiva a ler e adquirir livros que nem imaginávamos existir."

Revista Época