O marido perfeito mora ao lado

O marido perfeito mora ao lado
3.86992 123



Resenhas - O marido perfeito mora ao lado


23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Ana 24/04/2015

Mais um autor brasileiro!!!!! \o/

Quando peguei esse livro emprestado para ler foi apenas por conta do titulo, e também porque vi que o autor é brasileiro, como estou numa fase querendo descobrir autores nacionais, dei uma chance.

Comecei ler e não tive boas impressões, achei chato, ao ponto de deixar de lado a leitura por alguns dias, mas como boa teimosa que sou voltei a lê-lo, mas não foi aquele desespero para saber o que vai acontecer na próxima página, tanto que me contentava com os momentos que estava no trânsito, dentro do ônibus para ler.

Felipe escreve bem, a história é super legal, amei o fato de ter me enganado com o estilo do livro (achava que seria um romance e acabou apresentando mais um policial), me incomodei com os capítulos que descreviam a sessão de terapia da Olga e Carlinhos e as várias partes "psicológicas", ouve momentos que achei que para entender eu teria que no mínimo ser estudante de psicologia, o final me deu uma raivazinha...

Mas ao chegar no fim do livro me dei conta que certas coisas no livro eram necessárias e na verdade muita coisa que eu achava dispensável, na verdade são indispensáveis.

Quer ler a resenha completa? Acesse:

site: http://monpetitmbleu.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Déia 09/03/2015

O MARIDO PERFEITO MORA… JURA?
A princípio comprei o livro e me interessei pela leitura, pois tinha excelentes referências a respeito do autor, além, claro, do título ser bastante convidativo: O Marido Perfeito Mora ao Lado.

Já no primeiro momento morro de rir, fico abismada com a criatividade e a riqueza de detalhes na descrição das cenas, cujas, tenho a sensação de tê-las assistido ao vivo.

Em um segundo momento uma bela ficção-realidade da elite jovem e universitária do Rio de Janeiro. A partir daí começa o suspense, intercalado com os monólogos de Olga (única participante de uma terapia de casal, nem o marido e nem a doutora têm o poder da palavra).

O livro apresenta conceitos importantes da psicologia, têm ótimos diálogos, uma linguagem clara e objetiva e uma queda para a tragédia cômica. Sem mencionar que consegue explorar de forma bem sensual e real, mas não de forma agressiva, a vida sexual dos personagens.

Felipe Pena com certeza atingiu seu objetivo. É impossível largar o livro. Cada capítulo te prende ao próximo. A curiosidade aumenta a cada parágrafo. Certamente uma grande opção de prazer através da leitura.

A única coisa que me intriga é como o livro é tão atual, mesmo sendo um trabalho de quatro anos. Tenho a sensação que ele foi escrito ontem. O autor realmente fez uma pesquisa de campo através de seus anos como aluno de psicologia e acredito que sua experiência de vida é parte fundamental da narrativa, mesmo sendo uma ficção.

Enfim, o livro tem um final surpreendente. O autor conseguiu durante a minha passagem por cada verso do livro conquistar gargalhadas, dúvidas, reflexões, angústias, curiosidade e até umas lágrimas emocionadas no penúltimo capítulo.

“A você que chegou até esta última linha, minha perene reverência.” (Felipe Pena em Notas e Agradecimentos).

A você que escreveu esta obra, minha gratidão. Foi uma leitura muito prazerosa e com grandes ensinamentos.

site: https://andreiahomem.wordpress.com/sobre-livros/
comentários(0)comente



Julia 08/02/2013

O marido perfeito que me encantou!
Bem não sou especialista sobre críticas de livros, profissional dessa parte da comunicação ou uma biblioteca humana. Na verdade, leio porque gosto e tenho minhas opiniões sobre cada livro lido. É por isso, que ao ler "O Marido Perfeito Mora ao Lado" tive algumas impressões sobre este:
Primeiro - Confesso que demorei a entender o início do livro, achei um pouco complexo, então tive que voltar e reler para ver se era o que eu pensava que fosse.
Segundo - Mesmo depois de demorar para ler e entender o contexto da história comecei a achar o sequestro muito interessante e como leio e imagino a cena, eu já estava sendo uma CSI para tentar descobrir quem eram os autores do sequestro e por que o fizeram. Nessa hora, destaco as páginas 77 e 78 as quais marcaram meu sentimento sobre o livro. Quando cheguei nessas páginas, foi engraçado, por que eu já queria saber quem era e fiquei louca para saber o que estava escrito no papel, foi nessa hora que eu não consegui mais parar de ler.
Terceiro - Acho que a descrição dos personagens e de algumas cenas foram perfeitas, não tenho do que reclamar sobre descrição. Comprovei isso, principalmente, na página 159 com a manhã de Pastoriza e Nicole. Essa cena foi chocante!
Quarto - Gostei muito do desenrolar da trama e o final foi de muito bom gosto, o achei inteligente.

Bom, resumindo essas foram algumas impressões que tive e estou muito satisfeita pela compra do livro, recomendo para quem quiser comprar, ainda mais agora na internet também. E por fim, já estou pronta para ler o próximo Felipe. Abraços!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Joana Cabral 13/03/2012

Li, gostei e recomendo!
Quando comecei a ler “O Marido perfeito mora ao lado” tive duas impressões: a primeira de que o título não correspondia ao livro, e a segunda, de que a sinopse não dava conta da história.

Na medida em que avançava a leitura, confirmava para mim que a sinopse estava totalmente equivocada. E também que poderia retirar sem dano algum ao livro, todos os capítulos da “Terapia”.
Estava convicta!

Com o que não contava era que, assim como na vida, podemos, na leitura, não enxergar o que está escrito, e sim o que trazemos engessado por nossas experiências. Acabamos por fazer a leitura do que os nossos símbolos reconhecem, e na maioria das vezes, já sabemos de antemão o final. E isso me acendeu um alerta de leitora!

O livro:
O "Marido perfeito mora ao lado" é ambientado numa clinica de psicologia para alunos formandos da universidade. Entre atendimentos a clientes, supervisão com a orientadora e o grupo, os personagens são apresentados.
O sequestro de Marcus, integrante da equipe de terapeutas, mexe com a rotina das alunas e dos analisandos. Principalmente Nicole, que é namorada do rapaz e Raquel, ex-namorada.

São vários os suspeitos; gradualmente vamos formando nossa opinião na tentativa de descobrir o suposto sequestrador.
E somos surpreendidos a cada história de vida, revelada de capítulo em capítulo.

O livro me fisgou pela fluidez da narrativa, pelos momentos de suspense e pela investigação do ser humano com tantas fraquezas, mas com igual capacidade de superar-se.
Não há a “descoberta”, não há “(a) ou (o) vilão", muito menos o “culpado”, somos todos seres complexos com nossos opostos debatendo-se ao longo da vida.
O único problema é que, em alguns casos, podemos ser bem mais do que simplesmente um...
Claro que cheguei ao final da leitura com uma (nova) convicção, a de que todas as peças da trama se encaixavam; de que a sinopse fazia sentido e, principalmente, de que não se podia tirar uma vírgula dos capítulos "Terapia".
Amei!
comentários(0)comente



Kessy 22/01/2012

Um título que pouco revela do livro
Uma história muito boa! Muito bem escrita. Uma história de mistério, interligando a vida de várias pessoas e seus segredos mais guardados. O livro prende o leitor. A Mistura de romance policias com psicologia é instigante.
O autor sabe escrever, sabe do que fala. Me deliciei com suas definições. Um mistério que vai ficando mais e mais emaranhado a cada capítulo. No começo parece que os capítulo nao tem ligação entre si, para depois tudo se encaixar perfeitamente. Final surpreendente!
Grata surpresa esse autor nacional!
Adorei a teoria que ele coloca nos livros.É um livro muito bem escrito, texto bem detalhado, com momentos que prendem
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Livy 12/05/2011

Um livro curto e grosso!
{ para ler a resenha completa acesse | nomundodoslivros.blogspot.com }

Surpreendente. É assim que eu definiria o livro. De início eu tinha a impressão de que o livro seria uma comédia ou sátira, uma "novela". Mas me enganei.
Com uma narrativa inteligente e uma trama muito bem desenvolvida, Felipe Pena nos envolve na psique humana e nos sentimentos dos personagens.
De forma simples e sem rodeios nos mostra como "funciona" a mente humana com personagens que precisam de psiquiatra urgente! rsrsrs.
Brincadeiras a parte, gostei muito do livro. Vamos ser sinceros, a capa não chama a atenção, mas tem tudo a ver com o tema.
Uma coisa que eu acho que faltou, é a descrição de alguns personagens que foram um pouco vagas. E mais uma coisa, Felipe não nos poupa não! Sua linguagem é direta e em alguns momentos até explicita, em outras usando gírias, mas tudo dentro do contexto do livro, e da mente dos personagens. Adorei o jeito inovador de mesclar a psicologia com a narrativa do livro.
O mistério do crime, nos deixa loucos, a ponto de desconfiar de tudo e de todos. Uma sacada bem inteligente, foi no penúltimo capitúlo, em que o autor nos faz, por um breve momento, duvidar da certeza. Como ele mesmo diz no livro: "a única certeza é a dúvida e vice-versa".
Uma personagem de que gostei muito foi a Raquel. Se drama pessoal nos envolve e nos faz torcer pra que algo bom aconteça por ela. Ainda falando dos personangens, realmente o que você percebe é que cada um está mais preocupado consigo, e tem um sentimento que poderiamos dizer, define o livro e o titúlo "o marido perfeito mora ao lado", porque esses personagens não se contentam com o que tem, e buscam sempre "mais".
Uma outra coisa que devo ressaltar, e achei muito interessante foi os títulos dos capitúlos (casais, terapeutas, libido, ego, ansiedade, terapia, obsessão, compulsão, histeria, transferência, terapia, édipo, ética, terapia, perversão, aversão, diversão, terepia, loucura, sanidade, desejo, dor, terapia, fantasia, memória, narcisismo, angústia, persona, sublimação) UFA!

Vou colocar um trecho do livro, que ao meu ver, define bem o contexto:

"Desejar é um verbo intransitivo. O desejo é autônomo, autosuficiente, independe do objeto desejado. Não que o objeto não seja importante, mas ele é apenas secundário diante da pulsão, que nunca se satisfaz. Para toda demanda explícita existe uma outra, implícita, que é inalcançavel, pois sempre se renova. Por isso, nunca estamos satisfeitos. O carro do ano só vale se for o carro do ano que vem. Para um milionário, o importante é o milhão seguinte. Quem compra o primeiro apartamento, logo quer reformá-lo ou se mudar para um bairro melhor. A satisfação está no que falta, não no que existe. Postanto, a busca é eterna, não se realiza. "
comentários(0)comente



Danni 01/04/2011

Várias vezes pensei em largar o livro, é muito cansativo, enrolado.
Conta a estória de vários personagens, vários mesmo,porém nenhum deles tem descrição.
Achei um pouco auto-ajuda, deve ser por isso que não gostei!


comentários(0)comente



Ana Cristina 21/01/2011

Gostei do estilo de escrita do Felipe Pena, é fluido e não dá vontade de parar de ler. Como leio no ônibus no trajeto casa x trabalho x casa, sempre calhava de parar num ponto da trama que era atraente, e ficava o dia todo lembrando, me perguntando qual seria o desenrolar daquela situação.

Adorei a mistura e a explicação de forma bem leve, dos pontos psicanalíticos. A diferenciação entre psicose e psicopatia.

Mas, achei que a estória das personagens emboladas demais. Por mais que se inspirasse na clínica, as vidas não são tão enroladas. Ou será que são.

Quanto ao título, já vi pessoas achando que não é adequado mas discordo. Afinal a vida alheia sempre parece perfeita ao nosso olhar, até que quando acontece deixar de ser alheia e ser nossa, percebemos que ali não havia perfeição. Ou será que somos nós que estragamos a perfeição?
comentários(0)comente



Angela Grazi 13/12/2010

http://pocketlibro.blogspot.com/2010/09/o-marido-perfeito-mora-ao-lado.html
comentários(0)comente



Nil 08/11/2010

Um bom romance brasileiro
Nunca tinha lido nada desse autor e gostei muito do seu estilo. Ele tem uma narrativa enxuta, com uma linguagem adequada aos seus personagens, personagens bem construídos e uma história que prende a atenção do início ao fim. Recomendo!
comentários(0)comente



Lily 26/10/2010

Ganhei este livro de aniversário de uma amiga que tentou me azucrinar com o título. Se enganou, tadinha! A história não tem nada a ver com romances, auto ajuda ou chick-lit. Trata-se de uma mistura de gente doida, crime organizado, corrupção, sequestro, tudo se passando no Rio (sem ironias). É muito bem escrito, de um autor que eu não conhecia e que devo alardea-lo (?) daqui pra frente, pois o cara é bom! Por ser brasileiro, tem meu voto, pois aqui está um talento não muito divulgado pelo skoob. Recomendo!
comentários(0)comente



Marcinhow 03/10/2010

marcinhoweoslivros.blogspot.com
Olga, Carlinho, Nicole, Marcus, Jurema, Bibiano, Raquel, Samantha, Karen, Virgínia, Pastoriza, Arlindo, Etelvina e Rogério. Pessoas de verdade (ou não) que irão fazer parte do seu cotidiano, e tenho certeza, você conhece pelo menos uma pessoa que se parece com um desses personagens.
O Marido Perfeito Mora ao Lado, nos transporta para os bastidores de uma universidade, com foco nos alunos e professores da psicologia, ah e é claro, nas consultas de Olga e Carlinho, dois pacientes super carismáticos que me tiraram algumas gargalhadas...

PAra continuar lendo esta resenha, acesse o meu blog:
http://marcinhoweoslivros.blogspot.com/2010/09/o-marido-perfeito-mora-ao-lado.html
comentários(0)comente



naniedias 04/08/2010

O Marido Perfeito Mora ao Lado, Felipe Pena
Nicole, Samantha, Karen e Raquel já estão na sala em reunião com a professora Jurema para relatar as suas experiências e dificuldades. Apesar da ausência de Marcos, o quinto integrande, e único homem, do grupo, Raquel já está comentando sobre um dos casos que atendeu.
Jurema é a professora responsável por orientar o grupo. Todos cinco são estagiários de psicologia e atendem na clínica da universidade durante a semana. Como ainda não são profissionais, eles utilizam a ajuda da professora, para conseguir levar os casos até o final.
O encontro prosseguia, quando Pastoriza, o diretor da faculdade, entra em cena para anunciar o sequestro de Marcos.
Quem é o culpado? Por que esse crime foi cometido?
Leia o livro e descubra porque Marcos foi sequestrado. E que ninguém é completamente inocente.

O que eu achei sobre o livro
Eu amei o livro. Já tinha lido algumas resenhas, então já esperava que a história fosse boa, mas a história é maravilhosa! Com muitas surpresas, reviravoltas, intrigas, paixões e muita psicologia, o livro é uma leitura muito agradável!
Adorei a psicologia que está intrínseca ao livro. Durante toda a leitura, o autor mostra um pouquinho de psicologia para o leitor.
"O melhor da festa é esperar por ela. Nunca ouviu isso? É uma citação de Proust: a meta está no próprio caminho, naquilo que você az durante a caminhada. O que viveu, como viveu para quem viveu. Isso é que importa."
Com uma linguagem sofisticada, embora não seja complexa, o livro não é de difícil leitura.
Os personagens são muito bem construídos, com personalidades marcantes - o que torna o livro ainda mais interessante. Seu enredo contemporâneo, torna a leitura ainda mais agradável.
O mais interessante de tudo? Os personagens. Eu gostei muito dos personagens, que são muito bem construídos e muito reais em seus gostos e desejos. A história em si também é muito boa e tem um quê de romance policial (gênero que eu gosto muito) que deixa a trama ainda melhor. O tempo todo está em xeque quem é o culpado pelo sequestro do Marcos. E durante todo o livro você é conduzido pelo autor a ter dúvidas quanto o caráter dos personagens que estão na trama.
Livro nacional muito bom, super recomendado para todos!

Nota: 10
Dificuldade de Leitura 6

Mais resenhas em: http://naniedias.blogspot.com
comentários(0)comente

Dri Ornellas 22/09/2010minha estante
Eu achei que o título não teve muito a ver com a história. Na verdade, esse título me enganou!! Pensei que o livro seria totalmente diferente por conta dele...rs




23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2



logo skoob
"Entro para pesquisar o livro que vai ocupar o lugar na minha mesinha de cabeceira"

Rede Bom Dia