A Comédia Humana - Vol. 7

A Comédia Humana - Vol. 7 Honoré de Balzac


Compartilhe


A Comédia Humana - Vol. 7


Estudos de costumes — Cenas da vida privada




Mais extenso e completo romance de Honoré de Balzac compõe o sétimo volume de A comédia humana, lançamento da Biblioteca Azul, que mantém tradução coordenada por Paulo Rónai – reconhecida como uma das melhores edições da obra balzaquiana fora da França

Dando continuidade à publicação da nova edição integral de A comédia humana, a Biblioteca Azul lança os volumes 5, 6 e 7 da obra máxima de Honoré de Balzac. Entre os títulos que compõem os tomos, que traçam um retrato das Cenas da vida provinciana, está uma de suas histórias mais famosas, Eugênia Grandet, e o mais extenso e completo romance do escritor, As ilusões perdidas.

Nessa imensa narrativa, Balzac trabalhou durante quase toda sua carreira literária (As ilusões perdidas foi escrito entre 1835 e 1843 e sua continuação, Esplendores e misérias das cortesãs, só foi finalizada em 1847). Publicado em pedaços, e a intervalos enormes de tempo, o romance não pôde ser apreciado integralmente por seus contemporâneos, foi alvo de diversas críticas, mas tornou-se a obra mais significativa de Balzac.

As ilusões perdidas traz a história de Luciano de Rubempré, um escritor provinciano facilmente influenciável e cheio de talento que decide ir a Paris seduzido pelo brilho da capital. Reúne todos os tipos característicos da prosa balzaquiana, com a dicotomia entre as limitações e ingenuidade da província contra as promessas e imoralidades da capital. Balzac, aqui, também detalha os primórdios da tipografia na França – ambiente que conhecia muito bem, tendo ele mesmo fundado sua própria (e malsucedida) editora e publicado diversos romances em folhetim – além de todos os obstáculos e jogos de interesse que rondavam as publicações da imprensa parisiense.

Com tradução de Mario Quintana e Ernesto Pelanda, o romance, que teve duas poesias traduzidas por Manuel Bandeira, compõe o sétimo volume da nova edição de A comédia humana. A imensa obra veio a público no Brasil duas vezes, editada pela Globo de Porto Alegre e depois pela Globo Livros – a primeira a partir de 1947 e a segunda, de 1992. Em ambas teve orientação, introduções de todos os romances e notas de Paulo Rónai, um dos maiores críticos literários do Brasil. Rónai dedicou 15 anos à organização de todo aparato de A comédia humana, que contou com 20 tradutores, 12 mil notas e prefácio para cada um dos 89 romances. Desde 2012, a Biblioteca Azul passou a publicar nova edição, atualizada e revista, deste trabalho, que ganhou reconhecimento como uma das mais importantes edições fora da França.

Obra que compõe A comédia humana – volume 7 – Estudos de costumes – Cenas da vida provinciana
As ilusões perdidas

Drama / Ficção / Literatura Estrangeira / Romance

Edições (1)

ver mais
A Comédia Humana - Vol. 7

Similares

(11) ver mais
A Comédia Humana - Vol. 5
Poemas
Balzac e a Comédia Humana
A comédia humana, vol. II

Estatísticas

Desejam48
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.8 / 10
5
ranking 90
90%
4
ranking 10
10%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

42%

58%

Ana
cadastrou em:
09/08/2013 16:32:21
Mariana
editou em:
06/01/2019 18:30:16