A Fome

A Fome Rodolfo Teófilo


Compartilhe


A Fome





Livro de estréia de Rodolfo Teófilo na ficção, A Fome enfoca a tragédia trazida ao Ceará pela seca de 1878. De um realismo impressionante, a obra narra a fuga deseperada de pessoas flageladas pela seca, tentado escapar da fome e da morte iminente. A injustiça social, a ambição e miséria pincelam o fundo desse quadro aterrador, onde um dos flagelados se autodevora.

Romances da seca ? Assolado o Nordeste por longas estiadas , que destroem as plantações e extinguem os mananciais de água , impondo três posições importantes : o homem se lança ao crime e se torna cangaceiro ; emigra pacificamente e é chamado retirante ; ou então procura em práticas supersticiosas , aplicar a fúria de Deus e se transforma em beato ; sai pregando ou seguindo um pregador rústico , a fazer sacrifícios, auto flagelando-se, e termina matando ou roubando em nome de Deus.

Cangaceiro, retirante e beatos são os personagens principais do chamado ciclo dos romances da seca, no qual se destacam os escritores cearenses . No mesmo ano de 1876, José de Alencar (1829-1877) publicava O Sertanejo e Franklin Távora (1843-1888) O cabeleira , iniciando o que se chamou de ?Literatura do Norte? , englobamento das atividades literárias que tinham por centros Recife e Fortaleza .

De 1876 em diante , foram tantos os romances relativos à seca , que , para e feito didático , usa-se a expressão ?Ciclo das secas? para aglutinar romances como Luzia-Homem, de Domingos Olímpio (1850-1906) O cabeleira e Matuto de Franklin Távora ; Dona Guidinha do Poço , de Manuel Oliveira Paiva (1861-1892) ; A Normalista de Adolfo Caminha (1867-1897); os romances de Rodolfo Teófilo (1853-1932) A Fome,Os Brilhantes e O Paroara; Os cangaceiros de Carlos D. Fernandes (1875-1942), O rei dos Jagunços, de Manuel Benício; Casacos de Cordeiro de Andrade; Aves de Aribação, de Antônio Sales (1868-1940), etc. Muito influiu sobre essa literatura a publicação de Os Sertões, obra de sociologia, literatura e reportagem de guerra , escrita por Euclides da Cunha (1866-1909) com evidente admiração pelos sertanejos , compreensão de suas lutas contra a natureza e protesto contra o desprezo com que os trata o governo federal .

Integrou-se totalmente na vida do estado adotivo, em cujas vicissitudes tornou parte ativa da ?Padaria Espiritual?, com o nome de padeiro Marcos Serrano. No ramo literário, deixou o sinal de seu devotamento em vários romances, como A Fome (1890), em que narra cenas da seca, no Ceará; Os Brilhantes (1895), onde analisa o fenômeno do cangaço no Nordeste; O Paroara (1899), em que acompanha as peripécias de um emigrante cearense nas selvas amazônica, dando-nos imagens palpitante do êxodo cearense das secas e da escravidão dos seringais, nas solidões verdes do Amazonas. O Reino de Kiato (1922), em cujas páginas sobre a forma de narrativa, descreve a vida dos homens num reino imaginário, onde a libertação do álcool, do fumo e da sífilis estabelece a perpétua felicidade geral . O historiador e romancista, Rodolfo Teófilo, faleceu em Fortaleza, a 2 de julho de 1932.

Edições (2)

ver mais
A Fome
A Fome

Similares


Resenhas para A Fome (1)

ver mais
Um relato nada bonito do flagelo da seca

Quando se pensa no cânone literário como o conjunto de obras válidas de uma determinada literatura, por vezes, corre-se o risco de deixar de lado obras ditas menores, que, se não são os maiores exemplos de plenitude estética, carregam outras facetas tão valorosas quanto. "A Fome" é uma dessas obras que certamente não constarão nas listas dos 100 maiores romances brasileiros de todos os tempos, mas detentora de grande contribuição para a nossa literatura. Escrita em 1890 por Rodolfo ... leia mais

Estatísticas

Desejam17
Trocam1
Avaliações 4.5 / 29
5
ranking 66
66%
4
ranking 28
28%
3
ranking 3
3%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

44%

56%

Bag S.J.
cadastrou em:
18/01/2009 00:44:31
Sabrina
editou em:
21/04/2015 19:53:20