A Práxis da Psicologia

A Práxis da Psicologia Dr. Martín F. Echavarría


Compartilhe


A Práxis da Psicologia


E seus níveis epistemológicos segundo Santo Tomás de Aquino




"Ao amar-se desordenadamente, a pessoa, no fundo, odeia-se: porque se ama de acordo com o que em si não é principal e porque quer para si, como um bem, algo que, em realidade, lhe faz mal. Isto se torna especialmente manifesto naquelas personalidades em que os atos são claramente antinaturais – pensamos em atos masoquistas, por exemplo. Todavia, o mesmo se pode observar em todo ato contrário à razão. Assim, mesmo sem sabê-lo, há um ódio ao verdadeiro eu. Este ódio a si mesmo chega, de algum modo, a ser consciente, sobretudo com o tempo. Os ‘maus’ certamente podem amar-se a si mesmos somente enquanto consideram que têm algo bom. Mas não podem ficar muito tempo neste autoengano.”

Psicologia

Edições (1)

ver mais
A Práxis da Psicologia

Similares


Estatísticas

Desejam3
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 0 / 0
5
ranking 0
0%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

50%

50%

Barbara Martins
cadastrou em:
13/12/2021 21:05:37
Barbara Martins
editou em:
13/12/2021 21:07:58

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR