Arqueologia da violência

Arqueologia da violência Pierre Clastres


Compartilhe


Arqueologia da violência


Pesquisas de antropologia política




(...) A guerra é regida por lógica centrífuga: se a unidade social não se articula na dialética das diferenciações e da síntese estatal, é porque se tece na contraposição a outras sociedades. Daí o sentido arqueológico da violência: enquanto resistência à desigualdade interna de poder, bloqueia a cristalização das diferenças e o monopólio da força, consubstanciados no Estado. Arqueologia da violência constitui referência incontornável para a ciência política, a filosofia, a economia, a história, a psicanálise, a sociologia e os demais saberes que formam a vasta paisagem das humanidades. A prosa refinada destes doze ensaios eleva a etnologia à esfera da filosofia política, fazendo está última pousar os pés no chão da análise sociológica: em sua bagagem, os relatos de viagem, a mitologia americana, Freud, Hobbes e Rousseau. Não ficaremos imunes ao seu veneno: leitores contra o sossego do pensamento conformista. Luiz Eduardo Soares.

Direito / Economia, Finanças / Filosofia / História / História do Brasil / História Geral / Não-ficção / Política / Psicologia / Sociologia

Edições (2)

ver mais
Arqueologia da violência
Arqueologia da Violência

Similares

(3) ver mais
A Sociedade contra o Estado
O Profeta e o Principal
Revolta e Melancolia

Estatísticas

Desejam43
Trocam1
Avaliações 4.4 / 24
5
ranking 50
50%
4
ranking 46
46%
3
ranking 4
4%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

51%

49%

Raíssa
cadastrou em:
26/08/2017 13:12:53