Batismo de Sangue

Batismo de Sangue Frei Betto


Compartilhe


Batismo de Sangue


A Luta clandestina contra a ditadura militar - Dossiê Carlos Marighella e Frei Tito




"'Batismo de sangue' realiza, em plenitude, a frase de Jorge Amado que adota como epígrafe - "Retiro da maldição e do silêncio, e aqui inscrevo seu nome de baiano: Carlos Marighella." Ao fazê-lo, dando, pela primeira vez, o relato completo e fidedigno do assassinato desse líder revolucionário, Frei Betto revive para todos nós os tristes dias da mais violenta ditadura que esse país já conheceu, oferecendo-nos, ao mesmo tempo, o retrato nítido de dois homens tão distintos um do outro, como Frei Tito e Sérgio Paranhos Fleury, que, numa simplificação admissível, se quiseremos buscar o simbólico, bem poderão figurar como os limites máximos da grandeza e da miséria da condição humana."

Biografia, Autobiografia, Memórias

Edições (5)

ver mais
Batismo de Sangue
Batismo de Sangue
Batismo de Sangue
Batismo de Sangue

Similares

(69) ver mais
Brasil: Nunca Mais
A Ditadura Envergonhada
A Ditadura Escancarada
A Ditadura Derrotada

Resenhas para Batismo de Sangue (18)

ver mais
Fé e Luta.
on 2/10/10


Um dos mais influentes intelectuais do país, Frei Betto, ao publicar “Batismo de Sangue”, prestou um inestimável serviço à nossa Literatura histórica. Seu relato sobre a caçada implacável a Carlos Marighela e o calvário de Frei Tito, expuseram de forma crua a ainda incômoda ferida dos anos mais duros da Ditadura Militar. Há uma percepção clara de que os abnegados que pegaram em armas contra o governo, no fundo, mais do que uma pretensa guinada comunista, queriam de fato uma sociedade m... leia mais

Estatísticas

Desejam208
Trocam5
Avaliações 4.3 / 351
5
ranking 51
51%
4
ranking 34
34%
3
ranking 13
13%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

38%

62%