Bicho Geográfico

Bicho Geográfico Bernardo Brayner


Compartilhe


Bicho Geográfico





Vasta e sutil catedral de orfandades, a elegia que nos propõe este livro é ao mesmo tempo física e espiritual. Recorrentes, as lembranças se impõem como motivos musicais e, no seu encantamento de ritornelo, trazem de volta cenários de um tempo perdido. Numa miríade de situações, o eu de várias idades se reencontra consigo numa arena em que as recordações traem o contador de si e, nisto, o levam de volta a uma dimensão de amplas possibilidades. É neste exercício de bicho geográfico que a memória alcança exorcizar a solidão. Mas este não é um livro assombrado pelas lembranças. É sobretudo um livro de amuletos. Aqui, recordar é uma operação tátil. Imagina-se, de longe, a candura e a calidez do contato perdido, inclusive o contato com os admiráveis modelos do mundo pregresso.

Ficção

Edições (1)

ver mais
Bicho Geográfico

Similares


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.5 / 2
5
ranking 50
50%
4
ranking 50
50%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

25%

75%

Julyana
cadastrou em:
15/01/2022 14:35:14
Julyana
editou em:
15/01/2022 15:13:13

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR