Senhor das moscas, de William Golding - resenha (sem spoiler)

📖 Ao narrar a história de um grupo de crianças britânicas que se viram sozinhas em uma ilha deserta, após um acidente de avião, tendo que lidar com questões de sobrevivência e de governabilidade, o autor de Senhor das Moscas, William Golding, fala do próprio funcionamento da psique humana.

🧠 Para isso, utiliza dos três personagens principais: Jack, Ralph e Piggy, cujas identificações com o ID (princípio do prazer), o ego (princípio da realidade) e o superego (princípio do dever) são encarnadas nos personagens principais, criando uma das histórias mais incríveis e originais da literatura mundial.

🏝️ Basta pensarmos nas diversas ilhas que criamos, desde a nossa infância, no processo de aprendizado sobre nós mesmos e em nossa predisposição tanto para o bem quanto para o mal, desconstruindo o mito do "bom selvagem" de Rosseau.

🔥 Com esta resenha te convido a refletir sobre a nossa capacidade, ou não, de mantermos acesa a chama da esperança toda vez que nos vemos a sós, com os nossos maiores medos, sem regramentos sociais, escancarando a nossa essência e condição humana.

👊 Onde encontrar o Sujeito Literário nas Redes Sociais?
FACEBOOK: https://bit.ly/3hjGjSE
INSTAGRAM: https://bit.ly/3dScqa6

Contatos e envio de material:
sujeitoliterario@gmail.com
dudumenezes@gmail.com
Eduardo Menezes
Praça Piratinino de Almeida, nº 14 / Apto: 906
Pelotas-RS
CEP: 96015-290