Cartas Natalinas à Mãe

Cartas Natalinas à Mãe Rainer Maria Rilke


Compartilhe


Cartas Natalinas à Mãe





Rainer Maria Rilke (1875-1926), o grande poeta alemão que viveu na transição do simbolismo para a modernidade - e é, por isso mesmo, considerado um de seus precursores -, foi também um grande epistológrafo. Escreveu cartas ao longo de toda sua vida, sendo as mais famosas as 'Cartas a um jovem poeta'. Dentro dessa vasta correspondência, começando com o próprio século XX, e indo de seus 25 anos até sua morte aos 50, invariavelmente enviava uma carta de Natal para a mãe. São estas as epístolas agora reunidas em 'Cartas natalinas à mãe', traduzidas diretamente do alemão por Maria Aparecida Barbosa, com prefácio de Willi Bolle. Rilke foi um homem inquieto, e essa inquietude se manifesta de inúmeras maneiras - nos vários relacionamentos amorosos, nas características de sua vasta obra poética, no seu interesse pela religião e pela solidão, na verdadeira peregrinação geográfica que foi sua vida - refletida nos distintos lugares de origem dessas cartas. Eles são quase tantos quanto as cartas, o que significa que Rilke praticamente não passou dois natais seguidos no mesmo lugar em sua vida adulta - Berlim, Westerwerde, Paris, Roma, Oberneuland (perto de Bremen), Worpswede (idem), Capri, Túnis, Duíno (Itália - onde escreveria as famosas Elegias), Ronda, Viena, Munique, Locarno, Muzot. Há poucas referências, nessas cartas, à literatura em geral, e algumas à sua própria obra em particular. Em compensação, pode-se acompanhar o homem Rilke em sua peregrinação pela Europa e pela África (Tunísia), suas ansiedades políticas, principalmente no período da Primeira Guerra Mundial, o esfriamento de seu casamento com a artista plástica Clara Westhoff (com quem se casa em 1901) e a proximidade com a filha Ruth, assim como o aumento de sua solidão e a serenidade criativa a ela ligada. Apesar de serem, como diz seu título, cartas de Natal, cheias, portanto, de votos e de referências à data cristã, pode-se descortinar um quadro fragmentário, porém sensível, tanto da existência adulta de um grande artista quanto da vida de certa classe social na Europa do início do século XX.

Biografia, Autobiografia, Memórias / Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
Cartas Natalinas à Mãe

Similares


Resenhas para Cartas Natalinas à Mãe (1)

ver mais
Lindo.
on 14/12/19


Que livro singelo, emocionante. O carinho , o respeito e o amor de Rulke por sua mãe, realmente emociona. Amei as cartas, e ler nesse período de Natal, tornou o livros ainda mais belo.... leia mais

Estatísticas

Desejam17
Trocam1
Avaliações 3.5 / 25
5
ranking 16
16%
4
ranking 28
28%
3
ranking 48
48%
2
ranking 8
8%
1
ranking 0
0%

34%

66%

Júlia
cadastrou em:
08/12/2009 13:47:18
Luana
editou em:
09/12/2019 00:09:51