Cem Anos de Solidão

Cem Anos de Solidão Gabriel García Márquez


Compartilhe


Cem Anos de Solidão





“Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendia havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer a fábrica de gelo”... Com essa frase antológica, García Marquéz, Prêmio Nobel de Literatura de 1982, introduz a fantástica Macondo, um vilarejo situado em algum recanto do imaginário caribenho, e a saga dos Buendia, cujo patriarca, Aureliano, fez trinta e duas guerras civis... e perdeu todas.

García Marquéz já despontava como um dos mais importantes escritores latino-americanos, no início da década de 1970, quando Cem anos de solidão começou a ganhar público no Brasil. O livro causou enorme impacto. Na época, o continente estava pontilhado de ditaduras. Havia um sentimento geral de opressão e de impotência. Então, essa narrativa em tom quase mítico, em que o tempo perde o caminho, em que os episódios testemunhados e vividos acabam se incorporando às lendas populares, evoca nos leitores uma liberdade imemorial, que não pode ser arrebatada. E tão presente. Tão familiar e necessária.

Em Macondo, os mortos envelhecem à vista dos vivos e os anjos chegam, sempre, em dezembro. Entretanto, García Marquéz nunca aceitou que suas narrativas fossem rotuladas como fantasia. Talvez porque isso exilasse Macondo num outro mundo, que nem a solidão ou a liberdade pudessem alcançar. Cem anos de solidão é a mais pura história do povo latino-americano. Mas ultrapassa o momento e expõe a alma dessa história - ou como é vivenciada.

Romance / Ficção / Literatura Estrangeira

Edições (34)

ver mais
Cem Anos de Solidão
Cem Anos de Solidão
Cem Anos de Solidão
Cem Anos de Solidão

Similares

(77) ver mais
Pedro Páramo
O anjo e o resto de nós
A Casa dos Espíritos
A revoada

Resenhas para Cem Anos de Solidão (1.320)

ver mais
Solidão Compartilhada
on 24/8/10


Em Cem Anos de Solidão tem-se uma história cheia de fatos e personagens, na qual o leitor, ao final do livro, já se sente um Buendía (família protagonista). Ao lê-lo, percebemos o tamanho da solidão humana, que é irremediável, porém, adiável. Que atire a primeira pedra quem nunca disse que não quer morrer só, pois uma uma vida só é só uma vida, mas ao final percebemos que muitas pessoas vão e muitas vêm, só você fica. E essa é a intenção do livro, mostrar a solidão como algo inerente a... leia mais

Vídeos Cem Anos de Solidão (21)

ver mais
As minhas MELHORES leituras de 2020 | Neurose Literária

As minhas MELHORES leituras de 2020 | Neurose

lidos de janeiro *BWU #01*

lidos de janeiro *BWU #01*

CEM ANOS DE SOLIDÃO, GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ (#100)

CEM ANOS DE SOLIDÃO, GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ (

(LIVE) Cem Anos de Solidão, de García Márquez - Discussão do Livro Completo

(LIVE) Cem Anos de Solidão, de García Márquez


Estatísticas

Desejam6.294
Trocam70
Avaliações 4.6 / 24.918
5
ranking 76
76%
4
ranking 16
16%
3
ranking 6
6%
2
ranking 1
1%
1
ranking 0
0%

28%

72%

Larissa
cadastrou em:
28/11/2014 23:06:22