Contos reunidos

Contos reunidos João Antônio


Compartilhe


Contos reunidos





Desde sua estréia, em 1963, com Malagueta, Perus e Bacanaço, João Antônio (1937-1996) conquistou um espaço próprio na literatura brasileira. Sua prosa afiada deu voz a personagens que não costumavam frequentá-la: o malandro, o menino de rua, a prostituta, o leão-de-chácara, o flanelinha, o informante da polícia e o traficante, quase todos em primeira pessoa. Como bem resumiu o crítico Antonio Candido: “João Antônio faz para as esferas malditas da sociedade urbana o que Guimarães Rosa fez para o mundo do sertão, isto é, elabora uma linguagem que parece brotar espontaneamente do meio em que é usada,mas na verdade se torna língua geral dos homens, por ser fruto de uma estilização eficiente”. Para conseguir isso, ele foi não apenas um observador agudo mas um conhecedor apaixonado, que misturou a própria vida nos ambientes em que viviam seus personagens, do botequim à zona do meretrício, da estação de subúrbio ao cais do porto, do salão de sinuca à favela.

Este volume recolhe pela primeira vez todos os contos publicados em livro pelo próprio autor, abrangendo o arco que se inicia com Malagueta, Perus e Bacanaço (1963), passa por Leão de chácara (1975), Dedo-duro (1982), Abraçado ao meu rancor (1986) e termina em Um herói sem paradeiro (1993). A esse conjunto, somam-se dois contos dispersos e um inédito. “Um preso”, de 1954, foi publicado no jornal O Tempo e pode ser considerado a estreia literária do autor, pois nele já se percebe o tom que marcaria sua obra. “Bolo na garganta” fez parte da coletânea Meninão do caixote (1983). O inédito “A um palmo acima dos joelhos” foi encontrado praticamente sem retoques entre os papéis do autor no arquivo da família e narra a primeira vivência amorosa de um menino.

Completam o volume uma antologia de textos críticos sobre a obra de João Antônio, com textos assinados por Antônio Candido, Jorge Amado, Paulo Rónai, Alfredo Bosi e Tânia Macedo.

O projeto gráfico foi criado a partir de um conjunto de documentos que fazem parte do arquivo ao autor: manuscritos, bilhetes de loteria e anotações em versos de maços de cigarro, característica muito própria desse arquivo.

Como encarte, o Vocabulário das ruas recolhido por João Antônio, um fac-simile de original encontrado no arquivo de João Antônio: uma caderneta de endereços e telefones em que o autor registrava gírias e expressões que ouvia em suas andanças pelos ambientes que freqüentou.

Edições (1)

ver mais
Contos reunidos

Similares

(23) ver mais
Ô, Copacabana!
Acontecimentos na irrealidade imediata
Só para fumantes
Contos de Murilo Rubião

Estatísticas

Desejam29
Trocam1
Avaliações 4.3 / 22
5
ranking 59
59%
4
ranking 32
32%
3
ranking 0
0%
2
ranking 9
9%
1
ranking 0
0%

52%

48%

Gui Magalhães
cadastrou em:
18/11/2012 13:39:54

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR