Crepúsculo dos Ídolos

Crepúsculo dos Ídolos Friedrich Nietzsche




Crepúsculo dos Ídolos


ou Como Se Filosofa com o Martelo




"Crepúsculo dos Ídolos" foi a penúltima obra de Nietzsche, escrita e impressa em 1888, pouco antes de o filósofo perder a razão. O próprio Nietzsche a caracterizou como um aperitivo, destinado a abrir o apetite dos leitores para a sua filosofia. Trata-se de uma síntese e introdução a toda a sua obra, e ao mesmo tempo uma "declaração de guerra". É com espírito guerreiro que ele se lança contra os "ídolos", as ilusões antigas e novas do Ocidente: a moral cristã, os grandes equívocos da filosofia, as idéias e tendências modernas e seus representantes. De tão variados e abrangentes, esses ataques compõem um mosaico dos temas e atitudes do autor: o perspectivismo, o "aristocratismo", o realismo ante a sexualidade, o materialismo, a abordagem psicológica de artistas e pensadores, o antigermanismo, a misoginia.

Filosofia

Edições (14)

ver mais
Crepúsculo dos Ídolos
Crepúsculo dos Ídolos
Crepúsculo dos ídolos
Crepúsculo dos Ídolos

Similares

(8) ver mais
O mal-estar na cultura
O Alcorão
A Gaia Ciência
Aurora

Resenhas para Crepúsculo dos Ídolos (30)

ver mais
on 4/8/10


Meu primeiro Nietzsche, indicado por um amigo. O autor externa muito do que eu penso, mas acho que em alguns casos os argumentos dele são meio forçados... Exemplo: o capítulo "O Problema de Sócrates". Também não sou o maior fã dos socráticos (apesar de entender toda a importância deles), mas usar a feíura de Sócrates como uma espécie de argumento me soa meio forçado. Outro exemplo é quando ele interpreta a obra de Darwin de um prisma sociológico, e não biológico. Aí não faz sentido ne... leia mais

Estatísticas

Desejam197
Trocam32
Avaliações 4.1 / 1.310
5
ranking 41
41%
4
ranking 33
33%
3
ranking 20
20%
2
ranking 4
4%
1
ranking 2
2%

59%

41%

Déa Paulino
cadastrou em:
14/01/2009 20:53:48