Criaturas

Criaturas Rochett Tavares


Compartilhe


Criaturas





Criaturas é uma coletânea de oito contos redigidos no gênero horror fantástico.

Retrato de família
O ano é 1944, sul da Normandia. Aquele jovem norte-americano não fazia idéia do que iria encontrar quando decidiu se alistar no exército e lutar numa guerra que fora imposta a seu país. Além do horror e da morte à sua volta, ele se encontra com seus próprios fantasmas, que parecem tão ou mais vivos do que ele.

Visita ao necrotério
O inspetor Maurice Lacroix é encarregado de investigar um crime hediondo, praticado de forma idêntica aos de um assassino em série já capturado e executado há 30
anos... Seria um imitador? Mas se o fosse, ele saberia de detalhes que a polícia não divulgou... A
cidade de Paris está em polvorosa e a mídia clama por esclarecimentos da polícia. Durante a investigação, Lacroix põe à prova toda a sua competência profissional e o pouco que ainda resta de sua sanidade...

Aquele que viveria

Este conto narra as aventuras de Allan Scott na tentativa de desvendar os mistérios sobrenaturais que envolvem a morte de uma garota.

Segue trecho do conto:

“O sabor amargo de uma noite atribulada desperta um aturdido Allan Scott. Assaltado por uma enxurrada de memórias que saltam em flashbacks, sua mente encontra-se perdida em divagações
acerca de como chegou até ali e o que faria naquele local.
Forçava sua visão para observar os limites do lugar em que se encontrava e que tipo de paragem seria aquela. Entretanto, o sítio encontrava-se envolto em um manto profundo de trevas,
impossibilitando uma análise mais complexa. Sentia-se extremamente solitário, como se um holocausto houvesse se abatido sobre a população humana e só ele houvesse sido poupado para vagar por entre as ruínas de uma civilização extinta, de forma semelhante a um espírito errante que não encontrara o repouso final”.

A Criatura

“A suave brisa do Atlântico beija sua face, soprando o hálito adocicado de eras passadas sobre uma Paris adormecida. Seu espírito vagueia por entre memórias quase tangíveis que remontam a um período cuja existência mantém-se em um recôndito obscuro de sua alma. O fluido azulturquesa a correr pela via que o conduz a um passado distante traz consigo os horrores de dor e resignação próprios a uma criatura fantástica, um espécime deslocado de sua realidade por elementos além de seu poder ou compreensão (...).
Olhos capazes de perscrutar além do comum bebem de um cenário semi-estático onde apenas os
animais noturnos marcham rumo ao arché de suas existências, ignorantes quanto àquele a observá-los através de órbitas das quais a luz da jovialidade há muito houveram abandonado.
Prostitutas, ladrões, transeuntes incautos vagam por entre as veias de um organismo em repouso, divisando-lhe o fluido tal como hemáceas e plaquetas o fazem no microcosmo de cada ser... O
gado, em sua efêmera segurança ao se autoproclamar mestre deste reino da matéria”.

O vendedor de tapetes

Achmed Abdul era um simples comerciante que todos os dias enfrentava o sol escaldante do Cairo para garantir o sustento de sua família. Mas, naquele dia, um simples esbarrão iria mudar
completamente o seu destino. O estranho, apressado e mal-humorado, deixa cair um diário. A curiosidade e a expectativa de uma boa recompensa fazem Achmed recolher o objeto, mas este
ato termina por envolvê-lo em um mistério de dimensões assombrosas...

O mendigo de vincennes

Matteus Girraud, herói de guerra, precisa sobreviver à sua miserável condição de mendigo. Mas nesta noite ele tem problemas maiores do que disputar restos de comida com ratos. Nesta noite ele vem sendo atormentado pela terrível visão de um assassinato do qual, aparentemente, fora a única testemunha. Correndo pelas ruas escuras de Vincennes, um dos bairros mais perigosos de Paris, Girraud tenta desesperadamente fugir da polícia, da imprensa, de homens estranhos que
parecem pertencer a uma misteriosa seita; e de seus próprios pesadelos...

Bom garoto

Os irmãos Francis e Brian Miller são duas crianças que sofrem com a violência física e moral do pai
autoritário e com a total falta de atitude da mãe. Eles também contam com o desprezo da irmã, Lisie, que é a “queridinha do papai”. A vida destes dois garotos começa a mudar quando
encontram um cachorro vira-lata no meio da rua e resolvem levá-lo para casa e escondê-lo, até encontrarem uma maneira de convencer a irmã a pedir ao pai que aceite o cão, pois sabiam que a ela o Sr. Miller não negaria.
O animalzinho, porém, começa a demonstrar um comportamento estranho, ao mesmo tempo em que alguns dos desafetos dos meninos misteriosamente desaparecem, configurando mortes um tanto bizarras...

O pai das lendas

Este conto narra as memórias do primeiro vampiro que pisou na Terra: a misteriosa transformação, suas andanças por este mundo ao longo de milênios de existência, a descoberta de que poderia transmutar outros e torná-los seus “filhos”, as muitas lendas que foram criadas por diferentes povos nos lugares mais distantes e sua sobrevivência após o triste fim de todos de sua espécie e da própria humanidade. Esta é a história da mais antiga e solitária das criaturas que
ainda caminha pelo planeta, apesar de não possuir mais motivos para existir.

Edições (2)

ver mais
Criaturas
Criaturas

Similares

(1) ver mais
Criaturas

Resenhas para Criaturas (2)

ver mais
Diário CT: Criaturas
on 16/7/12


O horror invade literariamente os oito contos apresentados no livro Criaturas, de Rochett Tavares, publicado pela La Barca Editora. Ao longo da leitura da obra de 220 páginas, que foi uma cortesia do escritor, resolvi anotar algumas palavras que expressassem o que eu sentisse com as histórias. Resultado: muitas palavras. A capa já logo de cara chama a atenção do leitor, e faz jus ao conteúdo, com diagramação escura e ilustrações um tanto quanto sombrias. As narrativas são bem descriti... leia mais

Estatísticas

Desejam8
Trocam3
Avaliações 3.7 / 20
5
ranking 30
30%
4
ranking 30
30%
3
ranking 20
20%
2
ranking 15
15%
1
ranking 5
5%

63%

37%

Rochett Tavares
cadastrou em:
26/06/2010 21:33:04