Don Juan (Narrado por ele mesmo)

Don Juan (Narrado por ele mesmo) Peter Handke


Compartilhe


Don Juan (Narrado por ele mesmo)





Don Juan (narrado por ele mesmo), apesar do seu subtítulo, é recontado, de fato, por um cozinheiro solitário e ocioso, ávido leitor, que, um belo dia, em meio a leituras de Racine e Pascal, decide dar um basta nos livros. Sua imprevista decisão coincide com a igualmente repentina e abrupta aterrissagem de Don Juan no jardim do albergue onde ele vive, nas ruínas do monastério de Port-Royal-des-Champs, na França. Não um Don Juan qualquer, mas o próprio Don Juan, a figura legendária cujas aventuras já foram contadas e recontadas por Tirso de Molina, Zorilla, Molière, Mozart, Kierkegaard, Ortega y Gasset, Camus, e que Peter Handke decide ambientar definitivamente na contemporaneidade.

Ao longo dos sete dias de sua permanência em Port-Royal, breve repouso em seu perambular pelo mundo, Don Juan conta a seu anfitrião, enquanto este último cozinha para os dois, as aventuras vividas na semana precedente: sete dias, sete países diversos, sete mulheres diferentes. Ainda que sete seja um número mágico, o que importa aqui não são os números, mas as letras: “Não contar, e sim soletrar”. É apenas um dos indícios de que Handke, ele mesmo um narrador obsessivo, ao construir essa espécie de fábula, também está interessado nas implicações do narrar, no seu sentido, nas suas possibilidades e nas suas consequências.

O Don Juan de Handke jamais seduziu, nunca foi seduzido. Seus encontros passionais se dão num encantamento desencantado, porque são inevitáveis. É seu olhar que funda o outro e desperta o desejo. Nessa intrincada relação entre narrativa, tempo e desejo; instante, história e eternidade, Handke nos conta uma história sem fim, mas “a definitiva e verdadeira história de Don Juan”, diante da qual todas as outras são falsas.

Edições (1)

ver mais
Don Juan (Narrado por ele mesmo)

Similares


Resenhas para Don Juan (Narrado por ele mesmo) (0)

ver mais
'Lendo Nobel': sobre várias possibilidades - e nenhuma concretização
2 weeks, 4 days ago


Mais uma vez que o anúncio de um novo vencedor do Prêmio Nobel é envolto em polemicas mais politicas que literárias, propriamente dizendo. Peter Handke é, incontestavelmente para a crítica especializada, um dos grandes nomes contemporâneos de língua alemã. Logo, enquanto nesse aspecto a Academia Sueca tenha acertado em cheio, seu posicionamento político desagradou a muitos, gerando polêmicas. Nomes como Joyce Carol Oates e Salman Rushdie – mencionados constantemente na lista da Ac... leia mais

Estatísticas

Desejam8
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 2.6 / 7
5
ranking 0
0%
4
ranking 14
14%
3
ranking 43
43%
2
ranking 29
29%
1
ranking 14
14%

56%

44%

Ismael
cadastrou em:
08/03/2014 23:15:32