Dona Bárbara

Dona Bárbara Rómulo Gallegos


Compartilhe


Dona Bárbara





Doña Bárbara é um romance do autor venezuelano Rómulo Gallegos, publicado pela primeira vez em 1929.

Dividido em três partes, as duas primeiras contendo treze capítulos e a última quinze, o romance mescla elementos líricos, costumbristas, psicológicos e sociológicos. Constitui uma das obras mais importantes da literatura latino-americana. A presença de símbolos em sua narrativa telúrica, numa recriação em profundidade: o personagem Santos Luzardo, volta ao lhano para vencer superstições e crendices e o espírito do mal, representado pela “devoradora de homens”, Dona Bárbara.

O romance Dona Bárbara apresenta como cenário as savanas de Apure, localizadas na região de Arauca, Venezuela, cuja produção econômica se baseia na pecuária. Essa narrativa retrata a natureza fundamentada nos ideais positivistas e de pressupostos deterministas. Desse modo, o progresso e civilização são contemplados como instrumentos de redenção para o ambiente e para os homens. Em Dona Bárbara, tanto a natureza quanto os homens são representados como bárbaros, sendo que a natureza abrange uma dinâmica significativa dentro do fio condutor da obra, pois o espaço narrativo é um ambiente que determina e, ao mesmo tempo, conduz as ações das personagens.

Dona Bárbara, uma descendente de índios, é personagem – título do livro. Ela é descrita como uma mulher cruel, não quis filhos para não dar prova do domínio do homem sobre a mulher. Seu principal opositor é Santos Luzardo, retratado no romance como um civilizador. A escritora Bella Jozef observa que Santos Luzardo “personifica a cultura e pretende exercer sua ação educadora nos llanos e terras distantes da civilização, rodeado de forças negativas: superstição, lucro, ignorância, que deve vencer sob pena de ser vencido”. No livro O Jogo Mágico, dando prosseguimentos as suas pesquisas sobre as letras hispano-americanas, Bella Jozef, analisa o romance brasileiro e o ibero-americano na atualidade e compara Gallegos (Dona Bárbara) com Guimarães Rosa (Grande Sertão:Veredas), ao afirmar que em ambos “o homem é ser em luta, o tema e os personagens se alegorizam na aventura do homem que tende a dominar as forças primitivas da natureza para alcançar sua harmonia interior. Apresentam assim, uma visão poética do mundo e do homem americano”.

Romance

Edições (2)

ver mais
Dona Bárbara
Dona Bárbara

Similares


Resenhas para Dona Bárbara (3)

ver mais
4 weeks, 2 days ago


Eu recomendo tanto esse livro! Ler Dona Ba?rbara me lembrou a sensac?a?o de estar assistindo uma novela daquelas da melhor qualidade, haha! Pra mim foi bastante relaciona?vel, por me lembrar bastante das vezes que ia para a fazenda do meu avo? quando crianc?a. O llano venezuelano tem muito do campo aqui. As construc?o?es dos personagens sa?o incri?veis e e? difi?cil na?o se apegar a Marisela, Pajarote, Antonio Sandoval. Ja? com Santos Luzardo e Dona Ba?rbara o autor consegue criar ... leia mais

Vídeos Dona Bárbara (1)

ver mais
? MINHAS PRÓXIMAS LEITURAS | Livro Lab por Aline T.K.M.

? MINHAS PRÓXIMAS LEITURAS | Livro Lab por Al


Estatísticas

Desejam34
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.2 / 33
5
ranking 45
45%
4
ranking 39
39%
3
ranking 12
12%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

29%

71%

Geovanna Labiuc
cadastrou em:
12/11/2020 09:12:57
Valtemário
editou em:
29/12/2020 09:42:32