É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe

É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe Ricardo Gondim


Compartilhe


É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe


o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe




Após observar e estudar os usos e costumes praticados nas diversas denominações evangélicas brasileiras; após ouvir milhares de jovens em congressos; após traçar o perfil de igrejas proibitivas e não-proibitivas, e observar o testemunho e o comportamento dos membros dessas igrejas, o pastor Ricardo Gondim resolveu escrever este livro.

É Proibido traz, finalmente, para a mesa de debate, um dos temas mais polêmicos entre os assuntos relacionados às igrejas evangélicas em nosso país: até onde alguns homens têm ocupado o lugar de Deus para ditar proibições?

Existem muitas pessoas hoje longe das igrejas evangélicas e totalmente indiferentes à mensagem bíblica por terem sofrido disciplinas e exclusões. Motivo? Foram vistas de lábios ou unhas pintados, de cabelos cortados, usando calças compridas, colar, brincos, jogando bola, soltando pipa ou incorrendo na prática de alguma outra proibição imposta pela igreja que elas freqüentavam. Os líderes evangélicos que excluíram, ou influenciaram decisivamente na exclusão dessas ovelhas do seu rebanho, estariam praticando uma correta e sadia exegese bíblica?

Quando pregamos que a Igreja tem que estar separada do mundo, o que estamos querendo dizer com isto? Em que devemos nos diferenciar das pessoas que ainda não confessaram a Cristo como Salvador? Será que devemos nos levantar da mesa de um restaurante quando virmos que à mesa ao lado está sentada uma pessoa que bebe ou fuma?

Por ter comido com pecadores e publicanos; por ter permitido que seus pés fossem lavados e enxugados por uma mulher pecadora; por ter pregado a sós para uma mulher de Samaria de vida nada exemplar, e por ter morrido entre ladrões, certamente Jesus também seria excluído dessas igrejas.

Quando o Senhor ordenou que fôssemos luz do mundo e sal da terra, estava se referindo a esse desafio de vivermos em um ambiente onde reinam as trevas e a imundície, sem nos deixarmos contaminar por elas. Ele nos instruiu, pois, a influenciar positivamente o mundo com a luz e a preservar com sal aquilo que ainda pode ser preservado.

É sobre este e outros polemíssimos assuntos ligados ao tema geral dos usos e costumes em nossas igrejas, que disserta, de maneira equilibrada e bíblica, o autor deste livro.

Religião e Espiritualidade

Edições (1)

ver mais
É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe

Similares

(2) ver mais
Filho do Fogo - Volume 1
Cutucando

Resenhas para É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe (10)

ver mais
Libertos de um evangelho escravos das tradições.
on 15/2/09


Como autor define parece ser uma perca de tempo escrever um livro como este, mas é importante termos no acervo cristão um livro que mostra que naquilo que mais criticamos o Catolicismo, ou as Igrejas Protestantes Históricas: formalismo liturgico e tradições. Formalismo como deve ser o culto, como devo me vestir, o que devo ouvir, com quem devo me relacionar, o que devo ler, aonde posso ir sem ferir o Cristianismo. Tradições de usos e costumes que são colocados como doutrinas bíblicas a... leia mais

Estatísticas

Desejam29
Trocam5
Avaliações 3.9 / 229
5
ranking 30
30%
4
ranking 37
37%
3
ranking 24
24%
2
ranking 9
9%
1
ranking 0
0%

55%

45%

Duda
cadastrou em:
09/12/2008 13:43:15
Aristarco
editou em:
07/03/2017 15:56:32