Elogio da Loucura

Elogio da Loucura Erasmo de Roterdã
Arthur Schopenhauer


Compartilhe


Elogio da Loucura





O mundo em que vivemos é louco. Muito mais louco do que pensamos. Totalmente louco. Não tem mais remédio. Aliás, se houvesse remédio, o mais salutar seria a própria loucura, o único bem supremo. Assim fala Erasmo de Rotterdam neste livro que, do inicio ao fim, é uma sátira mordaz, mas inteligente, da sociedade do século XVI. A loucura domina o mundo. Loucura por dinheiro, loucura pelo poder, loucura pelo saber, loucura até pela religião. A felicidade suprema do homem está nas loucuras que comete, na transformação da loucura em divindade que guia todos os seus passos. Erasmo, mente privilegiada, perspicaz, corajosa, escreveu para o homem do século XVI, mas parece que, quase como um profeta, pretendia mesmo dizer que o verdadeiro império da Loucura atingiria seu auge no final do século XX e início do século XXI.

Filosofia / Literatura Estrangeira / Ensaios

Edições (29)

ver mais
Elogio da Loucura
Elogio da Loucura
Elogio da Loucura
Elogio da Loucura

Similares

(14) ver mais
Delirium
Praise of Folly
Hamlet
Estado ideal de una república en la nueva isla de Utopía

Resenhas para Elogio da Loucura (54)

ver mais
on 29/5/09


adoro esse tipo de humor acido e ironia vindo de uma epoca em que isso beirava a heresia.... leia mais

Vídeos Elogio da Loucura (1)

ver mais
Elogio da Loucura, de Erasmo de Roterdã

Elogio da Loucura, de Erasmo de Roterdã


Estatísticas

Desejam343
Trocam97
Avaliações 4.1 / 2.472
5
ranking 43
43%
4
ranking 33
33%
3
ranking 19
19%
2
ranking 4
4%
1
ranking 0
0%

45%

55%

Láris
cadastrou em:
06/01/2009 20:42:28