Entre sem bater

Entre sem bater Marcos Rey
Marcos Rey


Compartilhe


Entre sem bater


(1961)




“No Sábado, Sylvana foi jantar com Mauro no Excelsior. Preferiu não usar nenhum dos seus esplendorosos vestidos de noite. Trajou-se com o maior recato; apenas aquela mecha branca dos cabelos dava um traço mais ousado à sua personalidade. A pesar da fama que se aproximava, queria mostrar-se equilibrada e madura.

- Você está mais bonita hoje do que nunca – disse Mauro, observando-a.

- Tão modesta assim?

- Você fica melhor com esse traje simples.

Sylvana pensou na satisfação que sua mãe teria se ela se casasse. E pelo menos no momento, que melhor partido do que Mauro Giampioni, o impulsionador de seu sucesso? Depois, casando-se com ele, cumpria uma espécie de capricho do destino, já há tanto tempo o admirava. Casada, as manchas de seu passado seriam retiradas e poderia enfrentar o mundo com mais altivez e decisão. Ainda se sentisse atração pela vida dispersiva de outrora, mas nascera nela outra mulher, e nenhum vestido deveria sobreviver.”

Ficção / Literatura Brasileira

Edições (2)

ver mais
Entre Sem Bater
Entre sem bater

Similares


Estatísticas

Desejam5
Trocam4
Avaliações 3.1 / 13
5
ranking 15
15%
4
ranking 23
23%
3
ranking 15
15%
2
ranking 46
46%
1
ranking 0
0%

45%

55%

Daniel Padovani
cadastrou em:
28/02/2010 20:35:18