Espinhos e alfinetes

Espinhos e alfinetes João Anzanello Carrascoza


Compartilhe


Espinhos e alfinetes





Para João Anzanello Carrascoza as palavras dão contorno a nós e ao mundo. Causam dor, feito espinhos e alfinetes. Mas, como agulhas, ajudam a nos curar de nós mesmos. Em Espinhos e alfinetes, seu quinto livro de contos, esse homem que ama as palavras desde menino, fala das diferentes formas de vivenciar o adeus, dos difíceis temas da perda e da despedida “Quando perdemos alguém, damos adeus também a quem fomos. E, no fundo, estamos nos despedindo o tempo todo, mesmo quando damos boas vindas a uma pessoa”, argumenta o autor.

Com rara sensibilidade, Carrascoza cria aqui, ainda, uma especial proximidade com o universo da infância — ela está na memória adulta, na vivência da paternidade, ou na exploração de seus ritos de passagem. “A infância é um período mágico, em que vivenciamos, ainda que em meio à dor, um processo de encantamento pelo mundo. Depois, adultos, cegamos para as belezas que antes nos deslumbravam e, aí, passamos o resto da existência em busca desse território perdido. Perdido, mas possível de reencontrar dentro de nós mesmos”, explica.

Ao todo, são onze contos nos quais mais uma vez demonstra a força inventiva e o apreço pela palavra exata e necessária ao momento. Os narradores de Carrascoza contam suas histórias desde o ponto de vista de crianças, como se a infância fosse a única e real possibilidade de deslumbramento e fantasia. As narrativas, em sua grande maioria, giram em torno à perda de inocência: é gente moça que vai criando a casca para a vida e que aprende o que há de pueril em todas as felicidades.

Aproximando sua prosa à poesia, Carrascoza tem construções de linguagem singulares e que remetem, aqui e ali, a um parentesco com Guimarães Rosa — sem que esses laços representem prisão. Bem pelo contrário, esse paulista de Cravinhos maneja a linguagem de maneira desenvolta, com imagens e comparações que, mais do que poesia, parecem contornar a falta de significação das palavras, inaugurando, enfim, uma marcha rumo à lucidez.

Contos / Ficção / Literatura Brasileira

Edições (1)

ver mais
Espinhos e alfinetes

Similares

(14) ver mais
Caderno de um Ausente
Aos 7 e aos 40
O volume do silêncio
O Barco das crianças

Estatísticas

Desejam56
Trocam1
Avaliações 4.3 / 49
5
ranking 43
43%
4
ranking 51
51%
3
ranking 6
6%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

28%

72%

Vivi
cadastrou em:
22/07/2010 13:29:59
Jenifer
editou em:
19/05/2019 11:02:55