Há Quem Prefira Urtigas

Há Quem Prefira Urtigas Junichiro Tanizaki


Compartilhe


Há Quem Prefira Urtigas





Misako e Kaname deixaram de sentir atração física um pelo outro, mas não conseguem se separar definitivamente. O episódio, que tem relação com a biografia de Junichiro Tanizaki (o autor passou por situação similar ao se divorciar amistosamente da primeira esposa, em 1930), é o mote para esse romance sobre as relações amorosas do Japão moderno.

O casal decide estabelecer uma série de regras de comportamento afetivo, com a convicção de que, com o tempo, elas possibilitariam uma separação definitiva. Essa ruptura calculada, acredita Kaname, vai lhe proporcionar mais tempo para visitar a prostituta Louise, cuja existência a mulher ignora. Misako, por sua vez, pretende refazer a vida ao lado de Aso, seu amante.

Já o velho pai de Misako, amante do tradicional teatro de bonecos bunraku, vive com a concubina Ohisa, uma mulher submissa, trinta anos mais jovem. Misako, Louise e Ohisa, as mulheres que protagonizam o romance, representam três tipos de comportamento que configuram um choque de culturas que é também um choque de gerações. Seguindo um procedimento moral moderno, Misako tenta equacionar o casamento com uma relação extra-conjugal. Louise almeja largar a vida humilhante e vergonhosa de prostituta aproveitando-se da paixão de Kaname, seu cliente predileto. Ohisa, por sua vez, segue a tradição das gueixas e se dedica a satisfazer os desejos do ancião.

Ambientado no Japão da década de 1920, Há quem prefira urtigas apresenta os dilemas de duas maneiras de amar: aquela da tradição japonesa e a da nova geração ocidentalizada.

Ficção / Literatura Estrangeira / Romance

Edições (1)

ver mais
Há Quem Prefira Urtigas

Similares

(12) ver mais
Pigmaleão
Declínio de Um Homem
Crônica de um Vendedor de Sangue
Amor insensato

Resenhas para Há Quem Prefira Urtigas (10)

ver mais
Jogo de aparências no Japão dos anos 20
on 25/2/09


Um romance que deixa exposto o outro lado do moralismo: aquele que todos fingem não ver e não se importar. O livro busca descrever, em pleno Japão dos anos 20, o quanto estamos habituados a jogar uma sujeirinha incômoda para baixo do tapete. Uma crítica inteligente às regras estabelecidas pela sociedade, como casamento e família, e que leva à reflexão de como há, nas entrelinhas sociais, a imposição de viver de aparências. "Há Quem Prefira Urtigas", de Junichiro Tanizaki, mostra que os... leia mais

Estatísticas

Desejam117
Trocam1
Avaliações 3.6 / 172
5
ranking 17
17%
4
ranking 40
40%
3
ranking 33
33%
2
ranking 9
9%
1
ranking 1
1%

36%

64%

Frost
cadastrou em:
05/01/2009 13:37:29
Liliane Klein
editou em:
22/07/2019 23:17:34