Infiltrada

Infiltrada Suki Kim


Compartilhe


Infiltrada


por dentro da Coreia do Norte, a ditadura mais secreta do mundo




Um livro de registros mantidos confidencialmente por Suki Kim em sua experiência na Coreia do Norte, infiltrada como professora de inglês para ensinar os filhos da elite durante os últimos seis meses do reinado de Kim Jong-il. A autora relata, assim, sob seu olhar jornalístico e seu desejo de imergir na própria ancestralidade, o que poucos sabem sobre o regime mais brutal do mundo.

Diariamente, três vezes ao dia, os alunos marcham em duas fileiras alinhadas, cantando louvores a Kim Jong-il e à Coreia do Norte: “Sem você, não há pátria. Sem você, não há nós.” É uma cena arrepiante, mas aos poucos Suki Kim também aprende a melodia e, sem perceber, começa a cantarolá-la. O ano é 2011, e todas as universidades da Coreia do Norte passariam um ano inteiro fechadas. Todos os alunos seriam mandados para canteiros de obra, exceto os 270 alunos da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang (UCTP), um complexo murado onde retratos de Kim Il-sung e Kim Jong-il, impassíveis, observam tudo das paredes de cada cômodo.
Na UCTP, Suki aceitou o emprego como professora de inglês e, nos seis meses seguintes, faria três refeições por dia ao lado de seus jovens pupilos – a quem se refere como “soldados e escravos” – e se esforçaria para ensiná-los a escrever. Sob o olhar atento do regime, Suki leva uma vida solitária e claustrofóbica. Suas cartas são lidas por censores e ela deve esconder suas anotações e fotografias não apenas dos guardiões, mas também de seus colegas. Ser pega significaria a morte. No entanto, Suki consegue armazenar e esconder anotações em um pen drive que leva em seu pescoço.
A facilidade com que os alunos mentem e a obediência deles ao regime deixam Suki ao mesmo tempo angustiada e perplexa. Na perspectiva deles, tudo na Coreia do Norte é maior, mais alto e mais delicioso. E, ainda assim, é inevitável amá-los. Aos poucos, Suki começa a insinuar a existência de um mundo além do deles – mencionando atividades exóticas como navegar na internet ou viajar livremente e, de forma ainda mais perigosa, a democracia eleitoral e outras ideias proibidas em um país onde a punição para desertores é a tortura e a morte. Os alunos, por sua vez, oferecem a Suki noções atormentadoras de suas vidas, desde seus pensamentos sobre como impressionar as garotas até a decepção com o fato de os jogos de futebol serem transmitidos apenas quando a seleção norte-coreana vence. Quando Kim Jong-il morre, os alunos ficam devastados e levam Suki a questionar se o abismo entre o mundo dela e o mundo deles poderá ser superado um dia.

Drama / Literatura Estrangeira / Não-ficção / Política

Edições (1)

ver mais
Infiltrada

Similares

(8) ver mais
Dentro do Segredo
Sin ti no hay nosotros
Fuga do Campo 14
Pyongyang

Estatísticas

Desejam30
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 0 / 0
5
ranking 0
0%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

13%

87%

Larissa.Silvani
cadastrou em:
26/10/2021 12:18:06
Vivi
editou em:
24/11/2021 15:17:42
Pri Paiva
aprovou em:
29/10/2021 17:46:28

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR