Língua Febril

Língua Febril Beth Brait


Compartilhe


Língua Febril


Lengua febril (edição bilíngue)




A geografia da língua poética não é limitada pelas fronteiras entre os países: há um elemento universal na poesia de Beth Brait Alvim que faz com que sua língua ‘roce’ todos os tempos e espaços; daí, sua voz se eleva e transita por vastas regiões numa comunhão com tudo o que é vivo. Ao mesmo tempo, é uma profunda voz feminina capaz de ler as entrelinhas dos sentidos e da história. Entre os chineses, diferente do restante do cânon do budismo mahayana, o bodisatva da compaixão é feminino, a deusa Kwan Yin. Beth é uma espécie de bodisatva poética que com sua língua transfigurada traduz toda a dor e toda a alegria da vida, das ressonâncias ocultas do mar às meditações dos bichos, a experiência nua e febril de, a todo o tempo, atualizar as formas da língua para dizer o indizível. A língua de Beth é o idioma da compaixão. Assim é a poesia de Beth Brait Alvim. [Gledson Sousa]

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Língua Febril

Similares


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 5.0 / 1
5
ranking 100
100%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

100%

0%

Litteralux
cadastrou em:
23/06/2022 01:59:28
Litteralux
editou em:
23/06/2022 02:00:17

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR