Chegar ao fundo do osso

Chegar ao fundo do osso Diego Ruas


Compartilhe


Chegar ao fundo do osso





Em “A vida não é uma colônia de férias” desenha a continuidade da estafa em meio de nosso caminho terreno. Fecha o poema como projeta a vida, afirmando a esperança em meio a tragédia. Qualidades de um bom poeta, militante. Fazer a persistência da descrença ruir em confronto com a teimosia do esperançar. “Quando damos aquele algo a mais/ que nem sabíamos ter, / é que seremos aquilo que nunca poderão tirar de nós”. E o que os poderosos, o tempo e o coração partido não podem nos roubar? O que fica? Aquilo que é tão único e tão coletivo quanto nossa existência, nosso nome em meio a classe, esculpido na pedra e na história, a arte. Aquilo que nos impregna os ossos. [Nathália Ferreira Guimarães]

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Chegar ao fundo do osso

Similares


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 5.0 / 1
5
ranking 100
100%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

0%

0%

Litteralux
cadastrou em:
26/12/2023 23:36:06
Litteralux
editou em:
26/12/2023 23:36:23

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR