Em alguma parte alguma

Em alguma parte alguma Ferreira Gullar




Em alguma parte alguma





Após dez anos da publicação de seu último livro de poemas, Muitas vozes, Ferreira Gullar entrega ao público, agora, este Em alguma parte alguma, em que dá prosseguimento à reflexão poética sobre a existência. Este difere dos livros anteriores, no desenvolvimento de novos temas e, sobretudo, pelas questões que suscita na realização do poema.
É ele mesmo, o autor, quem costuma assinalar, como característica de sua produção poética o fato de que, sem que o busque deliberadamente, cada um de seus livros de poemas difere do outro, bem mais do que costuma ocorrer num mesmo autor. Faz questão de assinalar que não planeja seus livros de poemas, sendo eles, portanto, resultado da própria indagação poética e da reflexão sobre a vida e sobre seu trabalho de poeta.
Ferreira Gullar afirma que o seu poema nasce do “espanto”, quando inesperadamente depara-se com um aspecto inesperado do real e, a partir daí, vão se sucedendo os poemas, até que a motivação se esgote. Isso explica a recorrência de determinados temas, que, tempos depois, voltam a ganhar atualidade.
Nestes últimos anos, a obra de Ferreira Gullar, já consagrada pela crítica e pelos leitores, foi distinguida com prêmios de alta significação na vida cultural, como o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, e, este ano, com o Prêmio Camões, a mais alta distinção que se concede a escritores de língua portuguesa. Gullar foi também indicado para o Prêmio Nobel de Literatura, em 2002 e 2004.

Poemas, poesias

Edições (2)

ver mais
Em Alguma Parte Alguma
Em alguma parte alguma

Similares

(4) ver mais
O busto de Adão e outras poesias
Barulhos
Muitas Vozes
Poesias Completas - Caixa

Resenhas para Em alguma parte alguma (7)

ver mais
"O" livro
on 18/10/10


Poesia não costuma me seduzir. Acho que nem lembro a última vez (se houve) que comprei um livro de poesia para mim, mas há poucos dias resolvi comprar o livro do Desassossego na Amazon e li uma matéria sobre esse último livro do Ferreira Gullar na revista da cultura, então... Bom, afundei na vertigem dessas parte alguma. Nada de perpçexidades melífluas. É um mergulho agudo mas sem acidez no intrincado emaranho de viver e morrer de todo dia. concisão, rigor, profundidade e clareza, lem... leia mais

Estatísticas

Desejam35
Trocam6
Avaliações 4.3 / 176
5
ranking 52
52%
4
ranking 28
28%
3
ranking 16
16%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

43%

57%

robertablo
cadastrou em:
31/08/2010 09:01:49