Vulgo Grace

Vulgo Grace Margaret Atwood


Compartilhe


Vulgo Grace





Vulgo Grace lembra uma colcha de retalhos, daquelas em que cada pedacinho de tecido remete a um momento ou personagem diferente, mas que, no final, quando todos costurados, formam a história completa. A partir do caso real de uma notória mulher canadense da década de 1840, Margaret Atwood conta a trajetória de Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão, Thomas Kinnear, e a governanta da casa onde trabalhava, Nancy Montgomery.

A história contada por Margaret Atwood tem início em 1859, quando a protagonista Grace Marks já está presa. James McDermott, também condenado pelas mortes, há muito fora enforcado. Grace mora no presídio, mas devido ao bom comportamento, trabalha durante o dia na casa do governador da penitenciária em uma Toronto do século XIX com costumes bastante tradicionais. Grace costura e ajuda em alguns serviços mais leves.

Apesar de iletrada, os relatos que Grace faz, de próprio punho, em diários e cartas, e seu bom comportamento em todas as instituições por onde passou, impressionaram clérigos, médicos e políticos da época. Vários trabalharam incansavelmente a favor da jovem, elaborando petições para sua libertação, procurando opinião clínica para dar suporte ao seu caso.

É nessa época que chega à cidade um médico interessado em doenças mentais e em estudar o comportamento dos assassinos. Dr. Simon Jordan está ali para coletar depoimentos de Grace. Se conseguir ir adiante, pretende descobrir se ela mente ou se realmente tem problemas de memória, que a impedem de se lembrar do que aconteceu no dia da morte do Sr. Kinnear e de Nancy. É ao Dr. Jordan que Grace conta sobre sua vida, desde a época passada na Irlanda, onde nasceu e de onde a família parte para o Canadá em busca de melhores condições.

Apesar de muitas vezes mostrar ao leitor detalhes dos acontecimentos que compõem a história de Grace, Margaret Atwood utiliza-se de sutilezas para deixar subentendidos importantes aspectos da trajetória da protagonista.

Durante a narração, Atwood estimula os leitores a formarem sua própria opinião sobre a assassina. Teria sido ela ludibriada por James McDermott, humilhada demais por Nancy Montgomery, acometida de um acesso de raiva ou o mundo simplesmente estaria sendo injusto ao condená-la à prisão perpétua? Respostas que a autora sabe guardar muito bem até o fim do livro.

Literatura Estrangeira / Romance

Edições (3)

ver mais
Vulgo Grace
Vulgo Grace
Vulgo Grace

Similares

(15) ver mais
Dicas da Imensidão
O Assassino Cego
Febre e lança
Uma Esperança Mais Forte Que o Mar

Resenhas para Vulgo Grace (51)

ver mais
on 14/1/13


Um livro bastante interessante. Descortina costumes de época com minúcias de detalhes, principalmente pela narrativa de Grace. Embora o pano de fundo seja o duplo assassinato de seu empregador e da governanta do local onde a protagonista e principal narradora trabalhava, e pelo qual foi condenada à prisão perpétua, há no livro uma gama bastante diversa de informações interessantes, dentre as quais os tratamentos mentais utilizados na época, as relações amorosas e a elaboração de colch... leia mais

Vídeos Vulgo Grace (17)

ver mais
Vulgo Grace | #128 Li e adorei

Vulgo Grace | #128 Li e adorei

Alias Grace - Crítica

Alias Grace - Crítica

#59 VULGO GRACE (livro) | Dai Bugatti

#59 VULGO GRACE (livro) | Dai Bugatti

LIVRO x SÉRIE: ALIAS GRACE (VULGO GRACE) | Magia Literária

LIVRO x SÉRIE: ALIAS GRACE (VULGO GRACE) | Ma


Estatísticas

Desejam978
Trocam13
Avaliações 4.3 / 817
5
ranking 52
52%
4
ranking 36
36%
3
ranking 10
10%
2
ranking 1
1%
1
ranking 0
0%

13%

87%

Ricardo
cadastrou em:
19/04/2009 18:34:51
Paula Fabiana
editou em:
25/08/2017 09:48:55