Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais

Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais La Rochefoucauld
François de La Rochefoucauld


Compartilhe


Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais


Coleção Grandes Ideias




Muitas das máximas de François VI, duque de La Rochefoucauld, se incorporaram ao imaginário coletivo, recitadas há gerações sem atribuição. Não é para menos: com ironia fina e profundo pessimismo, seus escritos revelam uma acachapante habilidade de descrever as fraquezas e rodeios morais a que todos estamos sujeitos.
Reflexões como “Nunca somos tão felizes nem tão infelizes quanto imaginamos”, “Prometemos segundo nossas esperanças e cumprimos segundo nossos temores”, “Há bons casamentos, mas não deliciosos”, “Não podemos olhar fixamente nem o sol nem a morte”, “Os defeitos do espírito, assim como os do rosto, aumentam com a velhice”, ou “Não temos força suficiente para seguir toda a nossa razão” soam tanto familiares quanto cruelmente precisas…
Importante moralista e pensador francês, membro da alta nobreza, envolvido nas intrigas da corte e personagem-chave da Fronda, a guerra civil que dividiu a França entre os anos de 1648 e 1653, La Rochefoucauld somou a experiência nos círculos aristocráticos, frívolos e mundanos, sedentos de poder e reconhecimento em que vivia à observação filósofica, ajudando a consolidar e popularizar as máximas como gênero literário.

Edições (1)

ver mais
Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais

Similares

(10) ver mais
A Crise das Ciências Europeias e a Fenomenologia Transcendental
Silogismos da Amargura
História e Utopia
O Estado como obra de arte

Estatísticas

Desejam15
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.2 / 23
5
ranking 57
57%
4
ranking 17
17%
3
ranking 22
22%
2
ranking 4
4%
1
ranking 0
0%

59%

41%

Leitora Viciada
cadastrou em:
19/03/2014 01:09:42