A Menina que Ouvia Demais

A Menina que Ouvia Demais Maurício Kanoo


Compartilhe


A Menina que Ouvia Demais





O livro é voltado principalmente ao público pré-adolescente e para todo aquele com mente jovem. Une diversão com metalinguagem e diferentes pontos de vista em um problema. Isso é feito com tantos diálogos – frequentemente cômicos – como numa peça de teatro; descrições suficientes para ambientar o leitor em mundos imaginários; e personagens em conflitos absurdos.

O enredo trata de uma menina pré-adolescente que passa a ouvir o que diz o narrador da história em que ela vive, o que cria um grande problema para ambos. Ela está irritada de ouvi-lo o tempo todo, enquanto ele precisa cumprir o seu trabalho, interrompido tantas vezes pela menina escandalosa.

Já no “estúdio do mundo de criação de livros”, o chefe do narrador não compreende a situação e ameaça demiti-lo. Afinal, o funcionário estaria “brincando em serviço”. Será preciso resolver a situação, e o jeito que o narrador arruma para isso é um tanto exótico. Por que a menina está ouvindo a narração é um mistério, que só será esclarecido no final.

Alternadamente com essas confusões, o leitor também acompanha uma versão idosa da menina, que vive em um mundo futurista com uma estranha criatura que apareceu em sua casa. O visitante promete aventuras e novas maneiras de enxergar o mundo, enquanto ela parece só se interessar em escrever suas memórias.

Assim, como em uma telenovela, o romance reveza e vai mostrando, a cada capítulo (correspondente a cenas televisivas) o que está se passando com diferentes personagens, cada um em seu cenário. Até que alguns deles saem de seus núcleos narrativos e se misturam com os outros, contribuindo para a gradual resolução dos quebra-cabeças.

Como questões secundárias, a história aborda a relação da jovem protagonista com sua mãe, primas e colegas da escola, incluindo um amigo com quem ela teria uma paixãozinha não-declarada. Estão em evidência também as limitações físicas enfrentadas pela protagonista idosa. E o confuso narrador recorre até a um psicanalista.

Justificativa para publicação

O conflito principal do trabalho induz a uma reflexão sobre até onde poderia chegar a interação humana com as modernas formas de comunicação. Até mesmo pode ser identificada uma metáfora à “poluição comunicativa”, quando informação demais aparece de todos os lados.

É trabalhado o recurso de conversa personagem-narrador utilizado com sucesso nos populares quadrinhos da Turma da Mônica, no filme “Mais Estranho que a Ficção”, além da história dentro da história no filme “O Show de Truman”, com tensão e linguagem renovados.

A história cita diretamente novidades tecnológicas contemporâneas, como tablets e e-books, além de aparecerem em cena também questões problemáticas de difícil solução, como pirataria digital.

Espera-se que o leitor se divirta muito ao ler a história, pois ela inclui diversos trechos cômicos – ao menos, é o retorno obtido com pessoas que já fizeram a leitura e auxiliaram com outras sugestões.

Além disso, como o texto é composto em sua maior parte por diálogos, com poucas descrições, além de linguagem informal, a leitura deve ser bastante fluente, mesmo para o público infantojuvenil - também houve bom retorno com uma leitora pré-adolescente.

Mesmo assim, há profundidade psicológica, observada principalmente na idosa; mas também nos outros protagonistas – menina e narrador –, ao se acompanhar sua progressão de comportamentos. Até mesmo personagens secundários, como o chefe, também mostram evolução comportamental, mantendo sua coerência.

A proposta de livro concilia a fantasia e ficção científica ao mundo cotidiano dos jovens, como a escola, chocolates e família, além de citações ao imaginário tradicional e das celebridades.

Edições (1)

ver mais
A Menina que Ouvia Demais

Similares


Resenhas para A Menina que Ouvia Demais (3)

ver mais
Resenha - A Menina que Ouvia Demais
on 13/2/15


Olá, tudo bem com você? Este livro chegou para mim com uma parceria que fiz com o autor, e inclusive peço desculpas pela demora em publicar a resenha, acabei deixando o livro guardado na estante e quando vi que estava parado corri para ler. Bom o livro tem uma ideia muito boa, nele conhecemos Marisa uma "pré adolescente" como gosta de ser chamada, e Bòris o narrador da história. Bòris vive em um mundo paralelo onde ele escreve as histórias de livros para chegar até a Terra, ... leia mais

Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam1
Avaliações 3.2 / 6
5
ranking 0
0%
4
ranking 33
33%
3
ranking 50
50%
2
ranking 17
17%
1
ranking 0
0%

43%

57%

Diego Lops
cadastrou em:
11/05/2014 05:48:17