A Vez de Morrer

A Vez de Morrer Simone Campos


Compartilhe


A Vez de Morrer





Quando Izabel voltou a passar seus fins de semana em Araras, a casa da família estava praticamente abandonada. Desde a morte do avô, Izabel e sua mãe pouco se interessaram pelo lugar. A mãe, inclusive, sempre achou que a casa precisava ser vendida. Nas duas últimas décadas, a região serrana do Rio de Janeiro se convertera num veraneio para ricos e famosos, e pouco lembrava a Araras de antigamente, com seus sítios e chácaras familiares. O terreno, hipervalorizado como tudo no Estado do Rio, acertaria de vez a vida das duas. O que poderia vir a calhar, principalmente para Izabel, que vem descobrindo na pele as agruras de trabalhar como freelancer. Entre pagamentos atrasados e a escassez generalizada de serviços, pouco resta a ela senão distrair a cabeça na casa de Araras. E um fim de semana na serra logo vira outro e outro e outro. Aos poucos, o ar de abandono vai dando lugar a uma casa viva, como se aquelas ruínas estivessem sendo reconstruídas pela memória de Izabel. Sem perceber, ela se vê praticamente morando na serra. Como ocorre em todo ponto turístico, Araras é feita de duas cidades. Na temporada, vicejam as lojinhas e restaurantes, as ruas coalhadas de gente. Durante a semana, são os moradores que ocupam a praça, a sorveteria e as igrejas, que parecem brotar do chão. E é justamente essa segunda cidade que atrairá Izabel. O gerente da lan house, cheio de grandes aspirações profissionais, ou sua irmã, eternamente envolvida com a complexa cultura evangélica da região. Ou ainda o amigo do Rio, que pretende instaurar um polo tecnológico ao lado de Araras. Ou a amiga casada, que vai pra debaixo dos seus lençóis. No cruzamento dessas vidas, Simone Campos constrói peça a peça uma trama de alta voltagem sexual, um retrato de geração ao mesmo tempo ácido e delicado, violento e bucólico.

Edições (1)

ver mais
A Vez de Morrer

Similares


Resenhas para A Vez de Morrer (1)

ver mais
Duas em uma
on 15/8/15


Em A vez de morrer, de Simone Campos, acompanhamos Izabel (uma jovem fluminense de classe média insatisfeita profissionalmente e inconstante em seus relacionamentos afetivos), em sua viagem rumo ao novo, à mudança. E o novo surge, paradoxalmente, do velho: é na cidade serrana de Petrópolis – mais precisamente no distrito de Araras, onde se localiza o sítio em que ela passou longos períodos da infância e que acabou herdando de seu finado avô – que Izabel encontra forças para dar uma gui... leia mais

Vídeos A Vez de Morrer (1)

ver mais
Literatorios #038 - A Vez de Morrer

Literatorios #038 - A Vez de Morrer


Estatísticas

Desejam51
Trocam4
Avaliações 3.5 / 44
5
ranking 14
14%
4
ranking 48
48%
3
ranking 27
27%
2
ranking 7
7%
1
ranking 5
5%

36%

64%

Marcos
cadastrou em:
27/05/2014 21:14:54