Cher

Cher Josiah Howard


Compartilhe


Cher





Reconhecida como uma das artistas mais bem-sucedidas da história, Cher vendeu mais de 100 milhões de álbuns solo e 40 milhões de discos como parte da dupla com Sonny, seu ex-marido. Vencedora do Oscar e de três Globos de Ouro ela é também considerada um ícone gay. Em 1998, foi agraciada pelo GLAAD Media Awards (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation) com o Vanguard Award, prêmio oferecido aos membros da comunidade do entretenimento que fizeram ganhos significativos na promoção da igualdade de direitos para gays e lésbicas.

Neste mais recente lançamento da editora nVersos, Cher: Strong Enough, o biógrafo Josiah Howard explora um dos períodos mais fascinantes e turbulentos da carreira de Cher, que sozinha e pela primeira vez, se tornava apresentadora de um show de variedades. Intitulado Cher, o programa foi exibido na CBS nas noites de domingo entre fevereiro de 1975 e janeiro do ano seguinte.

“Tudo parece estar acontecendo comigo ao mesmo tempo”, comentou Cher meses após a estreia do seu programa. E estava mesmo. Segundo Howard, o que acontecia nos bastidores do programa solo era tão fascinante quanto o que estava acontecendo diante das câmeras. Em paralelo ao seu fantástico sucesso, após a parceria com Sonny, e no curto período de apenas doze meses, Cher compareceu a um tribunal para testemunhar em um caso de homicídio; encerrou formalmente seu relacionamento romântico e comercial de dois anos com o magnata da mídia David Geffen; finalizou sua ação de divórcio contra Sonny, sob a acusação de “servidão involuntária” e violação da 13ª Emenda, que proibia escravidão; respondeu a uma ação judicial de US$ 24 milhões movida por Sonny, em que a acusava de “quebra de contrato” (assim como a disputa pela guarda de sua filha, Chastity); casou-se, entrou com pedido de divórcio nove dias depois e reconciliou-se com a estrela de rock Gregg Allman, da Allman Brothers Band; respondeu a uma ação judicial de seu pai, John Sarkisian, que pedia US$ 4 milhões por “invasão de privacidade”; lançou Stars, o álbum mais bem produzido, mas quase totalmente ignorado de toda a sua carreira, apareceu “nua” na capa da revista Time, que acabou sendo tachada como “pornográfica” e foi retirada das bancas de jornal na Flórida e ainda negociou uma volta amigável à TV com Sonny, enquanto estava grávida de Gregg Allman!
Foram meses exaustivos, que deixariam qualquer mortal enlouquecido, mas com Cher acontecia o contrário, ela crescia em popularidade e ganhava força pessoal.

Cher: Strong Enough apresenta ao leitor um período de auge pouco analisado, mostrando que, dez anos antes de se tornar uma atriz “séria” e ganhadora de um Oscar, Cher já indicava os triunfos da sua carreira que marcariam para sempre uma geração.
Escrita por um biógrafo experiente, a obra se destaca pelo tom minucioso, é rica em detalhes e foi meticulosamente pesquisada por meio de entrevistas com produtores, familiares, diretores, amigos e um bom número de personagens que fizeram parte de todo o universo fantástico do programa Cher.

As apresentações ao vivo com estrelas como Michael Jackson, Elton John, Ray Charles, Tina Turner, David Bowie, Bette Midler, Patti La Belle, Linda Ronstadt e Glen Campbell estão entre os momentos mais incríveis de sua carreira e são destaques no livro. Suas roupas brilhantes e ousadas mostravam o umbigo, criações do estilista Bob Mackey, e suas perucas, com penteados elaborados, ocupam uma categoria especial na obra. O leitor poderá passear por essas imagens fascinantes porque Cher: Strong Enough apresenta um excelente álbum de fotos com imagens raras e pouco divulgadas na mídia, em que Cher aparece glamorosa e no apogeu de sua beleza.


Biografia, Autobiografia, Memórias

Edições (2)

ver mais
Cher
Os Ciclonautas

Similares

(1) ver mais
Mulheres que não sabem chorar

Resenhas para Cher (1)

ver mais
A diva do pop
on 29/3/15


As biografias possuem um papel fundamental tanto para a Literatura quanto a História. Recentemente, li sobre Castro Alves como objeto de estudo. Mas, também, existe o objeto de prazer, que é caso de Cher, de Josiah Howard, 272 páginas, nVersos Editora. Cher, apesar do glamour, não viveu flores românticas sem espinhos. Antes do sonho da fama, ela já convivia com uma família desestruturada. Os pais viviam uma relação de conflitos e o sonho da mãe era ser uma atriz consagrada. O divórc... leia mais

Estatísticas

Desejam1
Trocam3
Avaliações 4.8 / 11
5
ranking 82
82%
4
ranking 18
18%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

30%

70%

nVersos
cadastrou em:
08/12/2014 15:36:08
Juliana
editou em:
24/06/2015 11:36:28