Umbral das Trevas

Umbral das Trevas Alex Villechaize


Compartilhe


Umbral das Trevas





"Lá dentro da casa, tudo era silêncio, penumbra e poeira dos séculos e séculos. Cidão adentrou a sala de estar e parou, assustado. Lá estavam os pais de Filomena na mesma posição em que os havia visto da última vez, quarenta anos atrás. Sentados, imóveis, lado a lado, na poltrona em frente à TV desligada. Cidão aproximou-se devagar. Tocou o braço da Dona Juraci. Estava gelada. De repente, a cabeça dela caiu dos ombros e rolou pelo tapete. Seca e oca como uma cabaça. O corpo, também seco e oco, tombou para o lado, encostando-se no ombro de Seu Rodriguez. Ele, desacostumado com carinho, desabou para o lado, enquanto sua cabeça caía para trás em noventa graus. E, da boca aberta, palhas e penas começaram a se agitar. Um pardal pequeno surgiu dali. O passarinho se equilibrou nos lábios secos e mortos por alguns segundos e se jogou em vôo pela sala. Cidão tropeçou nos próprios pés, deu meia volta e saiu correndo pela porta por onde havia entrado."

Contos

Edições (1)

ver mais
Umbral das Trevas

Similares


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam1
Avaliações 0 / 0
5
ranking 0
0%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

100%

0%

Junior
cadastrou em:
14/09/2016 11:20:22