Tudo Que Arde Em Minha Garganta Sem Voz

Tudo Que Arde Em Minha Garganta Sem Voz Matheus Peleteiro


Compartilhe


Tudo Que Arde Em Minha Garganta Sem Voz





Expresso nestes poemas, todo o ardor que incendeia minha garganta sem voz. Tudo que, de alguma maneira, simplesmente precisa ser dito. Porque “ruge dentro de mim, como se não houvesse papas na minha língua, nem consequências nas minhas palavras”, “como se algo simplesmente gritasse que tudo isso apenas ‘precisa ser dito’”.
Esses gritos, traduzidos em palavras, fazem deste livro um pedido de socorro. Não meu, não seu, mas um urro em nome de toda a humanidade. Gritos que manifestam uma tentativa de cumprir o meu papel de retratar a realidade num momento em que nossa voz costuma ser ofuscada pelo som dos tiros, ou pelos soluços dos lamentos emitidos por nossos iguais.
O Autor

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Tudo Que Arde Em Minha Garganta Sem Voz

Similares

(4) ver mais
Notas de um Megalomaníaco Minimalista
Mundo Cão
Maldito Deus Arrancando Esses Poemas de Minha Cabeça
Derivantes Delirantes

Resenhas para Tudo Que Arde Em Minha Garganta Sem Voz (3)

ver mais
A contemporaneidade precisa de espaço para crescer
on 13/4/21


Leitura para algumas horas, tudo que arde em minha garganta arde na garganta de Peleteiro e ele, ao contrário do que pensa, tem voz e nos entrega um livro de poesia. Uma poesia urbana, que conversa com a gente como se estivéssemos sentados na mesa de um bar. Fala da vida, do cotidiano, das angústias e até de algumas alegrias. Você pode ver o reflexo de algumas de suas aflições, nas aflições aqui poetizadas. Poesia mais pelo teor do que pela forma. Mais pelo ardor, do que pelo concret... leia mais

Estatísticas

Desejam9
Trocam1
Avaliações 4.7 / 13
5
ranking 77
77%
4
ranking 15
15%
3
ranking 8
8%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

41%

59%

Peleteiro
cadastrou em:
11/11/2016 23:51:16

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR